Ford E-Transit Custom traz uma nova abordagem ao mundo dos profissionais

By on 14 Setembro, 2022

A Ford apresentou a versão totalmente elétrica da sua Transit Custom, que é a base para um enorme conjunto de serviços ‘Ford Pro’, criados com a missão de ajudar todas as pequenas e médias empresas.

A história da Ford Transit começou no longínquo ano de 1965 e desde essa altura até agora que tem ajudado a mover a economia de cada país, sendo uma das escolhas mais desejadas por todos os tipos de negócios desde as empresas de construção, alimentares, distribuição e tantas outras. Tal como é comentado por Jim Farley, o Presidente e CEO da Ford Motor Company, “embora o seu trabalho nem sempre faça parte das manchetes, são eles (os veículos comerciais como a Transit) que fazem o nosso mundo funcionar”.

Com o objetivo de oferecer um melhor conjunto de serviços a todas estas empresas e a melhorar a sua produtividade, a marca criou o Ford Pro, um departamento focado em conhecer as necessidades de cada empresa e criar soluções adaptadas especificamente a cada uma delas. Para isso, a Ford esteve presente nas rotinas de diversas empresas e falou com diversos dos seus trabalhadores, acompanhando-os na sua rotina e descobrindo todos os seus movimentos e necessidades. E tudo, claro, tendo como base modelos como a nova e-Transit Custom, totalmente digital, elétrica e adaptada a esta nova era.

No novo modelo, e com a vantagem de ter passado algum tempo a ouvir as necessidades dos clientes, há ainda a questão de utilização de outro tipo de energia, que não a do habitual motor de combustão. Em média, cada um dos modelos efetua cerca de 90 quilómetros por dia, o que é mais do que suficiente para os 380 quilómetros de autonomia máxima da e-Transit Custom. Além disso, a Ford também procurou desenvolver ao máximo os tempos de carregamento. Numa tomada doméstica caseira (AC) de 11 kW, a bateria poderá ser totalmente carregada em 7,8 horas. Mas num carregador rápido (DC), até 125 kW, a bateria poderá passar dos 15 para os 80% em 41 minutos. O programa de carregamento foi pensado justamente para privilegiar os primeiros minutos de carregamento, para que os carregamentos mais rápidos possam ser mais eficientes. E desta forma, é possível adicionar cerca de 38 quilómetros de autonomia à e-Transit Custom em apenas cinco minutos. Até porque, a bateria também pode ser utilizada como gerador de energia para dispositivos externos ou ferramentas, que podem ser ligados diretamente no compartimento de carga, numa tomada convencional. Para gerir tudo isto, a Ford Pro desenvolveu um sistema em rede, acessível através de uma aplicação no telefone ou num computador, que nos mostra a localização de cada modelo, se está ou não a carregar e diversas outras informações para que tudo possa ser gerido de uma forma mais simples.

Além das questões relacionadas com os carregamentos, há ainda todas as outras que fizeram todos estes clientes optarem por uma Ford Transit, ou seja, a capacidade de carga e o acesso ao compartimento de carga, bem como a sua dimensão. Com a nova Ford e-Transit Custom, a capacidade de carga chega agora aos 1.100 quilos e a abertura da porta lateral tem mais de um metro de largura, o que facilita o acesso de volumes de maior dimensão, além de um formato pensado para conseguir transportar os objetos mais comuns e de maiores dimensões. E nem sequer faltam novos degraus laterais mais baixos e mais largos para um acesso melhorado ou mesmo uma capacidade de reboque que chega às duas toneladas.

Nas questões mais relacionadas com a dinâmica, a nova e-Transit Custom também apresenta diversas vantagens. A suspensão traseira é muito compacta e totalmente independente, melhorando o conforto e a estabilidade, e o posicionamento da bateria por baixo do habitáculo e do compartimento de carga, faz com que o centro de gravidade seja muito mais baixo. Além da bateria de 74 kWh, o sistema elétrico de 400V da e-Transit Custom inclui um motor elétrico instalado no eixo traseiro com dois patamares de potência, 135 ou 217 cavalos, sendo que o binário máximo de ambos é de 415 Nm. A tração traseira e a possibilidade de se poder conduzir apenas com o pedal do acelerador, fazem com que a e-Transit Custom seja dinamicamente bastante eficaz, simples de conduzir e muito confortável.

Finalmente, a grande maioria dos clientes de modelos como a Transit também usa o habitáculo como se fosse o seu próprio escritório, com todas as necessidades atuais que isso implica. Por essa razão, a nova e-Transit Custom inclui no equipamento de série um modem 5G e um enorme monitor tátil de 13 polegadas no centro do tablier, mas também diversas tomadas USB destinadas ao carregamento e utilização de dispositivos portáteis. Para os papéis que costumam andar a bordo foram também criadas algumas soluções, tal como a que fez passar o airbag do passageiro para a zona do tejadilho, deixando livre diversos espaços de arrumação. Outra solução bastante original é a que transforma o volante num apoio para um computador portátil, ou mesmo para uma mesa de trabalho e de refeições. E nem sequer falta um sistema de iluminação a bordo, que se adapta às necessidades de cada momento, seja uma luz mais forte em modo escritório, mais ténue para quando está a descansar ou no computador, ou totalmente desligada para quando estiver a conduzir. Em termos de espaço, o facto de estar presente um sistema de travão de estacionamento automático e de o comando da caixa ter passado para a coluna da direção, foram uma excelente ajuda, mas para este ponto, a Ford também fez com que a base do volante fosse mais plana e que as próprias rodas estivessem colocadas mais à frente, libertando espaço no piso do habitáculo.

Nos dias em que são múltiplas as entregas e que terá de andar constantemente a entrar e a sair do carro, os níveis de stress podem aumentar de uma forma considerável. Por essa razão, a Ford incorporou um sistema de abertura automático para a porta lateral, fazendo com que esta abra automaticamente assim que deteta a presença da chave, ou após deslizar o pé por baixo da mesma. Para as frotas mais numerosas, está também disponível um sistema de chave digital onde, em vez da chave, cada utilizador pode receber um cartão, que usará como chave. E neste caso, o gestor da frota poderá atribuir determinado veículo a um determinado cartão, ou permitir o acesso de pessoas diferentes a esse mesmo veículo. E tanto no computador como na aplicação, será possível verificar os carregamentos de cada modelo, a sua localização e até trancá-lo ou destrancá-lo, mas também receber notificações sempre que cada um dos modelos precisará de manutenção, de forma a não se preocupar com isso, a não ser quando for mesmo preciso.

A apresentação de tudo isto, transmitida no passado dia 8 de setembro, é uma boa forma de conhecer todas estas novidades, explicadas diretamente por quem as ajudou a criar.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)