Citroen acaba de revelar o novo C4 que terá uma versão 100% elétrica com 350 km de autonomia

By on 30 Junho, 2020

O AUTOMAIS já lhe tinha mostrado as primeiras fotos e os primeiros detalhes do novo C4, agora aqui ficam todas as imagens e os pormenores do modelo que seguirá a fórmula do grupo PSA, ou seja, além dos motores a gasolina e diesel, terá uma versão 100% elétrica.

O C4 será o sucessor do C4 Cactus e do extinto C4, reavivando o segmento C da Citroen com um automóvel que bebeu inspiração nos SUV da marca recolocando os carros de cinco portas compactos novamente nas opções dos compradores. Enfim, será um crossover está terceira geração do C4.

O novo C4 tem uma distância ao solo ligeiramente maior que no caso do C4 Cactus, exatamente porque a Citroen quer ser diferente e disruptiva com um carro posicionado entre os compactos tradicionais e os SUV. Como referimos, o C4 terá motores a gasolina, a gasóleo e o 100% elétrico igual ao do Peugeot e-2008. 

O Citroen C4 é importantíssimo para a casa francesa, pois este será o ponto de partida “para uma nova linguagem de estilo, inovação e conforto, pelo que, para nós, este é um passo determinante para o crescimento da Citroen. Temos enorme legitimidade neste segmento, sendo um dos que tem uma maior base de clientes” disse Vincent Cobée, o CEO da Citroen.

O estilo do novo Citroen C4 está baseado na linguagem de estilo que já foi vista no C3 e que assinala a assinatura em V dos faróis e o “double chevron” que se estende por toda a largura do carro com barras cromadas. A novidade está na forma como são tratadas as outras duas áreas de iluminação. O capô tem uma forma côncava no meio. A grelha tem um padrão que replica o “double Chevron”, as cavas das rodas musculadas têm proteção plástica em preto mate, tal como sucede nos para choques. O tejadilho descendente foi desenhado assim para enfatizar a aerodinâmica do carro, tendo Pierre Leclercq deixado claro que a inspiração para a forma do C4 foi bebida no Citroen GS e no CX. 

Sendo mais convencional que o C4 Cactus, o novo C4 continua a ter amplas possibilidades de personalização, mas sendo mais atrativo e compreensivo do que foi o revolucionário C4 Catus. E para que a ligação aos SUV seja mantida, além das cavas das rodas protegidas por plástico a distância ao solo de 156 mm com reduzidos avanços traseiros e dianteiros, o que deixa antever uma facilidade em andar em terrenos mais acidentados.

A base do C4 é, claro, a plataforma modular CMP que aceita todo o tipo de motorizações seja com motores de combustão interna, sejam híbridos e elétricos. O e-C4 tem um motor elétrico com 136 CV e 141 Nm, alimentado por uma bateria de 50 kWh que autoriza uma autonomia de 350 km, com o 0-100 km/h em 9,7 segundos com a velocidade máxima de 150 km/h. O e-C4 regenera energia na desaceleração e na travagem, com três modos de condução (Eco, Normal, Sport) que alternam a potência que pode chegar às rodas e a energia que é usada para ligar o ar condicionado, maximizando a autonomia. Tem um carregador interno de 11 kW que pode recarregar a bateria em 5 horas numa “wallbox” de 32 amperes, enquanto que num carregador rápido de 100 kW, que permite carregar em 30 minutos 80% da bateria. A carga pode ser controlada pelo smartphone, podendo tudo ser planeado para obter vantagem em termos de horas de menor pico que tornam a recarga mais barata.

Além desta versão 100% elétrica, o C4 terá motores a gasolona e diesel. No primeiro caso, haverá uma escolha de três versões do 1.2 Puretech com potências entre os 100 e 155 CV, estando disponível uma caixa automática como opcional. No lado diesel, estão duas versões do motor 1.5 BlueHDI com 110 e 130 CV. Não há informações sobre o desempenho dos motores de combustão interna, nem se a gama terá algum modelo híbrido suave, híbrido convencional ou Plug In, embora se acredite que algum deles surgirá mais tarde na gama.

Alinhando com a estratégia da Citroen, o C4 e o e-C4 estão equipados de série com o sistema “Progressive Hydraulic Cushion” na suspensão, que utiliza dois limitador do curso de suspensão hidráulico, para suavizar a condução e melhorar o conforto. No interior, algumas versões estão equipadas com os bancos “Advanced Seats” que têm, como opcionais, o aquecimento e a massagem. Há seis esquemas de cores diferentes, todos pensados, como sucedia no C4, para que nos sintamos como na nossa sala. A Citroen reclama para o C4 o maior espaço do segmento para os joelhos dos ocupantes do banco traseiro tem uma alargada quantidade de espaços de arrumação.

O painel de instrumentos inclui, agora, um novo ecrã de 10 polegadas para o sistema de info entretenimento, um “head up display” a cores que complementa o painel de instrumentos igualmente digital. Curiosamente – ou talvez não! – a Citroen separou os comandos da climatização do ecrã que serve o sistema de info entretenimento, passando a ter controlos físicos.

O C4 está equipado com o mais recente sistema de info entretenimento da Citroen com sistema de navegação revisto, Andoid Auto e Apple CarPlay. Uma câmara HD 3D, que pode gravar fotos e vídeos num cartão de memória de 16 GB, está incluída no espelho retrovisor interno. O C4 oferece nada menos que 20 tecnologias de ajuda á condução e de segurança, incluindo assistência á condução em auto estrada e nível 2 de condução autónoma, incorporando o “cruise control” adaptativo e a manutenção na faixa de rodagem. O novo Citroen C4 estará à venda no outono, desconhecendo-se, para já, quando o carro estará disponível, com que motorizações e quais os preços.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)