Peugeot e-2008 – ensaio Teste

By on 9 Abril, 2021

Peugeot e-2008 – ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O leão elétrico

A nova geração do Peugeot 2008 está a ter uma grande adesão dos portugueses e é o principal impulsionador de vendas da marca gaulesa que é mais procurada em Portugal. Para além das variantes com motores a combustão convencional, surge pela primeira vez na história do modelo uma versão 100% elétrica denominada e-2008. O SUV mais pequeno da Peugeot está equipado com um motor elétrico de 136 cv, garante uma autonomia de 322 km e tem um preço base de 32 470. Argumentos suficientes para se tornar num dos elétricos mais procurados deste ano?


Mais:

Design apelativo; equipamento

Menos:

Podia ter uma aceleração mais enérgica; diferença de preço para as versões a combustão

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Lançado no ano passado, o novo Peugeot 2008 seguiu a linha de design do 208. Assim, estamos perante um SUV com uma imagem expressiva e agressiva, mais ainda na variante GT. Face às versões a combustão, o e-2008 diferencia-se através de inserções azuis no leão presente na grelha, a letra “e” nos pilares A e, claro, a entrada de carregamento. Tirando isso, é em tudo idêntico às demais versões.

Interior

Interior (8/10) No interior, esta versão 100% elétrica segue as mesmas pisadas das variantes a combustão. A posição de condução é típica da Peugeot com o pequeno volante numa posição mais baixa do que o habitual. Atrás o espaço é positivo mesmo tendo em conta que estamos perante o SUV mais pequeno da Peugeot, o suficiente para transportar dois adultos com conforto, embora o espaço para cabeça seja algo reduzido. A qualidade de construção no habitáculo é satisfatória e os materiais também, apesar de encontrarmos alguns plásticos duros ao toque, em linha com o que encontramos nos rivais. O Peugeot e-2008 conta ainda com uma boa insonorização que o torna um espaço agradável para se estar.

Relativamente a tecnologia, o condutor tem o futurista e-Cockpit 3D que transmite as informações numa forma tridimensional. Já o ecrã central orientado para o condutor, comanda grande parte dos sistemas do veículo. Face às variantes a combustão pura, o e-2008 recebe menus específicos relacionados com a bateria.

Equipamento

Equipamento (8/10) Nesta versão GT Line, o e-2008 oferece de série estofos em tecido (os em pele são opcionais), vidros elétricos, faróis e farolins LED, Peugeot Connect, i-Cockpit 3D e travagem autónoma de emergência, travão de mão elétrico e faróis de nevoeiro, Pacote GT e sensores de estacionamento à frente, entre outros mais. Para quem quiser um pouco mais de exclusividade, a Peugeot oferece uma lista de opcionais bastante completa com várias funcionalidades que o podem ajudar no dia-a-dia como é o caso do carregador de smartphone sem fios, assistência ao estacionamento ou Park Assist Plus. 

Consumos

Consumos (9/10) Ao nível de consumos de energia, a Peugeot anuncia uma média combinada de 17,5 kWh. Durante o nosso ensaio percebemos que este valor é alcançável numa utilização diária, aliás, foi relativamente fácil conseguir valores inferiores. Isto favorece e potencia ainda mais a autonomia anunciada de 322 km. Um bom trabalho por parte da Peugeot neste capítulo.

Ao volante

Ao volante (8/10) Ao volante, a ordem do dia é o silêncio, tal como seria de esperar. Face às versões a combustão não encontramos o ruído e vibrações do motor ou a necessidade de reduzir a relação de caixa para uma resposta mais enérgica do motor. O Peugeot e-2008 é um SUV elétrico fácil de conduzir com uma aceleração rápida, mas ao mesmo tempo suave e bem calibrada. Longe de ser um desportivo, nem o quer ser, tem capacidade suficiente para fugir ao trânsito na cidade ou manter uma velocidade constante em vias rápidas. Talvez um dos pontos menos positivos, um dado comum nos carros eletrificados, é a falta de consistência nos primeiros milímetros de pressão no pedal do travão, dificultando assim a suavidade da ação, principalmente nas travagens mais suaves.

Concorrentes

Hyundai Kauai EV – Motor: elétrico; potência: 136 cv; autonomia: 305 km; preço base: 33 005€

Kia e-Niro – Motor: elétrico; potência: 136 cv; autonomia: 289 km; preço base: 35 150€

Motor

Motor (8/10) O Peugeot e-2008 está equipado com um propulsor elétrico que debita 136 cv e 260 Nm de binário. Esta solução, idêntica à do e-208, é suficiente para uma utilização diária em ambiente citadino. Sendo um carro elétrico, as recuperações são feitas de forma bem mais espontânea do que nas variantes a combustão.

Balanço final

Balanço final (8/10) De um modo geral, o Peugeot e-2008 é uma boa opção para quem procura um carro elétrico com estilo, recheado de tecnologia e autonomia suficiente para deixar os condutores descansados. Com um preço base de 32 470€, está em linha com o valor praticado pela Hyundai no Kauai EV com motorização semelhante. No entanto, se quiser um pouco mais de equipamento e um visual mais exclusivo, a versão GT deste ensaio, pode contar com uma subida substancial no preço.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 50 kW

Potência máxima (CV/rpm): 136/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 260/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/ barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,1

Velocidade máxima (km/h): 150

Autonomia anunciada (km): 322

Consumos misto (kWh/100 km): 17,5

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4300/1770/1530

Distância entre eixos (mm): 2605

Peso (kg): 1623

Capacidade da bagageira (l): 405

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 36270€
Preço da versão base (Euros): 32470€