BMW 520e – Ensaio Teste

By on 9 Outubro, 2021

BMW 520e – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Já ouviu falar do BMW eDriveZones?

A BMW conta com uma gama de híbridos plug-in bastante vasta e, a pensar nisso, a marca bávara desenvolveu uma tecnologia, em parceria com a Critical TechWorks em Portugal, feita exatamente para este tipo de motorização, o BMW eDriveZones. Esta tem como principal objetivo diminuir os níveis de emissões poluentes dentro das áreas urbanas e, para tal, passa automaticamente para modo elétrico assim que entrar numa zona de zero ou baixas emissões dentro da cidade. Para testar esta tecnologia ensaiámos um dos modelos disponíveis com o sistema, o BMW 520e, a versão híbrida plug-in de entrada do modelo alemão.


Mais:

Visual, conforto, dinâmica

Menos:

preço dos opcionais, bagageira

Exterior

8/10

Exterior (8/10) O BMW Série 5 é, na nossa opinião, um dos modelos mais bem conseguidos da marca alemã ao nível de design exterior. Com linhas bem definidas e um ar agressivo, principalmente com o nível de equipamento M, o BMW 520e tem um ar imponente. De referir que este é talvez o modelo da marca com a grelha “duplo rim” mais elegante, grelha essa que é ladeada por dois faróis em LED. As jantes de 19 polegadas fazem parte do opcional “pack M Plus” e a pintura “Bluestone” tem um preço de 1140€.  

Interior

8/10

Interior (8/10) No habitáculo, o BMW 520e apresentou uma muito boa qualidade de construção e uma insonorização satisfatória que deixa todos os sons indesejados “lá fora”. Tudo isto acompanhado por materiais de boa qualidade, salvo alguns plásticos na consola central, com um design já reconhecido da marca alemã. De facto, o condutor tem à sua frente o volante multifunções de três braços e um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro surge um ecrã tátil onde são transmitidas as informações do sistema de infotainment da marca.

Tal como a BMW já nos tem habituado, o infotainment é de fácil utilização e tem um processamento veloz. Sendo o 520e um híbrido plug-in, existe um menu próprio relacionado com a motorização onde pode analisar vários parâmetros como tempos de carregamento ou battery control (permite definir a percentagem de bateria que queremos carregar com o motor a combustão).

Relativamente ao espaço, o BMW Série 5 consegue transportar quatro adultos com mais de 1,80 cm sem qualquer tipo de problema. O lugar do meio sai algo prejudicado devido ao túnel central pronunciado. Talvez o grande contra da variante híbrida plug-in seja a bagageira que, devido à inclusão da bateria, sai prejudicada e apresenta um total de 410 litros de capacidade.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) O BMW 520e que tivemos em ensaio mostra que a marca alemã aposta forte nos opcionais. Isto porque, esta unidade conta com quase 20 mil euros desta lista. É o caso de acabamento galvanizado dos comandos (178€), luzes adaptativas LED (910€), assistente de condução (951€), sistema de som surround Harman/Kardon (951€), conectividade com carregamento wireless (520€), controlo por gestos BMW (268€), Pack M Plus (6910€), assistente de estacionamento Plus (544€) e a pintura Bluestone metalizada (1140€).

Consumos

7/10

Consumos (7/10) No capítulo dos consumos, a BMW anuncia uma média de 1.4 l/100 km. Nos primeiros 100 quilómetros, com a bateria a 100%, foi possível realizar uma média de 2,2 l/100 km, um dado que demonstra a importância de ter um local onde carregar o carro. Quanto a bateria acaba, naturalmente, os números sobem para uma média a rondar os 7 l/100 km. Caso faça muitos percursos em cidade, o consumo ronda os 8,2 l/100 km. De referir ainda que a BMW anuncia uma autonomia elétrica de 53 km, mas durante o nosso ensaio ficámos pelos 46 km.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Começamos por falar da condução do 520e na cidade. Isto porque, este modelo está equipado com o novo sistema BMW eDriveZones, uma tecnologia que pretende tornar os híbridos plug-in mais “limpos” em ambiente urbano. No sistema de infotainment, no menu das Apps, vai encontrar esta funcionalidade onde poderá ver que cidades estão abrangidas. Em Portugal, para já, existem zonas delineadas nas cidades de Braga, Porto e Lisboa. Na capital, percebemos que este sistema funciona da melhor maneira porque assim que entramos na eDriveZone, o veículo desligou de forma automática o motor a combustão, ficando apenas em modo elétrico, caso a autonomia da bateria assim o permita.

Foi também em cidade que percebemos que o BMW 520e é um carro muito confortável, mesmo com jantes de 19 polegadas, com a suspensão a filtrar da melhor maneira todas as imperfeições da estrada. Ainda assim, isso não significa que não temos um carro dinâmico. Seguindo a filosofia da BMW, basta ativar o modo Sport para termos um carro pronto para andamentos mais elevados, mas de referir que as quase duas toneladas de peso são sentidas em trajetos com curvas mais fechadas. Em autoestrada é fácil manter os limites de velocidade e os ruídos aerodinâmicos são praticamente nulos.

Motor

8/10

Motor (8/10) O BMW 520e está equipado com o motor quatro cilindros de 2.0 litros a gasolina, acompanhado por um motor elétrico. No total, esta solução debita 204 cv e 350 Nm de binário, valor esse que permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em 7,9 segundos e atingir uma velocidade máxima de 225 km/h. Quantos os dois “trabalham” em conjunto, temos um carro bastante suave em acelerações. Apesar dos 1910 kg, quando procuramos explorar todos os 204 cv da motorização somos brindados com uma aceleração satisfatória, mas claramente inferior aos superiores 530e e 545e. Longe de ser um desportivo, nem o quer ser, tem como principal ponto forte ser uma motorização suave, silenciosa e mais eficiente do que o 530e.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) O BMW 520e é, sem dúvida, uma boa adição à gama do Série 5. Para quem pretende ter um híbrido plug-in, mas não quer tanta potência como o 530e ou 545e, este 520e “chega para as encomendas”. Com um preço base de 61 400€ é também o mais acessível da gama. Ainda assim, se pretende comprar um BMW Série 5 para fazer vários quilómetros em autoestrada, então o 520d, cujo preço começa nos 60 100€, continua a ser a alternativa mais eficiente.

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in (1 motor elétrico)

Cilindrada (cm3): 1998

Diâmetro x Curso (mm): 82 x 94,6

Taxa de Compressão: 11 a 1

Bateria (kWh): 12

Potência máxima (CV/rpm): 204/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 350/n.d.

Tração: traseira

Transmissão: Automática de 8 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): Independente Multibraços / independente multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,9

Velocidade máxima (km/h): 225

Consumos misto (l/100 km): 1,4

Autonomia elétrica: 53 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 31 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4963/1868/1483

Distância entre eixos (mm): 2975

Largura de vias (fr/tr mm): 1604/1631

Peso (kg): 1910

Capacidade da bagageira (l): 410

Deposito de combustível (l): 46

Pneus (fr/tr): 245/40 R19

 Preço da versão ensaiada: 80 648€

Preço da versão base: 61 400€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) O BMW Série 5 é, na nossa opinião, um dos modelos mais bem conseguidos da marca alemã ao nível de design exterior. Com linhas bem definidas e um ar agressivo, principalmente com o nível de equipamento M, o BMW 520e tem um ar imponente. De referir que este é talvez o modelo da marca com a grelha “duplo rim” mais elegante, grelha essa que é ladeada por dois faróis em LED. As jantes de 19 polegadas fazem parte do opcional “pack M Plus” e a pintura “Bluestone” tem um preço de 1140€.  

Interior

Interior (8/10) No habitáculo, o BMW 520e apresentou uma muito boa qualidade de construção e uma insonorização satisfatória que deixa todos os sons indesejados “lá fora”. Tudo isto acompanhado por materiais de boa qualidade, salvo alguns plásticos na consola central, com um design já reconhecido da marca alemã. De facto, o condutor tem à sua frente o volante multifunções de três braços e um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro surge um ecrã tátil onde são transmitidas as informações do sistema de infotainment da marca.

Tal como a BMW já nos tem habituado, o infotainment é de fácil utilização e tem um processamento veloz. Sendo o 520e um híbrido plug-in, existe um menu próprio relacionado com a motorização onde pode analisar vários parâmetros como tempos de carregamento ou battery control (permite definir a percentagem de bateria que queremos carregar com o motor a combustão).

Relativamente ao espaço, o BMW Série 5 consegue transportar quatro adultos com mais de 1,80 cm sem qualquer tipo de problema. O lugar do meio sai algo prejudicado devido ao túnel central pronunciado. Talvez o grande contra da variante híbrida plug-in seja a bagageira que, devido à inclusão da bateria, sai prejudicada e apresenta um total de 410 litros de capacidade.

Equipamento

Equipamento (7/10) O BMW 520e que tivemos em ensaio mostra que a marca alemã aposta forte nos opcionais. Isto porque, esta unidade conta com quase 20 mil euros desta lista. É o caso de acabamento galvanizado dos comandos (178€), luzes adaptativas LED (910€), assistente de condução (951€), sistema de som surround Harman/Kardon (951€), conectividade com carregamento wireless (520€), controlo por gestos BMW (268€), Pack M Plus (6910€), assistente de estacionamento Plus (544€) e a pintura Bluestone metalizada (1140€).

Consumos

Consumos (7/10) No capítulo dos consumos, a BMW anuncia uma média de 1.4 l/100 km. Nos primeiros 100 quilómetros, com a bateria a 100%, foi possível realizar uma média de 2,2 l/100 km, um dado que demonstra a importância de ter um local onde carregar o carro. Quanto a bateria acaba, naturalmente, os números sobem para uma média a rondar os 7 l/100 km. Caso faça muitos percursos em cidade, o consumo ronda os 8,2 l/100 km. De referir ainda que a BMW anuncia uma autonomia elétrica de 53 km, mas durante o nosso ensaio ficámos pelos 46 km.

Ao volante

Ao volante (8/10) Começamos por falar da condução do 520e na cidade. Isto porque, este modelo está equipado com o novo sistema BMW eDriveZones, uma tecnologia que pretende tornar os híbridos plug-in mais “limpos” em ambiente urbano. No sistema de infotainment, no menu das Apps, vai encontrar esta funcionalidade onde poderá ver que cidades estão abrangidas. Em Portugal, para já, existem zonas delineadas nas cidades de Braga, Porto e Lisboa. Na capital, percebemos que este sistema funciona da melhor maneira porque assim que entramos na eDriveZone, o veículo desligou de forma automática o motor a combustão, ficando apenas em modo elétrico, caso a autonomia da bateria assim o permita.

Foi também em cidade que percebemos que o BMW 520e é um carro muito confortável, mesmo com jantes de 19 polegadas, com a suspensão a filtrar da melhor maneira todas as imperfeições da estrada. Ainda assim, isso não significa que não temos um carro dinâmico. Seguindo a filosofia da BMW, basta ativar o modo Sport para termos um carro pronto para andamentos mais elevados, mas de referir que as quase duas toneladas de peso são sentidas em trajetos com curvas mais fechadas. Em autoestrada é fácil manter os limites de velocidade e os ruídos aerodinâmicos são praticamente nulos.

Motor

Motor (8/10) O BMW 520e está equipado com o motor quatro cilindros de 2.0 litros a gasolina, acompanhado por um motor elétrico. No total, esta solução debita 204 cv e 350 Nm de binário, valor esse que permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em 7,9 segundos e atingir uma velocidade máxima de 225 km/h. Quantos os dois “trabalham” em conjunto, temos um carro bastante suave em acelerações. Apesar dos 1910 kg, quando procuramos explorar todos os 204 cv da motorização somos brindados com uma aceleração satisfatória, mas claramente inferior aos superiores 530e e 545e. Longe de ser um desportivo, nem o quer ser, tem como principal ponto forte ser uma motorização suave, silenciosa e mais eficiente do que o 530e.

Balanço final

Balanço Final (8/10) O BMW 520e é, sem dúvida, uma boa adição à gama do Série 5. Para quem pretende ter um híbrido plug-in, mas não quer tanta potência como o 530e ou 545e, este 520e “chega para as encomendas”. Com um preço base de 61 400€ é também o mais acessível da gama. Ainda assim, se pretende comprar um BMW Série 5 para fazer vários quilómetros em autoestrada, então o 520d, cujo preço começa nos 60 100€, continua a ser a alternativa mais eficiente.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in (1 motor elétrico)

Cilindrada (cm3): 1998

Diâmetro x Curso (mm): 82 x 94,6

Taxa de Compressão: 11 a 1

Bateria (kWh): 12

Potência máxima (CV/rpm): 204/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 350/n.d.

Tração: traseira

Transmissão: Automática de 8 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): Independente Multibraços / independente multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,9

Velocidade máxima (km/h): 225

Consumos misto (l/100 km): 1,4

Autonomia elétrica: 53 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 31 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4963/1868/1483

Distância entre eixos (mm): 2975

Largura de vias (fr/tr mm): 1604/1631

Peso (kg): 1910

Capacidade da bagageira (l): 410

Deposito de combustível (l): 46

Pneus (fr/tr): 245/40 R19

 Preço da versão ensaiada: 80 648€

Preço da versão base: 61 400€

Preço da versão ensaiada (Euros): 80648€
Preço da versão base (Euros): 61400€