Mazda MX-30 Advantage – Ensaio Teste

By on 30 Novembro, 2021

Mazda MX-30 Advantage – Ensaio Teste

O MX-30 mais acessível

O Mazda MX-30, o primeiro elétrico da marca, está de regresso ao Automais, desta vez para conhecermos a edição especial “Advantage”. Para além de ter conteúdos e equipamento específicos, esta é a versão mais acessível do modelo elétrico nipónico. Será esta a melhor versão do Mazda MX-30?


Mais:

Design, equipamento de série, condução

Menos:

autonomia, acesso aos bancos traseiros

Exterior

8/10

Exterior (8/10) O Mazda MX-30 é um modelo que, mesmo depois de estar no mercado há sensivelmente um ano, continua a virar cabeças. De facto, a marca nipónica dotou o elétrico de um design que combina características reconhecidas da marca, a robustez e elegância. Mesmo nesta versão Advantage, o MX-30 está disponível com uma assinatura de luz em LED e jantes de 18 polegadas. As portas de trás de abertura invertida são diferentes e irreverentes, contudo, mostraram-nos que o seu mecanismo de abertura não é o mais prático, principalmente em espaços apertados.

Interior

6/10

Interior (6/10) No habitáculo, começamos por falar na habitabilidade. Voltando às portas traseiras, estas não facilitam o acesso ao banco traseiro. Todo o processo de ter de abrir sempre a porta do condutor e depois a traseira não é o mais prático. Já no seu interior, o espaço está em linha com os veículos deste segmento. De referir que é possível transportar dois adultos com relativa facilidade nos bancos traseiros.

Por outro lado, a qualidade de construção e materiais utilizados estão em linha com a qualidade reconhecida da Mazda, ou seja, é difícil encontrar defeitos. De mencionar que, nesta versão Advantage, os detalhes em cortiça dão uma personalização positiva. Tudo isto é acompanhado por um ecrã central instalado na parte superior do tablier, onde são transmitidas as informações do sistema de infotainment, sistema esse que pode ser comandado através de um comando rotativo instalado na consola central.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) Apesar do Mazda MX-30 Advantage ser uma edição limitada posicionada como a mais acessível da gama, a verdade é que o recheio de equipamento de série é bastante positivo. De destacar as jantes de 18 polegadas, luzes Adaptative LED, vidros traseiros escurecidos e retrovisores aquecidos, com recolhimento automático e memória. No interior conta ainda com bancos elétricos com memória e aquecidos. No capítulo da segurança, o MX-30 está, igualmente, bem recheado, com um extenso pacote de assistentes à condução.

Consumos

8/10

Consumos (8/10) Durante o nosso ensaio percebemos que o valor anunciado de consumo combinado do Mazda MX-30, 19 kWh/100 km, é bastante fácil de superar. De facto, realizámos uma média de 18 kWh/100 km em trajeto misto e, diga-se, sem andar a “pisar ovos”. Durante o nosso contacto o consumo mais baixo registado foi de 14,8 kWh/100 km, valor obtido a andar, maioritariamente, em estradas com limites de velocidade de 80 km/h. Só em autoestrada é que o valor de consumos é superior ao anunciado, na casa dos 22 kWh/100 km. Quando chega a altura de “abastecer”, o Mazda MX-30 pode ser carregado dos 20% aos 80% em 36 minutos num carregador DC a uma potência máxima de 125 A. Já num posto AC, até aos 6,6 kW, o tempo de espera aumenta para as três horas. O grande problema do Mazda MX-30 são os 200 km de autonomia que, tal como pode ver no capítulo dos “concorrentes”, são escassos comparados com os rivais. 

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Apesar de ser elétrico, o MX-30 tem “ADN Mazda” no que diz respeito à condução. De facto, é um SUV que nos transmite boas sensações ao volante, mostrando-nos que um carro elétrico não precisa de ser somente um meio de transporte para ir do ponto A ao ponto B. Destaque para uma direção bem calibrada, posição de condução típica dos SUV e uma suspensão bem trabalhada. Esta última filtra da melhor forma as saliências da estrada mas, por outro lado, ajuda a ter uma condução ágil e segura. De um modo geral, a condução do Mazda MX-30 é um dos seus pontos mais fortes.

Motor

7/10

Motor (7/10) O Mazda MX-30 está equipado com um motor elétrico, instalado no eixo dianteiro, que garante 145 cv e 271 Nm de binário. Longe de ser um desportivo, nem o quer ser, o SUV elétrico faz acelerações dos 0 aos 100 km/h em 9,7 segundos e pode chegar até uma velocidade máxima de 140 km/h. Como é expectável nos carros elétricos a aceleração é instantânea e suficiente para fugir ao trânsito da cidade.

Balanço Final

7/10

Balanço Final (7/10) Em suma, a Mazda conseguiu ter um primeiro carro elétrico irreverente e que marca por um design apelativo e robusto. As portas traseiras de abertura invertida acrescentam irreverência ao modelo, porém, não são práticas numa utilização diária. A autonomia de 200 km começa a ser escassa para os valores praticados atualmente por outras propostas semelhantes no mercado, ainda assim, este é um carro elétrico com uma dinâmica interessante e um recheio de equipamento satisfatório, sempre com o cunho da Mazda na qualidade, tanto em materiais como em construção.

Concorrentes

Peugeot e-2008 – Potência: 136 cv e 260 Nm; Autonomia: 345 km; Consumo combinado: 17,3 kWh/100km; Preço base: 32 870€

Opel Mokka-e – Potência: 136 cv e 260 Nm; Autonomia: 338 km; Consumo combinado: 17,4 kWh/100km; Preço base: 36 400€

DS 3 Crossback E-Tense – Potência: 136 cv e 260 Nm; Autonomia: 341 km; Consumo combinado: 17,3 kWh/100km; Preço base: 41 550€

Hyundai Kauai EV – Potência: 136 cv e 395 Nm; Autonomia: 305 km; Consumo combinado: 14,3 kWh/100km; Preço base: 33 005€

Dacia Spring – Potência: 45 cv e 125 Nm; Autonomia: 230 km; Consumo combinado: 13,9 kWh/100km; Preço base: 17 000€

BMW i3 – Potência: 170 cv e 250 Nm; Autonomia: 308 km; Consumo combinado: 15,3 kWh/100km; Preço base: 42 220€

Renault Zoe E-Tech 40 R110 – Potência: 109 cv e 225 Nm; Autonomia: 313 km; Consumo combinado: 17,2 kWh/100 km; preço base: 32 240€

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico;

Capacidade da bateria (kWh): 35,5

Potência máxima (CV/rpm): 145/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 271/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: Dianteira

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 9,7

Velocidade máxima (km/h): 140 km/h

Autonomia: 200 km

Consumos misto (kWh/100 km): 19,0

Emissões CO2 (gr/km): 0

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4395/1795/1555

Distância entre eixos (mm): 2655

Peso (kg): 1645

Capacidade da bagageira (l): 366

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 35 590€
Preço da versão base (Euros): 35 190€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) O Mazda MX-30 é um modelo que, mesmo depois de estar no mercado há sensivelmente um ano, continua a virar cabeças. De facto, a marca nipónica dotou o elétrico de um design que combina características reconhecidas da marca, a robustez e elegância. Mesmo nesta versão Advantage, o MX-30 está disponível com uma assinatura de luz em LED e jantes de 18 polegadas. As portas de trás de abertura invertida são diferentes e irreverentes, contudo, mostraram-nos que o seu mecanismo de abertura não é o mais prático, principalmente em espaços apertados.

Interior

Interior (6/10) No habitáculo, começamos por falar na habitabilidade. Voltando às portas traseiras, estas não facilitam o acesso ao banco traseiro. Todo o processo de ter de abrir sempre a porta do condutor e depois a traseira não é o mais prático. Já no seu interior, o espaço está em linha com os veículos deste segmento. De referir que é possível transportar dois adultos com relativa facilidade nos bancos traseiros.

Por outro lado, a qualidade de construção e materiais utilizados estão em linha com a qualidade reconhecida da Mazda, ou seja, é difícil encontrar defeitos. De mencionar que, nesta versão Advantage, os detalhes em cortiça dão uma personalização positiva. Tudo isto é acompanhado por um ecrã central instalado na parte superior do tablier, onde são transmitidas as informações do sistema de infotainment, sistema esse que pode ser comandado através de um comando rotativo instalado na consola central.

Equipamento

Equipamento (7/10) Apesar do Mazda MX-30 Advantage ser uma edição limitada posicionada como a mais acessível da gama, a verdade é que o recheio de equipamento de série é bastante positivo. De destacar as jantes de 18 polegadas, luzes Adaptative LED, vidros traseiros escurecidos e retrovisores aquecidos, com recolhimento automático e memória. No interior conta ainda com bancos elétricos com memória e aquecidos. No capítulo da segurança, o MX-30 está, igualmente, bem recheado, com um extenso pacote de assistentes à condução.

Consumos

Consumos (8/10) Durante o nosso ensaio percebemos que o valor anunciado de consumo combinado do Mazda MX-30, 19 kWh/100 km, é bastante fácil de superar. De facto, realizámos uma média de 18 kWh/100 km em trajeto misto e, diga-se, sem andar a “pisar ovos”. Durante o nosso contacto o consumo mais baixo registado foi de 14,8 kWh/100 km, valor obtido a andar, maioritariamente, em estradas com limites de velocidade de 80 km/h. Só em autoestrada é que o valor de consumos é superior ao anunciado, na casa dos 22 kWh/100 km. Quando chega a altura de “abastecer”, o Mazda MX-30 pode ser carregado dos 20% aos 80% em 36 minutos num carregador DC a uma potência máxima de 125 A. Já num posto AC, até aos 6,6 kW, o tempo de espera aumenta para as três horas. O grande problema do Mazda MX-30 são os 200 km de autonomia que, tal como pode ver no capítulo dos “concorrentes”, são escassos comparados com os rivais. 

Ao volante

Ao volante (8/10) Apesar de ser elétrico, o MX-30 tem “ADN Mazda” no que diz respeito à condução. De facto, é um SUV que nos transmite boas sensações ao volante, mostrando-nos que um carro elétrico não precisa de ser somente um meio de transporte para ir do ponto A ao ponto B. Destaque para uma direção bem calibrada, posição de condução típica dos SUV e uma suspensão bem trabalhada. Esta última filtra da melhor forma as saliências da estrada mas, por outro lado, ajuda a ter uma condução ágil e segura. De um modo geral, a condução do Mazda MX-30 é um dos seus pontos mais fortes.

Concorrentes

Peugeot e-2008 – Potência: 136 cv e 260 Nm; Autonomia: 345 km; Consumo combinado: 17,3 kWh/100km; Preço base: 32 870€

Opel Mokka-e – Potência: 136 cv e 260 Nm; Autonomia: 338 km; Consumo combinado: 17,4 kWh/100km; Preço base: 36 400€

DS 3 Crossback E-Tense – Potência: 136 cv e 260 Nm; Autonomia: 341 km; Consumo combinado: 17,3 kWh/100km; Preço base: 41 550€

Hyundai Kauai EV – Potência: 136 cv e 395 Nm; Autonomia: 305 km; Consumo combinado: 14,3 kWh/100km; Preço base: 33 005€

Dacia Spring – Potência: 45 cv e 125 Nm; Autonomia: 230 km; Consumo combinado: 13,9 kWh/100km; Preço base: 17 000€

BMW i3 – Potência: 170 cv e 250 Nm; Autonomia: 308 km; Consumo combinado: 15,3 kWh/100km; Preço base: 42 220€

Renault Zoe E-Tech 40 R110 – Potência: 109 cv e 225 Nm; Autonomia: 313 km; Consumo combinado: 17,2 kWh/100 km; preço base: 32 240€

Motor

Motor (7/10) O Mazda MX-30 está equipado com um motor elétrico, instalado no eixo dianteiro, que garante 145 cv e 271 Nm de binário. Longe de ser um desportivo, nem o quer ser, o SUV elétrico faz acelerações dos 0 aos 100 km/h em 9,7 segundos e pode chegar até uma velocidade máxima de 140 km/h. Como é expectável nos carros elétricos a aceleração é instantânea e suficiente para fugir ao trânsito da cidade.

Balanço final

Balanço Final (7/10) Em suma, a Mazda conseguiu ter um primeiro carro elétrico irreverente e que marca por um design apelativo e robusto. As portas traseiras de abertura invertida acrescentam irreverência ao modelo, porém, não são práticas numa utilização diária. A autonomia de 200 km começa a ser escassa para os valores praticados atualmente por outras propostas semelhantes no mercado, ainda assim, este é um carro elétrico com uma dinâmica interessante e um recheio de equipamento satisfatório, sempre com o cunho da Mazda na qualidade, tanto em materiais como em construção.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico;

Capacidade da bateria (kWh): 35,5

Potência máxima (CV/rpm): 145/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 271/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: Dianteira

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 9,7

Velocidade máxima (km/h): 140 km/h

Autonomia: 200 km

Consumos misto (kWh/100 km): 19,0

Emissões CO2 (gr/km): 0

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4395/1795/1555

Distância entre eixos (mm): 2655

Peso (kg): 1645

Capacidade da bagageira (l): 366

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 35 590€
Preço da versão base (Euros): 35 190€

Preço da versão ensaiada (Euros): 35590€
Preço da versão base (Euros): 35190€