Kia e-Niro 64kWh Tech – Ensaio Teste

By on 4 Novembro, 2022

Estilo sofisticado

A nova geração do Kia Niro recebeu um visual mais tecnológico e com um desenho mais sofisticado que até inclui algumas soluções destinadas a melhorar a autonomia máxima, bem como alguns dos equipamentos estreados na altura em que o EV6 chegou ao mercado. No entanto, no que diz respeito ao sistema elétrico, não houve grandes alterações. Afinal, não deve ser fácil evoluir aquela que ainda é uma das melhores e mais fiáveis soluções disponíveis no mercado.

Texto: André Mendes
[email protected]


Mais:

– Consumo e autonomia;
– Espaço disponível;
– Conforto;

Menos:

– Espaços de arrumação atrás;
– Poucos opcionais disponíveis;

Exterior

7/10

O desenho da carroçaria do novo Kia e-Niro é bem capaz de ser a maior novidade deste modelo. E tal como também acontece com outros modelos da marca e da sua congénere sul-coreana, a sua estética está num patamar de peculiaridade um pouco acima da média. É graças a ela que o Niro (e outros modelos) se conseguem destacar, ainda que o estilo destes novos modelos possa não agradar a todos, ainda que tenhamos de confessar que até gostámos bastante desta nova imagem, especialmente conforme os dias foram passando. Além disso, não deixa de ser interessante que, em termos de formato, é fácil perceber que se trata de um Niro. As linhas gerais são precisamente as mesmas e as proporções também, revelando que um dos principais problemas desta nova geração é o facto de a anterior já ser muito boa. Mas com esta nova opção até há a possibilidade de personalizar este mesmo estilo moderno, graças a faixa traseira lateral, que pode receber uma cor diferente do resto da carroçaria. E por se tratar da versão totalmente elétrica, a tampa da tomada destinada a carregar o sistema está instalada mesmo no centro da secção dianteira, com o objetivo de facilitar as ligações, especialmente nos postos de carregamento públicos e de também contribuir para a imagem mais sofisticada deste modelo e da interpretação mais moderna do “tiger nose”.

Interior

6/10

A bordo, também é fácil identificar algumas semelhanças entre esta nova opção e o e-Niro da geração anterior, ainda que no interior o grau de sofisticação pareça ser fornecido essencialmente pelos componentes que já foram estreados na altura em que o EV6 chegou ao mercado. Ou seja, no novo Niro também já encontramos o novo volante da marca com um formato mais estranho, o painel de instrumentos totalmente digital e de visual personalizável, o enorme monitor tátil no centro do tablier, que inclui diversas funções para nos ajudar a obter a melhor autonomia possível e também os comandos da ventilação, num painel que muda para os comandos do sistema de som com o simples toque de um botão. No centro da consola, entre os assentos, está o comando rotativo destinado à caixa de velocidades.

Para quem se senta atrás, também já estão disponíveis as tomadas USB-C nas costas dos assentos dianteiros e o maior destaque continua a ser o espaço disponível, mas ainda registamos a falta de espaços de arrumação mais generosos. Em contrapartida, a posição de condução continua a ser muito boa, o conforto é elevado e a experiência de utilização, de uma forma geral, é bastante positiva.

Na bagageira, os 475 litros de capacidade disponíveis contam agora com um melhor acabamento e nem tem de ficar reservado um espaço para os cabos, uma vez que esses, contam agora com um compartimento específico sob o capot, mais do que suficiente para tudo o que costuma andar à solta na mala. Ainda assim, há espaços de arrumação para pequenos objetos debaixo do piso e uma solução para a chapeleira que é apenas uma divisória simples e fácil de arrumar quando não estiver a ser utilizada.

Equipamento

5/10

Com a designação ‘Tech’, tal como na unidade ensaiada, o Kia e-Niro deixa apenas a pintura metalizada para a lista de opcionais, bem como os planos de manutenção disponíveis, uma vez que nesta versão já está incluído tudo aquilo que é possível integrar no Niro. Em falta, ficam alguns dos luxos que o Niro pode incluir noutros mercados, como o sistema de som da Harman Kardon, por exemplo, os assentos com regulação elétrica, memórias, aquecimento e ventilação ou mesmo o simples sistema de segurança para crianças das portas traseiras, acessível através da porta do condutor. Que sejam equipamentos não disponíveis de série, é fácil de perceber, que não estejam disponíveis nem como opção, nem tanto.

Consumos

9/10

Segundo os dados divulgados pela marca, o Kia Niro elétrico consegue percorrer 455 quilómetros em ambiente urbano seguindo as rígidas normas WLTP, o que, sinceramente, até nos parece pouco otimista. Em contrapartida, algures perdida pela página da marca, há uma pequena linha que nos diz que o Kia e-Niro tem até 604 quilómetros de autonomia e apesar de não nos ser explicado em que condições é obtido este número, depois do nosso ensaio somos genuinamente levados a acreditar que este modelo é bem capaz de ficar mais perto deste valor se tivermos o cuidado necessário na condução se quisermos encontrar a máxima autonomia do sistema. Ao longo dos dias em que andámos com o novo Niro, foi frequente percorrer mais quilómetros do que os que iam desaparecendo no valor da autonomia disponível com a carga existente na bateria. E em vez dos 16,2 kWh que a marca anuncia em termos de consumo, até conseguimos um valor final de 13,6 kWh, o que é excelente num modelo que ainda pesa quase 1.700 quilos.

Ao Volante

7/10

A condução do novo Kia e-Niro, mais ou menos como o seu antecessor, está situada entre uma carrinha e um SUV, uma vez que a carroçaria tem uma altura ao solo em torno dos 15 centímetros e não faltam os pára-choques mais robustos e as proteções plásticas nas cavas das rodas. A posição ao volante oferece uma boa visibilidade e o nível de conforto é bastante elevado, mesmo quando a qualidade do piso não é das melhores. Na unidade ensaiada, as jantes de liga leve com 17 polegadas, mas com pneus de perfil 55 eliminam uma boa percentagem das irregularidades que vão surgindo, mas não é por essa razão que os movimentos da carroçaria passam para segundo plano. A eficácia da suspensão faz com que o Niro mantenha uma boa estabilidade numa estrada mais sinuosa, enquanto deixa este momento num patamar bastante interessante para quem gosta de conduzir.

Motor

7/10

O sistema do novo Kia e-Niro volta a incluir uma motorização de 204 cavalos, que passam inteiramente para as rodas do eixo dianteiro. Ainda que não soe a prestações fantásticas e a números dos que nos deixam com as costas coladas ao assento, estes parecem ser mais do que suficientes para as deslocações diárias do Niro, oferecendo um excelente patamar de eficiência e simplicidade na sua utilização. E com a ajuda dos quatro modos de condução disponíveis (Eco, Normal, Sport e Snow), ainda podemos escolher a forma como estes 204 cavalos nos são disponibilizados face às solicitações do pedal do lado direito. Também para dar uma ajuda na condução, o sistema inclui diversos patamares de regeneração de energia, selecionáveis através das hastes existentes atrás do volante, e que também incluem a função i-Pedal, que nos permite conduzir usando apenas o pedal do acelerador.

Balanço Final

7/10

O preço final acima dos 51 mil euros pode deixar algumas dúvidas no momento da escolha, pelo que é necessário referir a campanha que a marca ainda tem em vigor para este modelo e que consegue retirar 6.800 euros a este valor no caso de optar pela solução de crédito proposta pela Kia. Além disso, e como já deve saber, esta é também a marca que oferece sete anos de garantia ou 150 mil quilómetros em todos os seus modelos. O que poderá não saber é que, em opção, ainda é possível incluir a manutenção programada e até a manutenção integral já com alguns elementos de desgaste incluídos, por três, cinco, ou mesmo pelos mesmos sete anos da garantia. Com tudo isto, o novo Kia Niro torna-se num modelo ainda mais incrível, com diversos bons argumentos incluídos, que o tornam numa excelente opção para quem deseja começar a dar os primeiros passos no mundo dos automóveis 100% elétricos.

Concorrentes

Lexus UX 300e
Motor: Elétrico; 204 cavalos; Tração dianteira; Autonomia máxima: 315 km; Aceleração 0-100 km/h: 7,5 seg.; Consumo combinado: 16,8 kWh/100 km; Preço 53.500 €

Renault Mégane E-Tech Electric Iconic
Motor: Elétrico; 220 cavalos; Tração dianteira; Autonomia máxima: 454 km; Aceleração 0-100 km/h: 7,4 seg.; Consumo combinado: 16,1 kWh/100 km; Preço 46.850 €

Volkswagen ID.4 Pro Performance
Motor: Elétrico; 204 cavalos; Tração traseira; Autonomia máxima: 528 km; Aceleração 0-100 km/h: 8,5 seg.; Consumo combinado: 16,6 kWh/100 km; Preço 50.640 €

Volvo C40 Recharge
Motor: Elétrico; 231 cavalos; Tração dianteira; Autonomia máxima: 610 km; Aceleração 0-100 km/h: 7,4 seg.; Consumo combinado: 18 kWh/100 km; Preço 51.483 €

Ficha Técnica

Motor
Tipo: Elétrico
Potência máxima (CV/rpm): 204/n.d.
Binário máximo (Nm/rpm): 255/n.d.
Tração: Dianteira
Transmissão: Automática de relação única
Direção: Assistida eletricamente
Suspensão (ft/tr): McPherson / Multibraços
Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s): 7,8
Velocidade máxima (km/h): 167
Consumos misto (kWh/100 km): 16,2
Autonomia máxima – WLTP (km): 604

Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.420/1.825/1.570
Distância entre eixos (mm): 2.720
Largura de vias (fr/tr mm): 1.571/1.581
Peso (kg): 1.682
Capacidade da bagageira (l): 475
Pneus (fr/tr): 215/55 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 51.900
Preço da versão base (Euros): 51.450

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

O desenho da carroçaria do novo Kia e-Niro é bem capaz de ser a maior novidade deste modelo. E tal como também acontece com outros modelos da marca e da sua congénere sul-coreana, a sua estética está num patamar de peculiaridade um pouco acima da média. É graças a ela que o Niro (e outros modelos) se conseguem destacar, ainda que o estilo destes novos modelos possa não agradar a todos, ainda que tenhamos de confessar que até gostámos bastante desta nova imagem, especialmente conforme os dias foram passando. Além disso, não deixa de ser interessante que, em termos de formato, é fácil perceber que se trata de um Niro. As linhas gerais são precisamente as mesmas e as proporções também, revelando que um dos principais problemas desta nova geração é o facto de a anterior já ser muito boa. Mas com esta nova opção até há a possibilidade de personalizar este mesmo estilo moderno, graças a faixa traseira lateral, que pode receber uma cor diferente do resto da carroçaria. E por se tratar da versão totalmente elétrica, a tampa da tomada destinada a carregar o sistema está instalada mesmo no centro da secção dianteira, com o objetivo de facilitar as ligações, especialmente nos postos de carregamento públicos e de também contribuir para a imagem mais sofisticada deste modelo e da interpretação mais moderna do “tiger nose”.

Interior

A bordo, também é fácil identificar algumas semelhanças entre esta nova opção e o e-Niro da geração anterior, ainda que no interior o grau de sofisticação pareça ser fornecido essencialmente pelos componentes que já foram estreados na altura em que o EV6 chegou ao mercado. Ou seja, no novo Niro também já encontramos o novo volante da marca com um formato mais estranho, o painel de instrumentos totalmente digital e de visual personalizável, o enorme monitor tátil no centro do tablier, que inclui diversas funções para nos ajudar a obter a melhor autonomia possível e também os comandos da ventilação, num painel que muda para os comandos do sistema de som com o simples toque de um botão. No centro da consola, entre os assentos, está o comando rotativo destinado à caixa de velocidades.

Para quem se senta atrás, também já estão disponíveis as tomadas USB-C nas costas dos assentos dianteiros e o maior destaque continua a ser o espaço disponível, mas ainda registamos a falta de espaços de arrumação mais generosos. Em contrapartida, a posição de condução continua a ser muito boa, o conforto é elevado e a experiência de utilização, de uma forma geral, é bastante positiva.

Na bagageira, os 475 litros de capacidade disponíveis contam agora com um melhor acabamento e nem tem de ficar reservado um espaço para os cabos, uma vez que esses, contam agora com um compartimento específico sob o capot, mais do que suficiente para tudo o que costuma andar à solta na mala. Ainda assim, há espaços de arrumação para pequenos objetos debaixo do piso e uma solução para a chapeleira que é apenas uma divisória simples e fácil de arrumar quando não estiver a ser utilizada.

Equipamento

Com a designação ‘Tech’, tal como na unidade ensaiada, o Kia e-Niro deixa apenas a pintura metalizada para a lista de opcionais, bem como os planos de manutenção disponíveis, uma vez que nesta versão já está incluído tudo aquilo que é possível integrar no Niro. Em falta, ficam alguns dos luxos que o Niro pode incluir noutros mercados, como o sistema de som da Harman Kardon, por exemplo, os assentos com regulação elétrica, memórias, aquecimento e ventilação ou mesmo o simples sistema de segurança para crianças das portas traseiras, acessível através da porta do condutor. Que sejam equipamentos não disponíveis de série, é fácil de perceber, que não estejam disponíveis nem como opção, nem tanto.

Consumos

Segundo os dados divulgados pela marca, o Kia Niro elétrico consegue percorrer 455 quilómetros em ambiente urbano seguindo as rígidas normas WLTP, o que, sinceramente, até nos parece pouco otimista. Em contrapartida, algures perdida pela página da marca, há uma pequena linha que nos diz que o Kia e-Niro tem até 604 quilómetros de autonomia e apesar de não nos ser explicado em que condições é obtido este número, depois do nosso ensaio somos genuinamente levados a acreditar que este modelo é bem capaz de ficar mais perto deste valor se tivermos o cuidado necessário na condução se quisermos encontrar a máxima autonomia do sistema. Ao longo dos dias em que andámos com o novo Niro, foi frequente percorrer mais quilómetros do que os que iam desaparecendo no valor da autonomia disponível com a carga existente na bateria. E em vez dos 16,2 kWh que a marca anuncia em termos de consumo, até conseguimos um valor final de 13,6 kWh, o que é excelente num modelo que ainda pesa quase 1.700 quilos.

Ao volante

A condução do novo Kia e-Niro, mais ou menos como o seu antecessor, está situada entre uma carrinha e um SUV, uma vez que a carroçaria tem uma altura ao solo em torno dos 15 centímetros e não faltam os pára-choques mais robustos e as proteções plásticas nas cavas das rodas. A posição ao volante oferece uma boa visibilidade e o nível de conforto é bastante elevado, mesmo quando a qualidade do piso não é das melhores. Na unidade ensaiada, as jantes de liga leve com 17 polegadas, mas com pneus de perfil 55 eliminam uma boa percentagem das irregularidades que vão surgindo, mas não é por essa razão que os movimentos da carroçaria passam para segundo plano. A eficácia da suspensão faz com que o Niro mantenha uma boa estabilidade numa estrada mais sinuosa, enquanto deixa este momento num patamar bastante interessante para quem gosta de conduzir.

Concorrentes

Lexus UX 300e
Motor: Elétrico; 204 cavalos; Tração dianteira; Autonomia máxima: 315 km; Aceleração 0-100 km/h: 7,5 seg.; Consumo combinado: 16,8 kWh/100 km; Preço 53.500 €

Renault Mégane E-Tech Electric Iconic
Motor: Elétrico; 220 cavalos; Tração dianteira; Autonomia máxima: 454 km; Aceleração 0-100 km/h: 7,4 seg.; Consumo combinado: 16,1 kWh/100 km; Preço 46.850 €

Volkswagen ID.4 Pro Performance
Motor: Elétrico; 204 cavalos; Tração traseira; Autonomia máxima: 528 km; Aceleração 0-100 km/h: 8,5 seg.; Consumo combinado: 16,6 kWh/100 km; Preço 50.640 €

Volvo C40 Recharge
Motor: Elétrico; 231 cavalos; Tração dianteira; Autonomia máxima: 610 km; Aceleração 0-100 km/h: 7,4 seg.; Consumo combinado: 18 kWh/100 km; Preço 51.483 €

Motor

O sistema do novo Kia e-Niro volta a incluir uma motorização de 204 cavalos, que passam inteiramente para as rodas do eixo dianteiro. Ainda que não soe a prestações fantásticas e a números dos que nos deixam com as costas coladas ao assento, estes parecem ser mais do que suficientes para as deslocações diárias do Niro, oferecendo um excelente patamar de eficiência e simplicidade na sua utilização. E com a ajuda dos quatro modos de condução disponíveis (Eco, Normal, Sport e Snow), ainda podemos escolher a forma como estes 204 cavalos nos são disponibilizados face às solicitações do pedal do lado direito. Também para dar uma ajuda na condução, o sistema inclui diversos patamares de regeneração de energia, selecionáveis através das hastes existentes atrás do volante, e que também incluem a função i-Pedal, que nos permite conduzir usando apenas o pedal do acelerador.

Balanço final

O preço final acima dos 51 mil euros pode deixar algumas dúvidas no momento da escolha, pelo que é necessário referir a campanha que a marca ainda tem em vigor para este modelo e que consegue retirar 6.800 euros a este valor no caso de optar pela solução de crédito proposta pela Kia. Além disso, e como já deve saber, esta é também a marca que oferece sete anos de garantia ou 150 mil quilómetros em todos os seus modelos. O que poderá não saber é que, em opção, ainda é possível incluir a manutenção programada e até a manutenção integral já com alguns elementos de desgaste incluídos, por três, cinco, ou mesmo pelos mesmos sete anos da garantia. Com tudo isto, o novo Kia Niro torna-se num modelo ainda mais incrível, com diversos bons argumentos incluídos, que o tornam numa excelente opção para quem deseja começar a dar os primeiros passos no mundo dos automóveis 100% elétricos.

Ficha técnica

Motor
Tipo: Elétrico
Potência máxima (CV/rpm): 204/n.d.
Binário máximo (Nm/rpm): 255/n.d.
Tração: Dianteira
Transmissão: Automática de relação única
Direção: Assistida eletricamente
Suspensão (ft/tr): McPherson / Multibraços
Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s): 7,8
Velocidade máxima (km/h): 167
Consumos misto (kWh/100 km): 16,2
Autonomia máxima – WLTP (km): 604

Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.420/1.825/1.570
Distância entre eixos (mm): 2.720
Largura de vias (fr/tr mm): 1.571/1.581
Peso (kg): 1.682
Capacidade da bagageira (l): 475
Pneus (fr/tr): 215/55 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 51.900
Preço da versão base (Euros): 51.450

Preço da versão ensaiada (Euros): 51900€
Preço da versão base (Euros): 51450€