Cupra Leon e-Hybrid – Ensaio Teste

By on 14 Abril, 2021

Cupra Leon e-Hybrid – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Desportivo eficiente

Os nomes Cupra e Leon andam de mãos dadas há alguns anos. No entanto, esta é a primeira criação desde que a Cupra se tornou uma marca independente. Para marcar pela diferença, o desportivo espanhol surge associado a uma motorização híbrida plug-in denominada e-Hybrid, tal como acontece no Seat Leon, porém, diferencia-se ao apresentar-se com mais 41 cv e 50 Nm de binário. Ou seja, é um carro com características de desportivo, mas que conjuga a eficiência de uma motorização híbrida plug-in. Será esta a receita ideal para um desportivo completo?


Mais:

Visual, eficiência, dinâmica de condução

Menos:

som artificial excessivo, menos potente do que alguns dos rivais

Exterior

8/10

Exterior (8/10) No exterior o Cupra Leon é semelhante ao Seat Leon, mas com as devidas diferenças. Talvez a mais facilmente reconhecível é a incorporação do logo da marca espanhola em cor bronze, enquanto atrás, debaixo do logo, surge a nomenclatura Cupra. A unidade em ensaio estava ainda equipada com as jantes de 18 polegadas com um design irreverente e que beneficia a aerodinâmica. Um dos pontos menos positivos do exterior do Cupra Leon passe pela inclusão de saídas de escape falsas delineadas em cor bronze. Em suma, o Cupra Leon tem várias características idênticas ao “irmão” da Seat, mas é facilmente identificável pelo chamativo logo da marca.

Interior

8/10

Interior (8/10) Tal como no exterior, também o habitáculo é semelhante ao Seat, mas com mais detalhes diferenciadores. É o caso do volante desportivo opcional específico da Cupra que recebe dois comandos extra: selecionador do modo de condução e o botão para ligar o veículo. Para além disso, apresenta-se com os opcionais bancos desportivos em pele, que revelaram um bom apoio lateral durante o nosso ensaio, com o logo Cupra bordado nos apoios de cabeça. Tirando isso, mantém o painel de instrumentos digital personalizável, acompanhado por um ecrã central com o sistema de infotainment. De referir que ao nível de software ambos sofrem pequenas alterações, como é o caso da inclusão de medidor de forças G, que o diferenciam do Seat Leon.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) Ao nível de equipamento, o Cupra Leon tem um recheio de série satisfatório, contudo, tal como grande parte dos carros da marca espanhola, tem uma vasta lista de opcionais para que cada cliente possa personalizar o seu carro a gosto. No caso da unidade em questão temos a inclusão de opções como volante desportivo, jantes de 19 polegadas, pré-acidente, connectivity box (carregador por indução e amplificador de sinal móvel), cabo de carregamento MODO 3, câmara de visão traseira, park assist, sensores dianteiros e traseiros, tomada de 230 V na mala, saias laterais Cupra, teto de abrir elétrico e bancos desportivos em pele azul petróleo com regulação elétrica. Feitas as contas, são acrescentados mais de 7 mil euros ao preço base do veículo para um total de 48 471€.

Consumos

/10

Consumos (9/10) A Cupra anuncia um consumo combinado de 1,2 l/100 km. Durante o nosso ensaio, nos primeiros 100 km com o apoio dos 100 % da bateria, conseguimos uma média de 3,1 l/100 km. Em modo 100% elétrico é possível percorrer 45 km, um valor próximo dos 52 km anunciados pela Cupra. Com um “abuso” do pé direito no acelerador numa utilização mais desportiva, o valor subiu com facilidade para os 7,5 l/100 km. No entanto, este valor mais elevado conseguido a ritmo acelerado é, em alguns casos, inferior ao conseguido em outros desportivos do segmento numa utilização normal. Ou seja, os consumos são mesmo uma das maiores vantagens deste tipo de desportivo eletrificado.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Ao volante, o Cupra Leon provou que um desportivo também pode ser um bom companheiro no dia-a-dia. Com o silêncio de um modo 100% elétrico e uma suspensão adaptativa conseguimos uma tranquilidade e conforto satisfatórios no habitáculo. Por outro lado, recorrendo aos modos de condução, mais especificamente ao modo Cupra, temos um carro dinâmico. O chassis é muito competente e eficaz em trajetos mais sinuosos, transmitindo segurança e precisão a cada curva. Porém, é exatamente neste modo Cupra que encontramos um dos pontos menos positivos do Leon: o som artificial. Nos primeiros minutos o som que mais parece de um motor V8 ajuda a criar envolvência, mas ao fim de alguns quilómetros torna-se algo excessivo.

Motor

7/10

Motor (7/10) Debaixo do capot do Cupra Leon encontramos o motor 1.4 TSI associado a um propulsor elétrico que garantem uma potência combinada de 225 cv e 400 Nm de binário, ou seja, mais 41 cv e 50 Nm do que o Seat Leon. Com estes valores é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,7 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 225 km/h. Esta motorização tem uma resposta enérgica em baixos regimes, por vezes até em demasia ao gerar algumas quebras de tração. No entanto, quando a rotação começa a esgotar, sentimos a falta de um pouco mais de força por parte do motor a combustão. A motorização híbrida plug-in está associada a uma transmissão DSG de seis velocidades que se revelou ligeiramente mais focada na eficiência do que para a dinâmica. De um modo geral é uma solução competente, mas perde ligeiramente em potência e “pulmão” para alguns rivais a combustão pura.

Balanço Final

8/10

Balanço final (8/10) O Cupra Leon e-Hybrid combate num segmento em que o único rival  direto é o Volkswagen Golf GTE que utiliza exatamente a mesma motorização. Para além de ser eficaz dinamicamente, garante consumos contidos e bastante inferiores, pelo menos enquanto existe energia na bateria, face a alguns dos desportivos compactos convencionais e esse é um dos seus principais argumentos. Contudo, é também menos potente do que, por exemplo, Renault Megane R.S., Ford Focus ST ou Hyundai I30 N. Um dos pontos menos positivos é a impossibilidade de desligar o som artificial (quase parece um motor V8) que está bastante presente no modo Cupra e, depois de algum tempo de utilização percebemos que é excessivo. Se o objetivo é encontrar um carro que seja eficiente no dia-a-dia, mas que seja capaz de garantir uma condução divertida, por exemplo, numa estrada de montanha, o Cupra Leon é uma opção a ponderar. 

Concorrentes

Volkswagen Golf GTE – Motor: 1.4 TSI + sistema híbrido plug-in; potência: 245 cv; autonomia elétrica: 64 km; preço base: 41 532€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in

Cilindrada (cm3): 1395

Diâmetro x Curso (mm): 74,5 x 80

Taxa de Compressão: 10 a 1

Bateria (kWh): 13

Potência máxima (CV/rpm): 245/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 400/n.d.

Transmissão: DSG de 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 6,7

Velocidade máxima (km/h): 225

Consumos misto (l/100 km): 1,4

Autonomia elétrica: 52 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 30 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4398/1799/1467

Distância entre eixos (mm): 2682

Largura de vias (fr/tr mm): 1538/1508

Peso (kg): 1671

Capacidade da bagageira (l): 270

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 245/35 R19

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) No exterior o Cupra Leon é semelhante ao Seat Leon, mas com as devidas diferenças. Talvez a mais facilmente reconhecível é a incorporação do logo da marca espanhola em cor bronze, enquanto atrás, debaixo do logo, surge a nomenclatura Cupra. A unidade em ensaio estava ainda equipada com as jantes de 18 polegadas com um design irreverente e que beneficia a aerodinâmica. Um dos pontos menos positivos do exterior do Cupra Leon passe pela inclusão de saídas de escape falsas delineadas em cor bronze. Em suma, o Cupra Leon tem várias características idênticas ao “irmão” da Seat, mas é facilmente identificável pelo chamativo logo da marca.

Interior

Interior (8/10) Tal como no exterior, também o habitáculo é semelhante ao Seat, mas com mais detalhes diferenciadores. É o caso do volante desportivo opcional específico da Cupra que recebe dois comandos extra: selecionador do modo de condução e o botão para ligar o veículo. Para além disso, apresenta-se com os opcionais bancos desportivos em pele, que revelaram um bom apoio lateral durante o nosso ensaio, com o logo Cupra bordado nos apoios de cabeça. Tirando isso, mantém o painel de instrumentos digital personalizável, acompanhado por um ecrã central com o sistema de infotainment. De referir que ao nível de software ambos sofrem pequenas alterações, como é o caso da inclusão de medidor de forças G, que o diferenciam do Seat Leon.

Equipamento

Equipamento (8/10) Ao nível de equipamento, o Cupra Leon tem um recheio de série satisfatório, contudo, tal como grande parte dos carros da marca espanhola, tem uma vasta lista de opcionais para que cada cliente possa personalizar o seu carro a gosto. No caso da unidade em questão temos a inclusão de opções como volante desportivo, jantes de 19 polegadas, pré-acidente, connectivity box (carregador por indução e amplificador de sinal móvel), cabo de carregamento MODO 3, câmara de visão traseira, park assist, sensores dianteiros e traseiros, tomada de 230 V na mala, saias laterais Cupra, teto de abrir elétrico e bancos desportivos em pele azul petróleo com regulação elétrica. Feitas as contas, são acrescentados mais de 7 mil euros ao preço base do veículo para um total de 48 471€.

Consumos

Consumos (9/10) A Cupra anuncia um consumo combinado de 1,2 l/100 km. Durante o nosso ensaio, nos primeiros 100 km com o apoio dos 100 % da bateria, conseguimos uma média de 3,1 l/100 km. Em modo 100% elétrico é possível percorrer 45 km, um valor próximo dos 52 km anunciados pela Cupra. Com um “abuso” do pé direito no acelerador numa utilização mais desportiva, o valor subiu com facilidade para os 7,5 l/100 km. No entanto, este valor mais elevado conseguido a ritmo acelerado é, em alguns casos, inferior ao conseguido em outros desportivos do segmento numa utilização normal. Ou seja, os consumos são mesmo uma das maiores vantagens deste tipo de desportivo eletrificado.

Ao volante

Ao volante (8/10) Ao volante, o Cupra Leon provou que um desportivo também pode ser um bom companheiro no dia-a-dia. Com o silêncio de um modo 100% elétrico e uma suspensão adaptativa conseguimos uma tranquilidade e conforto satisfatórios no habitáculo. Por outro lado, recorrendo aos modos de condução, mais especificamente ao modo Cupra, temos um carro dinâmico. O chassis é muito competente e eficaz em trajetos mais sinuosos, transmitindo segurança e precisão a cada curva. Porém, é exatamente neste modo Cupra que encontramos um dos pontos menos positivos do Leon: o som artificial. Nos primeiros minutos o som que mais parece de um motor V8 ajuda a criar envolvência, mas ao fim de alguns quilómetros torna-se algo excessivo.

Concorrentes

Volkswagen Golf GTE – Motor: 1.4 TSI + sistema híbrido plug-in; potência: 245 cv; autonomia elétrica: 64 km; preço base: 41 532€

Motor

Motor (7/10) Debaixo do capot do Cupra Leon encontramos o motor 1.4 TSI associado a um propulsor elétrico que garantem uma potência combinada de 225 cv e 400 Nm de binário, ou seja, mais 41 cv e 50 Nm do que o Seat Leon. Com estes valores é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,7 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 225 km/h. Esta motorização tem uma resposta enérgica em baixos regimes, por vezes até em demasia ao gerar algumas quebras de tração. No entanto, quando a rotação começa a esgotar, sentimos a falta de um pouco mais de força por parte do motor a combustão. A motorização híbrida plug-in está associada a uma transmissão DSG de seis velocidades que se revelou ligeiramente mais focada na eficiência do que para a dinâmica. De um modo geral é uma solução competente, mas perde ligeiramente em potência e “pulmão” para alguns rivais a combustão pura.

Balanço final

Balanço final (8/10) O Cupra Leon e-Hybrid combate num segmento em que o único rival  direto é o Volkswagen Golf GTE que utiliza exatamente a mesma motorização. Para além de ser eficaz dinamicamente, garante consumos contidos e bastante inferiores, pelo menos enquanto existe energia na bateria, face a alguns dos desportivos compactos convencionais e esse é um dos seus principais argumentos. Contudo, é também menos potente do que, por exemplo, Renault Megane R.S., Ford Focus ST ou Hyundai I30 N. Um dos pontos menos positivos é a impossibilidade de desligar o som artificial (quase parece um motor V8) que está bastante presente no modo Cupra e, depois de algum tempo de utilização percebemos que é excessivo. Se o objetivo é encontrar um carro que seja eficiente no dia-a-dia, mas que seja capaz de garantir uma condução divertida, por exemplo, numa estrada de montanha, o Cupra Leon é uma opção a ponderar. 

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in

Cilindrada (cm3): 1395

Diâmetro x Curso (mm): 74,5 x 80

Taxa de Compressão: 10 a 1

Bateria (kWh): 13

Potência máxima (CV/rpm): 245/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 400/n.d.

Transmissão: DSG de 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 6,7

Velocidade máxima (km/h): 225

Consumos misto (l/100 km): 1,4

Autonomia elétrica: 52 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 30 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4398/1799/1467

Distância entre eixos (mm): 2682

Largura de vias (fr/tr mm): 1538/1508

Peso (kg): 1671

Capacidade da bagageira (l): 270

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 245/35 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 48471€
Preço da versão base (Euros): 41107€