Ford Mustang Mach-E apresentado em Los Angeles

By on 18 Novembro, 2019

O AUTOMAIS ofereceu-lhe a apresentação em direto do novo modelo da família Mustang, aqui ficam os detalhes do modelo que, para o bem e para o mal, passa a ser um “irmão” do coupé desportivo.

O Mach-E tem um estilo diferenciado, com uma frente agressiva que inclui uma “boca” de generosas dimensões que pode acolher uma grelha decorativa. O desenho da mesma evoca a grelha do Mustang, sendo que os faróis LED são mais rasgados e a parte inferior do para choques mais escavada. 

O para brisas está bem inclinado, o tejadilho tem a curvatura de um coupé, a traseira é massiva e tem o óculo traseiro também com forte inclinação. Os ombros são salientes o que dá ao Mustang Mach-E uma aparência, visto de traseira, muito musculada. Os farolins evocam, claramente, os utilizados no Mustang Coupé. Não é tão feliz como a frente, mas será sempre uma questão de gosto. Até porque teria sido muito mais fácil aplicar os farolins do Mustanmg. Ficariam bem melhor…

Depois vamos aos detalhes mais futuristas: a superfície vidrada é estreita e os puxadores das portas estão escondidos. Um toque de classe no modelo que tem inspiração no estilo, por exemplo, do novo Puma, o coupé desportivo que passou a SUV nesta nova geração.

Olhando ao interior, o Mustang Mach-E aproxima-se mais de um Explorer que do Mustang. Porém, no tabliê, a inspiração é Tesla! O condutor fica frente a um volante onde está o Mustang, o cavalo selvagem que serve de tema ao carro, e a um ecrã de 10,2 polegadas que serve de painel de instrumentos. Mas ao lado, na consola central está um enorme ecrã de 15,5 polegadas, sensível ao toque, que alberga o Sync3, a terceira geração do sistema de info entretenimento da Ford. O resto do tabliê está desenhado com gosto e, diz que esteve na apresentação, com materiais de qualidade e uma montagem sólida.

Há muitos opcionais, entre eles o sistema de som da Bang&Olufsen, um tejadilho panorâmico, luzes ambiente, volante aquecido, pedais em alumínio, bancos em diversos tipos de pele e com aquecimento ou efrigeração.

O Mustang Mach-E tem um porta bagagens dianteiro com 136 litros de capacidade e uma bagageira com 821 litros que podem chegar a 1688 litros com o rebatimento do banco traseiro.

A Ford preparou cinco variantes diferentes do Mustang Mach-E. O Select é o modelo de base e custa 43.895 dólares, tem tração traseira ou integral. Tem um pacote de baterias com 75,7 kWh, uma potência de 259 CV com um binário de 414 Nm (4×2) ou 565 Nm (4×4). A aceleração 0-100 km/h no 4×2 é feita abaixo dos seis segundos e a autonomia é de 370 km. Com tração integral, o exercício de aceleração 0-100 km/h é feito em menos de seis segundos e a autonomia não vai além dos 338 km.

A versão Premium tem um preço de 50.600 dólares, tem versão normal e autonomia reforçada graças à utilização de uma bateria de 98,8 kWh. A versão normal tem as mesmas especificações do Select. A versão com extensão de autonomia tem tração traseira e integral. O primeiro tem 286 CV e 414 Nm de binário (0-100 km/h em menos de 7 segundos) e uma autonomia de 483 km. A variante 4×4, tem 338 CV e 565 Nm de binário, chega dos 0-100 km /h em menos de seis segundos e tem uma autonomia de 435 km.

O Mustang Mach-E California Route 1 só tem tração traseira e a bateria de 98,8 kWh, motor de 286 CV e 414 Nm de binário, oferecendo uma autonomia de 483 km por 52.400 dólares. 

Seguem-se as versões de topo. O Mach-E First Edition custa 59.900 dólares, tem tra~ão integral e a bateria de 98,8 kWh, o motor tem 338 CV e 565 Nm de binário, uma autonomia de 435 km. Finalmente, o Ford Mustang Mach-E GT, cujo preço é de 60.500 dólares, não tem ainda todas as especificações concluídas, mas sabe-se que terá um motor de 465 CV e 830 Nm de binário, tração integral e a bateria de 98.8 kWh. A autonomia será menor, em redor dos 378 km, mas com uma aceleração 0-100 km/h de 3,5 segundos.

O Mach-E tem um carregador interno que permite ligação a carregadores rápidos o que autoriza recuperar 35 km de autonomia a cada hora de ligação á corrente elétrica, numa tomada convencional. A Ford tem uma “Wall box” denominada “Ford Connected Charging Station” que com a mesma ligação convencional, recupera 51 km de autonomia por cada hora de carregamento. A Ford reclama que num carregador rápido, a bateria vai dos 10 aos 80% de carga em 38 minutos, com um carregador de 150 kW.

Como já referimos anteriormente, o carro já está em fase de encomendas, sendo precisos 500 dólares de depósito para ficar na fila e receber o seu Mach-E daqui a cerca de um ano, sendo que se a escolha for um Select ou um GT, o Mustang Mach-E só chegará às mãos do cliente já em 2021. Desconhece-se quando chegará à Europa e com que preços.

Se perdeu a apresentação, espetacular, do Mustang Mach-E em Los Angeles, pode vê-la neste vídeo de pouco mais de 50 minutos
Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)