Motor V12: em vias de extinção, conheça os mais famosos motores V12

By on 12 Agosto, 2019

Sabe quando surgiu o primeiro motor em V? E quem o construiu? E o primeiro V12, sabe quando apareceu? Fique a conhecer a história deste motor e alguns dos melhores blocos V12.

O primeiro motor em V foi um dois cilindros produzido pela Daimler em 1899, desenhado por Wilheim Maybach, sendo que o V8 surgiu em 1903 como motor para barcos produzido pela Societé Antoinette com desenho de Léon Levavasseur. O primeiro V12 surgiu em 1904 quando a Putney Motor Works, fez um motor para barco. Este foi o primeiro motor V12 feito com um objetivo.

O primeiro V12 utilizado num automóvel surgiu em 1913 quando Louis Coatalen, engenheiro chefe da Sunbeam Motor Car Company, criou um carro de corridas que inscreveu nas provas curtas de Brooklands. Um bloco com 9 litros que tinha espantosos 200 CV e levou o carro conhecido como “Toodles V” a vários recordes em 1913 e 1914.

A complexidade do motor V12 limitou a sua utilização e acabou por ficar reduzido a modelos de topo e de prestígio. Os consumos, o peso elevado e a complexidade, não deixou que o V12 chegasse á popularidade dos V8. A seguir, fique a conhecer alguns dos motores mais famosos de sempre.

Ferrari V12 Colombo

Este foi o bloco que motorizou todos os Ferrari de estrada durante 20 anos e ilustrou-se, também, na competição. O motor Colombo começou com um único veio de excêntricos por cada bancada de cilindros e 1.5 litros de cilindrada. Acabou com 3.3 litros de capacidade e quatro válvulas por cilindro. Carros equipados com este motor? Testarossa, GTO, Tour de France, 250 SWB, 250 LM e 275 GTB/4. Todos carros que hoje valem muitos milhões e que têm em comum o motor Colombo. Desenhado por Gioacchino Colombo, tinha os cilindros dispostos num V a 90 graus. Tinha o bbloco e as cabeças em alumínio, recebeu um compressor Roots em algumas versões, teve cabeças de 24 válvulas e usou carburadores Weber e injeção K-Jetronic FI. Chegou a ter cárter seco e foi utilizado entre 1947 e 1988. A potência começou nos 118 CV e acabou perto dos 350 CV. O último carro a beneficiar deste fabuloso motor foi o 412i, a berlina de quatro lugares da Ferrari.

Lamborghini Bizzarrini V12

O bloco criado por Giotto Bizzarrini equipa os Lamborghini desde o primeiro modelo de 1963, o 350 GT e só terminou a carreira em 2011 com o Murciélago, quase 50 anos de vida deste fabuloso motor. Começou com 3.5 litros, acabou com 6,5 litros, sendo, assim, um dos motores com maior longevidade e versatilidade. A versão “Quatrovalvole” do Countach, em 1985, deu um segundo fôlego ao motor Bizzarrini. Este V12 tinha um ângulo de 60 graus e começou, como referimos, com 3.5 litros. O bloco e a cabeça eram feitos de alumínio forjado, teve versões com duas válvulas por cilindros e a tal unidade com quatro válvulas por cilindro, utilizou carburadores Weber e injeção eletrónica. Teve cárter seco nas versões de 6.2 e 6.5 litros de cilindrada. Começou com 274 CV e terminou a sua carreira com 700 CV, já com 6.9 litros de cilindrada, tendo subido de 274 para 580 (6200 c.c.), 640 (6500 c.c.) e, finalmente, os 700 CV. Finalmente, em 2011, a Lamborghini, já na posse da Audi e do grupo VW, cirou um novo V12 denominado L539 com 6.5 litros e que equipou o Aventador. Ou seja, o V12 Bizzarrini durou 48 anos! 

BMW V12

Dizia-se que o motor V12 do McLaren F1, fornecido pela BMW, não passava de dois blocos de seis cilindros em linha do M3 unidos pela mesma cambota. A verdade é que o motor V12 da BMW entregue à McLaren, era uma obra de arte e de engenharia e, na época, o motor mais potente em produção na época. Este não foi o primeiro V12 da BMW. Antes já tinha feito o M70B5, com 5 litros e 295 CV que, dizem os entendidos, é a junção de dois blocos de seis cilindros (o M20) num ângulo de 60 graus e com a mesma cambota. A diferença para os dois motores M20 residia no bloco e nas cabeças feitas em alumínio. Começou a produção em 1987 e terminou a sua vida útil em 1996. Mas o mais famoso é mesmo o S702, que estava na traseira do Mclaren F1, com apenas 256 kgs de peso, tempo de abertura das válvulas variável (dual Vanos), bobinas, injeção e aceleradores individuais para cada cilindro. Debitava 618 CV e foi produzido entre 1993 e 1998. Antes, o S70B5B, foi exclusivamente utilizado no 850 CSI e por isso só foram feitas 1510 unidades, o motor com menor número de unidades produzidas.     

Ferrari Flat 12

O famoso motor “Flat” é um… V12. Isto porque os cilindros não estão totalmente horizontais, fazendo um V a 180 graus. Partilhava a sua construção com os motores de competição, sendo todo feito em alumínio, usando os mesmos pistões do motor Colombo, tinha cárter seco. Utilizou carburadores triplos da Weber e depois injeção eletrónica da Magnetti Marelli e da Bosch. O Flat V12 nasceu em 1973 e desapareceu em 1996, quando o F512M foi substituído pelo 550 Maranello, equipado com o F133, um V12 de 65 graus. O carro mais conhecido que usou este bloco foi o 512BB (Berlinetta Boxer). O 365 GT4/BB também usou este motor que não era um verdadeiro “boxer”. O Testarossa também usou este motor.  

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)