ENSAIO: BMW X4 M40i

By on 3 Novembro, 2016

Os grandes automóveis testam-se em estradas a condizer, e por isso levámos o BMW X4 M40i às estradas da Serra do Açor em Arganil. Nestas paragens, 360 cv não são propriamente novidade, mas com este luxo e conforto, nem pensar…

Ponto prévio. O BMW X4 M40i partilha com o M2 o motor e a caixa automática de oito velocidades, mas é naturalmente abismal o prazer que se retira dos dois. O peso e porte deste M40i não se coadunam com uma dinâmica impressionante, mas se o analisarmos no contexto, então sim, é um carro com fantásticas aptidões desportivas. Por isso, quisemos impor-lhe um ensaio verdadeiramente duro, pois um automóvel que se sai bem neste tipo de estradas está preparado para qualquer desafio que o dia-a-dia lhe coloque. Levámos o BMW X4 M40i para as difíceis estradas da Serra do Açor, aproveitando pelo meio para ir espreitar os testes de um dos novos WRC de 2017 a Arganil. Se é verdade que aquelas estradas nasceram para os ralis há 50 anos no seu estado mais puro, a terra, hoje em dia, o asfalto das estradas da serra é pouco menos que perfeito, mas continuam estreitas, íngremes, sinuosas, mas também rápidas em alguns locais, ou seja, absolutamente perfeitas para uma boa prova dos nove ao BMW X4 M40i.

Mas antes, havia que ver o que Marcus Gronholm andava a fazer com o VW Polo WRC 2017, e a primeira bola a sair do saco é que não há muitos SUV que pudéssemos ensaiar que virasse tantas cabeças à sua chegada, como o BMW X4 M40i. É um automóvel com uma presença absolutamente marcante, com linhas que ajudam muito a criar caras de espanto. O perfil é característico de um coupé e as suas linhas inconfundíveis. As entradas de ar de grandes dimensões e as jantes de 20”, combinadas pelo pack desportivo M, dão o toque arrebatador.

SUPER MOTOR
E depois, claro, por muito que a pouco a pouco o som do silêncio se vá instalando no desporto automóvel, através dos elétricos, a sinfonia dos motores mais potentes vai continuar por muito tempo a ser música para os ouvidos de muita gente e este X4 M40i é exímio nesse particular. O som emanado através das duas saídas de escape do novo motor BMW TwinPower Turbo de seis cilindros e 360 cv é fantástico, num ‘coração’ que oferece um caráter fortemente impulsivo ao X4. O binário de 465 Nm logo a partir das 1350 rpm permite uma força descomunal a este motor, e isso sente-se até acima das 5000 rpm, não havendo por isso quaisquer momentos de fraqueza mesmo quando a estrada se inclina fortemente. Logicamente que as quase duas toneladas do carro se sentem, sempre, e com veemência, mesmo que o BMW X4 tenha sido construído com recurso a alumínio de baixo peso, aço de alta resistência e plásticos e magnésio de elevada qualidade, mas a força brutal do motor permite esquecê-lo a espaços. Ainda mais em estradas médias rápidas, pois nesse particular, e descontando o facto de haver um sensível adorno de carroçaria, é possível andar a ritmos elevados quando as estradas são mais enroladas, pois o carro tem sempre motor para sair dos apertos. Já as estradas sinuosas e estreitas não são o melhor palco para este carro. Nem mesmo o facto de em curva o BMW Performance Control distribuir mais potência às rodas exteriores e menos às rodas interiores, de modo a maximizar a tração ‘resolve’.

De resto, a aceleração é brutal, como se comprova pelos 4,9 segundos que consegue dos 0 aos 100 km/h e atinge uma velocidade máxima de 250 km/h, controlada eletronicamente que estivemos muito longe de comprovar. A caixa Steptronic de oito velocidades aproveita bem o potencial do motor, mas dá bem mais gozo utilizar as patilhas do volante, pois se for esse o caso, até se poupa alguma gasolina – até parece heresia dizer isto olhando para os consumos médios, mas pronto – pois com a força que este motor tem, mesmo com algum ‘short shifting’, chega bem para o mover o necessário. O chassis desportivo com regulação específica da M Performance possui molas mais firmes e controlo de amortecimento, ao passo que o sistema de tração integral foi modificado e oferece mais binário ao eixo traseiro. O prazer de condução é por isso elevado, e as diferenças entre os diversos modos de condução são perfeitamente notórias, sendo o Sport+, logicamente, mais interessante, mas um ‘terror’ especialmente para o passageiro que viajava atrás, mesmo em auto estrada.

O simples facto de mudar para o modo Comfort mudou-lhe a ‘vida’ por completo. “Parecia outro carro”, disse. A posição de condução é perfeita, a habitabilidade atrás também, mas para dois passageiros, pois o terceiro já sofre bem mais. Resta referir que o Pack desportivo M dá ao X4 M40i um ‘ar’ bem mais dinâmico, por exemplo com os para-choques dianteiro e traseiro na cor da carroçaria e o logótipo M nas laterais a imporem logo outro ‘respeito’. Em resumo, a sensação que fica é que este motor no X4 dificilmente é explorado ao máximo pois o chassis não aguenta. De qualquer forma, torna o X4 num portento dentro das suas capacidades de SUV de luxo. Outro pormenor é que com estes pneus, Michelin Pilot Super Sport, não faz sentido sair de estrada, o que seria uma boa alternativa para boas doses de diversão com este X4. Sem os opcionais, esta versão custa 83 882€, mas com eles ascende a 101 275€. Só o Sistema de navegação Professional e as luzes adaptativas LED oneram o valor do carro em mais 4000€.

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE AUTOMÓVEL?
Clique AQUI e aceda à mais completa informação que a marca tem sobre este modelo