Nissan já iniciou a produção do seu novo comercial ligeiro elétrico, o Townstar

By on 13 Setembro, 2022

Além dos modelos de passageiros, o plano da Nissan também inclui uma presença nos comerciais ligeiros movidos exclusivamente a eletricidade que começa com a produção do novo Townstar.

A Nissan está com um plano bem definido para os próximos anos, que inclui novos modelos, como o Ariya por exemplo, atualizações em gamas já existentes, como a adição da versão híbrida à gama Juke, e também uma maior presença na categoria dos veículos comerciais ligeiros totalmente elétricos, onde já marcou presença em tempos com o e-NV200.

O maior destaque para este espaço passa agora a ser o Nissan Townstar, um modelo desenvolvido em parceria com a Aliança e que usa a plataforma CMF-C. Está agora a iniciar a sua produção na fábrica de Maubeuge, em França, também em conjunto com os outros modelos comerciais da Aliança e terá duas versões disponíveis, com uma área de carga entre 3,3 ou 4,9 metros cúbicos.

O motor elétrico, com tração nas rodas dianteiras, tem uma potência máxima de 122 cavalos e um binário de 245Nm. A bateria de 45 kWh pode ser “atestada” em carregadores rápidos, o que permite passar a sua carga dos 15 para os 80 por cento em pouco mais de meia-hora. E em termos de autonomia, o novo Nissan Townstar poderá ser utilizado para deslocações até 300 quilómetros de distância, ainda que seja em cidade que a sua maior autonomia fica garantida, graças aos mais frequentes períodos de regeneração.

Em termos de design, o novo Townstar oferece um visual robusto na secção dianteira, que se integra no formato de carroçaria mais otimizado para o transporte de maiores volumes na parte de trás. A bordo, os dois lugares estão pensados para oferecer um nível de conforto elevado para quem tem, por vezes, de passar diversas horas por dia ao volante, mas também um sistema de infotainment completo, diversos sistemas de segurança e até equipamentos como o aquecimento dos assentos e do volante ou o sistema de parqueamento automático.

E uma vez que se trata de um modelo totalmente elétrico, nem sequer falta uma garantia de oito anos para a bateria, que assegura uma capacidade acima dos 70% para este período.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)