MERCEDES X350D 4 MATIC – Ensaio Teste

By on 26 Junho, 2019

Mercedes X350d 4Matic

Texto: José Manuel Costa ([email protected])

Refinamento alemão

Inevitavelmente tenho de lhe dizer que este carro é um Nissan Navara, mas para os detratores que passam a vida a “embirrar” com o Classe X, acreditem que há ali muito trabalhinho dos homens da Mercedes. A Mercedes percebeu que este segmento ganhava momento no Velho Continente e que uma “pick-up” com uma estrela na grelha poderia ser uma boa forma de lucrar uns cobres. Com o Classe X, a Mercedes fez o mesmo que tinha feito quando lançou o Classe M e foi a primeira marca Premium a entrar no segmento SUV. Pelo posicionamento, o Classe X teve de receber algumas modificações face ao Nissan Navara, esforçando-se, arduamente, os técnicos e designers da Mercedes para que a Navara de base se aproximasse daquilo que é um verdadeiro Mercedes, seja no estilo, na sensação e, mais difícil, no comportamento. Vamos conhecer como é este X350d 4Matic.


Mais:

Motor, Qualidade, Comportamento

 

Menos:

Preço

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação 7/10

Num primeiro olhar, reconhecemos o corpo da Nissan Navara, mas depois percebemos que tudo, ou quase, está diferente. A frente não deixa dúvidas e na traseira a estrela de três pontas e o nome do modelo permite-nos dizer que este é um Mercedes. Curiosamente, a Mercedes não diz quais as percentagens de peças que cambiou, argumentando que tudo faz parte de um processo de mudança e por isso não interessa catalogar as alterações feitas. Mas a verdade é que na traseira as diferenças são poucas, à frente muito mais, permitindo que o X350d se diferencia da base de uma forma clara. E olhem que consegui ter uma ao lado da outra…

Interior

Pontuação 8/10

No interior (quase) não há nada que seja Nissan. Peças vieram do Classe C, e do Classe V para compor o ramalhete do interior e do tablier que é uma réplica daquilo que a casa de Estugarda faz em outros modelos. Se procurar bem encontrará coisas da Nissan, pelo menos as chaves (são iguaizinhas), o comando do sistema de tração integral e alguns materiais, sendo que todos, ao toque, não exalam a mesma qualidade que um Mercedes convencional.

Ei! Está é uma pick-up!! Ou seja, tem uma função clara para a qual nasceu e não vale a pena inverter essa situação. E mesmo que alguns materiais não façam par com outros modelos da gama Mercedes, o interior deste X350d é muito melhor do que se faz na concorrência. Há personalização disponível para o interior, que é bem superior à oferecida pelos seus rivais de segmento, além de muitos opcionais. Destaque, só, para a ligação do smartphone e do smart watch, uma estreia no segmento. E se parece que o ecrã de 7 polegadas pertence a outra geração da Mercedes, é a pura verdade, mas face ao que existe no mercado, é excelente, em qualidade e conteúdo.

Ergonomicamente, tudo está bem feito, mas não se percebe por que razão o volante só regula em altura e os bancos têm pouca amplitude de regulação. Apesar disso, a posição de condução é excelente e o volante Mercedes igual a tantos outros modelos da casa alemã, dá uma sensação diferente. Além de tudo isto, destaque para os materiais que tentam mitigar os ruídos normais num chasis/cabina, que impedem que sejamos abanados com as vibrações ou incomodados pelo barulho de pneus e mecânica.

A verdade é que este X350d vai mais além do que é habitual neste tipo de veículos em termos de refinamento, qualidade e conforto.

Equipamento

Pontuação 7/10

A escolha de equipamento para o Classe X é enorme e complicado. O equipamento de base é completo com ar condicionado automático, fecho central de portas, vidros elétricos, estofos em pele, volante multifunções, acesso e arranque mãos livres, espelhos exteriores rebatíveis eletricamente, faróis de nevoeiro, luzes LED, banco condutor regulável em altura eletricamente, sistema de som com 8 colunas, sensores de chuva e luz, assistente de faixa de rodagem, limitador de velocidade a 205 km/h, cruise control, enfim, muita coisa que pode ser complementada com as muitas escolhas que pode fazer. Verifique no configurador da Mercedes todas as opções que podem servir para o seu X350d, clicando aqui.

 

Consumos

Pontuação 7/10

O motor V6 diesel do X350d é um excelente motor e além da sua utilização, tem um ponto forte nos consumos. Não é um pisco, mas puxar por mais de duas toneladas e manter um ritmo que impressiona, chegar a valores abaixo dos dez litros é uma boa prestação. Fora de estrada e com a utilização de todo o arsenal técnico á disposição, os valores sobrem para lá dos 12 litros por cada centena de quilómetros. Porém, numa utilização quotidiana, os valores raramente vão perto dos dois dígitos e no final do ensaio, o Mercedes X350d 4Matic devolveu-nos um consumo médio de 8,5 l/100 km.

Ao volante

Pontuação 9/10

Mais uma vez, para uma pick-up, este X350d impressiona. O tempo que os técnicos da Mercedes passaram de volta da suspensão acaba por pagar dividendos. Conseguiram fazer uma pick-up que é estável e confortável em velocidades de cruzeiro e acima delas, capaz de negociar curvas com um à vontade inesperado – desligando o controlo de estabilidade a traseira descola com graciosidade e sem criar muitos problemas – e passar por buracos enormes sem grandes problemas. Além disso, não nos cansamos ao volante, tal a qualidade dos bancos e da suspensão. É verdade que a direção é um nadinha lenta, mas isso é típico destes modelos.

Todos sabemos que uma pick-up não é um exemplo de conforto ou de comportamento em estrada. Quem gosta, como eu, deste tipo de veículos, tende a desvalorizar essa incapacidade natural de um chassis de longarinas e eixo rígido traseiro, em curvar depressa ou com competência e de proporcionar conforto.

Porém, o Mercedes este X350d é, na minha opinião, aquele que mais se aproxima de um veículo convencional. Verdade que um piso mais degradado faz sacudir a carroçaria e que mudanças de direção demasiado rápidas exigem atenção e cuidado, mas fora isso, não há muito que criticar.

Concorrentes

Ford Ranger Raptor

1996 c.c. turbo diesel; 214 CV; 500 Nm; 0-100 km/h em nd; nd; 8,2 l/100 km, 212 gr/km de CO2; 54.287 euros

 

Mitsubishi L200

2442 c.c. turbo diesel; 181 CV; 430 Nm; 0-100 km/h em 11,8 seg,; 177 km/h; 7,5 l/100 km, 196 gr/km de CO2; 43.941 euros

 

Nissan Navara

2298 c.c. turbo diesel; 190 CV; 450 Nm; 0-100 km/h em 10,8 seg,; 180 km/h; 7,0 l/100 km, 183 gr/km de CO2; 39.045 euros

(Veja o ensaio AQUI)

 

Toyota Hilux

2393 c.c. turbo diesel; 150 CV; 400 Nm; 0-100 km/h em 12,8 seg,; 170 km/h; 7,8 l/100 km, 189 gr/km de CO2; 48.950

(Veja o ensaio AQUI)

 

VW Amarok V6

2967 c.c. turbo dieel; 224 CV; 550 Nm; 0-100 km/h em 7,9 seg,; 191 km/h; 7,8 l/100 km, 203 gr/km de CO2; 63.929 euros

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

Pontuação 8/10

O bloco V6 é um regalo na utilização, muito bem ajudado pela caixa de velocidade automática com sete marchas. O volante tem patilhas para controlar a caixa, o sistema de tração integral está regulado para uma divisão de binário 40/60 entre a frente e a traseira, dando assim mais algum dinamismo. Outra boa novidade é a escolha de cinco modos de condução, algo muito raro neste tipo de veículos, sendo que uma desses é dedicado ao fora de estrada, engajando a caixa de redutoras e um diferencial autoblocante que eleva o patamar de eficácia do X350d. O modo Eco deve ser usado em cidade, pois castra em demasia o motor e atrasa a resposta ao acelerador. O modo Sport não faz grande diferença, pois a direção continua lenta, mas pelo menos dá outra resposta ao pedal de acelerador e permite que a agulha do conta rotações vá até mais perto da “red zone”. O motor nota-se um pouco dentro do habitáculo, mas a melodia do V6 é em diferente da do 4 cilindros. A caixa no modo manual não fica particularmente rápida, pelo que o melhor é deixar tudo no modo automático.

Balanço final

Pontuação 8/10

Será este X350d tão bom que pode ser uma alternativa aos SUV? Claro que não! Porque continua a ser, na essência, um carro de trabalho – e este X30d tem todas as características como a capacidade de carga e de reboque – com as limitações inerentes a essa situação. Mas, sem dúvida nenhuma, faz o segmento dar um passo em frente, sendo um automóvel que reduz sobremaneira o compromisso face a um SUV. Se considera ter uma pick-up como modelo quotidiano e não apenas para levar o barco á marina ou ir de fim de semana até á herdade, a escolha terá de ser este X350d, pois toda a concorrência empalidece face a este Mercedes. Claro que não é um carro para toda a gente e os mais de 65 mil euros que custa são sempre um “pormaior” que incomoda. Mas como disse, se quer mesmo uma pick-up, o X350d é o carro a escolher. Que belo trabalho os homens de Estugarda fizeram!

Ficha técnica

Motor

Tipo: V6 com injeção direta turbodiesel e intercooler

Cilindrada (cm3): 2987

Diâmetro x Curso (mm): nd

Taxa de Compressão: nd

Potência máxima (CV/rpm): 258/3400

Binário máximo (Nm/rpm): 550/1400 – 3200

Transmissão: Integral permanente com caixa automática de 7 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): Independente McPherson/eixo rígido com braços de guiamento

Travões (fr/tr): Discos ventilados

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,9

Velocidade máxima (km/h): 205

Consumos extra-urb./urbano/misto (l/100 km): 8,3/10,2/9,0

Emissões CO2 (gr/km): 237

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 5340/1920/1819

Distância entre eixos (mm): 3150

Largura de vias (fr/tr mm): 1632/1625

Peso (kg): 2259

Capacidade da bagageira (l): na

Deposito de combustível (l): 73

Pneus (fr/tr): 255/55 ZR19

Preço da versão ensaiada (Euros): 68554€
Preço da versão base (Euros): 65554€