Volvo EX90 será o mais seguro de sempre, para passageiros e não só

By on 21 Setembro, 2022

A Volvo elevou muito a fasquia ao afirmar que o seu próximo topo-de-gama, o EX90, será o carro mais seguro alguma vez criado. É uma afirmação ousada, mas se há marca que a poderia fazer é mesmo a Volvo.

Há diversas décadas, a Volvo fez da segurança o seu lema de vida. É em torno deste ponto que todos os seus modelos são desenvolvidos e colocados no mercado. Mais recentemente, a marca afirmou que foi precisamente com esta mesma determinação que abraçou um novo lema de vida em torno da sustentabilidade do planeta. Mas isto não quer dizer que o primeiro tenha passado para segundo plano, bem pelo contrário. O seu próximo modelo, o EX90, será a prova disso mesmo, ao ser apresentado como “o automóvel mais seguro de sempre”, numa nova era para a segurança dos automóveis da marca. Quem o diz é Jim Rowan, o CEO da Volvo Cars, nesta apresentação.

A nova era de modelos da Volvo vão apostar no software e em sensores bastante avançados para conseguir ler tudo o que se passa em torno de cada um dos seus modelos, a curtas, médias e longas distâncias, fazendo com que o padrão de segurança seja superior do que qualquer outro modelo da Volvo criado até agora. Mas a inovação da marca não fica por aqui e todos os engenheiros e restante equipa vão continuar “até que não haja mais acidentes”, adianta Rowan.

Dentro de apenas algumas semanas, será o momento de conhecermos o novo modelo de topo da Volvo, o EX90, totalmente elétrico e equipado com um sistema ‘LiDAR’, dando origem a uma nova era de eletrificação, tecnologia e segurança. Todos os Volvo EX90 serão equipados de série com um conjunto de equipamentos que se podem traduzir numa espécie de escudo de segurança, que não só consegue avaliar tudo o que se passa em torno do carro, mas também o estado de alerta do condutor, dentro do carro, combinando todas estas informações da melhor forma.

Através de equipamentos como camaras, radares, sensores ultrasónicos e um LiDAR ao nível do tejadilho, que mede distâncias através de pulsações laser, seja de dia ou de noite, num ambiente sem qualquer iluminação. Graças a este sistema, é possível detetar um pneu no meio da estrada, a 120 metros de distância ou uma pessoa, a 250 metros. A 120 km/h, numa autoestrada, 250 metros são 7,5 segundos, o que oferece um pouco mais de tempo para evitar um acidente.

Graças a um algoritmo bastante avançado e diversos sensores, é possível detetar se o condutor está distraído ou cansado ou se, simplesmente, precisa de fazer uma pausa. E se tudo se tornar mais complicado, por exemplo, se o condutor desmaiar ou adormecer, o carro terá a capacidade de parar em segurança e pedir auxílio. A combinação entre o que se passa dentro do carro e fora do carro, fará toda a diferença, segundo Jim Rowan.

Mas para percebermos melhor como tudo funciona, podemos ainda ver os dois vídeos também divulgados pela marca, em que Joachim De Verdier (Head of Safe Vehicle Automation) e Michael Ljung Aust (Senior Safety Technical Leader) nos explicam mais em detalhe como será feita a avaliação na parte exterior deste “escudo” de segurança, mas também a interior.

Compreender o “exterior”
Compreender o “interior”
Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)