BMW Série 3 quase pronto

By on 12 Setembro, 2018

Importante para a marca, o renovado Série 3 está nos testes finais antes da sua revelação e, por isso, a BMW decidiu recordar as muitas horas, dias, semanas e meses de testes ara o deixar no ponto.

Como sempre, houve uma ordem metódica para estes testes e tudo começou, para o Série 3, nos Estados Unidos da América, com os tradicionais ensaios no Vale da Morte (Death Valley) onde, segundo a BMW, os protótipos foram deixados “debaixo do inclemente sol durante várias horas, depois eram arrefecidos e voltavam a ser esturricados.” Temperaturas acima dos 50 graus servem para validar o sistema de climatização. O teste é simples: deixar o interior chegar aos 60 graus e depois refresca-lo o mais depressa possível.

Depois do Vale da Morte, o Série 3 foi submetido aos raios eletromagnéticos emitidos pela estação hidroelétrica de Hoover Dam – uma gigantesca barragem localizada entre os estados do Nevada e do Arizona, que represa o rio Colorado – seguido da subida, tradicional, ao Mount Whitney (o cume mais alto dos Estados Unidos com uma altitude de 4421 metros, situado na Califórnia) onde o Série 3 passou a 4 mil metros. Seguiu-se a descida, dura, onde “o carro foi acelerado de forma dura e a travagem levada aos limites.”

Depois dos testes em condições extremas de calor, o BMW Série 3 foi enviado para os rigores climatéricos da Suécia. Ali o novo modelo foi testado na neve e no gelo, próximo do Circulo Polar Ártico, perto da localidade de Arjeplog, onde a BMW tem um centro técnico e de desenvolvimento. A BMW e muitas outras marcas. A neve e o gelo são os locais ideais para testar o controlo dinâmico de estabilidade, o diferencial M Sport e o sistema de quatro rodas motrizes.

Para o comportamento, a BMW escolhei as suas pistas de testes de Ascheim e de Miramas e, inevitavelmente, o Nurburgring. Para definir a carroçaria, foram usados túneis de vento e com isso a BMW conseguiu, reclama a casa bávara, um coeficiente de arrasto de apenas 0,23. Claro que para isso o BMW Série 3 está todo carenado por baixo, o spoiler traseiro foi afinado e as jantes foram aerodinamicamente otimizadas.

Convirá recordar que ainda antes de serem construídos os primeiros protótipos, a BMW testou o novo Série 3 em computador com simulações duras com mais de 12 mil manoibras diferentes efetuadas, sem que um carro estivesse construído. Mas desta forma, a BMW afinou o comportamento e depois facilitou o trabalho das equipas de desenvolvimento. Os dados recolhidos nesses testes foram aplicados nas “mulas” de teste que foram, depois, validadas pelos pilotos e engenheiros.

Pronto, ficam a saber como foram os testes do novo Série 3, mas a BMW continua a não divulgar pormenores sobre o carro em si. Das poucas coisas que foram referidas está a diminuição de peso até 55 quilos, um centro de gravidade rebaixado e uma repartição de pesos perfeita 50/50, suspensões revistas e um grupo de motores melhorados, entre os quais os blocos de quatro cilindros mais potentes de sempre. Porém, o Série 3 será cerca de cinco por cento mais económico que o atual modelo.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!