Primeiro ensaio Peugeot 508 SW GT-Line 160 BlueHDI

By on 7 Dezembro, 2018

Sei que vão dizer coisas desagradáveis, mas o 508 SW é absolutamente deslumbrante! Mais que o carro, a carrinha é um belíssimo exercício de estilo. Mas acredite que o 508 SW não é, apenas, uma carinha laroca.

Sabem, eu sou do tempo (sim, eu sei que vocês sabem que eu estou velho…) da 504 Renforcé – alguém que se lembre deste veículo de combate que levante a mão! – e desde essa altura que as carrinhas na Peugeot são absolutamente tradicionais. Tal como em antanho, tinham boas bagageiras e com o tempo, ganharam versatilidade. O 504 Renforcé tinha um motor diesel Indenor que resistia a tudo e mais alguma coisa. Não andava nada, mas tinha força até Almeida. A Indenor, para quem não sabe era uma subsidiária da Automobiles Peugeot especializada em fazer motores a gasóleo, desapareceu, o 504 é apenas uma poeira na linha do tempo e a tradição das carrinhas Peugeot vem desaguar num modelo absolutamente fantástico. Perfeito? Nunca, não há automóveis perfeitos! Mas com esta carinha laroca e um corpo esbelto e insinuante, tem tudo para nos deixar de beicinho.

Não os vou perturbar com aspetos técnicos, pois para isso têm o link no final deste texto para lerem aquilo que já publiquei sobre equipamentos, motores, enfim, tudo sobre o 508 SW. Vou-me concentrar naquilo que deseja saber. E eu mortinho por lhe contar!

Inspirada pelas “shooting brake”

Além do corpinho que o Centro de Design da Peugeot lhe deu, o 508 SW destaca, ainda, um tejadilho descendente com abraça portas sem moldura, uma técnica muito usada pelas marcas Premium nas berlina de topo. Faz sentido: o 508 é o topo da gama Peugeot! Não parece, mas o 508 SW (de Station Wagon, à inglesa) é comprido: 4790 mm, mais 40 mm que o modelo anterior, ganhos, essencialmente, na traseira. Com 40 quilos a mais que a berlina (nem parece!) o tejadilho também está 17 mm mais alto. Ou seja, a carrinha é mais gordita, mas nem por isso deixa de ter charme e beleza inaudita.

A capacidade de carga não é recordista, mas conforme me confessou Bernard Hesse, o responsável executivo pelo projeto 508, “não fizemos uma carrinha a pensar em rivalizar, em termos de bagageira e de arrumação, com o VW Passat ou o Skoda Superb. Fizemos, sim, uma carrinha elegante que não fica nada mal na fotografia no que toca à mala.” E não faz não senhor, pois com mais 25 mm de comprimento do piso da mala, a capacidade chega aos 530 litros. Nada mau se lhe disser que o anterior 508 SW tinha 487 litros de capacidade e que os rivais alemães (BMW Série 3 e Mercedes Classe C) não vão além de, respetivamente, 495 e 490 litros. E rebatendo o banco traseiro em 60/40 ou na totalidade, através de duas aletas colocadas na bagageira, fica com 1780 litros de capacidade. Nada mau, mesmo!

i-Cockpit… funciona!

O interior do 508 SW continua a nos fazer soltar um “ahhhh, uhhhh” pois está desenhado com uma sobriedade rebelde que nos coloca encapsulados no nosso banco (certificado pela AGR, a mesma que faz isso aos bancos da Opel) com tudo orientado para o condutor, inclusive o enorme painel de instrumentos virtual. A prática faz a perfeição e no caso do Peugeot i-Cockpit, parece que os homens do estilo interior afinaram a ideia e no 508 resulta sem problemas. A posição de condução é encontrada num ápice, o pequeno volante cai bem nas mãos e os revestimentos derma um salto qualitativo impressionante. Ali um ou outro material menos robusto ou agradável ao toque, não estraga uma fotografia de um interior espaçoso funcional e de bom gosto.

Habitabilidade não suscita críticas até porque há mais espaço, atrás, para a cabeça devido à forma do tejadilho que está sobrelevado cerca de 17 mm face à anterior geração. Perdão, há uma crítica: a largura do banco não permite que três pessoas viajem de forma perfeitamente confortável no banco traseiro.

Confortável e audaz

Com uma suspensão que deita mão a estruturas McPherSon, à frente, e eixo multibraços (atrás), o 508 SW tem um pisar suave e refinado e nos pisos ondulados da Serra de Sintra, onde decorreram os ensaios em estrada, absorve bem as irregularidades. O conforto geral é muito bom, muito por culpa dos amortecedores adaptativos que são muito progressivos.

Com uma direção bem assistida, mas desprovida de sensibilidade, oh que surpresa!, o 508 SW acaba por conseguir ter um excelente comportamento, com os vários modos de condução a endurecerem os amortecedores para um ainda maior controlo do carro em estrada. Os modos de condução mexem, também com o binário, com a direção e com os amortecedores, endurecendo tudo um pouco mais. É verdade que o 508 SW não é um automóvel excitante de conduzir, mas também é verdade que não se desenvencilha nada mal de traçados bem sinuosos. As jantes de 18 polegadas com pneus Michelin Pilot Sport também deram a sua ajuda.

O motor 1.6 Blue HDI é muito redondo e apesar do escalonamento da caixa muito longo, consegue-se um ritmo muito agradável e condizente com o aspeto desportivo do 508 SW. Se optar pelos modos de condução (Eco, Normal, Sport e Individual) terá ao seu dispor vários carros num só. E vejam lá como o trabalho está bem feito que o 508 SW com jantes de 19 polegadas, nem pestaneja ou cobra fatura com pancadas secas nas costas.

Veredicto

Linda de morrer, a carrinha do 508 não é só uma carinha laroca. É refinada, tem qualidade, um comportamento capaz sem ser exuberante, muita tecnologia e… é linda! Se estiver a compará-la com os dominadores alemães, acreditem que têm aqui uma belíssima alternativa. Este 508 SW GT Line 2.0 BlueHDI 160 com caixa automática, não vai sair barata: 50.300 euros! E este poderá ser o único impedimento para ser uma escolha mais afirmativa pois as tarifas da Peugeot continuam, tal como a marca, em alta…

Leia também Peugeot 508 SW chega a Portugal no segundo trimestre de 2019

Ficha Técnica

Peugeot 508 SW GT Line 2.0 BlueHDI 160 EAT8

Motor4 cilindros em linha, injeção direta, turbvo diesel; Cilindrada (cm3)1997;Diâmetro x curso (mm)nd; Taxa compressãond; Potência máxima (cv/rpm)160/3750; Binário máximo (Nm/rpm)400/2000; Transmissão e direcçãoTracção dianteira, caixa automática de 8 velocidades; direção de pinhão e cremalheira com assistência elétrica; Suspensão(fr/tr)Independente Tipo McPherson; eixo multibraços; Dimensões e pesos (mm)Comp./largura/altura 4790/1859/1420; distância entre eixos 2793; largura de vias (fr/tr) 1593/1590; travões fr/tr. Discos vent./ discos; Peso (kg)1585;Capacidade da bagageira (l)530/1780; Depósito de combustível (l)55; Pneus (fr/tr)235/40 R19; Prestações e consumos aceleração 0-100 km/h (s) 8,5; velocidade máxima (km/h) 225; Consumos Extra-urb./urbano/misto

Deixe um comentário

Please Login to comment