Lexus UX 300e – Ensaio Teste

By on 26 Junho, 2021

Lexus UX 300e – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O início da história 100% elétrica

A Lexus decidiu introduzir no mercado o seu primeiro 100% elétrico, o UX 300e, seguindo a tendência de eletrificação total que está cada vez mais enraizada na industria automóvel. Com 204 cv e 315 km de autonomia em circuito misto, é um SUV que pretende rivalizar com os novos Mercedes-Benz EQA, Volvo XC40 P8 Recharge e Audi Q4 e-tron pela liderança do segmento C-SUV premium elétrico. Tem o que é preciso?


Mais:

qualidade de construção e materiais; conforto; recheio de equipamento

Menos:

autonomia; consumo de energia; sistema de infotainment

Exterior

7/10

Exterior (7/10) No exterior, o Lexus UX 100% elétrico é em tudo semelhante às versões híbridas. Com linhas marcantes e típicas da marca nipónica, é um SUV com uma personalidade muito própria e distinta dos seus principais rivais. Para além da tradicional grelha dianteira de grandes dimensões e faróis em forma de seta, encontramos os dois farolins em LED interligados por uma barra de luz. Face às versões híbridas a principal diferença é a designação “Electric” na parte inferior das portas traseiras.  

Interior

7/10

Interior (7/10) Ao abrir a porta entramos, sem qualquer sombra de dúvidas, num habitáculo da Lexus. Com uma qualidade de construção e de materiais referenciais, sentimo-nos, efetivamente, num interior premium. O condutor tem à sua frente um painel de instrumentos que conjuga o analógico com o digital. O ecrã central, incorporado no tablier, transmite as informações do sistema de infotainment da marca que apresenta um visual não tão moderno e intuitivo como o dos rivais. Apesar de encontrarmos um touchpad na consola central, a sua utilização é algo complexa.

Tal como a Mercedes fez com o EQA, a Lexus também adaptou uma plataforma, neste caso a GA-C utilizada nas variantes a combustão do UX, contudo, este aproveitamento tem consequências no habitáculo. Em primeiro lugar, a inclusão das baterias no fundo do veículo obriga a que os passageiros da segunda fila fiquem com os joelhos ligeiramente mais elevados quando comparado com as variantes a combustão. Já a bagageira do Lexus UX 300e fica-se pelos 367 litros, um valor curto, mas superior aos praticados pelo EQA.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) Ao nível de equipamento, testámos a versão Luxury +, a topo de gama do Lexus UX 300e, ou seja, os clientes recebem “tudo a que têm direito”. Assim, encontramos de série coisas como jantes de 18 polegadas, faróis LED, lexus Safety System +, carregador wireless, bancos dianteiros aquecidos e ventilados, bancos traseiros em pele aquecidos, teto de abrir elétrico, sistema de navegação premium e ecrã central de 10,3 polegadas, sistema de som premium da Mark Levinson e porta da bagageira com abertura e fecho elétrico. Contudo, isto tem um preço. Esta unidade custa 64 850€, um valor elevado face aos 52 500€ de preço base.

Consumos

6/10

Consumos (6/10) No que diz respeito a consumos, a Lexus anuncia uma média de 16,8 kWh/100 km. Durante o nosso ensaio conseguimos atingir um valor de 17,6 kWh/100 km. Apesar do consumo de energia anunciado ser inferior ao do EQA, numa utilização real percebemos que no Lexus UX 300e é um carro mais “gastador” de energia. Enquanto no modelo alemão conseguimos fazer uma média inferior à anunciada com relativa facilidade, no Lexus, o mais leve dos dois, não foi possível. A bateria de 54,3 kWh garante uma autonomia anunciada de 315 km, contudo, é uma meta difícil de cumprir.

Ao Volante

7/10

Ao volante (8/10) Desde os primeiros quilómetros o Lexus UX 300e mostrou-se um carro suave e confortável mesmo em trajetos mais degradados. Numa utilização “normal” de dia-a-dia é um SUV agradável de conduzir, não só pelas várias mordomias como o aconchego dos bancos aquecidos no inverno ou pela ventilação nos dias quentes de verão, mas também por um bom trabalho de insonorização.

Em cidade, com a ajuda dos quatro níveis de intensidade da travagem regenerativa, controlados pelas patilhas no volante, é possível fazer uma condução quase só com o pedal do acelerador. De referir ainda que este sistema é um dos mais suaves do mercado de carros elétricos e, assim, não se perde demasiado ímpeto ao tirar o pé do acelerador. Neste ponto a Lexus beneficiou dos conhecimentos pré-adquiridos com os híbridos. Numa utilização mais dinâmica os mais 280 kg de peso comparativamente com a variante híbrida fazem-se sentir, contudo, o centro de gravidade mais baixo ajuda a atenuar o adornar de carroçaria.

Motor

8/10

Motor (8/10) O Lexus UX 300e está equipado com um motor elétrico instalado junto ao eixo dianteiro que debita 204 cv. Com estes argumentos é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h em 7,5 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada a 160 km/h. Esta motorização demonstrou, como é típico dos modelos elétricos, uma resposta enérgica ao acelerador, não só nos arranques como nas recuperações de velocidade. Face ao rival da Mercedes é também mais potente e praticamente 1,5 segundos mais veloz.

Balanço Final

7/10

Balaço Final (7/10) Em suma, o Lexus UX 300e tem uma missão espinhosa pela frente. Com o segmento C-SUV premium elétrico a ganhar cada vez mais concorrentes, é preciso marcar pela diferença. No modelo nipónico temos um exterior cheio de carácter e um habitáculo com uma qualidade de construção e de materiais assinalável. Porém, com os clientes de carros elétricos cada vez mais exigentes, os 315 km de autonomia podem começar a ser algo curtos.

Concorrentes

Mercedes-Benz EQA 250 – potência: 190 cv e 375 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 8,9 segundos; autonomia: 424 km; consumo misto: 17,9 kWh; preço base: 53 750€

Volvo XC40 P8 Recharge – Potência: 408 cv e 660 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 4,9 segundos; autonomia: 416 km; consumo misto: 24,1 kWh; preço base: 57 150€

Audi Q4 40 e-tron – Potência: 204 cv e 310 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 8,5 segundos; autonomia: 520 km; consumo misto: 17,3 – 19,3 kWh; preço base: 51 784€

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 54,3

Potência máxima (CV/rpm): 204/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 300/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: dianteira

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ paralelogramo deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,5

Velocidade máxima (km/h): 160

Autonomia anunciada (km): 305-315

Consumos misto (kWh/100 km): 16,8

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4495/1840/1545

Distância entre eixos (mm): 2640

Peso (kg): 1785-1840

Capacidade da bagageira (l): 367

Pneus (fr/tr): 225/50 R18

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (7/10) No exterior, o Lexus UX 100% elétrico é em tudo semelhante às versões híbridas. Com linhas marcantes e típicas da marca nipónica, é um SUV com uma personalidade muito própria e distinta dos seus principais rivais. Para além da tradicional grelha dianteira de grandes dimensões e faróis em forma de seta, encontramos os dois farolins em LED interligados por uma barra de luz. Face às versões híbridas a principal diferença é a designação “Electric” na parte inferior das portas traseiras.  

Interior

Interior (7/10) Ao abrir a porta entramos, sem qualquer sombra de dúvidas, num habitáculo da Lexus. Com uma qualidade de construção e de materiais referenciais, sentimo-nos, efetivamente, num interior premium. O condutor tem à sua frente um painel de instrumentos que conjuga o analógico com o digital. O ecrã central, incorporado no tablier, transmite as informações do sistema de infotainment da marca que apresenta um visual não tão moderno e intuitivo como o dos rivais. Apesar de encontrarmos um touchpad na consola central, a sua utilização é algo complexa.

Tal como a Mercedes fez com o EQA, a Lexus também adaptou uma plataforma, neste caso a GA-C utilizada nas variantes a combustão do UX, contudo, este aproveitamento tem consequências no habitáculo. Em primeiro lugar, a inclusão das baterias no fundo do veículo obriga a que os passageiros da segunda fila fiquem com os joelhos ligeiramente mais elevados quando comparado com as variantes a combustão. Já a bagageira do Lexus UX 300e fica-se pelos 367 litros, um valor curto, mas superior aos praticados pelo EQA.

Equipamento

Equipamento (8/10) Ao nível de equipamento, testámos a versão Luxury +, a topo de gama do Lexus UX 300e, ou seja, os clientes recebem “tudo a que têm direito”. Assim, encontramos de série coisas como jantes de 18 polegadas, faróis LED, lexus Safety System +, carregador wireless, bancos dianteiros aquecidos e ventilados, bancos traseiros em pele aquecidos, teto de abrir elétrico, sistema de navegação premium e ecrã central de 10,3 polegadas, sistema de som premium da Mark Levinson e porta da bagageira com abertura e fecho elétrico. Contudo, isto tem um preço. Esta unidade custa 64 850€, um valor elevado face aos 52 500€ de preço base.

Consumos

Consumos (6/10) No que diz respeito a consumos, a Lexus anuncia uma média de 16,8 kWh/100 km. Durante o nosso ensaio conseguimos atingir um valor de 17,6 kWh/100 km. Apesar do consumo de energia anunciado ser inferior ao do EQA, numa utilização real percebemos que no Lexus UX 300e é um carro mais “gastador” de energia. Enquanto no modelo alemão conseguimos fazer uma média inferior à anunciada com relativa facilidade, no Lexus, o mais leve dos dois, não foi possível. A bateria de 54,3 kWh garante uma autonomia anunciada de 315 km, contudo, é uma meta difícil de cumprir.

Ao volante

Ao volante (8/10) Desde os primeiros quilómetros o Lexus UX 300e mostrou-se um carro suave e confortável mesmo em trajetos mais degradados. Numa utilização “normal” de dia-a-dia é um SUV agradável de conduzir, não só pelas várias mordomias como o aconchego dos bancos aquecidos no inverno ou pela ventilação nos dias quentes de verão, mas também por um bom trabalho de insonorização.

Em cidade, com a ajuda dos quatro níveis de intensidade da travagem regenerativa, controlados pelas patilhas no volante, é possível fazer uma condução quase só com o pedal do acelerador. De referir ainda que este sistema é um dos mais suaves do mercado de carros elétricos e, assim, não se perde demasiado ímpeto ao tirar o pé do acelerador. Neste ponto a Lexus beneficiou dos conhecimentos pré-adquiridos com os híbridos. Numa utilização mais dinâmica os mais 280 kg de peso comparativamente com a variante híbrida fazem-se sentir, contudo, o centro de gravidade mais baixo ajuda a atenuar o adornar de carroçaria.

Concorrentes

Mercedes-Benz EQA 250 – potência: 190 cv e 375 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 8,9 segundos; autonomia: 424 km; consumo misto: 17,9 kWh; preço base: 53 750€

Volvo XC40 P8 Recharge – Potência: 408 cv e 660 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 4,9 segundos; autonomia: 416 km; consumo misto: 24,1 kWh; preço base: 57 150€

Audi Q4 40 e-tron – Potência: 204 cv e 310 Nm de binário; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 8,5 segundos; autonomia: 520 km; consumo misto: 17,3 – 19,3 kWh; preço base: 51 784€

Motor

Motor (8/10) O Lexus UX 300e está equipado com um motor elétrico instalado junto ao eixo dianteiro que debita 204 cv. Com estes argumentos é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h em 7,5 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada a 160 km/h. Esta motorização demonstrou, como é típico dos modelos elétricos, uma resposta enérgica ao acelerador, não só nos arranques como nas recuperações de velocidade. Face ao rival da Mercedes é também mais potente e praticamente 1,5 segundos mais veloz.

Balanço final

Balaço Final (7/10) Em suma, o Lexus UX 300e tem uma missão espinhosa pela frente. Com o segmento C-SUV premium elétrico a ganhar cada vez mais concorrentes, é preciso marcar pela diferença. No modelo nipónico temos um exterior cheio de carácter e um habitáculo com uma qualidade de construção e de materiais assinalável. Porém, com os clientes de carros elétricos cada vez mais exigentes, os 315 km de autonomia podem começar a ser algo curtos.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 54,3

Potência máxima (CV/rpm): 204/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 300/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: dianteira

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ paralelogramo deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,5

Velocidade máxima (km/h): 160

Autonomia anunciada (km): 305-315

Consumos misto (kWh/100 km): 16,8

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4495/1840/1545

Distância entre eixos (mm): 2640

Peso (kg): 1785-1840

Capacidade da bagageira (l): 367

Pneus (fr/tr): 225/50 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 64850€
Preço da versão base (Euros): 52500€