Audi A4 Avant 2.0 TDI 150 cv – Ensaio

By on 30 Setembro, 2017

Audi A4 Avant 2.0 TDI 150 cv

Texto: André Duarte ([email protected])

 Pragmatismo e simplicidade

A nomenclatura A4 transporta o nosso imaginário de imediato para a marca dos quatro anéis. Na versão carrinha, o modelo tem um percurso de seis gerações e  continua a ser uma referência no segmento D. Fomos por isso conhecer a Audi A4 Avant 2.0 TDI com 150 cv e caixa manual de 6 velocidades. O resultado ficou na retina…

Exterior

A Audi A4 Avant sobressai naturalmente pelas suas proporções (comprimento de 4,73 metros, largura de 1,84 metros e altura de 1,43 metros), apresentando-se como um modelo sóbrio de linhas, em que na frente se destaca a ‘clássica’ grelha da marca, a lateral deixa perceber a generosa distância entre eixos, 2,82 metros, e a traseira está em consonância com as demais secções, destacando-se os mais finos pilares D.

Porém, as linhas elegantes da versão Base podem ser apimentadas por detalhes visualmente sugestivos, como no caso da versão ensaiada que surgia com os pacotes de equipamento Dynamic (1700€) e Advance (995€).

O primeiro, para além de incluir faróis LED, um pacote de luzes, de porta-objetos e de alto brilho (frisos em alumínio), destaca-se por incorporar o pacote exterior S Line, que garante à A4 Avant pormenores muito saborosos: pára-choques dianteiro e traseiro e grelhas laterais do radiador com design desportivo; embaladeiras desportivas na cor da carroçaria; logótipo S line na cava das rodas e nos frisos protetores das embaladeiras; spoiler traseiro S line; barras de tejadilho cromadas e ponteira de escape cromada.

A isto, o pacote Advance acresce algumas mordomias como espelhos de cortesia iluminados,  assistente de máximos, sensor de chuva, volante desportivo multifunções Plus, em couro, computador de bordo “Top” e cortinas laterais manuais.

Desta feita, a Audi A4 Avant ganha subtilezas que lhe conferem um cunho mais desportivo, sem perder a sua aura de sobriedade e elegância, num conjunto que prima pela discrição na forma, mas que cativa a atenção através destes pequenos detalhes.

Interior

No habitáculo de imediato deparamo-nos com materiais bastante convidativos, marcados pela qualidade e agradáveis ao toque. Nos lugares da frente o espaço não abunda, mas permite aos passageiros irem cómodos sem se sentirem apertados. No geral, o ambiente criado é acolhedor, para o que em muito ajuda a elegância garantida pelas faixas decorativas no tablier, consola central e portas e também pelos frisos em alumínio que contornam elegantemente volante, seletor e comandos na consola central, assim como ornam os puxadores das portas.

O apoio de braços esconde um local generoso para arrumação, com uma entrada Aux e duas USB. Há ainda dois locais para colocação de copos devidamente colocados à frente do seletor. Outro pormenor muito bem vindo são as soleiras das portas iluminadas com a inserção S Line.

Já nos bancos traseiros a posição ao sentar é bastante cómoda, principalmente na curvatura das costas, existindo uma boa sensação de espaço interior. Apenas o passageiro no lugar do meio está condicionado em termos de espaço para as pernas, com o próprio banco a ser mais duro nesse lugar que nos demais, sendo também fácil acabarmos por ir sentados parcialmente em cima da zona para prender os cintos, o que gera desconforto. Desta feita, apesar dos cinco lugares existentes, circular com quatro passageiros é o preferível para uma viagem tranquila para todos.

Também nesta zona do habitáculo os apontamentos decorativos dão um toque elegante, na zona dos puxadores, à semelhança daquilo que acontece nos lugares dianteiros. Já os espaços nas portas para arrumação são pequenos. As costas do lugar do meio rebatem e fazem de mesa para os passageiros atrás, que podem também colocar objetos na rede situada nas costas dos bancos dianteiros. Atrás há ainda uma tomada de 12V e possibilidade de regular o ar condicionado.

A bagageira (com cobertura elétrica de série) oferece 505l que podem ser extensíveis a 1510l com os bancos rebatidos (na proporção 40:20:40), permitindo-nos dar largas à imaginação para sabermos como a iremos ocupar. Mesmo sem os bancos rebatidos, o espaço é mais que suficiente para as bagagens de toda a família, a não ser que cada pessoa queira lá colocar a totalidade do seu armário.

No capítulo da conectividade e infoentretenimento, contamos com um o sistema de navegação MMI plus com MMI touch e um ecrã de 8,3” colocado ao centro do tablier. Este permite-nos aceder às várias definições do veiculo: som, rádio, dispositivos, telefone, navegação, mapas, Audi Connect e Audi smartphone.

Há várias formas, simples e práticas, para podermos navegar pelas referidas opções: diretamente através do ecrã tátil; por via do comando rotativo com touchpad na consola central que permite aumentar ou diminuir o zoom e digitar caracteres (a orgânica de funcionamento do MMI é semelhante à de um smartphone e inclui uma função de pesquisa inteligente de texto livre); através do sistema de controlo por voz ou do volante multifunções (este mais restrito no leque de possibilidades). Para quem segue ao volante, a opção mais prática acaba por ser o comando rotativo, que está bem posicionado em relação ao condutor e é de fácil manuseamento.

Sistemas de Assistência à Condução

Entre equipamento de série e opcional, e mediante as versões, pode-se encontrar uma gama completa: limitador de velocidade regulável; sistema de deteção de fadiga do condutor; assistente anti-colisão; assistente de viragem; assistente de saída de estacionamento; assistente anti-colisão; aviso de saída de um estacionamento; assistente de trânsito; assistente de eficiência preditiva dianteira e traseira; auxiliar de trânsito transversal na parte traseira; cruise control adaptativo com sistema Stop&Go; assistente de manutenção na faixa de rodagem; aviso de ângulo morto e câmara de reconhecimento de sinais de trânsito.

Ao volante

No lugar do condutor sentimos que estamos quase num cockpit. Tudo está direcionado para nós. Os comandos na consola central permitem-nos facilmente  aceder às funcionalidades do ecrã no tablier, assim como o volante multifunções (navegação, atender e rejeitar chamadas, comando por voz, mudar de estacão de rádio, regular o volume) que nos permite aceder ao painel de instrumentos e navegar entre algumas funcionalidades enquanto conduzimos (velocidade, consumos – médios, instantâneos e de longo prazo – tempo de viagem, navegação, rádio e chamadas). Num interior que prima pela elegância e simplicidade, os comandos são muito perceptíveis e intuitivos.

Devidamente instalados, chega a hora de carregarmos no Start & Stop e darmos largas à imaginação.  As posições do seletor, botões na consola central, volante e banco criam um ambiente propício a explorarmos e a querermos rodar sem destino com a A4 Avante. Uma proposta que tem muito mais para oferecer que aquilo que a sua imagem posso fazer pensar.

Sob o capot, os 150 cv oriundos do bloco 2.0 TDI revelam-se uma proposta bastante equilibrada para o conjunto, conferindo uma resposta pronta, que lida bem com as necessidades. A um pisar mais decidido do acelerador, a entrega de potência ao eixo dianteiro revela-se eficaz, sentindo-se desde logo o puxo da tração a impelir-nos para o lado em que as rodas estão viradas. Claro que falamos aqui numa condução viva, a tentar tirar tudo aquilo que o 2.0 TDI tem para dar. Para esta performance muito contribui a bem escalonada caixa manual de 6 velocidades com um curso no seletor bastante direto, que, conjugando-se muito bem com o motor, gera um grande prazer de utilização, influenciando-nos a que o espevitemos e gozemos os respetivos dividendos. Apesar do entusiasmo, o motor não é naturalmente explosivo, mas os 320 Nm de binário disponíveis desde as 1500 rpm são um belo aliado à condução.

A suspensão é também ela muito agradável, conseguindo garantir um compromisso entre conforto e dinâmica, pendendo mais para o primeiro ponto, mas não comprometendo no segundo. Porém, não nos podemos esquecer que  estamos a falar de uma carrinha familiar, em que precisamos mais de conforto do que de dinâmica, e, nesse particular, o desempenho está conforme o pretendido. O chassis cumpre a sua função a rigor e a direção segue o exemplo. Apenas o barulho do bloco diesel a subir de regime é um tanto incomodativo no habitáculo, quando o estamos a utilizar com maior vigor.

Consumos

A marca afiança 4,2l (com jantes 18” como foi o caso da versão ensaiada), mas valores mais próximos da casa dos 5,8l/6l são mais reais, ainda que tal não seja alarmante, dado que estamos a falar de um conjunto com um peso, sem passageiros, de 1475 kg. Sendo uma carrinha, a possibilidade de circularmos, pelo menos, com duas ou três pessoas mais alguma bagagem, faz com que facilmente o bloco 2.0 TDI esteja a deslocar um peso acima dos 1600 kg. Já se andarmos sozinhos a explorar as potencialidades da Audi A4 Avant, consumos acima dos 9l são o mais natural.

 Motorizações e versões disponíveis

A gasolina está disponível o bloco 1.4 TFSI com caixa manual de 6 velocidades e automática S Tronic. Os preços começam nos 41.489€ e 42.780€, respetivamente.

Já a diesel, o bloco 2.0 TDI surge com potências de 122, 150 e 190 cv, todas com com caixa manual de 6 velocidades ou automática S Tronic. Os valores começam nos 42.780€ para a versão de 122 cv com caixa manual e estendem-se até aos 50.210€ para a opção de 190 cv com caixa S Tronic.

Em termos de tração integral, contamos com a versão 2.0 TDI quattro S Tronic de 190 cv com um preço a partir de 53.710€. A versão topo está no bloco 3.0 TDI quattro tiptronic com 272 cv que tem um preço base de 69.769€.

O modelo está disponível nas versões Base, Design e Sport. Em termos de pacotes de equipamento, a versão Base conta com o exterior S Line e os Advance, Business Line e Dynamic. A Design, além dos referidos, tem ainda como opção o pacote Audi Design Selection. Já a Sport dispõe dos mesmo pacotes de equipamento da versão Base, a que acrescenta o pacote desportivo S Line e o pacote S Line Black Interior.

Equipamento Opcional

Partindo da versão Base, há vários elementos que poderam atribuir um cunho ainda mais especial à A4 Avant, entre eles estão: teto de abrir eléctrico, em vidro panorâmico (1710€); pára-brisas comfort com aquecimento sem fios (495€); vidros acústicos nas portas dianteiras e vidros escurecidos nas portas traseiras e óculo traseiro (565€); pacote de alto brilho (frisos em alumínio) (225€); barras de tejadilho cromadas (100€); assistente de máximos (180€); sensor de chuva (150€); faróis LED Matrix  (2235€); faróis LED (1400€); jantes de 17” a 19” (de 590€ a 2710€); bancos dianteiros desportivos (390€); Audi Virtual Cockpit (295€); volante desportivo multifunções Plus, em couro, aquecido (400€) e pacote de luzes ambiente (330€).

Concorrentes

Em termos de concorrência, destaque para a BMW 318d Touring com igual potência e um preço a partir de 45.400€. Há também que ter em conta a Volkswagen Golf Variant Highline 2.0 TDI, também com 150 cv, a partir de  41.747€. Num prisma ligeiramente diferente está a Mercedes C 200d, com uma potência de 136 cv, por 42.494€.

Balanço Final

No geral, a Audi A4 Avant é um modelo com muito potencial, e que por isso conta com propostas mais generosas em potência no seu cardápio. Apesar disso, o bloco 2.0 TDI com 150 cv é um boa opção para o conjunto, garantindo um equilíbrio entre a possibilidade de uma utilização quotidiana e consumos contidos, a par de viagens de longas distâncias e alguma desenvoltura de andamento em caso de necessidade, numa ode aos ornamentos S Line, para o que contribui a agradável caixa manual de 6 relações. Tem um belo comportamento e permite-nos experienciar excessos, sendo clara sobre os seus limites e quando deles nos aproximamos, o que contribui para a noção de segurança para quem nela segue.

Atendendo a que falamos de uma carrinha familiar, está perfeitamente de acordo com o propósito para que fora criada, garantindo viagens com conforto e  comodidade a todos os ocupantes, cativando pela simplicidade à sua passagem.

Mais: Comportamento / Caixa de Velocidades / Suspensão / Equilíbrio do Conjunto

Menos: Espaço nos lugares dianteiros e para o passageiro do meio atrás


FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo – diesel, 4 cilindros, turbo, DOHC, injeção direta

Cilindrada (cm3) – 1968

Diâmetro x curso (mm) – 81,0 x 95,5

Taxa de compressão – 16,2:1

Potência máxima (cv/rpm) – 150/3250-4200

Binário máximo (Nm/rpm) – 320/1500-3250

Transmissão, direção, Suspensão e travões

Transmissão e direção – dianteira, transmissão manual de 6 velocidades; eletromecânica com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) – Independente multibraços

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos ventilados

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 9,2s

Velocidade máxima (km/h) – 215 km/h

*Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 3,8/5,0/4,2

Emissões de CO2 (g/km) – 111

Dimensões e pesos 

Comp./largura/altura (mm) – 4725/1842/1434

Distância entre eixos (mm) – 2820

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1572/1555

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos ventilados

Peso (kg) – 1475

Capacidade da bagageira (l) – 505 / 1510 (c/ bancos rebatidos)

Capacidade do depósito (l) – 40

Pneus (fr/tr) – 205/60 R16 (versão base) e 245/40 R18 (versão ensaiada)

Preço base (versão) (€) – 45.460€

*Valores de consumos da marca mediante a medida de pneus da versão ensaida

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz