Citroën C4 Cactus 1.5 BlueHDi – Ensaio Teste

By on 8 Outubro, 2019

Citroën C4 Cactus 1.5 BlueHDi Origins

Texto: Francisco Cruz

Boas origens

Numa altura em que já se fala no seu fim definitivo, o C4 Cactus dá um último sinal de vitalidade, participando nas comemorações do 100.º aniversário da Citroën, com uma edição especial comemorativa denominada Origins. E que, conjugada com um 1.5 BlueHDi de 100 cv, demonstra as boas origens, de modelo e marca!

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

  Conforto; Habitabilidade; Consumos    

Menos:

Condução pouco envolvente; Sistema de abertura tipo de asa de borboleta; Ausência de vários sistemas de apoio à condução

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação: 9/10 Irreverente como poucos no aspecto exterior, o actual Citroën C4 Cactus resulta de uma tentativa da marca francesa de fundir conceitos, juntando o despretensiosismo e versatilidade do Cactus, a uma certa postura mais conservadora do anterior C4. Apresentado no Salão de Genebra de 2014, o C4 Cactus manteve, ainda assim, muitas das características visuais invulgares do Cactus original, a começar nuns agora bem mais discretos – mas ainda emblemáticos – Airbumps. A que soma uma frente impactante e sólida, a procurar manter a estética levemente crossover. Nesta nova edição de aniversário, a preservação das características naturais do modelo, acentuadas através do recurso a soluções específicas e personalizadas, como as jantes em liga leve diamantadas CrossBlack de 17″ ou o pack Color e stickers Origins. Em suma, atraente, não há dúvida…

Interior

Pontuação: 9/10 Num habitáculo de acesso fácil, uma qualidade de construção agradável, ainda que marcada por muitos revestimentos em plástico. Algo que, no entanto, a aplicação de cores um pouco mais claras, a par do design irreverente, ou até mesmo das várias aplicações em metal, procuram atenuar. De resto, num ambiente extremamente funcional e com os principais comandos acessíveis e intuitivos,  destaque para elementos como painel de instrumentos totalmente digital e o ecrã destacado e táctil do sistema de infoentretenimento, a juntar a um invulgar mas prático porta-luvas – aliás, é mesmo o melhor espaço de arrumação, já que as bolsas nas portas mostram pouca profundidade… No mesmo (bom) plano exibe-se a posição de condução, mercê não só de um volante de dimensões generosas, boa pega e multiregulável, mas principalmente de uma “poltrona” em tecido (preto, cinza e branco), invulgarmente larga e a fazer do conforto o seu maior atributo – para o qual contribuem também as amplas regulações, as quais só não garantem uma melhor visibilidade traseira; culpa dos encostos de cabeça traseiros… Óptimo conforto têm igualmente os passageiros do banco de trás, onde, mercê de um assento fofo e totalmente liso, facilmente se acomodam três adultos. Ajudados também por um túnel de transmissão quase inexistente, a permitir bastante espaço para pernas… mas já não um atenuar da claustrofobia causada pelos vidros das portas traseiras, cuja abertura não vai além de uma fresta, devido à ultrapassada abertura tipo asa de borboleta! Finalmente, na bagageira, uma capacidade inicial de 358 litros, mas que também pode chegar aos 1.175 litros, mediante o fácil rebatimento 40/20/40 das costas dos bancos traseiros. As quais, embora ficando um tudo nada mais altas que o piso da mala, não impedem o aproveitamento desta funcionalidade, num espaço de acesso alto mas amplo, e que é aquilo que está à vista.

Equipamento

Pontuação: 7/10 Versão especial de aniversário, o Citroën C4 Cactus procura diferenciar-se dos restantes irmãos, em particular, através da imagem. Distintiva não só pelas cores exteriores específicas e autocolantes Origins que exibe, mas também por outros pormenores, como as jantes CrossBlack de 17″, faróis de nevoeiro com função cornering light, volante revestido a cabedal, banco do condutor com regulação do apoio lombar, apoio de braço dianteiro, climatização automática, Rádio MP3 com tomada Jack/USB/Connecting Box e Mirror Screen. No entanto e apesar da importância da ocasião, críticas para a necessidade de pagar à parte soluções como o Pack City Câmara, com um custo de 250€; o Citroën Connect Nav (Navegação 3D com kit mãos livres Bluetooth, ecrã tactil de 7″com função Mirror Screen multifunções com 6 altifalantes e entrada USB), por 549,99€; ou o Pack Drive Assist (Active Safety Brake + AFIL – Alerta de Transposição Involuntária de Linha + Alerta de atenção do condutor + Coffee Brake Alert + Reconhecimento dos painéis de velocidade e recomendação), por 549,99€. Já para não falar na pintura exterior Branco Banquise (250€), na roda sobressalente temporária (100€) ou no acesso e arranque mãos livres (450€)…

Consumos

Pontuação: 9/10 Agradável e eficaz no funcionamento, o 1.5 BlueHDI de 100cv é também comedido nos consumos, desde logo, ao anunciar médias em circuito combinado e já segundo o ciclo WLTP, de 4,8 l/100 km. Números que, diga-se e elogie-se, acabam não andando muito longe da realidade. Pois, mesmo sem sistemas de modos de condução, funções ECO ou Start&Stop interventivos, a verdade é que o nosso C4 Cactus 1.5 BlueHDi terminou um ensaio que se prolongou por vários dias, com utilização maioritariamente em cidade, com um registo de 5,8 l/100 km no computador de bordo!  

Ao volante

Pontuação: 8/10 Impulsionado por um turbodiesel competente e à altura das necessidades do conjunto, o Citroën C4 Cactus 1.5 BueHDi 100cv Origins destaca-se, quando em estrada, pela postura e desempenho de verdadeiro francês – descontraído na forma como desloca e, acima de tudo, confortável como poucos! Sem quaisquer aspirações a momentos de envolvência ou arrebatamento ao volante, o C4 Cactus mostra-se assim e em particular nesta versão de aniversário, uma proposta fiel às suas origens, concebida para fazer da mais pequena viagem, um momento de relaxamento. E, isto, sem receios ou preocupações com maus pisos ou até um passeio ou outro; simplesmente, segue alegre e descontraído, ao ritmo do trânsito! Com uma direcção respeitadora do mesmo princípio, sem muito feedback ou peso, e mantendo até um travão de estacionamento mecânico, não lhe peçam, por isso, andamentos nos limites, até porque é outra a preocupação da suspensão. Simplesmente, disfrutem-no tal como é: confortável, seguro e familiar, além de uma proposta respeitadora das (boas) origens…

Concorrentes

Alfa Romeo Giulietta 1.6 JTDM Super, 120cv, 10s 0-100 km/h, 195 km/h, 4,7 l/100 km103 g/km CO2, 29 702€ (Conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Ford Focus 1.5 EcoBlue Active, 120cv, 10s 0-100 km/h, 196 km/h, 3,6 l/100 km, 97 g/km CO2, 26 983€ (Veja ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Hyundai Kauai 1.6 CRDi Premium, 115cv, 10,7s 0-100 km/h, 183 km/h, 4,2 l/100 km, 132 g/km CO2, 25 706€ (Veja ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Kia Stonic 1.6 CRDi EX, 115cv, 11,5s 0-100 km/h, 180 km/h, 4,2 l/100 km, 128 g/km CO2, 26 366€ (Veja ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Peugeot 308 1.5 BlueHDI Business Line, 100cv, 10,7s 0-100 km/h, 186 km/h, 3,8 l/100 km, 122 g/km CO2, 27 390€ (Veja ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Renault Mégane Blue dCi Zen, 95cv, 12,1s 0-100 km/h, 185 km/h, 4,5 l/100 km, 118 g/km CO2, 25 250€ (Conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Seat Leon 1.6 TDI Style, 9,8s 0-100 km/h, 197 km/h, 4,2 l/100 km, 127 g/km CO2, 27 945€ (Conheça todas as versões e motorizações AQUI)   Volkswagen Golf 1.6 TDI Trendline, 10,2s 0-100 km/h, 198 km/h, 4,1 l/100 km, 128 g/km CO2, 29 156€ (Veja ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

Pontuação: 8/10 Quatro cilindros turbodiesel disponível noutros modelos com potências mais expressivas, o 1.5 BlueHDi surge neste C4 Cactus Origins com “apenas” 100 cv e 250 Nm de binário. Mas que, mesmo quando conjugado com uma mais lenta, mas ainda assim agradável, caixa manual de seis velocidades, acaba por conseguir “levar a água ao seu moinho”; mercê também do baixo peso do conjunto francês! Mesmo não se mostrando particularmente discreto ou até suave no funcionamento, a verdade é que este BlueHDI acaba por resultar bem no C4 Cactus. Oferecendo não somente uma boa disponibilidade desde os regimes mais baixos, a par de uma aceleração competente – 10s dos 0 aos 100 km/h… -, como também excelentes custos de utilização! Mas, quanto a isso, o melhor mesmo é ler o item “Consumos”…

Balanço final

Pontuação: 8/10 Numa altura em que a Citroën comemora 100 anos de existência, o C4 Cactus junta-se à festa para, mesmo em final de vida, ajudar a reanimar aquela que sempre foi a génese da popular marca francesa – automóveis vanguardistas, confortáveis, pensados e feitos para alegrar as nossas cidades. E a verdade é que, mesmo impulsionado por um mais “contido” 1.5 BlueHDi de 100cv, este C4 Cactus Origins consegue ser uma óptima homenagem às, por vezes, demasiado esquecidas origens da Citroën…

Ficha técnica

Motor Tipo: quatro cilindros em linha a gasóleo, injecção directa, turbo de geometria variável e intercooler Cilindrada (cm3): 1.499 Diâmetro x curso (mm): 75 x 84,8 Taxa compressão: 16.5 : 1 Potência máxima (cv/rpm): 100/3.750 Binário máximo (Nm/rpm): 250/1.750 Transmissão e direcção: Dianteira, com caixa manual de seis velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica Suspensão (fr/tr): Tipo McPherson; Eixo de torção Travões (fr/tr): Discos ventilados/Tambores Prestações e consumos Aceleração: 0-100 km/h (s): 10 Velocidade máxima (km/h): 190 Consumos Baixa Velocidade/Média Velocidade/Alta Velocidade/Velocidade Extrema/Mistos WLTP (l/100 km): 5,0/4,4/4,2/5,6/4,8 Emissões de CO2 WLTP (g/km): 97 Dimensões e pesos Comprimento/Largura/Altura (mm): 4,170/2,729/1,480 Distância entre eixos (mm): 2,595 Largura das vias (fr/tr) (mm): 1,479/1,477 Peso (kg): 1.120 Capacidade da bagageira (l): 358/1.170 Depósito de combustível (l): 45 Pneus (fr/tr): 205/50 R17 / 205/50 R17 Preço da versão ensaiada contempla campanha de desconto de 3 400€

Preço da versão ensaiada (Euros): 23946€
Preço da versão base (Euros): 18572€