Peugeot 208 poderá ser assim e terá uma versão elétrica

By on 8 Janeiro, 2019

Com a devida vénia aos nossos colegas do sítio L’Argus, aqui ficam os desenhos daquilo que poderá ser o novo 208 que será lançado este ano.

O Salão de Genebra será o palco para a revelação do 208 e depois da Peugeot já ter libertado alguns detalhes – tecnologia avançada, i-Cockpit redesenhado, nova plataforma  – a nova geração do utilitário francês exibirá a nova linguagem de estilo inaugurada com o 508. Ainda assim, o 208 estará mais perto do 308 que do topo de gama da casa do Leão, com alguma inspiração bebida do protótipo Fractal mostrado em 2015.

A plataforma será a CMP, pelo que o carro será maior passando dos 3,96 metros para os 4,04 metros, encostando-se, assim, ao 308. Curiosamente, a distância entre eixos não vai crescer (fica nos 2,54 metros), mas a bagageira supera os 300 litros de capacidade. O i-Cockpit será redesenhado com uma instrumentação totalmente digital e um volante diferente com a parte superior e a parte inferior cortadas. A consola central também será redesenhada, com o ecrã central situado mais acima e orientado para o condutor.

A plataforma CMP é mais leve 30 quilogramas que a anterior PF1, devido à utilização de alumínio e de materiais compósitos. Sendo modular, permite que o 208 tenha uma versão elétrica. No lado tradicional, o 208 contará com as mecânicas do grupo PSA, ou seja, o bloco 1.2 Puretech com 68 e 82 CV sem turbo ou 100 ou 130 CV com sobrealimentação. Surgirá uma inédita versão de 155 CV. No lado diesel, está o mais recente bloco 1.5 BlueHDI com 100 e 130 CV. Estarão disponíveis caixas manual e automática. Para as versões híbridas com tecnologia de 48 volts (alternador gerador) estará equipado com caixa de dupla embraiagem de sete velocidades. A versão elétrica está equipada com um motor de 136 CV e uma autonomia superior a 300 km (bateria de 50 kWh) segundo o ciclo WLTP.

A plataforma CMP é diferente da MEB do grupo VW (exclusiva para modelos elétricos) sendo capaz de utilizar todos o tipo de motores, térmicos ou elétricos. Neste último caso, o 208 terá um único motor com 136 CV e 260 Nm de binário, baterias localizadas no fundo do carro, com o eixo traseiro a ser ligeiramente recuado para esse efeito. O carro não terá sistema de climatização, existindo no seu lugar uma nova geração de bomba de calor (que desta feita funciona não até aos 5 graus negativos, mas até aos 37 graus negativos), que consome entre um quarto a um terço de energia de um sistema convencional, oferecendo 50 km de autonomia. Os dispositivos de recuperação de energia na travagem e na desaceleração conseguem recuperar 20% de energia em cidade. O 208 terá um sistema de recarga externa da bateria (Plug In), que dura de 5 a 8 horas (Wallbox de 11 kW) ou 30 minutos (80% da carga) numa tomada de 100 kW. Em 2020, o PSA Group terá novos motores elétricos feitos pela japonesa Nidec e pacotes de baterias otimizados.

O futuro 208 GTI não terá um motor de combustão interna, mas sim uma motorização elétrica. Esta nas mãos da Peugeot Sport o desenvolvimento desta versão inédita, que terá menos bagageira pois o GTi elétrico receberá um pacote de baterias na mala, para maior autonomia a fundo.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)

Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)

Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)

Deixe um comentário

Please Login to comment