Audi A4 Allroad 40 TDI S tronic – Ensaio Teste

By on 10 Julho, 2020

Audi A4 Allroad 40 TDI S tronic

Texto: João Isaac

A carrinha ideal para todos os dias da semana

O conceito das carrinhas Allroad da Audi nasceu há mais de 20 anos, tendo surgido, pela primeira vez, na sua A6. No entanto, mais tarde, a marca dos quatro anéis decidiu, e bem, na nossa opinião, aplicar a mesma fórmula na gama A4. Assim, esta é uma A4 Avant que mantendo muitas das qualidades das versões ditas “convencionais”, permite ainda ir mais além, quando o alcatrão acaba e a aventura começa. Recorre a vias mais largas e dista 35 milímetros adicionais do solo, postura que, aliada à tração integral quattro lhe confere outras capacidades e uma liberdade de utilização com que as demais carrinhas A4 não podem sequer sonhar. De segunda à sexta, entre casa e escritório, ao fim de semana, da praia até à serra.

Veja o vídeo do nosso ensaio ao Audi A4 Allroad 40 TDI S tronic

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Refinamento do motor, consumos, desempenho da caixa S tronic, qualidade de construção

Menos:

Espaço no banco traseiro apenas indicado para 2 pessoas, equipamento de série vs. preço dos opcionais

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Sem querer destacar-se demasiado como uma A4 de “calças arregaçadas”, a Audi dotou a sua Allroad com a quantidade certa de elementos que destacam ainda mais a robustez do seu design e a deixam mais bem preparada para as pequenas incursões no fora de estrada, sem com isso prejudicar as suas corretas proporções e imagem elegante. Assim, o grande destaque na carroçaria da Allroad vai para os frisos plásticos dos guarda-lamas, bem como para os para-choques específicos e embaladeiras com o mítico símbolo “quattro”. Ainda no exterior, há que mencionar dois importantes elementos da lista de equipamento opcional presentes na unidade em ensaio: as jantes de 18 polegadas com um custo de 1150 euros e ainda a excelente iluminação Matrix LED, um extra que custa 860 euros mas que faz toda a diferença numa longa viagem noturna ou naquele caminho que decidiu explorar a bordo da A4 Allroad e que o fez perder-se nas horas.

Interior

Interior (8/10) A Audi é, na minha opinião, uma das marcas que melhores interiores faz. A qualidade dos materiais utilizados é inquestionável, assim como o é o rigor de montagem, sem falhas e transmitindo igualmente a mesma sensação de robustez e durabilidade encontradas na carroçaria. O tablier é dominado pelo fenómeno da digitalização, com o espetacular ecrã de 12,3 polegadas do Audi Virtual Cockpit na frente do condutor e com o display tátil central que permite comandar uma grande quantidade de funções da Allroad, desde a navegação e música até, por exemplo, aos modos de condução do Audi drive select. À frente, como seria de esperar, nem o condutor nem o passageiro se podem queixar de falta de espaço e de conforto, em grande parte devido aos bons bancos com ajuste lombar eléctrico para ambos. Mas para quem viaja atrás, a história é um pouco diferente. Com o banco do condutor na minha posição de condução, senti-me, ao sentar-me atrás, com os pés algo presos debaixo do banco, sendo que a distância dos joelhos às costas do banco dianteiro também não é assim tão folgada. Nada de grave, caso se viaje num dos lugares laterais. Já no caso do lugar central, nem o encosto é cómodo, nem há muita liberdade de movimentos devido ao enorme túnel central. Mais atrás, a bagageira tem 495 litros de capacidade e o rebatimento do banco traseiro permite criar um plano de carga ininterrupto.

Equipamento

Equipamento (6/10) É nesta avaliação que as coisas se complicam um pouco mais para a A4 Allroad. Por um lado, equipamento não lhe falta, mas por outro, esta “62-ZG-40” que nos foi cedida dispõe de nada mais nada menos do que 20 665 euros em equipamento opcional. Assim, de série, a Allroad vem equipada com, por exemplo, iluminação LED, jantes de 17 polegadas, ar condicionado automático, MMI Radio Plus com ecrã tátil com 10,1″, volante com patilhas para controlo da caixa de velocidades, Audi drive select e o sistema de segurança Pre sense city. Já da lista de opcionais, importa destacar o teto panorâmico (1755 euros), a pintura metalizada Cinzento Quantum (1075 euros), os pacotes MMI Navegação Plus, City Plus e Tour (2710, 2825 e 1800 euros, respetivamente), bem como o ar condicionado automático de três zonas, este com um custo de 830 euros.

Consumos

Consumos (7/10) Considerando que estamos perante uma versão de carroçaria sobrelevada, com pneus 245/45 em jantes de 18 polegadas e, principalmente, equipada com tração integral permanente, o desempenho do motor 2.0 TDI de 190 cavalos merece elogios. Os primeiros 100 quilómetros percorridos durante este ensaio dividiram-se entre cerca de 80 percorridos em autoestrada e o restante em ambiente urbano, sempre com uma utilização intensiva do ar condicionado. Neste caso, o computador de bordo registou uma média de 6,4 lt/100 km. Terminado este circuito, e após anulação dos valores do computador de bordo, realizei novo circuito de testes com cerca de 40 quilómetros predominantemente realizados em cidade e a média final de 6,8 litros voltou a convencer-me.

Ao volante

Ao volante (7/10) A posição de condução ideal é muito fácil de encontrar, uma vez que quer o banco, quer a coluna de direcção, dispõem de amplas regulações. A visibilidade para a frente, na zona do retrovisor exterior, é bastante boa, graças a um pilar A de desenho pouco intrusivo. Através do Audi drive select é possível selecionar entre cinco modos de condução pré-configurados, bem como definir um a nosso gosto, combinando as definições possíveis para as respostas da direção e motor. Esta unidade de ensaio não dispõe de suspensão de amortecimento variável, um opcional de 1185 euros que poderá fazer a diferença para os condutores mais exigentes. Ainda assim, mesmo quando equipada com suspensão convencional, a Allroad revela-se quase sempre muito confortável, parecendo ainda melhor a ritmos mais elevados, em autoestrada, por exemplo. Neste ambiente, é impossível não reparar na ótima insonorização do habitáculo, aliada ainda pela capacidade do TDI respirar apenas às 1500 rpm a 120 km/h.

Concorrentes

Volvo V60 Cross Country D4 AWD 1969 c.c. turbo Diesel; 190 CV; 400 Nm; 0-100 km/h em 8,2 seg,; 180 km/h; 5,9 l/100 km, 155 gr/km de CO2; 58 470 euros

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

Motor (8/10) O motor 2.0 TDI, aqui na sua configuração de 190 cavalos, é um óptimo aliado de uma proposta como a A4 Allroad. Acelera-a com vigor desde muito cedo no conta-rotações, graças a um binário máximo de 400 Nm logo às 1750 rpm. Segundo a Audi, a aceleração dos 0 a 100 km/h faz-se em menos de 8 segundos e mesmo sem equipamento de medição dedicado, não há motivos para duvidar desse valor declarado, tal é o pulmão revelado durante as acelerações mais exigentes. A transmissão S tronic de 7 velocidades é uma grande aliada do motor TDI, rápida a reagir quando solicitada através do pé direito e também nas passagens, sempre fluídas e por vezes quase impercetíveis. Como referi no capítulo referente aos consumos, foi fácil manter-se a média abaixo dos 7 litros por cada 100 quilómetros percorridos.

Balanço final

Balanço final (8/10) Ensaiar um carro novo não permite, pelo menos com certezas absolutas, garantir a fiabilidade e durabilidade – que tanto desejamos quando estamos no mercado à procura do nosso próximo carro – ao fim de 7 ou 8 anos de utilização, por vezes bem intensa. Mas a versão Allroad da Audi A4 Avant é um produto de valor inquestionável, em que o cuidado colocado na seleção de materiais e a qualidade e solidez de construção aplicadas deixam antever vários anos de utilização segura e fiável. Uma proposta familiar, com um grande carácter estradista e uma liberdade de utilização superior à das restantes A4 Avant, aqui apta a pequenas aventuras sobre pisos menos simpáticos, ideal para os fãs de campismo selvagem, desportos radicais na costa e montanha ou, por que não, para as deslocações dentro da quinta. Em qualquer um destes cenários, a A4 Allroad insere-se perfeitamente na paisagem.

Ficha técnica

Motor Tipo: 4 cilindros em linha, injeção common-rail, turbo, gasóleo Cilindrada (cm3): 1968 Diâmetro x Curso (mm): 81 x 95,5 Taxa de Compressão: nd Potência máxima (CV/rpm): 190/3800 Binário máximo (Nm/rpm): 400/1750 Transmissão: caixa de dupla embraiagem de 7 velocidades Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente Suspensão (ft/tr): independente tipo Multilink/independente tipo Multilink Travões (fr/tr): discos ventilados/discos ventilados Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 7,9 Velocidade máxima (km/h): 220 Consumos misto (l/100 km): 6,4 Emissões CO2 (gr/km): 168 Dimensões e pesos Comprimento/Largura/Altura (mm): 4762/1847/1493 Distância entre eixos (mm): 2818 Largura de vias (fr/tr mm): 1578/1566 Peso (kg): 1720 Capacidade da bagageira (l): 495 Deposito de combustível (l): 58 Pneus (fr/tr): 245/45 R18 Preço da versão base (Euros): 65.040 Preço da versão Ensaiada (Euros): 85.705

Preço da versão ensaiada (Euros): 85705€
Preço da versão base (Euros): 65040€