Mercedes-Benz EQA 250 – Ensaio Teste

By on 18 Junho, 2021

Mercedes-Benz EQA 250 – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Entrada “a pés juntos” no segmento de SUV elétricos compactos

Apresentado no início do ano, o Mercedes-Benz EQA vem aumentar a gama de modelos 100% elétricos da marca alemã. Para além disso, este será um de seis modelos da família EQ que a Mercedes pretende lançar até 2022. Visualmente semelhante ao “irmão” a combustão, GLA, esta variante EQA 250 está equipada com um motor elétrico com 190 cv e 375 Nm de binário e a bateria de 66,5 kWh de capacidade garante mais de 400 km de autonomia. Argumentos suficientes para vingar?


Mais:

Autonomia; consumo; imagem; tecnologia

Menos:

volume da bagageira; não tão dinâmico como as variantes a combustão

Exterior

8/10

Exterior (8/10) À primeira vista, o novo Mercedes-Benz EQA pode parecer semelhante ao GLA. Contudo, depois de um olhar atento vemos que tem, efetivamente, várias diferenças. Em primeiro lugar, a grelha é substituída por um painel em preto. Para além disso, os faróis estão interligados com uma barra de luz que atravessa a secção dianteira do SUV elétrico. Já na traseira, a matrícula passa para o para-choques, os farolins são, igualmente, ligados por uma barra de luz e a mítica estrela da Mercedes muda de sítio. De um modo geral, o Mercedes-Benz EQA mantém uma imagem atrativa, mas com argumentos diferenciadores, em linha com o que já é conhecido da família EQ.

Interior

8/10

Interior (8/10) Já no interior, é mais difícil encontrar diferenças face ao GLA. O habitáculo apresenta uma construção praticamente irrepreensível com a utilização de plásticos de boa qualidade e que conferem um aspeto e tato premium. De referir que o tablier apresenta, na zona do passageiro, um padrão exclusivo desta variante elétrica que apenas se vê quando a iluminação interior está ativa. Quanto ao design, apresenta-se com a já típica configuração do painel de instrumentos e ecrã central unidos. O sistema de infotainment mantém os menus bem organizados e uma boa velocidade de processamento, contudo, diferencia-se por informações específicas desta motorização 100% elétrica.

Ao nível de espaço tem argumentos semelhantes ao GLA, porém, a instalação da bateria no fundo do veículo deixa os bancos traseiros numa posição superior. Seja como for, é um SUV que garante conforto a todos os passageiros em viagens mais longas. Quanto à bagageira, o EQA fica-se pelos 340 litros de capacidade, ou seja, menos 95 litros do que as variantes a combustão e menos 45 litros do que o híbrido plug-in GLA 250e. Caso viaje com os cabos de carregamento, perde ainda um pouco mais de espaço.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) Ao nível de equipamento o Mercedes-Benz EQA tem um recheio interessante, contudo, como é comum na marca alemã, não é difícil aumentar o preço com recurso à lista de opcionais. A unidade em ensaio conta com alguns como é o caso de teto de abrir panorâmico (1179€), Pack Night (122€) e Linha AMG (3821€). A Mercedes-Benz enviou ainda com o carro a Mercedes-Benz E-Scooter, uma trotinete elétrica com 45 km de autonomia e 20 km/h de velocidade máxima. Esta tem um preço base de 1099€. 

Consumos

9/10

Consumos (9/10) No capítulo do consumo de energia, a Mercedes anuncia uma média de 17,9 kWh. Durante o nosso ensaio percebemos que este valor é extramente fácil de superar, um dado positivo que demonstra o bom trabalho feito principalmente no que diz respeito à aerodinâmica. Durante o nosso ensaio fizemos uma média de 15,3 kWh nos primeiros 100 km, o que demonstra bem o que acabámos de referir. Com esta média, os 424 km de autonomia anunciada podem ser superados.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Ao volante, o Mercedes-Benz EQA mostrou ser um “bom amigo” para o dia a dia. Com 190 cv e 375 Nm de binário, tem potência suficiente para deixar o trânsito para trás no trânsito graças a uma aceleração instantânea. Em estradas mais degradadas o EQA apresenta um conforto satisfatório, mas em trajetos mais sinuosos as duas toneladas são sentidas com algum adornar de carroçaria. Ainda assim, apresenta um comportamento estável, sempre acompanhado pelos inúmeros assistentes à condução presentes no EQA.

Motor

8/10

Motor (8/10) O motor elétrico que equipa o Mercedes-Benz EQA 250 debita 190 cv e 375 Nm de binário, potência essa que é transmitida às rodas dianteiras de forma instantânea. Com estes argumentos o SUV elétrico acelera dos 0 aos 100 km/h em 8,9 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada a 160 km/h. É possível controlar a travagem regenerativa através da patilhas de volante num total de quatro níveis.

Balanço Final

8/10

Balanço final (8/10) Em suma, o Mercedes-Benz EQA 250 é uma excelente entrada no segmento dos SUV compactos premium. Os mais de 400 km de autonomia, facilmente alcançáveis, são um dos seus argumentos para “seduzir” os clientes que procuram mudar para a mobilidade 100% elétrica. Tudo isto é aliado a uma imagem forte, interior recheado de tecnologia e potência suficiente para uma utilização diária. O preço começa nos 53 750€.

Concorrentes

Lexus UX300e – Motor: elétrico; potência: 204 cv e 300 Nm de binário; capacidade da bateria: 54,3 kWh; autonomia: 315 km; consumo combinado: 16,8 kWh; preço base: 64 850€

 

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 66,5

Potência máxima (CV/rpm): 190/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 375/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ paralelogramo deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,9

Velocidade máxima (km/h): 160

Autonomia anunciada (km): 424

Consumos misto (kWh/100 km): 17,9

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4463/1849/1620

Distância entre eixos (mm): 2729

Peso (kg): 2040

Capacidade da bagageira (l): 340

Pneus (fr/tr): 235/55 R18

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) À primeira vista, o novo Mercedes-Benz EQA pode parecer semelhante ao GLA. Contudo, depois de um olhar atento vemos que tem, efetivamente, várias diferenças. Em primeiro lugar, a grelha é substituída por um painel em preto. Para além disso, os faróis estão interligados com uma barra de luz que atravessa a secção dianteira do SUV elétrico. Já na traseira, a matrícula passa para o para-choques, os farolins são, igualmente, ligados por uma barra de luz e a mítica estrela da Mercedes muda de sítio. De um modo geral, o Mercedes-Benz EQA mantém uma imagem atrativa, mas com argumentos diferenciadores, em linha com o que já é conhecido da família EQ.

Interior

Interior (8/10) Já no interior, é mais difícil encontrar diferenças face ao GLA. O habitáculo apresenta uma construção praticamente irrepreensível com a utilização de plásticos de boa qualidade e que conferem um aspeto e tato premium. De referir que o tablier apresenta, na zona do passageiro, um padrão exclusivo desta variante elétrica que apenas se vê quando a iluminação interior está ativa. Quanto ao design, apresenta-se com a já típica configuração do painel de instrumentos e ecrã central unidos. O sistema de infotainment mantém os menus bem organizados e uma boa velocidade de processamento, contudo, diferencia-se por informações específicas desta motorização 100% elétrica.

Ao nível de espaço tem argumentos semelhantes ao GLA, porém, a instalação da bateria no fundo do veículo deixa os bancos traseiros numa posição superior. Seja como for, é um SUV que garante conforto a todos os passageiros em viagens mais longas. Quanto à bagageira, o EQA fica-se pelos 340 litros de capacidade, ou seja, menos 95 litros do que as variantes a combustão e menos 45 litros do que o híbrido plug-in GLA 250e. Caso viaje com os cabos de carregamento, perde ainda um pouco mais de espaço.

Equipamento

Equipamento (7/10) Ao nível de equipamento o Mercedes-Benz EQA tem um recheio interessante, contudo, como é comum na marca alemã, não é difícil aumentar o preço com recurso à lista de opcionais. A unidade em ensaio conta com alguns como é o caso de teto de abrir panorâmico (1179€), Pack Night (122€) e Linha AMG (3821€). A Mercedes-Benz enviou ainda com o carro a Mercedes-Benz E-Scooter, uma trotinete elétrica com 45 km de autonomia e 20 km/h de velocidade máxima. Esta tem um preço base de 1099€. 

Consumos

Consumos (9/10) No capítulo do consumo de energia, a Mercedes anuncia uma média de 17,9 kWh. Durante o nosso ensaio percebemos que este valor é extramente fácil de superar, um dado positivo que demonstra o bom trabalho feito principalmente no que diz respeito à aerodinâmica. Durante o nosso ensaio fizemos uma média de 15,3 kWh nos primeiros 100 km, o que demonstra bem o que acabámos de referir. Com esta média, os 424 km de autonomia anunciada podem ser superados.

Ao volante

Ao volante (8/10) Ao volante, o Mercedes-Benz EQA mostrou ser um “bom amigo” para o dia a dia. Com 190 cv e 375 Nm de binário, tem potência suficiente para deixar o trânsito para trás no trânsito graças a uma aceleração instantânea. Em estradas mais degradadas o EQA apresenta um conforto satisfatório, mas em trajetos mais sinuosos as duas toneladas são sentidas com algum adornar de carroçaria. Ainda assim, apresenta um comportamento estável, sempre acompanhado pelos inúmeros assistentes à condução presentes no EQA.

Concorrentes

Lexus UX300e – Motor: elétrico; potência: 204 cv e 300 Nm de binário; capacidade da bateria: 54,3 kWh; autonomia: 315 km; consumo combinado: 16,8 kWh; preço base: 64 850€

 

Motor

Motor (8/10) O motor elétrico que equipa o Mercedes-Benz EQA 250 debita 190 cv e 375 Nm de binário, potência essa que é transmitida às rodas dianteiras de forma instantânea. Com estes argumentos o SUV elétrico acelera dos 0 aos 100 km/h em 8,9 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada a 160 km/h. É possível controlar a travagem regenerativa através da patilhas de volante num total de quatro níveis.

Balanço final

Balanço final (8/10) Em suma, o Mercedes-Benz EQA 250 é uma excelente entrada no segmento dos SUV compactos premium. Os mais de 400 km de autonomia, facilmente alcançáveis, são um dos seus argumentos para “seduzir” os clientes que procuram mudar para a mobilidade 100% elétrica. Tudo isto é aliado a uma imagem forte, interior recheado de tecnologia e potência suficiente para uma utilização diária. O preço começa nos 53 750€.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 66,5

Potência máxima (CV/rpm): 190/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 375/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ paralelogramo deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,9

Velocidade máxima (km/h): 160

Autonomia anunciada (km): 424

Consumos misto (kWh/100 km): 17,9

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4463/1849/1620

Distância entre eixos (mm): 2729

Peso (kg): 2040

Capacidade da bagageira (l): 340

Pneus (fr/tr): 235/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 60300€
Preço da versão base (Euros): 53750€