Ford diz que ver vermelho num dia frio aumenta autonomia dos elétricos

By on 7 Abril, 2019

As diferentes cores podem levar o nosso cérebro a não interpretar corretamente a temperatura ambiente, levando-nos a pensar que está mais calor ou mais frio do que a realidade.

A Ford está a desenvolver estudos no sentido de perceber como a combinação de cor certa com as diferentes situações de condução poderá aumentar a autonomia dos veículos elétricos. Para isso, criou o Transit Smart Energy Concept Minibus, com motorização elétrica a baterias, utiliza a iluminação ambiente para que os passageiros sintam mais calor (com luzes vermelhas) ou mais frescura (luzes azuis). Isto ajuda a aliviar o esforço do sistema de ar condicionado, utilizando-se a energia poupada para aumentar os quilómetros de autonomia do veículo.

Estudos feitos nos EUA demonstram que a utilização do sistema de climatização num veículo elétrico a bateria pode reduzir até 50% a autonomia. Os veículos com habitáculos maiores, como os miniautocarros, requerem mais energia para manter a temperatura interior e garantir o conforto de todos os passageiros.

A Ford testou o seu novo protótipo de 10 lugares na Weather Factory, o Centro de Testes Ambientais da Ford em Colónia, Alemanha. Configurado para que o motorista possa monitorizar o estado da temperatura em todos os lugares, a partir de um ecrã na consola central, os passageiros foram submetidos a um dia de inverno, simulado a 0° C, e a um dia de verão, com temperaturas de 30° C, tendo-lhes depois sido solicitada a avaliação do seu nível de conforto com base nas sensações de muito quente ou de muito frio. Em ambos os casos, a iluminação ambiente resultou numa redução do consumo de energia do sistema de climatização, de 3,3 por cento na refrigeração e de 2,5 por cento no aquecimento.

O Transit Smart Energy Concept apresenta várias inovações que permitem optimizar a utilização de energia e reduzir as perdas de calor: seis painéis solares, montados no tejadilho, carregam uma bateria de 12 volts que alimenta o aquecimento dos bancos, a iluminação do habitáculo e os sistemas elétricos a bordo. 

Um inovador sistema de recuperação de calor utiliza o calor residual dos componentes do grupo propulsor, do ar exterior e do ar no habitáculo para aumentar a autonomia do veículo em 20 por cento. Janelas com vidros duplos e ventiladas reduzem as superfícies de contacto com o frio e isolam contra as perdas de calor. 

Piso traseiro e tejadilho com isolamento reforçado, reduzindo, ainda mais, as perdas de calor do habitáculo. Porta de correr elétrica, abrindo apenas até metade de modo a reduzir as perdas de calor. O ventilador do aquecimento e do ar condicionado desliga-se automaticamente quando a porta está aberta. Divisória em policarbonato entre a porta do passageiro e a zona de bancos, também contribuindo para uma redução adicional das perdas de calor quando os passageiros entram e saem, protegendo os passageiros dos elementos externos. 

O veículo dispõe ainda de painéis aquecidos e de aquecimento dos bancos, permitindo a cada passageiro controlar a temperatura da sua própria área. Em futuras versões, está previsto que o condutor possa controlar o aquecimento e o arrefecimento dos bancos individualmente, bem como a desativação de assentos desocupados por via da deteção automática de ocupantes, inspirada nas atuais tecnologias de ativação de airbags. A Ford prevê iniciar, ainda no presente ano, os testes de estrada com o Transit Smart Energy Concept.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)