VW Golf 1.0 TSI 110 Confortline 2017 – Ensaio

By on 20 Junho, 2017

VW Golf 1.0 TSI 110 Confortline

Depois da carrinha com motor 2.0 litros e do carro com o TDI 1.6 litros, tinha de ensaiar aquele que entendo ser o melhor Golf atualmente disponível, equipado com um motor a gasolina da moda, ou seja, um litro e três cilindros com 110 CV e um preço de 25.184 euros. Mas será que face ao 1.6 TDI este é, mesmo, o melhor Golf?

O poder das marcas é tremendo e quando se fala de smartphones, todos dizem “iPhone”, -sempre que se pensa ir almoçar um hambúrguer, olhamos para todo o lado e acabamos por pedir um menu no McDonalds e quando se fala do carro do segmento C, invariavelmente fala-se no VW Golf. Não será devido ao acaso que desde 1974 é vendido um Golf a cada 40 segundos (33 milhões já vendidos)!

Já expliquei no ensaio ao Golf 1.6 TDI a razão para a evolução do estilo do Golf ser isso mesmo, uma evolução e nunca uma revolução. É um bocadinho como o iPhone 6 e o 7… à lupa descobrem-se as diferenças, a mesma lupa que temos de usar para encontrar as diferenças para o Golf 1.0 TSI comprado em maio do ano passado e este que esteve comigo uma semana.

Nada no Golf foi mudado à exceção de ligeiras alterações nos para choques, nos guarda lamas dianteiros, nos farolins traseiros com LED e novos faróis com disponibilidade de luzes LED. Outras duas coisas mudaram bastante neste Golf geração 7,5: sistema de info entretenimento com enorme melhoria e que passa a incluir a função de comando por gestos – uma estreia no segmento do Golf – e o preço que em Portugal baixou cerca de dois mil euros.

Até ao dia em que andei com o Golf TDI 1.6, acreditava piamente que este Golf com motor de três cilindros e 110 CV era o melhor carro da gama. Primeiro porque afastava o cada vez mais mal-amado gasóleo da equação e, depois, porque o motor de 1.0 litro da VW está entre os melhores da sua classe. Mas há um ou outro soluço que acaba por colocar uma ou outra nódoa na fotografia quase perfeita deste Golf 1.0 TSI.

Primeiro o peso. Sem passageiros e carga são 1216 quilos, o que não é propriamente pouco segundo os parâmetros atuais do segmento. Depois, o motor 1.0 litro tem o mesmo binário do motor 1.4 litros TSI de 125 CV, mas com uma faixa de utilização mais estreita entre as 2000 e as 3500 rpm. Como sucede com os blocos de três cilindros, o do Golf precisa de um pequeno incentivo para arrancar o carro do estacionamento, isto é, um pouco mais de rotação que o habitual, lá pelas duas mil rotações. O barulho é típico de um tricilindrico, embora a boa insonorização do habitáculo impeça que se torne incomodativo ou mesmo irritante.

A combinação peso elevado e potência/binário medianos, não permite que o Golf seja um exemplo de rapidez, mas para quem anda essencialmente na cidade e nas ligações interurbanas com trânsito, é mais que suficiente. Já se estiver na autoestrada e precisar de um nadinha mais de velocidade, pode carregar a fundo no pedal do lado direito e conseguir manter aquele atrevidote atrás de si. Mas esse assomo de macho vai ser pago em gasolina, pois o motor é sensível ao ritmo e, sobretudo, á carga no acelerador. E se não é difícil manter-se abaixo dos cinco litros de gasolina por cada centena de quilómetros com um andamento regrado e tranquilo, é ainda mais fácil passar bem para lá dos seis litros se esquecermos que este é o Golf 1.0.

O resto deste Volkswagen é, essencialmente, a mesma coisa que os outros, ou seja, há muito espaço em todos os bancos, a bagageira é grande o suficiente para albergar as compras mensais, o carrinho do bebe ou as malas das férias e o isolamento para o exterior é fenomenal. Continua confortável e com um excelente comportamento – apesar de na traseira estar um eixo semirrígido e não o eixo independente multibraços das versões mais potentes – comandado por uma direção suave, progressiva e com o peso certo, embora com pouca ou nenhuma sensibilidade. Ainda assim, permite que com o andamento possível com este motor, se consiga apontar a frente à trajetória escolhida com precisão inesperada. Como sucede com todos os Golf, a emoção ao volante é pequena.

Como referi acima, uma das grandes novidades do Golf é o sistema de info entretenimento. Já o expliquei várias vezes nos ensaios á carrinha Golf Alltrack e ao Golf TDI 1.6 litros. Resumidamente, estamos perante um ecrã de 8 polegadas que está disponível logo nas versões inferiores, embora só nas variantes superiores possa ser possível contar com sistema de navegação e o comando por gestos. E com o opcional sistema Discover Navigation Pro, o ecrã fica maior com 9,2 polegadas, contando com sistema de navegação, controlo por gestos e tudo o resto. O sistema base fica por 933 euros. O sistema novo do Golf é um grande avanço em relação ao anterior e oferece de série o Apple CarPlay, Android Auto e o Mirror Link a partir das versões intermédias. E pela primeira vez, o Golf pode ser equipado com o virtual cockpit da Volkswagen, substituindo os instrumentos tradicionais.

Veredicto

Não precisa de desesperar pelo facto de ter aparecido um novo Golf no mercado. A única coisa realmente importante foi a redução de dois mil euros experimentada no preço, porque tudo o resto funcionava razoavelmente bem. Com esta alteração já pode olhar para a oferta do segmento e pensar que pelo preço de um Focus ou de um Megane pode ter um Golf. E isso sim, faz toda a diferença. Se fosse há uns meses dir-lhe-ia que esta era o melhor Golf. Depois de ter ensaiado o Golf 1.6 TDI, dir-lhe-ei que será a versão turbodiesel, mas deixo-lhe um conselho… espere pelo VW Golf 1.5 TSI. Provavelmente será o “spot on” da gama Golf…

FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo – 3 cilindros em linha, injeção direta, turbo

Cilindrada (cm3) – 999

Diâmetro x curso (mm) – nd

Taxa compressão – nd

Potência máxima (cv/rpm) – 110/5000 5500

Binário máximo (Nm/rpm) – 200/2000 – 3500

Transmissão, direcção, suspensão e travões

Transmissão e direcção – Tracção dianteira, caixa manual de 6 vel.; direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Suspensão(fr/tr) – Independente tipo McPherson/eixo de torção

Travões fr/tr – Discos ventilados/discos

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) 9,9

Velocidade máxima (km/h) 1956

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 4,1/5,9/4,8 (consumo real medido 5,9 l/100 km)

Emissões de CO2 (g/km) – 109

Dimensões e pesos 

Comp./largura/altura (mm) – 4356/1799/1492

Distância entre eixos (mm) – 2620

Largura de vias (fr/tr) – 1549/1521

Peso (kg) – 1141

Capacidade da bagageira (l) – 380-1270

Depósito de combustível (l) – 50

Pneus (fr/tr) – 205/55 R16