Tesla Model 3 Performance – Ensaio Teste

By on 27 Julho, 2021

Tesla Model 3 Performance – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Muito mais do que um simples carro elétrico

Se hoje todas as marcas estão a começar a ditar prazos de eletrificação total, o principal impulsionador desta tendência foi a Tesla. Marca 100% elétrica que ainda é a referência no que toca a elétricos, nasceu da ideia de um visionário chamado Elon Musk. A Tesla é sinónimo de popularidade e, mais do que fama, apresenta produtos verdadeiramente inovadores, recheados de tecnologia, com autonomias elevadas e acelerações vertiginosas. Tivemos a possibilidade de ensaiar o novo Tesla Model 3 Performance, aquela que é a versão topo de gama do modelo mais acessível da marca norte-americana. Os números falam por si: 3,3 segundos dos 0 aos 100 km/h e mais de 550 km de autonomia, tudo por um preço base inferior a 65 mil euros. Será este o melhor elétrico da atualidade?


Mais:

aceleração impressionante; autonomia; preço/oferta; tecnologia

Menos:

habitáculo minimalista pode não agradar a todos

Exterior

8/10

Exterior (8/10) Começando pelo exterior, o Tesla Model 3 Performance é facilmente reconhecido. De facto, a marca norte-americana conseguiu criar uma imagem muito própria e marcante. Com linhas simples, mas com foco na aerodinâmica, está equipada com puxadores embutidos. De referir que o pilar B serve para destrancar o veículo e, para o fazer, basta encostar um simples cartão que pode levar na carteira, que substitui a chave tradicional. Nesta versão Performance o Model 3 ganha ainda outros argumentos como é o caso de uma suspensão rebaixada, jantes de 20 polegadas de tom escuro e asa traseira em fibra de carbono.

Interior

9/10

Interior (9/10) Apesar do exterior ser marcante, é no interior que o Tesla Model 3 se destaca. Com um design simples e descomplicado, onde os botões físicos são quase inexistentes, temos ao centro um tablet de 15 polegadas onde se encontram todas as funções do veículo. De facto, é necessário perder uns bons minutos para percorrer os vários menus que compõem o ecrã central onde se encontram todas as informações de condução, climatização, navegação inteligente entre muitas outras coisas. Apesar de ser um infotainment extremamente complexo, mostrou-se intuitivo para quem vai ao volante e, após alguns dias, já sabemos onde estão todos os comandos necessários sem que seja preciso andar à procura.

Ao nível de entretenimento, os clientes podem contar com aplicações bastante adoradas pelo público em geral como é o caso de Spotify, Netflix ou Youtube, bem como, alguns jogos específicos do veículo. De referir que, tirando o Spotify, tudo o resto só pode ser utilizado quando o veículo está imobilizado. Para os mais puristas pode ser estranho olhar em frente e não ter o típico painel de instrumentos, informações essas que se encontram, igualmente, ao centro.

Se outrora a construção dos veículos da Tesla apresentava alguns defeitos, hoje a experiência começa a dar frutos. De facto, o Tesla model 3 Performance que tivemos em ensaio mostra um “salto” qualitativo neste capítulo, causando uma boa impressão, igualmente, nos materiais utilizados. Relativamente a espaço, há vários compartimentos de arrumação e todos os passageiros viajam em conforto, muito por culpa de uma plataforma dedicada a carros elétricos e não uma adaptação como acontece em outros modelos elétricos. O tejadilho em vidro panorâmico é um bónus que dá a sensação de claridade. De um modo geral, o habitáculo do Tesla Model 3 é um espaço agradável de se estar, não só pela simplicidade, mas também pelo conforto e recheio tecnológico extremamente apelativo.

Equipamento

9/10

Equipamento (9/10) O Tesla Model 3 Performance surge de série com jantes de 20 polegadas com pneus Pirelli P Zero, travões com pinças mais amplas e robustas face às versões base, asa traseira em carbono e o track mode. A unidade em ensaio conta ainda com o opcional Autopilot Aperfeiçoado (3800€) que acrescenta navegação em piloto automático, mudança de faixa automática e estacionamento automático. Destaque ainda para o já mencionado ecrã central de 15 polegadas, bancos dianteiros com ajuste elétrico, todos os bancos com aquecimento, sistema de som premium, conectividade premium (1 ano), luzes de nevoeiro LED, tejadilho panorâmico, consola central com 4 portas USB e carregamento sem fios para dois smartphones.

Consumos

8/10

Consumos (8/10) No capítulo dos consumos, a Tesla anuncia uma média de 16,6 kWh/100 km neste Tesla Model 3 Performance. Durante o nosso ensaio percebemos que é relativamente fácil atingir esta marca e, com o pé direito “levezinho” e trajetos favoráveis, podemos realizar uma média ainda inferior ao anunciado: 16,2 kWh/100 km. Ou seja, a este ritmo é possível percorrer mais do que os já agradáveis 567 km de autonomia. Caso queira explorar toda a aceleração dos 480 cv dos dois motores elétricos, então pode esperar consumos bem mais elevados e facilmente superiores a 22 kWh. 

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) O Tesla Model 3 Performance mostrou-nos que é bem mais do que um carro com aceleração impressionante em linha reta. Mesmo com 1844 kg de peso, é possível percorrer estradas sinuosas e desfrutar da condução. Podemos fazer-nos às curvas com confiança, apoiados na borracha dos pneus Pirelli P Zero, sempre com bom equilíbrio durante as passagens e, quando chega a altura de esmagar o acelerador, saímos com uma velocidade impressionante. O centro de gravidade mais baixo, devido às baterias, tem também um papel crucial na dinâmica. Saindo deste tipo de trajeto e fazendo-nos a uma autoestrada, temos um carro com um rolar muito interessante onde ficou demonstrado um bom trabalho de insonorização do habitáculo. Já em estradas mais degradadas, a afinação de suspensão firme pode perturbar os mais sensíveis. Talvez um dos pontos menos positivos passe por uma posição de condução demasiado elevada e que pode não agradar a todo o tipo de condutor.

Motor

10/10

Motor (10/10) Um dos pontos fortes dos carros elétricos é a aceleração instantânea. Mais ainda quando se trata da versão topo de gama do Tesla Model 3. O Performance está equipado com dois motores elétricos que debitam uma potência combinada de 480 cv e 639 Nm de binário. Com estes números é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h em meros 3,3 segundos e atingir uma velocidade máxima de 261 km/h. Ao selecionarmos o modo “pista”, o Tesla vira um verdadeiro “foguete” e a aceleração deixa-nos colados ao banco durante alguns segundos onde apenas vemos a velocidade a subir de forma vertiginosa. Para os mais atrevidos existe ainda um modo drift que, tal como o nome indica, transfere a maioria da potência para as rodas traseiras permitindo realizar derrapagens.

Por outro lado, esta motorização pode ser “domesticada” ao selecionar o modo de aceleração “relaxado”. Assim, o sistema realiza uma subida de velocidade linear ao pisar do acelerador, sem grandes esticões, permitindo, tal como o nome indica, uma condução mais suave e relaxada.

Balanço Final

9/10

Balanço final (9/10) Em suma, o Tesla Model 3 Performance é um verdadeiro desportivo. Pode não ter a emotividade dos desportivos a combustão, mas oferece uma aceleração impressionante, mais de 500 km de autonomia, tecnologia de ponta e a irreverência de uma marca que veio “mexer” com a indústria automóvel. Apesar das marcas tradicionais começarem a “apertar o cerco” no mercado dos carros elétricos, ao dia de hoje o Tesla Model 3 é, na nossa opinião, o melhor carro elétrico do mercado.

Concorrentes

Ford Mustang Mach-E GT – potência: 487 cv e 860 Nm de binário; bateria: 98,7 kWh (88 kWh capacidade útil); autonomia: 500 km; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 3,7 segundos; preço base: n.d.

BMW i4 M50 – potência: 544 cv e 795 Nm de binário; bateria: 83,9 kWh (80,7 kWh capacidade útil); autonomia: 510 km; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 3,9 segundos; preço base: 71 820€

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 75

Potência máxima (CV/rpm): 480/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 639/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: integral

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente, braço duplo triangular/ Independente, multilink

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 3,3

Velocidade máxima (km/h): 261

Autonomia anunciada (km): 567

Consumos misto (kWh/100 km): 16,6

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4694/1849/1443

Distância entre eixos (mm): 2875

Peso (kg): 1844

Capacidade da bagageira (l): 425 + 117 (“frunk”)

Pneus (fr/tr): 235/35 R20

Preço da versão ensaiada (Euros): 69 775€
Preço da versão base (Euros): 64 990€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Começando pelo exterior, o Tesla Model 3 Performance é facilmente reconhecido. De facto, a marca norte-americana conseguiu criar uma imagem muito própria e marcante. Com linhas simples, mas com foco na aerodinâmica, está equipada com puxadores embutidos. De referir que o pilar B serve para destrancar o veículo e, para o fazer, basta encostar um simples cartão que pode levar na carteira, que substitui a chave tradicional. Nesta versão Performance o Model 3 ganha ainda outros argumentos como é o caso de uma suspensão rebaixada, jantes de 20 polegadas de tom escuro e asa traseira em fibra de carbono.

Interior

Interior (9/10) Apesar do exterior ser marcante, é no interior que o Tesla Model 3 se destaca. Com um design simples e descomplicado, onde os botões físicos são quase inexistentes, temos ao centro um tablet de 15 polegadas onde se encontram todas as funções do veículo. De facto, é necessário perder uns bons minutos para percorrer os vários menus que compõem o ecrã central onde se encontram todas as informações de condução, climatização, navegação inteligente entre muitas outras coisas. Apesar de ser um infotainment extremamente complexo, mostrou-se intuitivo para quem vai ao volante e, após alguns dias, já sabemos onde estão todos os comandos necessários sem que seja preciso andar à procura.

Ao nível de entretenimento, os clientes podem contar com aplicações bastante adoradas pelo público em geral como é o caso de Spotify, Netflix ou Youtube, bem como, alguns jogos específicos do veículo. De referir que, tirando o Spotify, tudo o resto só pode ser utilizado quando o veículo está imobilizado. Para os mais puristas pode ser estranho olhar em frente e não ter o típico painel de instrumentos, informações essas que se encontram, igualmente, ao centro.

Se outrora a construção dos veículos da Tesla apresentava alguns defeitos, hoje a experiência começa a dar frutos. De facto, o Tesla model 3 Performance que tivemos em ensaio mostra um “salto” qualitativo neste capítulo, causando uma boa impressão, igualmente, nos materiais utilizados. Relativamente a espaço, há vários compartimentos de arrumação e todos os passageiros viajam em conforto, muito por culpa de uma plataforma dedicada a carros elétricos e não uma adaptação como acontece em outros modelos elétricos. O tejadilho em vidro panorâmico é um bónus que dá a sensação de claridade. De um modo geral, o habitáculo do Tesla Model 3 é um espaço agradável de se estar, não só pela simplicidade, mas também pelo conforto e recheio tecnológico extremamente apelativo.

Equipamento

Equipamento (9/10) O Tesla Model 3 Performance surge de série com jantes de 20 polegadas com pneus Pirelli P Zero, travões com pinças mais amplas e robustas face às versões base, asa traseira em carbono e o track mode. A unidade em ensaio conta ainda com o opcional Autopilot Aperfeiçoado (3800€) que acrescenta navegação em piloto automático, mudança de faixa automática e estacionamento automático. Destaque ainda para o já mencionado ecrã central de 15 polegadas, bancos dianteiros com ajuste elétrico, todos os bancos com aquecimento, sistema de som premium, conectividade premium (1 ano), luzes de nevoeiro LED, tejadilho panorâmico, consola central com 4 portas USB e carregamento sem fios para dois smartphones.

Consumos

Consumos (8/10) No capítulo dos consumos, a Tesla anuncia uma média de 16,6 kWh/100 km neste Tesla Model 3 Performance. Durante o nosso ensaio percebemos que é relativamente fácil atingir esta marca e, com o pé direito “levezinho” e trajetos favoráveis, podemos realizar uma média ainda inferior ao anunciado: 16,2 kWh/100 km. Ou seja, a este ritmo é possível percorrer mais do que os já agradáveis 567 km de autonomia. Caso queira explorar toda a aceleração dos 480 cv dos dois motores elétricos, então pode esperar consumos bem mais elevados e facilmente superiores a 22 kWh. 

Ao volante

Ao volante (8/10) O Tesla Model 3 Performance mostrou-nos que é bem mais do que um carro com aceleração impressionante em linha reta. Mesmo com 1844 kg de peso, é possível percorrer estradas sinuosas e desfrutar da condução. Podemos fazer-nos às curvas com confiança, apoiados na borracha dos pneus Pirelli P Zero, sempre com bom equilíbrio durante as passagens e, quando chega a altura de esmagar o acelerador, saímos com uma velocidade impressionante. O centro de gravidade mais baixo, devido às baterias, tem também um papel crucial na dinâmica. Saindo deste tipo de trajeto e fazendo-nos a uma autoestrada, temos um carro com um rolar muito interessante onde ficou demonstrado um bom trabalho de insonorização do habitáculo. Já em estradas mais degradadas, a afinação de suspensão firme pode perturbar os mais sensíveis. Talvez um dos pontos menos positivos passe por uma posição de condução demasiado elevada e que pode não agradar a todo o tipo de condutor.

Concorrentes

Ford Mustang Mach-E GT – potência: 487 cv e 860 Nm de binário; bateria: 98,7 kWh (88 kWh capacidade útil); autonomia: 500 km; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 3,7 segundos; preço base: n.d.

BMW i4 M50 – potência: 544 cv e 795 Nm de binário; bateria: 83,9 kWh (80,7 kWh capacidade útil); autonomia: 510 km; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 3,9 segundos; preço base: 71 820€

Motor

Motor (10/10) Um dos pontos fortes dos carros elétricos é a aceleração instantânea. Mais ainda quando se trata da versão topo de gama do Tesla Model 3. O Performance está equipado com dois motores elétricos que debitam uma potência combinada de 480 cv e 639 Nm de binário. Com estes números é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h em meros 3,3 segundos e atingir uma velocidade máxima de 261 km/h. Ao selecionarmos o modo “pista”, o Tesla vira um verdadeiro “foguete” e a aceleração deixa-nos colados ao banco durante alguns segundos onde apenas vemos a velocidade a subir de forma vertiginosa. Para os mais atrevidos existe ainda um modo drift que, tal como o nome indica, transfere a maioria da potência para as rodas traseiras permitindo realizar derrapagens.

Por outro lado, esta motorização pode ser “domesticada” ao selecionar o modo de aceleração “relaxado”. Assim, o sistema realiza uma subida de velocidade linear ao pisar do acelerador, sem grandes esticões, permitindo, tal como o nome indica, uma condução mais suave e relaxada.

Balanço final

Balanço final (9/10) Em suma, o Tesla Model 3 Performance é um verdadeiro desportivo. Pode não ter a emotividade dos desportivos a combustão, mas oferece uma aceleração impressionante, mais de 500 km de autonomia, tecnologia de ponta e a irreverência de uma marca que veio “mexer” com a indústria automóvel. Apesar das marcas tradicionais começarem a “apertar o cerco” no mercado dos carros elétricos, ao dia de hoje o Tesla Model 3 é, na nossa opinião, o melhor carro elétrico do mercado.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico

Capacidade da bateria (kWh): 75

Potência máxima (CV/rpm): 480/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 639/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Tração: integral

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente, braço duplo triangular/ Independente, multilink

Travões (fr/tr): discos ventilados/ discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 3,3

Velocidade máxima (km/h): 261

Autonomia anunciada (km): 567

Consumos misto (kWh/100 km): 16,6

Emissões CO2 (gr/km): 0 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4694/1849/1443

Distância entre eixos (mm): 2875

Peso (kg): 1844

Capacidade da bagageira (l): 425 + 117 (“frunk”)

Pneus (fr/tr): 235/35 R20

Preço da versão ensaiada (Euros): 69 775€
Preço da versão base (Euros): 64 990€

Preço da versão ensaiada (Euros): 69775€
Preço da versão base (Euros): 64990€