Volvo XC40 P8 Recharge – Ensaio Teste

By on 24 Agosto, 2021

Volvo XC40 P8 Recharge – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O início dos 100% elétricos da Volvo

O Volvo XC40 P8 Recharge está de regresso ao Automais, depois de o termos conduzido durante a apresentação nacional. A Volvo decidiu entrar na era 100% elétrica com o seu SUV de menores dimensões, mas percebe-se porquê. Para além de, a par com o XC60, ser o modelo mais procurado da marca, é também a porta de acesso à gama SUV. Com 408 cv e mais de 400 km de autonomia o elétrico sueco tem o que é preciso para vingar num mercado em claro crescimento?


Mais:

Frunk, potência, aceleração, visual

Menos:

Ausência de botões físicos

Exterior

8/10

Exterior (8/10) O Volvo XC40 P8 Recharge é em tudo semelhante às restantes variantes a combustão, contudo, apresenta-se com algumas diferenças específicas para esta versão elétrica. Talvez a mais evidente aconteça na dianteira com o desaparecimento da tradicional grelha em detrimento de um painel da cor da carroçaria. Tirando isso mantém as linhas pelas quais o XC40 é conhecido e que, de acordo com a procura que tem tido, são apelativas.

Interior

8/10

Interior (8/10) Ao contrário do exterior, no habitáculo há alterações mais evidentes. A Volvo segue uma filosofia de simplificação do interior e, neste modelo 100% elétrico, não existe um simples botão de Start/Stop. Para iniciar marcha basta meter a alavanca de velocidades no D e, para parar, no P. Por outro lado, é ao nível da tecnologia que surgem as principais novidades. Em primeiro lugar, o painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas tem um novo layout focado na eletrificação.

Ao seu lado continuamos a ter um ecrã central de orientação vertical que apresenta as informações do mais recente sistema de infotainment da marca sueca construído em parceria com a Google. Ao contrário do que aconteceu na apresentação, onde todas as unidades tinham matrícula sueca, em que experimentámos e gostámos do funcionamento do novo sistema, durante o nosso ensaio não nos foi possível explorar todas as funcionalidades do mesmo por motivos alheios.

Quanto a espaço, é em tudo semelhante ao já conhecido XC40, ou seja, é possível transportar quatro passageiros sem problemas de maior. Um dos pontos positivos do Volvo XC40 P8 Recharge é o aparecimento de uma “frunk” com 31 litros, um bom complemento aos 414 litros da bagageira.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) A Volvo decidiu entrar na era elétrica com o topo de gama – numa segunda fase vai surgir uma variante com menos potência e mais acessível – e, por isso, o recheio de equipamento é bastante positivo. De série, o XC40 apresenta volante aquecido, keyless entry, limitador de velocidade, cruise control adaptativo, hill start assist, sensor de chuva, hill descendent assist, aviso de viaturas no ângulo morto, câmara 360 graus, sistema de ajuda ao estacionamento com sensores dianteiros e traseiros, bancos dianteiros aquecidos, portão da bagageira elétrico, faróis LED, ecrã central de 9 polegadas ou jantes de 19 polegadas. A unidade em ensaio, que conta com o nível “Twin-Pro” conta com alguns opcionais como é o caso da cor “Verde Sage” (1010€), Couro Antracite (1541€) e vidros traseiros escurecidos (384€).

Consumos

8/10

Consumos (8/10) Relativamente a consumos, a Volvo anuncia uma média de 23,8 a 25 kWh/100km. Durante o nosso ensaio foi percetível que é um valor fácil de conseguir e, nos primeiros 100 km ao volante do Volvo XC40 P8 Recharge, conseguimos realizar um consumo de 23,7 kWh/100km, ou seja, um ritmo que permite usufruir de mais de 400 km de autonomia do SUV elétrico. Caso queira explorar os 408 cv do P8 pode esperar um aumentar de valores e, consequentemente, uma diminuição da autonomia.  

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) O Volvo XC40 P8 Recharge mostra que os SUV elétricos conseguem dar o melhor de dois mundos. Por um lado, temos todas as capacidades de um SUV, ou seja, uma altura ao solo considerável que garante a versatilidade necessária para vários tipos de trajeto, mas por outro uma aceleração incrível que deixa todos os passageiros colados ao banco. Num trajeto citadino temos à nossa disposição um comando denominado “One pedal drive” que, após alguns quilómetros de habituação, permite que o condutor utilize apenas o acelerador. Este sistema é uma grande mais-valia, principalmente no para-arranca.

Os 400 km de autonomia declarada são suficientes para que os mais receosos com carros elétricos tenham à vontade para se fazerem a uma autoestrada. Para além disso, é possível manter os limites de velocidade impostos pela lei sem que os consumos disparem de forma abruta. Também a pensar nas pessoas mais ansiosas, a Volvo decidiu não apresentar no painel de instrumentos a autonomia em quilómetros, somente em percentagem, tal como a bateria do telemóvel. O valor só aparece quando o nível da bateria é inferior a 20%.

Motor

9/10

Motor (9/10) Basta olhar para a ficha técnica para percebermos que o Volvo XC40 P8 Recharge não é um elétrico qualquer. Com dois motores elétricos, um por eixo, garante uma potência combinada de 408 cv e 660 Nm de binário. Com estes valores, é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h nuns respeitáveis 4,9 segundos, enquanto a velocidade máxima é, tal como os mais recentes Volvo, limitada a 180 km/h. Esta motorização marca pela aceleração entusiasmante graças à entrega de binário instantânea e mais do que suficiente para deixar, inclusive, desportivos para trás ao abrir do semáforo. A motorização é talvez um dos pontos mais fortes do primeiro elétrico da marca sueca. Quando chega a altura de “abastecer”, o P8 aceita velocidades de carregamento de até 150 kW. Caso tenha possibilidade de o fazer, saiba que demora 40 minutos a ir dos 0 aos 80% de bateria.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) Em suma, o Volvo XC40 P8 Recharge é uma boa demonstração do que a marca sueca consegue fazer na era 100% elétrica. Com 408 cv e sensivelmente 400 quilómetros de autonomia, não é referência, mas é ajustado quando comparado com os principais rivais premium, que é como quem diz, os alemães. Também o preço é ajustado à realidade premium, 57 150 € base, valor esse que inclui um equipamento de série muito interessante.

Concorrentes

Audi Q4 50 e-tron quattro – Motorização: dois motores elétricos; Potência: 299 cv e 460 Nm de binário; Aceleração dos 0 aos 100 km/h: 6,2 segundos; Autonomia: 486 km; preço base: 57 356 €

Mercedes EQA 350 4MATIC – Motorização: dois motores elétricos; Potência: 292 cv e 520 Nm de binário; Aceleração dos 0 aos 100 km/h: 6 segundos; Autonomia: 430 km; Preço base: 62 650 €

Lexus UX300e – Motorização: um motor elétrico; Potência: 204 cv e 300 Nm de binário; Aceleração dos 0 aos 100 km/h: 7,5 segundos; Autonomia: 305 km; Preço base: 52 500 €

Ficha Técnica

Motor 

Tipo: elétrico;

Capacidade da bateria (kWh): 78 (75 kWh de capacidade útil)

Potência máxima (CV/rpm): 408/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 660/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/independente, multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 4,9

Velocidade máxima (km/h): 180 km/h

Autonomia: 400-418 km

Consumos misto (kWh/100 km): 23,8-25

Emissões CO2 (gr/km): 0

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4425/1863/1647

Distância entre eixos (mm): 2702

Peso (kg): 2188

Capacidade da bagageira (l): 414 + 31 (Frunk)

Pneus (fr/tr): 235/50 R19 / 255/45 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 63 987€
Preço da versão base (Euros): 57 150€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) O Volvo XC40 P8 Recharge é em tudo semelhante às restantes variantes a combustão, contudo, apresenta-se com algumas diferenças específicas para esta versão elétrica. Talvez a mais evidente aconteça na dianteira com o desaparecimento da tradicional grelha em detrimento de um painel da cor da carroçaria. Tirando isso mantém as linhas pelas quais o XC40 é conhecido e que, de acordo com a procura que tem tido, são apelativas.

Interior

Interior (8/10) Ao contrário do exterior, no habitáculo há alterações mais evidentes. A Volvo segue uma filosofia de simplificação do interior e, neste modelo 100% elétrico, não existe um simples botão de Start/Stop. Para iniciar marcha basta meter a alavanca de velocidades no D e, para parar, no P. Por outro lado, é ao nível da tecnologia que surgem as principais novidades. Em primeiro lugar, o painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas tem um novo layout focado na eletrificação.

Ao seu lado continuamos a ter um ecrã central de orientação vertical que apresenta as informações do mais recente sistema de infotainment da marca sueca construído em parceria com a Google. Ao contrário do que aconteceu na apresentação, onde todas as unidades tinham matrícula sueca, em que experimentámos e gostámos do funcionamento do novo sistema, durante o nosso ensaio não nos foi possível explorar todas as funcionalidades do mesmo por motivos alheios.

Quanto a espaço, é em tudo semelhante ao já conhecido XC40, ou seja, é possível transportar quatro passageiros sem problemas de maior. Um dos pontos positivos do Volvo XC40 P8 Recharge é o aparecimento de uma “frunk” com 31 litros, um bom complemento aos 414 litros da bagageira.

Equipamento

Equipamento (8/10) A Volvo decidiu entrar na era elétrica com o topo de gama – numa segunda fase vai surgir uma variante com menos potência e mais acessível – e, por isso, o recheio de equipamento é bastante positivo. De série, o XC40 apresenta volante aquecido, keyless entry, limitador de velocidade, cruise control adaptativo, hill start assist, sensor de chuva, hill descendent assist, aviso de viaturas no ângulo morto, câmara 360 graus, sistema de ajuda ao estacionamento com sensores dianteiros e traseiros, bancos dianteiros aquecidos, portão da bagageira elétrico, faróis LED, ecrã central de 9 polegadas ou jantes de 19 polegadas. A unidade em ensaio, que conta com o nível “Twin-Pro” conta com alguns opcionais como é o caso da cor “Verde Sage” (1010€), Couro Antracite (1541€) e vidros traseiros escurecidos (384€).

Consumos

Consumos (8/10) Relativamente a consumos, a Volvo anuncia uma média de 23,8 a 25 kWh/100km. Durante o nosso ensaio foi percetível que é um valor fácil de conseguir e, nos primeiros 100 km ao volante do Volvo XC40 P8 Recharge, conseguimos realizar um consumo de 23,7 kWh/100km, ou seja, um ritmo que permite usufruir de mais de 400 km de autonomia do SUV elétrico. Caso queira explorar os 408 cv do P8 pode esperar um aumentar de valores e, consequentemente, uma diminuição da autonomia.  

Ao volante

Ao volante (8/10) O Volvo XC40 P8 Recharge mostra que os SUV elétricos conseguem dar o melhor de dois mundos. Por um lado, temos todas as capacidades de um SUV, ou seja, uma altura ao solo considerável que garante a versatilidade necessária para vários tipos de trajeto, mas por outro uma aceleração incrível que deixa todos os passageiros colados ao banco. Num trajeto citadino temos à nossa disposição um comando denominado “One pedal drive” que, após alguns quilómetros de habituação, permite que o condutor utilize apenas o acelerador. Este sistema é uma grande mais-valia, principalmente no para-arranca.

Os 400 km de autonomia declarada são suficientes para que os mais receosos com carros elétricos tenham à vontade para se fazerem a uma autoestrada. Para além disso, é possível manter os limites de velocidade impostos pela lei sem que os consumos disparem de forma abruta. Também a pensar nas pessoas mais ansiosas, a Volvo decidiu não apresentar no painel de instrumentos a autonomia em quilómetros, somente em percentagem, tal como a bateria do telemóvel. O valor só aparece quando o nível da bateria é inferior a 20%.

Concorrentes

Audi Q4 50 e-tron quattro – Motorização: dois motores elétricos; Potência: 299 cv e 460 Nm de binário; Aceleração dos 0 aos 100 km/h: 6,2 segundos; Autonomia: 486 km; preço base: 57 356 €

Mercedes EQA 350 4MATIC – Motorização: dois motores elétricos; Potência: 292 cv e 520 Nm de binário; Aceleração dos 0 aos 100 km/h: 6 segundos; Autonomia: 430 km; Preço base: 62 650 €

Lexus UX300e – Motorização: um motor elétrico; Potência: 204 cv e 300 Nm de binário; Aceleração dos 0 aos 100 km/h: 7,5 segundos; Autonomia: 305 km; Preço base: 52 500 €

Motor

Motor (9/10) Basta olhar para a ficha técnica para percebermos que o Volvo XC40 P8 Recharge não é um elétrico qualquer. Com dois motores elétricos, um por eixo, garante uma potência combinada de 408 cv e 660 Nm de binário. Com estes valores, é possível acelerar dos 0 aos 100 km/h nuns respeitáveis 4,9 segundos, enquanto a velocidade máxima é, tal como os mais recentes Volvo, limitada a 180 km/h. Esta motorização marca pela aceleração entusiasmante graças à entrega de binário instantânea e mais do que suficiente para deixar, inclusive, desportivos para trás ao abrir do semáforo. A motorização é talvez um dos pontos mais fortes do primeiro elétrico da marca sueca. Quando chega a altura de “abastecer”, o P8 aceita velocidades de carregamento de até 150 kW. Caso tenha possibilidade de o fazer, saiba que demora 40 minutos a ir dos 0 aos 80% de bateria.

Balanço final

Balanço Final (8/10) Em suma, o Volvo XC40 P8 Recharge é uma boa demonstração do que a marca sueca consegue fazer na era 100% elétrica. Com 408 cv e sensivelmente 400 quilómetros de autonomia, não é referência, mas é ajustado quando comparado com os principais rivais premium, que é como quem diz, os alemães. Também o preço é ajustado à realidade premium, 57 150 € base, valor esse que inclui um equipamento de série muito interessante.

Ficha técnica

Motor 

Tipo: elétrico;

Capacidade da bateria (kWh): 78 (75 kWh de capacidade útil)

Potência máxima (CV/rpm): 408/nd

Binário máximo (Nm/rpm): 660/nd

Transmissão: automática de 1 velocidade

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/independente, multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados/discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 4,9

Velocidade máxima (km/h): 180 km/h

Autonomia: 400-418 km

Consumos misto (kWh/100 km): 23,8-25

Emissões CO2 (gr/km): 0

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4425/1863/1647

Distância entre eixos (mm): 2702

Peso (kg): 2188

Capacidade da bagageira (l): 414 + 31 (Frunk)

Pneus (fr/tr): 235/50 R19 / 255/45 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 63 987€
Preço da versão base (Euros): 57 150€

Preço da versão ensaiada (Euros): 63987€
Preço da versão base (Euros): 57150€