Hyundai Ioniq 5 – Ensaio Teste

By on 29 Novembro, 2021

Hyundai Ioniq 5 – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O início da nova geração de elétricos da Hyundai

A Hyundai decidiu criar uma nova submarca dedicada aos carros elétricos, a Ioniq, que tem no “5” o seu estreante. Este modelo começou a surpreender ainda sob a forma de um protótipo, o Concept 45, ao mostrar que a marca sul-coreana ia apostar um visual fora do comum ao conjugar linhas retro com características do presente. Neste ensaio testámos o Hyundai Ioniq 5 na versão de 218 cv e bateria de 73 kW que oferece 480 km de autonomia. Será este o melhor carro elétrico até 50 mil euros?


Mais:

Visual, autonomia, preço/oferta

Menos:

dinâmica

Exterior

8/10

Exterior (8/10) O Hyundai Ioniq 5 é um carro elétrico que se diferencia do restante mercado principalmente pelo seu design. De facto, o modelo sul-coreano dá nas vistas por onde passa graças a um visual extravagante que une características retro com todas as tecnologias utilizadas nos carros atuais. Com linhas direitas e um aspeto robusto, o crossover, construído com base na plataforma modular E-GMP, mede 4635 mm de comprimento, 1890 mm de largura e 1605 mm de altura, dimensões semelhantes aos Audi Q4 e-tron, Tesla Model Y ou Ford Mustang Mach-E. Destaque ainda para os faróis LED em forma de pixel, puxadores embutidos e proteções na parte inferior da carroçaria.

Interior

8/10

Interior (8/10) Graças aos 3 metros de distância entre eixos, um valor semelhante ao maior Santa Fe, o Hyundai Ioniq 5 tem uma habitabilidade bastante positiva. É possível transportar quatro adultos com conforto e todos eles com bastante espaço para pernas. O lugar “do meio” no banco traseiro só não é confortável devido a uma consola central que se prolonga em demasia para a traseira do veículo. O Hyundai Ioniq 5 conta ainda com vários espaços de arrumação no habitáculo com dimensões generosas, que se juntam aos 530 litros de volumetria da bagageira e aos 57 litros da “frunk”.

Quanto ao design, neste capítulo a Hyundai optou por uma filosofia minimalista. O condutor tem à sua frente a junção do painel de instrumentos e ecrã central numa só peça. O comando de caixa deixa de estar presente na consola central e adota a forma de uma manete, bem ao estilo da Mercedes ou do Volkswagen ID.3, atrás do volante. A construção aparenta ser de boa qualidade e a Hyundai optou por utilizar vários plásticos duros ao toque que se unem a outros macios. Para além disso, foram utilizados materiais reciclados na criação do interior. O volante, também novidade em modelos da marca sul-coreana, tem uma boa pega.

No que diz respeito a tecnologia, o Hyundai Ioniq 5 tem um sistema de infotainment com menus bem “arrumados” que podem ser comandados através de botões físicos que se encontram junto dos comandos do ar condicionado. Destaque ainda para o enorme head-up display que projeta as informações mais importantes à condução no para-brisas, algo que ajuda o condutor não tirar os olhos da estrada.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) O Hyundai Ioniq 5 em ensaio conta com o nível de equipamento Vanguard + Plug & Power e a bateria de 73 kW. Nesta solução os clientes vão encontrar de série a chave inteligente e botão de arranque, conectividade ao smartphone através de Apple CarPlay e Android Auto, head-up display de realidade aumentada de 44 polegadas, ecrã central tátil de 12,3 polegadas, jantes de 19 polegadas, funcionalidade V2L (carro pode ser carregado e também pode servir como carregador), carregamento wireless do smartphone, sistema de som Bose, painel de instrumentos de 12,3 polegadas, patilhas no volante de controlo da travagem regenerativa, luzes em LED, câmara traseira, travagem autónoma de emergência, manutenção de faixa de rodagem, acompanhamento à faixa de rodagem, alerta de fadiga do condutor, assistência à condução em autoestrada, bancos dianteiros elétricos, aquecidos e ventilados e bancos traseiros aquecidos.

Consumos

8/10

Consumos (8/10) Durante o nosso ensaio com o novo Hyundai Ioniq 5, percebemos que os valores de autonomia anunciados podem ser praticados. Isto porque, a um ritmo de condução normal em trajeto misto, conseguimos realizar uma média de 16,9 kWh/100 km, um valor equivalente ao anunciado pela marca, consumo esse que permite percorrer até 480 km. Caso queira explorar a aceleração instantânea do Ioniq 5, os consumos vão subir e, consequentemente, vão reduzir os valores de autonomia para perto dos 400 km, mediante o estilo de condução adotado. Seja como for, estes valores são bastante positivos e mostram que o Ioniq 5 é mais do que um elétrico para trajetos curtos, somente em cidade.

Quando chega a altura de carregar, o Ioniq 5 com a bateria de 72,6 kW permite carregamentos de até 220 kW em corrente contínua, ou seja, ultrarrápidos. Quando adota este tipo de solução, a bateria demora sensivelmente 18 minutos a ir dos 10% aos 80%. Num posto de carregamento rápido (50 kW) o tempo aumenta para sensivelmente uma hora (até 80% de carga), enquanto a 11 kW passa para 6 horas e 30 minutos. Se a sua única solução for a tomada doméstica, então vai ter de esperar mais de 31 horas, o que a torna numa solução pouco viável.

Ao Volante

7/10

Ao volante (7/10) O Hyundai Ioniq 5 mostrou-nos, desde os primeiros quilómetros, que não é, nem quer ser, um elétrico desportivo. É um facto que fazemos arranques rápidos, daí fazer 7,4 segundos dos 0 aos 100 km/h, mas as suas dimensões e as quase duas toneladas mostram que a dinâmica não é o seu ponto forte. Em trajetos mais sinuosos a transferência de massas é sentida. Se por um lado a dinâmica é um dos seus pontos menos positivos, o conforto numa utilização diária é exatamente o posto. De facto, a afinação de suspensão ligeiramente mais suave favorece o conforto, aspeto esse que é ainda melhorado pela boa insonorização e pelos bancos bem construídos. No para-arranca contamos com o apoio de uma funcionalidade, ativada através das patilhas da travagem regenerativa, que permite-nos conduzir somente com um pedal. Em autoestrada os sistemas de condução semi-autónoma estão bem calibrados e ajudam-nos a manter a trajetória.

Motor

8/10

Motor (8/10) O Hyundai Ioniq 5 está equipado com um motor elétrico instalado no eixo traseiro que debita 218 cv e 350 Nm de binário. Como é comum nos carros elétricos a aceleração é instantânea, uma características que ajuda a fugir ao trânsito com relativa facilidade, apesar do peso elevado. Uma das grandes novidades do Hyundai Ioniq 5 é a inclusão da funcionalidade V2L (Vehicle To Load). Para quem não sabe, isto significa que o seu Ioniq 5 tem a possibilidade de ser uma “Powerbank gigante”, visto que pode fornecer energia. Mediante a ligação através de um cabo, o Ioniq 5 pode carregar qualquer aparelho elétrico ou até carregar por breves instantes outro veículo elétrico.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) O “5” é uma boa estreia para a nova submarca Ioniq. Este destaca-se por um visual diferenciador, mas também por uma autonomia bastante positiva, principalmente quando percebemos que, através da campanha de financiamento da marca, pode ficar a menos de 50 mil euros. Pode não ser um carro para ir fazer uma estrada de montanha no fim de semana, mas é, sem dúvida, um “bom amigo” numa utilização diária.

Concorrentes

Audi Q4 40 e-tron – Motor: 1 motor elétrico instalado no eixo traseiro; Potência: 203 cv e 320 Nm; Bateria: 82 kWh (77 kWh capacidade útil); consumo combinado: 17,3 – 20 kWh/100 km Autonomia: 447 – 521 km; Preço base: 51 745€

Ford Mustang Mach-E – Motor: 1 motor elétrico instalado no eixo traseiro; Potência: 269 cv e 430 Nm; Bateria: 75,7 kWh (68 kWh capacidade útil); consumo combinado: 17,2 kWh/100 km Autonomia: 440 km; Preço base: 49 901€

Tesla Model Y Long Range – Motor: 2 motores elétricos, um por eixo; Potência: 350 cv; Bateria: 75 kWh capacidade útil; consumo combinado: 16,8 kWh/100 km Autonomia: 507 km; Preço base: 65 000€

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico;

Capacidade da bateria (kWh): 72,6

Potência máxima (CV/rpm): 218/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 350/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: Traseira

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ Multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,4

Velocidade máxima (km/h): 185 km/h

Autonomia: 481 km

Consumos misto (kWh/100 km): 16,8

Emissões CO2 (gr/km): 0

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4635/1890/1605

Distância entre eixos (mm): 3000

Peso (kg): 1985

Capacidade da bagageira (l): 530 + 57 (Frunk)

Pneus (fr/tr): 235/55 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 49 009€
Preço da versão base (Euros): 48 490€ (campanha Cetelem)

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) O Hyundai Ioniq 5 é um carro elétrico que se diferencia do restante mercado principalmente pelo seu design. De facto, o modelo sul-coreano dá nas vistas por onde passa graças a um visual extravagante que une características retro com todas as tecnologias utilizadas nos carros atuais. Com linhas direitas e um aspeto robusto, o crossover, construído com base na plataforma modular E-GMP, mede 4635 mm de comprimento, 1890 mm de largura e 1605 mm de altura, dimensões semelhantes aos Audi Q4 e-tron, Tesla Model Y ou Ford Mustang Mach-E. Destaque ainda para os faróis LED em forma de pixel, puxadores embutidos e proteções na parte inferior da carroçaria.

Interior

Interior (8/10) Graças aos 3 metros de distância entre eixos, um valor semelhante ao maior Santa Fe, o Hyundai Ioniq 5 tem uma habitabilidade bastante positiva. É possível transportar quatro adultos com conforto e todos eles com bastante espaço para pernas. O lugar “do meio” no banco traseiro só não é confortável devido a uma consola central que se prolonga em demasia para a traseira do veículo. O Hyundai Ioniq 5 conta ainda com vários espaços de arrumação no habitáculo com dimensões generosas, que se juntam aos 530 litros de volumetria da bagageira e aos 57 litros da “frunk”.

Quanto ao design, neste capítulo a Hyundai optou por uma filosofia minimalista. O condutor tem à sua frente a junção do painel de instrumentos e ecrã central numa só peça. O comando de caixa deixa de estar presente na consola central e adota a forma de uma manete, bem ao estilo da Mercedes ou do Volkswagen ID.3, atrás do volante. A construção aparenta ser de boa qualidade e a Hyundai optou por utilizar vários plásticos duros ao toque que se unem a outros macios. Para além disso, foram utilizados materiais reciclados na criação do interior. O volante, também novidade em modelos da marca sul-coreana, tem uma boa pega.

No que diz respeito a tecnologia, o Hyundai Ioniq 5 tem um sistema de infotainment com menus bem “arrumados” que podem ser comandados através de botões físicos que se encontram junto dos comandos do ar condicionado. Destaque ainda para o enorme head-up display que projeta as informações mais importantes à condução no para-brisas, algo que ajuda o condutor não tirar os olhos da estrada.

Equipamento

Equipamento (8/10) O Hyundai Ioniq 5 em ensaio conta com o nível de equipamento Vanguard + Plug & Power e a bateria de 73 kW. Nesta solução os clientes vão encontrar de série a chave inteligente e botão de arranque, conectividade ao smartphone através de Apple CarPlay e Android Auto, head-up display de realidade aumentada de 44 polegadas, ecrã central tátil de 12,3 polegadas, jantes de 19 polegadas, funcionalidade V2L (carro pode ser carregado e também pode servir como carregador), carregamento wireless do smartphone, sistema de som Bose, painel de instrumentos de 12,3 polegadas, patilhas no volante de controlo da travagem regenerativa, luzes em LED, câmara traseira, travagem autónoma de emergência, manutenção de faixa de rodagem, acompanhamento à faixa de rodagem, alerta de fadiga do condutor, assistência à condução em autoestrada, bancos dianteiros elétricos, aquecidos e ventilados e bancos traseiros aquecidos.

Consumos

Consumos (8/10) Durante o nosso ensaio com o novo Hyundai Ioniq 5, percebemos que os valores de autonomia anunciados podem ser praticados. Isto porque, a um ritmo de condução normal em trajeto misto, conseguimos realizar uma média de 16,9 kWh/100 km, um valor equivalente ao anunciado pela marca, consumo esse que permite percorrer até 480 km. Caso queira explorar a aceleração instantânea do Ioniq 5, os consumos vão subir e, consequentemente, vão reduzir os valores de autonomia para perto dos 400 km, mediante o estilo de condução adotado. Seja como for, estes valores são bastante positivos e mostram que o Ioniq 5 é mais do que um elétrico para trajetos curtos, somente em cidade.

Quando chega a altura de carregar, o Ioniq 5 com a bateria de 72,6 kW permite carregamentos de até 220 kW em corrente contínua, ou seja, ultrarrápidos. Quando adota este tipo de solução, a bateria demora sensivelmente 18 minutos a ir dos 10% aos 80%. Num posto de carregamento rápido (50 kW) o tempo aumenta para sensivelmente uma hora (até 80% de carga), enquanto a 11 kW passa para 6 horas e 30 minutos. Se a sua única solução for a tomada doméstica, então vai ter de esperar mais de 31 horas, o que a torna numa solução pouco viável.

Ao volante

Ao volante (7/10) O Hyundai Ioniq 5 mostrou-nos, desde os primeiros quilómetros, que não é, nem quer ser, um elétrico desportivo. É um facto que fazemos arranques rápidos, daí fazer 7,4 segundos dos 0 aos 100 km/h, mas as suas dimensões e as quase duas toneladas mostram que a dinâmica não é o seu ponto forte. Em trajetos mais sinuosos a transferência de massas é sentida. Se por um lado a dinâmica é um dos seus pontos menos positivos, o conforto numa utilização diária é exatamente o posto. De facto, a afinação de suspensão ligeiramente mais suave favorece o conforto, aspeto esse que é ainda melhorado pela boa insonorização e pelos bancos bem construídos. No para-arranca contamos com o apoio de uma funcionalidade, ativada através das patilhas da travagem regenerativa, que permite-nos conduzir somente com um pedal. Em autoestrada os sistemas de condução semi-autónoma estão bem calibrados e ajudam-nos a manter a trajetória.

Concorrentes

Audi Q4 40 e-tron – Motor: 1 motor elétrico instalado no eixo traseiro; Potência: 203 cv e 320 Nm; Bateria: 82 kWh (77 kWh capacidade útil); consumo combinado: 17,3 – 20 kWh/100 km Autonomia: 447 – 521 km; Preço base: 51 745€

Ford Mustang Mach-E – Motor: 1 motor elétrico instalado no eixo traseiro; Potência: 269 cv e 430 Nm; Bateria: 75,7 kWh (68 kWh capacidade útil); consumo combinado: 17,2 kWh/100 km Autonomia: 440 km; Preço base: 49 901€

Tesla Model Y Long Range – Motor: 2 motores elétricos, um por eixo; Potência: 350 cv; Bateria: 75 kWh capacidade útil; consumo combinado: 16,8 kWh/100 km Autonomia: 507 km; Preço base: 65 000€

Motor

Motor (8/10) O Hyundai Ioniq 5 está equipado com um motor elétrico instalado no eixo traseiro que debita 218 cv e 350 Nm de binário. Como é comum nos carros elétricos a aceleração é instantânea, uma características que ajuda a fugir ao trânsito com relativa facilidade, apesar do peso elevado. Uma das grandes novidades do Hyundai Ioniq 5 é a inclusão da funcionalidade V2L (Vehicle To Load). Para quem não sabe, isto significa que o seu Ioniq 5 tem a possibilidade de ser uma “Powerbank gigante”, visto que pode fornecer energia. Mediante a ligação através de um cabo, o Ioniq 5 pode carregar qualquer aparelho elétrico ou até carregar por breves instantes outro veículo elétrico.

Balanço final

Balanço Final (8/10) O “5” é uma boa estreia para a nova submarca Ioniq. Este destaca-se por um visual diferenciador, mas também por uma autonomia bastante positiva, principalmente quando percebemos que, através da campanha de financiamento da marca, pode ficar a menos de 50 mil euros. Pode não ser um carro para ir fazer uma estrada de montanha no fim de semana, mas é, sem dúvida, um “bom amigo” numa utilização diária.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico;

Capacidade da bateria (kWh): 72,6

Potência máxima (CV/rpm): 218/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 350/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: Traseira

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ Multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,4

Velocidade máxima (km/h): 185 km/h

Autonomia: 481 km

Consumos misto (kWh/100 km): 16,8

Emissões CO2 (gr/km): 0

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4635/1890/1605

Distância entre eixos (mm): 3000

Peso (kg): 1985

Capacidade da bagageira (l): 530 + 57 (Frunk)

Pneus (fr/tr): 235/55 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 49 009€
Preço da versão base (Euros): 48 490€ (campanha Cetelem)

Preço da versão ensaiada (Euros): 49009€
Preço da versão base (Euros): 48490€