Tesla está a remover de forma remota algumas funções do Autopilot

By on 25 Março, 2020

Já tinha sido relatado um caso de alguém que tinha um Tesla Model S de 2017 com o Autopilot completo e viu o sistema desaparecer.

Isto foi no mês de fevereiro: Alec, um norte americano, comprou um Tesla Model S totalmente equipado que tinha sido adquirido num leilão pelo vendedor. O modelo em causa tinha o sistema “Enhanced Autopilot” e as opções de condução autónoma total, pelos quais o dono original do veículo tinha pago 8 mil dólares.

Três dias depois do concessionário ter comprado o carro, a Tesla auditou o software e decidiu remover o “Enhanced Autopilot” do Model S sem avisar ninguém. O cliente norte americano comprou o carro em dezembro e quando foi a um Tesla Service Center, em janeiro, é que ficou a saber que o seu carro não tinha o Autopilot.

A Tesla enviou uma carta a dizer que “a Tesla identificou recentemente queixas de clientes que não configuraram de forma correta versões do Autopilot pelas quais não pagaram. Foi feita uma auditoria para corrigir essa situação. O seu veículo é um dos que não tem o Autopilot corretamente configurado. Analisámos o seu histórico de compras e, infelizmente, não pagou para ter a versão de condução autónoma total. Pedimos desculpa pela confusão. Se ainda quiser desfrutar desses recursos adicionais teremos todo o gosto e iniciar o processo de compra e atualização do sistema.”

Outro caso veio confirmar que a Tesla vende sistemas apenas ao primeiro comprador. Segundo órgãos de comunicação social norte americanos, um cliente comprou um Tesla Model X P100D de 2018 em março de 2019. O SUV tinha no equipamento descriminado pelo concessionário da Tesla, onde foi comprado, o modo Ludicrous (que custa 20 mil dólares) e o cliente decidiu pagar mais 5 mil dólares para ter o modo de condução autónoma total no Autopilot. A Tesla, enquanto instalava o “Full Self Driving”, remotamente, decidiu retirar do carro o “Ludicrous Mode” porque o cliente do modelo usado não tinha pago os 20 mil dólares da função.

A Tesla veio tentar retificar o tiro perante a comunicação social, dizendo que todo o equipamento do carro está registado no número de identificação do modelo e que se mantém no carro mesmo em caso de mudar de mãos no mercado de usados. Mas a verdade é que a Tesla está a aproveitar-se da capacidade de alterar o “software” dos seus carros a nível remoto para fazer dinheiro com os novos proprietários de modelos espalhados no mercado de usados. Portanto, tenha cuidado quando comprar um Tesla usado e o vendedor lhe cobrar pelos extras. É que alguns dias depois, pode ficar sem alguns deles…

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)