DS acaba, finalmente, com o DS3 que tantas alegrias deu à Citroen

By on 17 Janeiro, 2020

Faria dez anos de vida em 2020 após o seu lançamento em 2010 como parte de uma nova ideia de marca de topo para a Citroen. Acabou o DS3.

Quando foi lançado, foi uma pedrada no charco, pois um utilitário, apenas com três portas e tiques Premium era algo quase impensável. Mas sucedeu, foi um dos carros mais interessantes da década, foi carro de competição chegando a ser campeão do mundo de ralis e suportou a DS durante a sua vida como nível de equipamento superlativo e na hora de se emancipar. Já tem um substituto no DS3 Crossback – cuja única semelhança está na barbatana de tubarão nas portas traseiras – e depois da DS ter parado a sua produção há poucos meses, chegou a hora de sair do catálogo e deixar “voar” o atual DS3.

A DS já só tinha em catálogo um motor, o PureTech com 110 CV e caixa automática de 6 velocidades e as vendas eram já residuais, com o último estertor a suceder com o lançamento da enésima série especial já em 2018. A fábrica de Poissy já desmantelou a linha de montagem do carro, dando lugar ao novo Opel Mokka, “irmão” do DS3 Crossback, que começará a ser produzido ali a partir do final do ano.

O DS3 começou a sua vida em fanfarra, mas rapidamente as vendas declinaram e a Citroen/DS rapidamente entrou no caminho das séries especiais e a dada altura, o carro deixou de ser um Citroen para ser um DS. Por isso mesmo depois de um primeiro “restyling” em 2014 – altura em que a DS passa a ser uma marca e não um nível de equipamento – que ainda tinha o “Double Chevron” na frente do carro (a decisão só chegou depois de tudo estar feito), em 2016 o DS3 abandona a Citroen e passa a ser apenas DS com a frente a ser remodelada por isso mesmo.

Apesar destas mudanças e dos dois “restyling” sofridos, o DS3 envelheceu rapidamente, tendo as vendas sofrido com isso. Além disso, o efeito surpresa durou pouco, ninguém quer um carro de três portas e muito menos caro só porque acha que é Premium. Com cada vez menos carros vendidos, era uma questão de tempo até a decisão chegar e a guilhotina cortar o DS3 da gama DS.

Contas feitas, a Citroen e a DS venderam 183.482 unidades em quase 10 anos de vida. A Citroen comercializou entre 2010 e 2015, 128.826 unidades do DS3 e 2399 carros descapotáveis entre 2013 e 2015. Já debaixo da marca DS, foram vendidas entre 2015 e 2019 apenas 47.141 unidades mais 5.116 do descapotável. O melhor ano do DS3 foi em 2011 com 33.011 carros vendidos, sendo o pior, sem surpresa, 2019 com 3.790 unidades comercializadas.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)