BMW X3 xDrive30d – Ensaio Teste

By on 2 Maio, 2018

BMW X3 xDrive30d

Texto: André Duarte ([email protected])

Respeito!

O X3 é um dos modelos muito queridos da BMW. Um SUV médio que conheceu a sua primeira geração em 2003 e que no último ano chegou ao seu ‘terceiro estado de maturação’. Fomos para a estrada com o poderoso bloco 3.0l diesel de 265 cv. O resultado? Conheça-o nas próximas linhas…

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Performance / Reposta do Motor / Comportamento Dinâmico / Requinte interior

 

 

Menos:

Extensa lista de opcionais

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Imponente quanto baste para marcar pelo porte sem ser excessivo. A linha ideal entre expressão e elegância. É este o primeiro impacto visual do BMW X3 xDrive30d que, no presente ensaio, surgia na versão Desportiva M (+7580€). Sinónimo de adornar um modelo com 4,71 m de comprimento, 1,89m de largura e 1,68m de altura de detalhes específicos muito sugestivos: luzes de nevoeiro LED; dianteira e traseira com pára-choques distintos e saias laterais específicas com acabamento na cor da carroçaria; barras tejadilho em alumínio Satinated; Jantes 19″ 245/50R19 bicolor em Cinza Ferric; Pneus Runflat; frisos exteriores Shadow Line BMW Individual; travões desportivos M; difusor em Dark Shadow metalizado na traseira; ponteiras de escape (uma de cada lado) em cromado;

Características que atribuem um cunho desportivo a um modelo que se apresenta com linhas fluidas e harmoniosas, que rapidamente cativam o olhar e nos fazem querer experimentar o seu interior.

Interior

Uma vez no interior este gera franco agrado. Sentimos que estamos numa proposta de luxo. Para mais, no caso da versão Desportiva M, do presente ensaio, com frisos em Aluminio Rhombicle com acabamento em cromado Pearl
 Luz, um gosto ao olhar, que apreciamos enquanto estamos devidamente instalados nos bancos dianteiros desportivos (com ajuste na largura do encosto, na posição longitudinal e inclinação do encosto e do assento).

O habitáculo é muito acolhedor, proporcionando-nos sensações premium a cada viagem. A consola central não é demasiado expressiva e tem espaço para colocarmos copos e também pousar carteira ou telemóvel. Também o apoio de braços entre o banco dianteiro é ótimo, fazendo descobrir um bom espaço de arrumação com ligação USB.

Os espaços de arrumação no habitáculo são generosos, fruto desta versão, Desportiva M, incluir o pack de arrumação. Este traduz-se por: um compartimento com tampa sob os bancos dianteiros; um compartimento para óculos no lado do condutor; redes de arrumação nos encostos dos bancos dianteiros; adaptador USB e uma tomada de 12 V na consola central traseira;

A sensação de espaço nos lugares traseiros é ainda maior. Um pormenor muito interessante é o X nas portas traseiras, juntos dos puxadores. Apenas o assento do lugar do meio traseiro, sendo espaçoso, é ligeiramente mais rijo que os demais.  Os bancos são rebatíveis na proporção 40:20:40. A bagageira é grande e estende os seus 550 l a 1600 l com os bancos rebatidos. A bagageira, devido ao pack arrumação, conta com uma correia de fixação e dois ganchos multiusos no lado direito e lado esquerdo; calhas de fixação no seu piso e quatro pontos de amarração ajustáveis; a pard e uma tomada de 12 V adicional.

Em termos de conectividade e infoentretenimento a versão ensaiada surgia com:

Sistema de navegação profissional 1894€ – (inclui controlo por voz; rádio BMW Professional com leitor de DVD; memória de 20 GB para ficheiros áudio; ecrã LCD a cores de 10,25″ com função de divisão do ecrã); Informação de trânsito em tempo real 134€; Serviços Concierge 210€; Serviços Remote 67€; Conectividade para aparelhos móveis, Bluetooth e USB com carregamento wireless 341€ – (carregamento sem fios; duas portas USB; Hotspot WiFi; por Bluetooth, podem ser ligados simultaneamente dois telemóveis e um leitor de áudio portátil; pack Comfort Telephony que inclui a função Office com Bluetooth com acesso a calendário, SMS e funções de e-mail para Smartphones compatíveis); Controlo por gestos BMW 211€; Serviços BMW ConnectedDrive – (informação local comum tal como informações meteorológicas e notícias e pesquisa online através do Google e práticas funções de escritório; informação de estacionamento e guias turísticos e guias de hotéis diretamente no veículo, sem que seja necessário utilizar um Smartphone);

Equipamento

Um dos pontos menos deste modelo é a extensa lista de equipamento, em grande parte, ‘obrigatória’, se quisermos ter um BMW X3 vestido com o rigor que o seu coração de 3.0l exige. Um exemplo é o caso da versão ensaiada. Termos que acrescentar mais de 25.000€ à fatura num modelo que custa 80.000€ é algo que em nada abona a seu favor.

Se optarmos pela linha Desportiva M (7580€), esta inclui: controlo dinâmico do amortecimento; jantes LL 19″ 245/50R19 bicolor em Cinza Ferric; Pneus Runflat; Travões desportivos M; Transmissão automática desportiva Steptronic; Performance Control; Direção desportiva variável; Barras tejadilho alumínio Satinated; Rede de separação na bagageira; Espelho retrovisor interior com função automática antiencandeamento; Bancos dianteiros desportivos; Pack de arrumação: Frisos interioes em Aluminio Rhombicle com acabamento em cromado Pearl; Luz ambiente interior: Ar condicionado automático; Luzes adaptativas LED; Luzes de nevoeiro em LED; Assistente das luzes de máximos; Assistente de Estacionamento PLUS; Volante desportivo M em pele; Frisos exteriores Shadow Line BMW Individual; Forro do teto antracite BMW Individual.

A par disso, temos quatro packs a considerar:

Pack Business (1470€):  sistema de navegação com um ecrã LCD a cores de 6,5″ integrado, rádio, leitor de MP3, leitor de CD e sintonizador duplo RDS; pack de espelhos interior e exterior.

Pack Business Plus (2090€): €):  sistema de navegação com um ecrã LCD a cores de 6,5″ integrado, rádio, leitor de MP3, leitor de CD e sintonizador duplo RDS; pack de espelhos interior e exterior; apoio lombar para bancos dianteiros; assistente de estacionamento.

Pack Serviços ConnectedDrive (360€): serviços de concierge; informação trânsito em tempo real; serviços ConnectedDrive; serviços remote;

Pack Travel (1810€): vidros com proteção solar; teto de abrir panorâmico; ajuste elétrico bancos traseiros;

Entre os opcionais, destaque para esta vasta oferta que equipava a versão ensaiada:

Alarme antirroubo 406€; Sistema de acesso Comfort 495€; Chave BMW com display 211€; Vidros com proteção acústica 130€; Teto de abrir elétrico panorâmico 1268€; Vidros com proteção solar 333€; Pack de espelhos interior e exterior 268€; Pack de fumadores 40€; Ajust. Elet. do Banco com memória para condutor 926€; Ajust. Elet. Bancos traseiros 130€; Apoio lombar para bancos dianteiros 211€; Painel de instrumentos em Sensatec 495€; Bancos dianteiros e traseiros aquecidos 626€; Pack Ambient Air 276€; Acabamento Galvanizado dos comandos 130€; Proteção ativa 300€; Assistente de condução Plus 1934€; Sistema de navegação profissional 1894€; BMW Head-Up Display 829€; Sistema de som Harman/Kardon 918€; Informação de trânsito em tempo real 134€; Serviços Concierge 210€; Serviços Remote 67€; Conectividade aparelhos móveis, Bluetooth e USB com carregamento wireless 341€; Controlo por gestos BMW 211€; Painel de instrumentos multifuncional 333€;

Consumos

Os consumos, em ritmos calmos e dentro da legalidade, utilizando o modo Eco Pro, cifram-se nos 8,1l. No entanto, se quisermos experimentar a sua verdadeira alma, no modo Sport, sobem para a casa dos 14/15l.

Ao volante

Há modelos em que tudo parece estar no sítio. É o caso do BMW X3 xDrive30d. Em estrada percebemos de imediato que todas as valências de performance da BMW estão lá. Temos um SUV com um desempenho à luz dos melhores irmãos… automóveis. E tal afirmação pode levantar dúvidas, deixamos os números: motor 6 cilindros diesel 3.0l a debitar 265 cv, 620 Nm de binário, tração integral e caixa automática steptronic de 8 velocidades. Não é de franzir o sobrolho?

Antes ainda de carregarmos no Start & Stop já estamos deliciados, fruto do luxuoso conforto com que o habitáculo nos prenda. O local do condutor é servido por um banco desportivo feito ‘à medida’ de todos os que o utilizarem e a posição rapidamente escolhida a nosso gosto, com o banco multiregulável (altura, longitudinalmente, enchimento das costas e extensão na zona dos joelhos).

Devidamente instalados, é altura de ver o que o BMW tem para dar. E tem muito.

Há disposição, para gerir os 265 cv de potência, temos quatro modos – Eco Pro; Comfort; Sport; Adaptive. Nos três primeiros casos há opção Standard e Individual. O Sport tem ainda uma opção extra – Plus. Momento em que temos todo o BMW X3 connosco. O painel de instrumentos muda de cor mediante o modo de condução escolhido  – sport (vermelho); adaptive (branco); Eco Pro (azul) – e é de muito boa leitura. O head-up display é também bem vindo.

Numa condução tranquila, no modo Eco Pro, o modelo tem uma ótima disponibilidade de potência, ainda que se não formos firmes no pedal do acelerador, o seu peso (1895 kg) faz-se sentir na resposta. Mas tudo muda de figura se continuarmos a conheçê-lo.

Rapidamente a curiosidade leva-nos a experimentar o Comfort. A suspensão desportiva M, num jus ao modo, absorve as irregularidades do piso ainda com maior cortesia. Um gosto. Percebemos que o conforto, sempre irrepreensível, sobe um patamar. Dá vontade de passar em mau piso só para sentirmos que somos superiores a ele… no X3.

Mas quando temos um modelo com 265 cv, 620 Nm de binário, tração integral e caixa automática steptronic de 8 velocidades, queremos senti-lo em pleno. Colocamos o modo Sport e… empalidecemos. É o resultado de experienciarmos como é que 1895 kg chegam dos 0 aos 100 km/h em módicos 5,8s.

O impressionante binário máximo de 620 Nm, disponível entre as 2000 e as 2500 rpm tem destas coisas. Ao pisarmos o acelerador a fundo ficamos colados ao banco, enquanto sentimos toda uma expressiva massa ser empurrada para a frente com a maior celeridade possível. Uma eficácia de tração que faz perceber a suspensão dianteira levantar subtilmente, assim como o rugir diesel entrar no habitáculo mostrando-nos tudo o que tem.

Após um início fulgurante, encarar curvas a que se chega muito depressa com a maior das facilidades, tendo em mãos um modelo com 4,70 metros de comprimento, 1,89 metros de largura e 1,67 metros de altura, é de muito respeito.

A eficácia da tração integral impressiona, colocando-nos ao asfalto e respondendo sempre a todas as solicitações, acompanhada por um excelente compromisso do binónimo chassis/suspensão desportiva M, que sustem devidamente o movimento de massas, e transmite a confiança necessária para querermos mais. Dá que pensar, “uooouuuu”. No fundo, se estivéssemos a falar de um irmão automóvel, ficaríamos extremamente agradados, mas já se esperariam mais naturalmente estas reações. Mas quando percebemos que uma marca replica fielmente as virtudes de performance num modelo de expressivas dimensões e fá-lo sem lascar em nada o seu ADN de performance, é… de Respeito! É essa a sensação que ficamos ao volante. Sentimos que o conjunto nos permite sempre algo mais.

A caixa automática steptronic de 8 velocidades é um mimo. Tendo patilhas alocadas ao volante desportivo M, permite-nos levar mais além a experiência que por vezes é alucinante, com passagens rápidas e que nunca castram a performance, antes ampliam-na.

Entre o modo Sport na versão Standard e Plus, na verdade, as diferenças para o comum mortal não são propriamente notórias, exigindo-se um olho clínico para tal e algum tempo de aventura ao volante. Porque, tendo um modelo com a referida carta de apresentação, falamos de fragmentos de performance que a condução em estrada aberta, no dia a dia, dificilmente permite perceber.

Os travões, de que sobressaem por entre as jantes as bonitas pinças M a azul, apresentam grandes discos ventilados à frente e atrás, mas por vezes fica a sensação que ainda precisaríamos de maior eficácia para lidar com este peso. A direção desportiva variável é também muito intuitiva e adapta-se bem aos vários modos e estilos de condução, desde a maior serenidade ao maior desportivismo.

Da estrada para a terra, o BMW X3 xDrive30d continua a deixar-nos rendidos. Rodando-se em pisos de terra com irregularidades na casa dos 100 km/h (o máximo experimentado no presente ensaio) sem qualquer tipo de problema. Nada se nota. Passamos como se o piso fosse perfeito e o fizéssemos a levitar. Findo o teste, o BMW X3 xDrive30d mostra-se de nota máxima.

Concorrentes

Neste caso há a considerar:

 

Audi Q5 Sport 3.0 TDI quattro tiptronic com 286 cv e caixa automática tiptronic de 8 velocidades por 84.328€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Jaguar F-Pace 30d AWD com 300 cv e caixa automática de 8 velocidades por 83.583€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mercedes GLC 350 d 4MATIC com 258 cv e caixa automática 9G-Tronic por 77.650€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volkswagen Touareg 3.0 TDI com 262 cv e caixa automática de 8 velocidades por 82.581€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Motor

O BMW X3 está disponível com motores a diesel e gasolina. No primeiro caso temos: 1.8l com 150 cv; 2.0l com 190 cv; 2.5l com 231 cv; 3.0l com 265 cv. Já a gasolina há disponíveis: 2.0l com 184 cv; 3.0l com 252 cv; 4.0l com 360 cv. Em todos os casos há quatro linhas de equipamento à escolha: Versão Advantage; Desportiva M; Line Luxury; xLine.

Balanço final

O BMW X3 xDrive30d é um gosto a todos os níveis. Do requinte estético ao prazer em estrada, tudo está devidamente pensado para que nada falte em viagem. Só mesmo o extenso leque de opcionais, que obriga a um investimento extra para alguns bens que não deveriam ser mordomias, causa desgosto. Tudo o resto é deixar os metros sucederem-se e sorrir. As viagens são um prazer garantido, a todos os que tenham o privilégio de com ele privar, sejam condutores ou passageiros.

Ficha técnica

Motor

Tipo – gasóleo, 6 cil. em linha, injeção direta, admissão variável, turbo de geometria variável, intercooler

Cilindrada (cm3) – 2993

Diâmetro x curso (mm) – 84,0 x 90,0

Taxa de compressão – 16,5:1

Potência máxima (cv/rpm) – 265/4000

Binário máximo (Nm/rpm) – 620/2000-2500

Transmissão e direcção – integral, transmissão automática desportiva steptronic de 8 velocidades; elétrica, pinhão cremalheira

Suspensão (fr/tr) – Multibraços com molas helicoidais à frente e atrás

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 5,8s

Velocidade máxima (km/h) – 240 km/h

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 5,3/6,3/5,7

Emissões de CO2 (g/km) – 149

Dimensões e pesos 

Comp./largura/altura (mm) –  4708/1891/1676

Distância entre eixos (mm) – 2864

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1620/1636

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos ventilados

Peso (kg) – 1895

Capacidade da bagageira (l) – 550 até 1600 (c/ bancos traseiros rebatidos)

Capacidade do depósito (l) – 68

Pneus (fr/tr) – 225/60 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 106856€
Preço da versão base (Euros): 80463€

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!