Mini Cooper SE (2021) – Ensaio Teste

By on 28 Dezembro, 2021

Mini Cooper SE (2021) – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O utilitário elétrico mais divertido de conduzir

A Mini atualizou a gama este ano e, depois de termos conhecido a versão de topo, o John Cooper Works, chegou agora a vez de ensaiarmos a versão 100% elétrica, Cooper SE. Esta evolução ao nível de design e tecnologia mantém os argumentos já conhecidos do elétrico britânico. Apesar de ser um elétrico muito interessante para quem gosta de conduzir, o mesmo conta com uma autonomia ligeiramente superior a 200 km, mas inferior aos rivais de segmento.


Mais:

design, dinâmica

Menos:

autonomia, preço

Exterior

8/10

Exterior (8/10) A frase “em equipa que ganha, não se mexe” assenta que nem uma luva na filosofia de design da Mini. Com as linhas bem reconhecidas da marca britânica do Grupo BMW, esta atualização muda em pequenos detalhes com especial destaque para a secção dianteira que apresenta uma grelha ampliada com moldura em preto. O para-choques conta ainda com novas entradas de ar nas laterais, ao mesmo tempo que os faróis redondos continuam presentes. Uma das inovações desta atualização é o acabamento especial do tejadilho com uma espécie de “degradê” de cores. Esta versão elétrica diferencia-se das restantes através da inclusão da letra S em amarelo e o logo Mini Electric.

Interior

7/10

Interior (7/10) Assim que entramos no habitáculo rapidamente percebemos que versão estamos a conduzir. O volante apresenta o logo específico da versão, ao mesmo tempo que o manípulo do seletor de velocidades conta com detalhes em amarelo. Tal como já é reconhecido das versões de três portas, o espaço a bordo não é o melhor, principalmente na segunda fila de bancos. O acesso é algo complexo e os passageiros traseiros contam com pouco espaço para pernas. De referir que a versão elétrica apresenta uma volumetria de bagageira igual às versões a combustão, ou seja, 211 litros.

No capítulo da tecnologia, somos brindados com um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro surge um novo ecrã tátil de 8,8 polegadas com o mais recente sistema de infotainment da marca. Este mostrou ser fácil e rápido de utilizar e, para melhorar ainda mais a experiência, existe um comando rotativo de controlo do mesmo na consola central. Também positivo é a manutenção dos comandos físicos da climatização. A versão elétrica conta ainda com menus específicos relacionados com a motorização.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) De um modo geral, o Mini Cooper SE apresenta um bom recheio de equipamento. Ainda assim, a vasta lista de opcionais ajuda a tornar as unidades um pouco mais especiais. A unidade deste artigo conta com alguns, alguns deles que deveriam ser de série, como é o caso de kit de reparação de pneus (40,65€) ou Isofix (81€). Destaque ainda para vidros com proteção solar (244€), pack driver assistance (935€), Mini Electric Collection 2021 (2642€) e Pack Comfort (569€).

Consumos

6/10

Consumos (6/10) Com uma autonomia balizada entre os 226 km e 233 km, o Mini Cooper SE percorre distâncias substancialmente mais curtas do que alguns dos seus rivais com um único carregamento. Para além disso, é necessário ter atenção à pressão exercida ao pedal direito para que seja possível percorrer mais de 200 km. Apesar de ser um veículo divertido de conduzir, a verdade é que este valor de autonomia começa a ser algo curto para os valores praticados atualmente. Quanto chega a altura de carregar, o Mini Cooper SE permite carregamentos a 11 kW em corrente alternada (AC) e 50 kW em DC.

Ao Volante

9/10

Ao volante (9/10) O carácter dinâmico sempre foi um dos pontos fortes da Mini e, nesta versão 100% elétrica a filosofia mantém-se. Apesar de um peso superior às versões a combustão, o Cooper SE conta com um centro de gravidade baixo graças à bateria que, em conjunto com uma afinação de suspensão firme e uma direção bastante direta, garantem uma condução divertida. A agilidade está em grande plano e permite mudanças de direção velozes com adornar de carroçaria praticamente nulo.

Numa utilização diária a afinação mais firme pode não ser agradável para os condutores mais sensíveis. Em cidade o silêncio da motorização elétrica ajuda a tornar as longas viagens de para-arranca menos stressantes, enquanto a boa resposta ao acelerador permite fugir do trânsito ao abrir do semáforo.

Motor

8/10

Motor (8/10) Equipado com um motor elétrico com 184 cv e 270 Nm de binário, disponíveis de forma instantânea ao pisar do acelerador, o Mini Cooper SE é um elétrico veloz. A aceleração dos 0 aos 100 km/h é feita em 7,3 segundos, um valor muito interessante e melhor do que todos os rivais. Já a velocidade máxima é de 150 km/h, também aqui superior à concorrência.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) O Mini Cooper SE é um dos carros elétricos que nos deixa a pensar. Será que quero comprar um carro elétrico emotivo ou racional? Caso opte pela primeira opção, o Cooper SE é, sem dúvida, uma muito boa opção graças à sua condução divertida e os 184 cv. Caso opte por algo mais racional, então os pouco mais de 200 km de autonomia são curtos face aos rivais.

Concorrentes

Renault Zoe Z.E. 50 R135: 135 cv, 245 Nm; 0-100 km/h em 9,5 seg,; 140 km/h; autonomia de até 385 km ; 35 790 euros 

 

Opel Corsa-e: 136 cv, 260 Nm; 0-100 km/h em 8,1 seg,; 150 km/h; autonomia de até 337 km; 29 990 euros 

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico assíncrono

Capacidade da bateria (kWh):  28,9

Potência máxima (CV/rpm): 184/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 270/nd

Transmissão: automática de 1 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/independente multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,3

Velocidade máxima (km/h): 150

Consumos misto (kWh/100 km): 15,5

Emissões CO2 (gr/km): na 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 3845/1727/1432

Distância entre eixos (mm): 2495

Peso (kg): 1815

Capacidade da bagageira (l): 211

Pneus (fr/tr): 205/45 R17

Preço da versão base (Euros): 34 750€

Preço da versão Ensaiada (Euros): 41 894€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) A frase “em equipa que ganha, não se mexe” assenta que nem uma luva na filosofia de design da Mini. Com as linhas bem reconhecidas da marca britânica do Grupo BMW, esta atualização muda em pequenos detalhes com especial destaque para a secção dianteira que apresenta uma grelha ampliada com moldura em preto. O para-choques conta ainda com novas entradas de ar nas laterais, ao mesmo tempo que os faróis redondos continuam presentes. Uma das inovações desta atualização é o acabamento especial do tejadilho com uma espécie de “degradê” de cores. Esta versão elétrica diferencia-se das restantes através da inclusão da letra S em amarelo e o logo Mini Electric.

Interior

Interior (7/10) Assim que entramos no habitáculo rapidamente percebemos que versão estamos a conduzir. O volante apresenta o logo específico da versão, ao mesmo tempo que o manípulo do seletor de velocidades conta com detalhes em amarelo. Tal como já é reconhecido das versões de três portas, o espaço a bordo não é o melhor, principalmente na segunda fila de bancos. O acesso é algo complexo e os passageiros traseiros contam com pouco espaço para pernas. De referir que a versão elétrica apresenta uma volumetria de bagageira igual às versões a combustão, ou seja, 211 litros.

No capítulo da tecnologia, somos brindados com um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro surge um novo ecrã tátil de 8,8 polegadas com o mais recente sistema de infotainment da marca. Este mostrou ser fácil e rápido de utilizar e, para melhorar ainda mais a experiência, existe um comando rotativo de controlo do mesmo na consola central. Também positivo é a manutenção dos comandos físicos da climatização. A versão elétrica conta ainda com menus específicos relacionados com a motorização.

Equipamento

Equipamento (7/10) De um modo geral, o Mini Cooper SE apresenta um bom recheio de equipamento. Ainda assim, a vasta lista de opcionais ajuda a tornar as unidades um pouco mais especiais. A unidade deste artigo conta com alguns, alguns deles que deveriam ser de série, como é o caso de kit de reparação de pneus (40,65€) ou Isofix (81€). Destaque ainda para vidros com proteção solar (244€), pack driver assistance (935€), Mini Electric Collection 2021 (2642€) e Pack Comfort (569€).

Consumos

Consumos (6/10) Com uma autonomia balizada entre os 226 km e 233 km, o Mini Cooper SE percorre distâncias substancialmente mais curtas do que alguns dos seus rivais com um único carregamento. Para além disso, é necessário ter atenção à pressão exercida ao pedal direito para que seja possível percorrer mais de 200 km. Apesar de ser um veículo divertido de conduzir, a verdade é que este valor de autonomia começa a ser algo curto para os valores praticados atualmente. Quanto chega a altura de carregar, o Mini Cooper SE permite carregamentos a 11 kW em corrente alternada (AC) e 50 kW em DC.

Ao volante

Ao volante (9/10) O carácter dinâmico sempre foi um dos pontos fortes da Mini e, nesta versão 100% elétrica a filosofia mantém-se. Apesar de um peso superior às versões a combustão, o Cooper SE conta com um centro de gravidade baixo graças à bateria que, em conjunto com uma afinação de suspensão firme e uma direção bastante direta, garantem uma condução divertida. A agilidade está em grande plano e permite mudanças de direção velozes com adornar de carroçaria praticamente nulo.

Numa utilização diária a afinação mais firme pode não ser agradável para os condutores mais sensíveis. Em cidade o silêncio da motorização elétrica ajuda a tornar as longas viagens de para-arranca menos stressantes, enquanto a boa resposta ao acelerador permite fugir do trânsito ao abrir do semáforo.

Concorrentes

Renault Zoe Z.E. 50 R135: 135 cv, 245 Nm; 0-100 km/h em 9,5 seg,; 140 km/h; autonomia de até 385 km ; 35 790 euros 

 

Opel Corsa-e: 136 cv, 260 Nm; 0-100 km/h em 8,1 seg,; 150 km/h; autonomia de até 337 km; 29 990 euros 

Motor

Motor (8/10) Equipado com um motor elétrico com 184 cv e 270 Nm de binário, disponíveis de forma instantânea ao pisar do acelerador, o Mini Cooper SE é um elétrico veloz. A aceleração dos 0 aos 100 km/h é feita em 7,3 segundos, um valor muito interessante e melhor do que todos os rivais. Já a velocidade máxima é de 150 km/h, também aqui superior à concorrência.

Balanço final

Balanço Final (8/10) O Mini Cooper SE é um dos carros elétricos que nos deixa a pensar. Será que quero comprar um carro elétrico emotivo ou racional? Caso opte pela primeira opção, o Cooper SE é, sem dúvida, uma muito boa opção graças à sua condução divertida e os 184 cv. Caso opte por algo mais racional, então os pouco mais de 200 km de autonomia são curtos face aos rivais.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico assíncrono

Capacidade da bateria (kWh):  28,9

Potência máxima (CV/rpm): 184/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 270/nd

Transmissão: automática de 1 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/independente multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,3

Velocidade máxima (km/h): 150

Consumos misto (kWh/100 km): 15,5

Emissões CO2 (gr/km): na 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 3845/1727/1432

Distância entre eixos (mm): 2495

Peso (kg): 1815

Capacidade da bagageira (l): 211

Pneus (fr/tr): 205/45 R17

Preço da versão base (Euros): 34 750€

Preço da versão Ensaiada (Euros): 41 894€