Citroen AMi é um bilugar elétrico para a cidade que custa 6.900€ ou 20€/mês

By on 28 Fevereiro, 2020

A ideia é brilhante no sentido de levar a todos a mobilidade elétrica, oferecendo um veículo urbano que pode ser alugado por 20€/mês… em França.

O Ami é um bilugar elétrico inteligente que se mantem fiel ao protótipo Ami One Concept revelado há um ano, que tem como objetivo chegar a uma nova geração de clientes ao passo que o interesse pelos modelos citadinos vai desaparecendo, de tal forma que a Citroen não vai dar a C1 uma nova geração.

O Ami é uma lufada de ar fresco para a cidade que será lançado no verão, mas não em todos os mercados: para Portugal ainda não está totalmente desenhada a oferta do Ami, mas não estará disponível antes do final do ano e com valores diferentes daqueles que são praticados em França. O mercado francês será o piloto para o projeto do Ami, com um preço de 6.900 euros, sendo o veículo comprado online ou nas lojas Fnac e Darty, sendo depois entregue em casa. Como um computador ou um eletrodoméstico. Pode, também, alugar o carro por 29 cêntimos ao minuto ou 19,99 euros por mês. Em Portugal, pode alugar um Citroen C-Zero por 21 cêntimos/minuto. Portanto, percebe-se que os valores em Portugal serão mais baratos. 

Tal como sucede com o Renault Twizy, o Ami está homologado como quadriciclo. Quer isto dizer que pode ser utilizado sem carta de condução por maiores de 16 anos. Uma vantagem interessante para o conceito do Ami.

A comparação inevitável com o Twizy tem de ser feita, já que não tendo a mesma base de utilização, são rivais. O Ami é mais comprido que o Twizy, tendo 2,41m de comprimento (mais 90 mm) e tem um circulo de viragem maior 40 mm, com 7,2 metros. Ainda assim, o Ami cabe em meio lugar de estacionamento, o que é, sempre, uma enorme vantagem em cidade.

O Ami tem uma plataforma em “skate” onde entre os dois eixos está uma bateria de iões de lítio com 5,5 kWh que autoriza uma autonomia de 75 km. O pequeno motor elétrico é suficiente para alcançar uma velocidade de 40 km/h, o máximo que um quadriciclo pode alcançar. A bateria é pequena e leva três horas a ser carregada numa tomada doméstica.

O Ami é um modelo divertido, porque foi pensado para ter painéis intermutáveis e o estilo é acaixotado, mas divertido. Por exemplo, as portas abrem de forma diferente de um lado e do outro. No lado esquerdo, a porta abre no sentido contrário ao da marcha, do lado direito de forma convencional. Ou seja, permite isso que as portas possam ser usadas em ambos os lados. A acessibilidade é assim majorada. 

O responsável pelo estilo da Citroen, Pierre Leclercq, lembrou que “o Ami e o Ami Concept foram desenhados lado a lado, sendo que o protótipo é mais excecional que o carro de produção em série, mas a inteligência do conceito do modelo de industrialização é o mesmo. Exemplo disso? As portas e a funcionalidade do interior.”

Pierre Leclercq

Além daquela característica, o Ami tem duas janelas fixas que têm uma dobradiça com duas meias janelas, lembrando o 2CV, tem um tejadilho em vidro que oferece grande claridade para o interior, uma ampla superfície vidrada. Ambas são pensadas para proporcionar aos ocupantes uma sensação de espaço, além de uma boa visibilidade.

Volto à conversa com Pierre Leclercq, escutando o designer lembrar que o “Ami nunca foi pensado para fazer parte da gama de modelos da Citroen. Nada disso! O projeto foi pensado para estar à parte dos automóveis da marca e por isso é que acabou por ser tão especial. No estilo, na ideia e na forma de o conceber, não tivemos constrangimentos com identidade da marca ou ligação às gamas da Citroen.”

E o designer da Citroen aproveitou para explicar que o carro tem apenas uma cor, o “azul Ami”. Passando a mão pelos painéis, senti uma rugosidade inesperada e perguntei se o carro estava, mesmo, pintado. “Pois (risos), a cor única é porque estamos a falar de um material colorido e não de tinta convencional” esclareceu Leclercq. Ou seja, os painéis intermutáveis são feitos de material plástico que tem esta cor e não há pintura que possa ser aplicada.

O interior é aquecido e fechado, muito amplo, com dois lugares colocados lado a lado (a grande diferença, entre mais algumas, para o Twizy) espaçosos e onde cabem mesmo pessoas altas e… largas. Estive sentado dentro do Ami e vi um colega de profissão, inglês, a entrar no carro sem problemas. Bagageira não existe, apenas um espaço do tamanho de uma pequena mala, num nicho colocado aos pés do passageiro. O sistema de navegação, sistema de som e outros, são acedidos através do seu smartphone, que coloca numa “dock” existente no meio do painel de instrumentos. As portas têm uma fita de tecido como puxador – as meias janelas são presas com um grampo um nadinha mal-enjorcado – e outra fita está no tablier para abrir as portas. Depois, há uma gama de acessórios que foram desenhados para caberem no interior em ganchos próprios, majorando a capacidade de carga, praticamente inexistente.

A Citroen descreve o Ami como “uma resposta prática às novas expetativas da nova mobilidade de curta duração, facilidade de acesso ao centro das cidades, oferece micromobilidade a todos e é uma real alternativa a scooters, bicicletas, trotinetes e transportes públicos, com um custo razoável.” E quando questionado sobre quando é que o Ami será rentável, o CEO da Citroen, Vincent Cobee lembrou que “não nascemos para fazer coisas que não são lucrativas”, espelhando o conceito de Carlos Tavares: não se pode perder dinheiro num único carro!

Vincent Cobee

Como se pode ter um Citroen Ami

Já lhe disse acima como se pode comprar o Ami, mas vou agora precisar os detalhes. O Ami está disponível para compra, aluguer de longa duração ou debaixo do sistema “car sharing” Free2Move da PSA. Não sabemos se será assim em Portugal, mas em França funciona desta maneira: para alugar o modelo terá de fazer um depósito de 2644€ e pagar, mensalmente, 19,99€. Ou seja, a mensalidade é ao nível de um Netflix, Spotify, HBO e outros. Utilizando o Free2Move, custa-lhe 26 cêntimos por minuto.

Se quiser comprar o carro, basta desembolsar 6.900€, sendo que o processo de compra é totalmente feito online sendo o carro entregue em casa ou num ponto de entrega. Em França, o parceiro da Citroen para a venda do Ami, em “pop up stores”, ou seja, em locais instalados nos parceiros, será a Fnac – Darty, em Espanha será o El Corte Inglês. Em Portugal, ainda não sabemos quem será. Poderá comprar o carro num concessionário Citroen, mas a compra é sempre processada online.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)