Nissan Navara 2.3 dCi N-Guard – Ensaio Teste

By on 2 Setembro, 2019

Nissan Navara Cabine Dupla 2.3 dCi N-Guard

Texto: Francisco Cruz

Estilosa

Numa altura em que a concorrência cresce e aposta em conquistar novos públicos, a Nissan segue a tendência e dá a conhecer nova versão, mais estilosa, da sua pick-up Navara, a que deu o nome de N-Guard. E que junta à já conhecida robustez e capacidade para o trabalho, melhor equipamento, mas também um outro sex-appeal para a aventura!


Mais:

Estética mais apelativa; Equipamento; Aptidões offroad      

Menos:

Vocação citadina; Conforto em mau piso; Condução rude

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação: 9/10

Carros de trabalho por excelência, as mais recentes tendências do mercado vieram exigir às rudes pick-ups, novos atributos. A começar, num maior estilo, até como forma de cativar públicos para os quais os SUV não são suficientes nos esforços de transmitir a desejada imagem de Aventura. Proposta de referência no segmento, também a Nissan Navara acaba de aceitar esse desafio, lançando no mercado nacional versão de aspecto mais cuidado, a que foi dado o nome de N-Guard. E que, disponível apenas na variante de cabine dupla, acrescenta uma série de pormenores de estilo, à imagem sólida e robusta que a actual geração do modelo já ostenta. Assim, além de proposta apenas numa de três cores exteriores – Dark Grey, Metallic Black ou Storm White -, a Nissan Navara N-Guard destaca-se pela grelha dianteira, moldura dos faróis de nevoeiro, embelezadores dos retrovisores exteriores, puxadores das portas e pára-choques traseiro, em preto. A mesma cor que figura, aliás, nas jantes em liga leve exclusivas de 18″, nas barras do tejadilho e nos degraus laterais, sendo que o interior dos faróis foi igualmente escurecido. A completar este pack, decalques na zona inferior da carroçaria, desde as cavas das rodas dianteiras, até ao final da caixa de carga. Esta última, um dos poucos elementos que, com a sua elevada capacidade de carga, calhas laterais e ilhargas de fixação, ainda denunciam a origem mais laboral desta pick-up de imagem mais produzida…

Interior

Pontuação: 7/10

A procurar marcar a diferença no exterior, a Navara N-Guard estende esta mesma preocupação ao interior do habitáculo. Mais concretamente, através de um maior cuidado com (alguns) pormenores e uma  melhoria significativa do equipamento. Assim e a par de uma atenção especial ao aspecto, traduzida na inserção de várias aplicações em plástico a imitar (mal) metal e nos bancos redesenhados e revestidos parcialmente a couro, com costuras duplas em amarelo (característica replicada, de resto, nos revestimentos das portas e nos tapetes), novos equipamentos, como a regulação elétrica e sistema de aquecimento dos bancos dianteiros, o ar condicionado de duas zonas e um sistema de info-entretenimento a que, embora com um ecrã pequeno, não falta sequer a navegação. E que se mostra igualmente intuitivo no operar. Aliás, num habitáculo cujas linhas continuam não esconder a origem laboral, uma posição de condução assumidamente alta, mesmo com banco e volante reguláveis tanto em altura como em profundidade.

E a favorecer não só o acesso a comandos, como também a visibilidade em redor. Ainda que e no caso desta versão N-Guard, com a vantagem acrescida de apresentar, de série, não somente sensores de estacionamento atrás, como até mesmo um sistema de câmaras exteriores 360 graus – solução, sem dúvida, excelente, ainda para mais, quando em causa está um “mastodonte” com mais de cinco metros de comprimento e quase nenhuma visibilidade traseira… Finalmente, a proporcionar maior versatilidade, uma segunda fila de bancos cujo acesso surge mais facilitado com a presença de estribos, sendo que, depois e uma vez instalados no interior, três adultos não deixarão de notar, não só a concepção mais espartana destes bancos, como também a menor distância ao piso dos assentos. O que faz com que os ocupantes viajem com os joelhos um pouco mais altos e, por isso, não tão confortáveis…

Equipamento

Pontuação: 9/10

Concebida tendo por base a versão mais equipada do modelo, denominada Tekna, a Navara N-Guard exibe um equipamento de série verdadeiramente de topo, do qual fazem parte soluções e tecnológicas pouco usuais numa proposta do género. Assim e a par dos pormenores de estilo que marcam (visualmente) a diferença (N-Guard styling pack), destaque, nesta versão supostamente mais direccionada para o laser, para a presença de tecnologias como os faróis em LED de activação e nivelamento automático, sensores de estacionamento traseiros, câmara inteligente de visão 360º, arranque assistido nas subidas (HBA), controlo de descidas (HDC) e sistema inteligente anti-colisão. Mais-valias a que se junta ainda o tecto panorâmico em vidro de abertura elétrica, estofos parcialmente em couro, banco do condutor ajustável electricamente e apoio de braços dianteiro… além de uma garantia geral de cinco anos ou 160.000 km. Comum a toda a gama, o ABS (Sistema Antibloqueio) e ESP (Sistema de controlo de estabilidade), Cruise Control e limitador de velocidade, diferencial de deslizamento limitado electrónico (eLSD) e controlo electrónico de diferencial. Isto, além da suspensão traseira Multilink e do pneu suplente temporário, para um maior descanso, não só em alcatrão, mas também nas (prometidas) aventuras.

Consumos

Pontuação: 8/10

Grande, pesada e com um corpo pouco sensível às exigências aerodinâmicas (isto apesar de possuir, inclusivamente, um spoiler traseiro integrado no portão da caixa metálica…), a verdade é que a primeira impressão com que ficamos, ao olhar para esta imponente Nissan Navara 2.3 dCi N-Guard, é que, uma vez inscrita no sempre importante campeonato dos consumos, com um generoso 2.3 dCi de 190 cv e 450 Nm, esta é equipa que dificilmente passará dos distritais. No entanto… puro engano! Pois, apesar das suas mais de duas toneladas de peso, a Navara N-Guard que tivemos oportunidade de ensaiar, revelou argumentos capazes de a colocar perante desafios de maior peso, ao anunciar uma média nos consumos em trajecto combinado de 8,3 l/100 km – valor bem acima, é certo, dos 6,3 l/100 km prometidos à partida, mas, ainda assim, suficientemente convincente para um “bicho” destas dimensões!…

Ao volante

Pontuação: 8/10

Pensada, nesta nova versão mais estilosa, numa perspectiva mais de lazer, a verdade é que a Nissan Navara N-Guard replica a mesma base técnica das restantes irmãs, de visual menos “produzido”. E que, embora hoje em dia “suavizadas” com a introdução de uma mais moderna suspensão traseira Multilink, não deixam de caracterizar a sua actuação por alguma rijeza na forma como se fazem à estrada… Ainda assim, elogios para a evolução na forma como, nomeadamente, o eixo traseiro lida com o alcatrão, revelando mais estabilidade e segurança no comportamento – culpa também, é certo, da presença de tecnologias de ajuda à condução, como o Controlo Electrónico de Estabilidade, o Diferencial de Deslizamento Limitado Electrónico (eLSD) e o Controlo Electrónico de Diferencial… -, mesmo que, a partir do momento em que o piso se degrada, o conforto não deixe de sofrer com a mudança. Realidade que é também sinal da origem mais… rural que ainda hoje se nota, inclusivamente, na direcção. A qual não esconde, não somente o peso, como também e principalmente, a pouca brecagem  que torna qualquer manobra mais apertada em cidade, momento de constantes medições de cabeça!… Apetrechada com todas as armas necessárias para uma evolução (quase) imparável fora de estrada, desde uns óptimos ângulos para o TT, até uma tracção que, através do accionamento de um botão rotativo na base consola central, facilmente passa de duas (2WD) para quatro rodas motrizes (4H), com a opção também presente de redutoras (4LO), é em campo aberto, que a Navara melhor se continua a sentir. Livre de restrições antecipadas ou condicionalismos externos, e apta para enfrentar qualquer desafio; inclusive, aqueles para os quais o Estilo e a Estética pouco significa…

Concorrentes

Ford Ranger Raptor 2.0 EcoBlue Auto., 213cv, 10,5s 0-100 km/h, 170 km/h, 8,9 l/100 km, 233 g/km CO2, 54.287,72€

 

 

Mitsubishi L200 2.4L Intense Strakar Sport, – s 0-100 km/h, 174 km/h, 6,9 l/100 km/h, 180 g/km CO2, 44.193€

 

 

Mercedes Classe X 350 d 4MATIC 7G-TRONIC PLUS, 258cv, 7,9s 0-100 km/h, 205 km/h, 10,1 l/100 km, 264 g/km CO2, 69.399€

(Veja o ensaio AQUI)

 

Motor

Pontuação: 9/10

Disponível no mercado nacional com duas variantes do mesmo quatro cilindros 2,3 litros turbodiesel, respectivamente com 160 e 190 cv de potência, a Nissan Navara N-Guard que nos calhou em sorte exibia, no entanto e como não poderia deixar de ser, a versão mais potente do conhecido 2.3 dCi. E que, mercê também dos 450 Nm de binário que anuncia, logo a partir das 1500 rpm, rapidamente se assume, em conjunto com a convincente caixa manual de seis velocidades, como solução para ultrapassar todo e qualquer tipo de obstáculo! Poço de força que nem mesmo as dimensões ou peso do conjunto conseguem atemorizar,  o 2.3 dCi de 190 cv agrada em qualquer situação, ainda que, por vezes, demonstrando alguma rispidez no funcionamento. Só desculpável, de resto, à luz daquelas que são origens deste produto, e que nem mesmo a sonoridade, bem presente em todos os momentos, deixa esquecer…

Balanço final

Pontuação: 9/10

Pick-up que é também um dos modelos mais vendidos em Portugal e na Europa, a Nissan Navara tem na nova N-Guard aquela que é a sua versão mais estilosa, particularmente direccionada para os jovens aventureiros que, mesmo já chefes de família, não se contentam com um “simples” SUV, mas exigem um verdadeiro e competente todo-o-terreno. Ainda que e face ao preço desta versão, a Razão, a par da carteira, até pudessem aconselhar coisa menos “bruta”…

Ficha técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha a gasóleo, com multi-injecção directa, Common-Rail,  Twin Turbo e intercooler

Cilindrada (cm3): 2.298

Diâmetro x curso (mm): 85 x 101,3

Taxa compressão: 15,4 : 1

Potência máxima (cv/rpm): 190/3.750

Binário máximo (Nm/rpm): 450/1.500-2.500

Transmissão e direcção: Traseira com possibilidade de 4×4, e caixa manual de seis velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica

Suspensão (fr/tr): Independente do tipo McPherson; Multi-Link

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Tambores

Prestações e consumos 

Aceleração: 0-100 km/h (s): 10,8

Velocidade máxima (km/h): 184

Consumo ciclo urbano/extra-urbano/misto (l/100 km WLTP): 6,9/6,0/6,3

Emissões de CO2 ciclo misto (g/km WLTP): 167

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 5,330/1,850/1,840

Distância entre eixos (mm): 3,150

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1,570/1,570

Peso (kg): 2.175

Capacidade da bagageira (l): –

Depósito de combustível (l): 73

Pneus (fr/tr): 255/60 R18 / 255/60 R18  

Preço da versão ensaiada (Euros): 44601€