Perguntas comuns sobre veículos híbridos plug-in, respondidas por quem sabe

By on 19 Janeiro, 2022

Atualmente, três em cada dez automóveis comercializados no mercado europeu já incluem uma solução híbrida, sendo que as versões plug-in estão a ganhar cada vez mais destaque. Por se tratar de uma tecnologia mais ou menos recente, ainda há quem tenha diversas dúvidas, mas para esclarecer tudo, a Seat pediu a César Mendez, Responsável pelos Híbridos na I+D da SEAT S.A., uns minutos do seu tempo para que todas as dúvidas ficassem clarificadas.

“Qual é a autonomia elétrica dos PHEV?”
(Rita Esteves de Matos, de Portugal)

“A vantagem dos PHEV está em não dependerem do motor de combustão para carregar a bateria. Temos uma tomada de carga que nos garante que a cada manhã, quando entramos no veículo, temos a bateria a 100%. No caso do SEAT Tarraco e-HYBRID, por exemplo, a autonomia elétrica é de 49 quilómetros, pelo que poderá realizar a maioria dos trajetos que faz diariamente em modo 100% elétrico”.

“Os híbridos são adequados para trajetos longos?”
(Aleksandra Rekas, da Polónia
)

“Completamente”, responde César. “Graças a uma combinação eficiente dos dois motores, o de combustão e o elétrico, os trajetos de média e de longa distância podem ser enfrentados sem qualquer problema. No caso do SEAT Tarraco e-HYBRID, por exemplo, a autonomia total chega aos 730 quilómetros”.

“Quanto tempo demoram a carregar?”
(Alberto González, de Espanha)

“Tudo depende do cabo e da corrente máxima de carga. Uma boa decisão é dispor de uma SEAT Wallbox em casa. Desta forma, otimizam-se as condições de carga, permitindo repor a capacidade elétrica total da bateria em apenas três horas e meia”.

“Como funciona a recuperação de energia?”
(Patrick Röschl, da Áustria
)

“De duas formas. Por um lado, ao libertar o pedal do acelerador, o motor passa a funcionar como um gerador que aproveita a inércia do veículo. Por outro lado, ao pisar o pedal de travão, na primeira fase o motor passa a atuar como gerador aproveitando o efeito de travagem, ou travagem regenerativa”.

“Como se comportam os híbridos com temperaturas baixas?
(Jonathan Björkvik, da Suécia
)

“Não há qualquer problema. Enquanto os componentes do sistema de alta tensão estiverem sob temperaturas abaixo de -10ºC trabalhará o motor de combustão, mas depois de alguma condução e de superada essa temperatura, o motor elétrico entrará em funcionamento”.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)