Audi A3 Sportback 40 TFSIe – Ensaio Teste

By on 19 Maio, 2021

Audi A3 Sportback 40 TFSIe – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Um rival à altura do A250e

O Audi A3 Sportback está de volta ao Automais, mas desta vez com uma motorização híbrida Plug-in, denominada 40 TFSIe. Com esta proposta, a Audi tem um rival à altura para o Mercedes-Benz A250e, na “batalha” eletrificada do segmento compacto premium. O 40 TFSIe está equipado com uma motorização utilizada em outras soluções do Grupo Volkswagen, o 1.4 litros a gasolina, associado a um propulsor elétrico que debita 204 cv e 350 Nm de binário. O suficiente para fazer frente ao A250e?


Mais:

Visual, consumos quando acaba a bateria, condução

Menos:

Preço de alguns opcionais, menos autonomia elétrica do que o principal rival

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Tal como já referimos no ensaio do A3 Sportback 30 TFSI, a nova geração do compacto premium mantém as linhas que caracterizam o modelo, mas com uma imagem mais apelativa e moderna, principalmente no nível de equipamento da unidade deste ensaio, o S Line. Face aos A3 Sportback base, o 40 TFSIe diferencia-se somente pela entrada de carregamento na lateral dianteira. Comum a toda a gama é a inclusão de uma grelha “singleframe” de maiores dimensões, acompanhada por faróis LED redesenhados.

Interior

Interior (8/10) Para acompanhar o visual exteriores mais dinâmico, a Audi realizou uma verdadeira revolução no habitáculo. Com a utilização de linhas retas e um tablier orientado para o condutor, o A3 Sportback 40 TFSIe mantém uma qualidade de construção de boa qualidade. Apesar de um maior cuidado nos plásticos utilizados, a marca alemã continua a recorrer a alguns plásticos rijos ao toque.

Ao nível de tecnologia, o condutor tem à sua disposição um painel de instrumentos digital. Este diferencia-se por novas personalizações focadas em informações relacionadas com a eletrificação. Ao centro do tablier surge um ecrã tátil de 10 polegadas que transmite as informações do mais recente sistema de infotainment da marca. Tal como no painel de instrumentos, também aqui surgem novos menus específicos desta versão híbrida Plug-in, como é o caso de informações de carregamento.

Equipamento

Equipamento (8/10) No capítulo do equipamento, a unidade em ensaio apresenta-se na variante S Line, ou seja, recebe uma imagem mais desportiva. Apesar do recheio de série ser positivo, como é comum na casa alemã há uma longa lista de opcionais. O A3 Sportback que tivemos para ensaio contava com alguns, como é o caso de câmara traseira (500€), bancos em couro sintético e alcantara (670€), faróis LED com indicações de mudança de direção traseiros dinâmicos (1085€), pacote interior S Line (1740€), MMI Navegação Plus (2175€), banco traseiro rebatível (245€), sensores de estacionamento dianteiros e traseiros (430€), Audi Virtual Cockpit plus (295€), entre outros. Resumindo, é relativamente fácil subir o preço a pagar pelo A3 Sportback e, no caso desta unidade, o valor recebeu um acréscimo de 12 050€ só em opcionais. 

Consumos

Consumos (9/10) Ao nível de consumos, o Audi A3 Sportback 40 TFSIe beneficia, e muito, da autonomia elétrica garantida pela bateria de 13 kW. Nos primeiros 100 quilómetros em modo híbrido, com a bateria a 100%, realizámos uma média de 2,6 l/100km. Este valor está em linha com o praticado pelo A250e. Quando acaba a bateria e é necessário utilizar em exclusivo o motor a combustão, o A3 Sportback mostrou-se ligeiramente mais poupado do que o A250e, ao permitir, com alguma facilidade, manter os consumos a rondar os 6 l/100 km. Quanto a autonomia, o 40 TFSIe tem uma autonomia anunciada de 64 km, um valor inferior aos 69 km anunciados pelo rival da Mercedes.

Ao volante

Ao volante (8/10) Face às versões a combustão tradicionais, o 40 TFSIe tem um peso total 300 kg superior, o que, naturalmente, afeta a dinâmica de condução. Ainda assim, o A3 Sportback continua a merecer elogios no capítulo da condução graças a uma suspensão firme e uma direção precisa e com o peso certo, especialmente no modo de condução mais desportivo. Contudo, o peso adicional é sentido em trajetos mais sinuosos com o ligeiro adornar de carroçaria. Numa condução diária em cidade, a possibilidade de circular em modo 100% elétrico torna as viagens mais tranquilas e confortáveis. De um modo geral, mais do que um carro com todas as vantagens de uma motorização híbrida Plug-in, principalmente nos consumos, é também um carro divertido de conduzir.   

Concorrentes

Mercedes-Benz A250e – Motor: quatro cilindros, 1.3 litros, turbo, gasolina + sistema híbrido Plug-in; potência: 218 cv e 450 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 6,6 segundos; velocidade máxima: 235 km/h; preço base: 41 600€.

 

Motor

Motor (8/10) Debaixo do capot, encontramos o motor 1.4 litros a gasolina, associado a um propulsor elétrico, que debita um total de 204 cv e 350 Nm de binário. Com estes valores as acelerações dos 0 aos 100 km/h fazem-se em 7,6 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 227 km/h. Neste capítulo, o Mercedes-Benz A250e leva a melhor ao ser mais potente e ao ter, igualmente, melhores performances.

Balanço final

Balanço final (8/10) Por fim, o Audi A3 Sportback 40 TFSIe é, efetivamente, um rival à altura para o Mercedes-Benz A250e. Apesar de não ser tão potente, é um carro com uma condução eficaz e um visual apelativo. Tudo isto é acompanhado por um preço base de 40 742€.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in

Cilindrada (cm3): 1395

Diâmetro x Curso (mm): 74,5 x 80

Taxa de Compressão: 10 a 1

Bateria (kWh): 13

Potência máxima (CV/rpm): 204/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 350/n.d.

Transmissão: Automática de 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / paralelogramo deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,6

Velocidade máxima (km/h): 227

Consumos misto (l/100 km): 1,2

Autonomia elétrica: 65 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 29 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4343/1816/1458

Distância entre eixos (mm): 2630

Largura de vias (fr/tr mm): 1548/1516

Peso (kg): 1635

Capacidade da bagageira (l): 280

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 225/45 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 52737€
Preço da versão base (Euros): 40742€