Fiat 500 Cabrio La Prima – Ensaio Teste

By on 4 Maio, 2021

Fiat 500 Cabrio La Prima – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Estilo italiano com toque “eletrizante”

A Fiat decidiu lançar uma nova geração do mítico 500, mas desta vez em exclusivo com motorização elétrica. Apesar de manter o nome, o citadino mudou, e muito, face à anterior geração que se encontra à venda desde 2008. Conjugámos o verbo no presente porque, apesar do lançamento deste novo Fiat 500 elétrico, a variante hybrid da geração anterior continua em comercialização. Neste ensaio testámos a versão “La Prima”, uma edição exclusiva e limitada, com a carroçaria Cabrio. Já faz sentido ter um Fiat 500 100% elétrico?


Mais:

Imagem icónica, evolução interior, comportamento, principalmente em cidade

Menos:

Espaço na segunda fila, preço

Exterior

9/10

Exterior (9/10) Começando pelo design, a Fiat decidiu manter as linhas pelas quais o 500 é conhecido. Com um aspeto moderno, mas ao mesmo tempo com características tradicionais do modelo, o novo 500 destaca-se pela manutenção dos faróis redondos e, por outro lado, abandona o logo Fiat na dianteira e passa a incorporar o “500”. Ao nível de dimensões, a nova plataforma e feita em exclusivo para carros elétricos e garante mais 6 cm de largura e comprimento e 4 cm de altura. Nesta versão Cabrio encontramos ainda uma capota de abertura elétrica que conta com uma personalização com o logo “Fiat”.

Interior

8/10

Interior (8/10) No interior, o Fiat 500 sofreu uma verdadeira revolução. Desde o abrir da porta encontramos um cuidado especial nos detalhes. Sentado no lugar do condutor, vemos um volante de dois braços muito bem conseguido. Mais à frente surge um painel de instrumentos digital de 7 polegadas que permite diferentes configurações com as mais distintas informações necessárias à condução. Ao centro do tablier, numa posição superior, surge um ecrã tátil com 10,25 polegadas, de série nesta versão La Prima, com os sistemas de conectividade Apple CarPlay e Android Auto. Face à anterior geração o sistema de infotainment está bem mais veloz, intuitivo e completo.

Nesta nova geração a Fiat decidiu abandonar a tradicional manete de velocidades, trocando por uma solução de botões que se encontram no tablier. A consola central é inexistente, mas isso não significa que se sinta uma escassez de espaço de arrumação. De facto, o tablier tem uma abertura para, por exemplo, o smartphone e, entre os dois bancos, surge um compartimento de arrumação de dimensões generosas.

Destaque ainda para uma posição de condução melhorada face ao antecessor, com o condutor a posicionar-se mais baixo e com o banco do condutor e volante a garantirem uma maior amplitude de movimentos. Ainda assim, um dos pontos menos positivos passa pela utilização, praticamente em todos os componentes, de plástico duro ao toque. Quanto a espaço, apesar de estar maior, os bancos de trás continuam a ser de difícil acesso e com pouco espaço para pernas. A mala chega aos 185 litros.

Equipamento

9/10

Equipamento (9/10) Relativamente a equipamento, esta versão La Prima está de tal maneira recheada, algo que se traduz num preço superior face às versões base, que a unidade em ensaio não tem um único opcional. De série encontramos Uconnect Link com Apple CarPlay e Android Auto, carregador sem fios para smartphones, ar condicionado automático, sensores de luz e chuva, apoio de braço dianteiro, câmara de estacionamento traseira, regulação mecânica dos bancos dianteiros, frisos cromados, faróis em LED, placa indicativa “Portugal 1 de 500”, jantes de 17 polegadas, cabos de carregamento Modo 2 e 3 e EasyWallbox. No que diz respeito a assistentes à condução encontramos reconhecimento de sinais de trânsito, sensor de deteção de fadiga, travagem automática de emergência, assistente inteligente de velocidade, monotorização de ângulos mortos, condução autónoma de Nível 2.

Consumos

/10

Consumos (8/10) No capítulo dos consumos, a Fiat anuncia 14,9 kWh/100 km, um valor que, por si só, já é bastante positivo quando comparado com, por exemplo, o Honda e. Contudo, durante o nosso ensaio percebemos que é um valor facilmente alcançável e, aliás, é até possível realizar valores inferiores a 14 kWh/100 km, um dado positivo que favorece a autonomia do veículo. Por falar em autonomia, de referir que a Fiat anuncia 320 km em ciclo combinado, um valor bastante superior face aos principais rivais Honda-e e Mini EQ Fortwo.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) O novo Fiat 500 pode gabar-se ter melhorado ainda mais as suas qualidades de citadino. Agora, os 118 cv e 220 Nm de binário instantâneos ajudam a fugir ao trânsito ao abrir do semáforo com relativa facilidade. Ainda assim, em ruas com mau piso os passageiros mais sensíveis podem sentir algum desconforto graças à suspensão firme, aliada a pneus de 17 polegadas com baixo perfil. Por outro lado, esta configuração favorece uma utilização mais dinâmica, sempre ajudada por uma agilidade notável.

Em autoestrada, o Fiat 500 mantém com relativa facilidade a velocidade máxima permitida, porém, tratando-se de um Cabrio, a insonorização não é tão boa como na versão fechada. Já em trajetos sinuosos, o novo Fiat 500 surpreende ao resistir à subviragem, mesmo quando se pisa o acelerador a meio da curva. De referir ainda que o adornar de carroçaria é minimo. No capítulo dinâmico só sentimos a falta de um pouco mais de peso da direção, um dado que, por outro lado, favorece a condução em cidade, o verdadeiro habitat do Fiat 500.

Motor

8/10

Motor (8/10) O Fiat 500 Cabrio “La Prima” está equipado com o motor elétrico mais potente da gama com 118 cv e 220 Nm de binário. Nesta versão, temos um citadino enérgico e capaz de responder a grande parte das exigências do dia-a-dia. Típico de carros elétricos é a resposta ao acelerador pronta, algo que favorece uma utilização em cidade. De um modo geral, é uma solução mais do que suficiente para quem procura um citadino “puro e duro”.

O condutor tem três modos de condução à escolha. Por defeito, encontramo-nos no modo Normal que deixa o Fiat 500 deslizar quase sem travagem regenerativa. Por outro lado, o modo Range atua com um novo nível de travagem regenerativa. De tal maneira que é possível, mediante alguma habituação, conduzir sem tocar no pedal do travão. Por fim, temos ainda o modo Shepa. Este deve ser maioritariamente utilizado quando os condutores estão “aflitos” com os valores de autonomia, visto que limita a velocidade máxima a 80 km/h e desliga coisas com o ar condicionado ou os bancos aquecidos.

Balanço Final

8/10

Balanço final (8/10) Em suma, a Fiat fez um bom trabalho com esta nova fórmula do 500. Apesar de ser 100% elétrico, os 320 km de autonomia anunciada dão alguma segurança aos condutores que estão agora a realizar a transição para carros elétricos. Os 118 cv são mais do que suficientes para os diferentes tipos de utilização e a suspensão firme “pisca o olhos” a quem procura um citadino dinâmico. Quando comparado com os rivais diretos o preço está, em grande parte dos casos, em linha, não nesta versão especial La Prima, mas sim nas variantes base que já podem ser configuradas no site da marca. Apesar da versão Hybrid ainda estar à venda, o novo Fiat 500 100% elétrico é, atualmente, a melhor versão do citadino.

Concorrentes

Smart EQ Fortwo Cabrio – Motor: elétrico; potência: 82 cv e 160 Nm de binário; peso: 1125 kg; autonomia: 130 km; consumo combinado: 17,8 kWh/100km; preço base: 26 395€

Honda e – Motor: elétrico; potência: 136 cv e 315 Nm de binário; peso: 1514 kg; autonomia: 222 km; consumo combinado: 18 kWh/100 km; preço base: 36 360€

Mini Cooper SE – Motor: elétrico; potência: 184 cv e 270 Nm de binário; peso: 1440 kg; autonomia: 234 km; consumo combinado: 15,2 kWh/100km; preço base: 34 750€

Renault Zoe Z.E. 40 R110 – Motor: elétrico; potência: 109 cv e 225 Nm de binário; peso: 1577 kg; autonomia: 300 km; consumo combinado: 17,2 kWh/100km; preço base: 32 740€

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 42 kWh (37,8 kWh de capacidade útil)

Potência máxima (CV/rpm): 118/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 220/nd

Tração: Dianteira

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados/ tambores 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 9

Velocidade máxima (km/h): 150

Autonomia anunciada (km): 320

Consumos misto (kWh/100 km): 14,9

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 3632/1683/1527

Distância entre eixos (mm): 2322

Peso (kg): 1440

Capacidade da bagageira (l): 185

Pneus (fr/tr): 205/45 R17

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (9/10) Começando pelo design, a Fiat decidiu manter as linhas pelas quais o 500 é conhecido. Com um aspeto moderno, mas ao mesmo tempo com características tradicionais do modelo, o novo 500 destaca-se pela manutenção dos faróis redondos e, por outro lado, abandona o logo Fiat na dianteira e passa a incorporar o “500”. Ao nível de dimensões, a nova plataforma e feita em exclusivo para carros elétricos e garante mais 6 cm de largura e comprimento e 4 cm de altura. Nesta versão Cabrio encontramos ainda uma capota de abertura elétrica que conta com uma personalização com o logo “Fiat”.

Interior

Interior (8/10) No interior, o Fiat 500 sofreu uma verdadeira revolução. Desde o abrir da porta encontramos um cuidado especial nos detalhes. Sentado no lugar do condutor, vemos um volante de dois braços muito bem conseguido. Mais à frente surge um painel de instrumentos digital de 7 polegadas que permite diferentes configurações com as mais distintas informações necessárias à condução. Ao centro do tablier, numa posição superior, surge um ecrã tátil com 10,25 polegadas, de série nesta versão La Prima, com os sistemas de conectividade Apple CarPlay e Android Auto. Face à anterior geração o sistema de infotainment está bem mais veloz, intuitivo e completo.

Nesta nova geração a Fiat decidiu abandonar a tradicional manete de velocidades, trocando por uma solução de botões que se encontram no tablier. A consola central é inexistente, mas isso não significa que se sinta uma escassez de espaço de arrumação. De facto, o tablier tem uma abertura para, por exemplo, o smartphone e, entre os dois bancos, surge um compartimento de arrumação de dimensões generosas.

Destaque ainda para uma posição de condução melhorada face ao antecessor, com o condutor a posicionar-se mais baixo e com o banco do condutor e volante a garantirem uma maior amplitude de movimentos. Ainda assim, um dos pontos menos positivos passa pela utilização, praticamente em todos os componentes, de plástico duro ao toque. Quanto a espaço, apesar de estar maior, os bancos de trás continuam a ser de difícil acesso e com pouco espaço para pernas. A mala chega aos 185 litros.

Equipamento

Equipamento (9/10) Relativamente a equipamento, esta versão La Prima está de tal maneira recheada, algo que se traduz num preço superior face às versões base, que a unidade em ensaio não tem um único opcional. De série encontramos Uconnect Link com Apple CarPlay e Android Auto, carregador sem fios para smartphones, ar condicionado automático, sensores de luz e chuva, apoio de braço dianteiro, câmara de estacionamento traseira, regulação mecânica dos bancos dianteiros, frisos cromados, faróis em LED, placa indicativa “Portugal 1 de 500”, jantes de 17 polegadas, cabos de carregamento Modo 2 e 3 e EasyWallbox. No que diz respeito a assistentes à condução encontramos reconhecimento de sinais de trânsito, sensor de deteção de fadiga, travagem automática de emergência, assistente inteligente de velocidade, monotorização de ângulos mortos, condução autónoma de Nível 2.

Consumos

Consumos (8/10) No capítulo dos consumos, a Fiat anuncia 14,9 kWh/100 km, um valor que, por si só, já é bastante positivo quando comparado com, por exemplo, o Honda e. Contudo, durante o nosso ensaio percebemos que é um valor facilmente alcançável e, aliás, é até possível realizar valores inferiores a 14 kWh/100 km, um dado positivo que favorece a autonomia do veículo. Por falar em autonomia, de referir que a Fiat anuncia 320 km em ciclo combinado, um valor bastante superior face aos principais rivais Honda-e e Mini EQ Fortwo.

Ao volante

Ao volante (8/10) O novo Fiat 500 pode gabar-se ter melhorado ainda mais as suas qualidades de citadino. Agora, os 118 cv e 220 Nm de binário instantâneos ajudam a fugir ao trânsito ao abrir do semáforo com relativa facilidade. Ainda assim, em ruas com mau piso os passageiros mais sensíveis podem sentir algum desconforto graças à suspensão firme, aliada a pneus de 17 polegadas com baixo perfil. Por outro lado, esta configuração favorece uma utilização mais dinâmica, sempre ajudada por uma agilidade notável.

Em autoestrada, o Fiat 500 mantém com relativa facilidade a velocidade máxima permitida, porém, tratando-se de um Cabrio, a insonorização não é tão boa como na versão fechada. Já em trajetos sinuosos, o novo Fiat 500 surpreende ao resistir à subviragem, mesmo quando se pisa o acelerador a meio da curva. De referir ainda que o adornar de carroçaria é minimo. No capítulo dinâmico só sentimos a falta de um pouco mais de peso da direção, um dado que, por outro lado, favorece a condução em cidade, o verdadeiro habitat do Fiat 500.

Concorrentes

Smart EQ Fortwo Cabrio – Motor: elétrico; potência: 82 cv e 160 Nm de binário; peso: 1125 kg; autonomia: 130 km; consumo combinado: 17,8 kWh/100km; preço base: 26 395€

Honda e – Motor: elétrico; potência: 136 cv e 315 Nm de binário; peso: 1514 kg; autonomia: 222 km; consumo combinado: 18 kWh/100 km; preço base: 36 360€

Mini Cooper SE – Motor: elétrico; potência: 184 cv e 270 Nm de binário; peso: 1440 kg; autonomia: 234 km; consumo combinado: 15,2 kWh/100km; preço base: 34 750€

Renault Zoe Z.E. 40 R110 – Motor: elétrico; potência: 109 cv e 225 Nm de binário; peso: 1577 kg; autonomia: 300 km; consumo combinado: 17,2 kWh/100km; preço base: 32 740€

Motor

Motor (8/10) O Fiat 500 Cabrio “La Prima” está equipado com o motor elétrico mais potente da gama com 118 cv e 220 Nm de binário. Nesta versão, temos um citadino enérgico e capaz de responder a grande parte das exigências do dia-a-dia. Típico de carros elétricos é a resposta ao acelerador pronta, algo que favorece uma utilização em cidade. De um modo geral, é uma solução mais do que suficiente para quem procura um citadino “puro e duro”.

O condutor tem três modos de condução à escolha. Por defeito, encontramo-nos no modo Normal que deixa o Fiat 500 deslizar quase sem travagem regenerativa. Por outro lado, o modo Range atua com um novo nível de travagem regenerativa. De tal maneira que é possível, mediante alguma habituação, conduzir sem tocar no pedal do travão. Por fim, temos ainda o modo Shepa. Este deve ser maioritariamente utilizado quando os condutores estão “aflitos” com os valores de autonomia, visto que limita a velocidade máxima a 80 km/h e desliga coisas com o ar condicionado ou os bancos aquecidos.

Balanço final

Balanço final (8/10) Em suma, a Fiat fez um bom trabalho com esta nova fórmula do 500. Apesar de ser 100% elétrico, os 320 km de autonomia anunciada dão alguma segurança aos condutores que estão agora a realizar a transição para carros elétricos. Os 118 cv são mais do que suficientes para os diferentes tipos de utilização e a suspensão firme “pisca o olhos” a quem procura um citadino dinâmico. Quando comparado com os rivais diretos o preço está, em grande parte dos casos, em linha, não nesta versão especial La Prima, mas sim nas variantes base que já podem ser configuradas no site da marca. Apesar da versão Hybrid ainda estar à venda, o novo Fiat 500 100% elétrico é, atualmente, a melhor versão do citadino.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 42 kWh (37,8 kWh de capacidade útil)

Potência máxima (CV/rpm): 118/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 220/nd

Tração: Dianteira

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados/ tambores 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 9

Velocidade máxima (km/h): 150

Autonomia anunciada (km): 320

Consumos misto (kWh/100 km): 14,9

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 3632/1683/1527

Distância entre eixos (mm): 2322

Peso (kg): 1440

Capacidade da bagageira (l): 185

Pneus (fr/tr): 205/45 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 37900€
Preço da versão base (Euros): 37900€