Ensaio: DS4 1.6 THP SPORT CHIC

By on 12 Maio, 2016

Os Diesel são quase sempre os preferidos nos carros do Grupo PSA, mas o DS 4 ganha mais 10 cv no 1.6 turbo a gasolina que o tornam num modelo (muito) interessante

cl_15_086_001_jpg_jpg

Existem momentos na vida em que vale a pena ser tradicionalista. Neste caso, quando temos um carro um pouco mais luxuoso, também preferimos ter um motor a gasolina, por mais económico ou elástico que um Diesel possa ser. Depois de duas décadas a levar obrigatoriamente com o Diesel em todos os segmentos, especialmente em carros deste grupo automóvel, o motor a gasolina é uma agradável surpresa. O DS 4 já não tem qualquer ligação de imagem à Citroën, depois da troca do visual original pela nova grelha dianteira e pelos novos grupos óticos com LED. Se a ideia é subir de degrau, deixando a mais económica Citroën e começando a entrar no mesmo ‘jogo’ onde estão a Alfa Romeo ou a Audi, também é preciso experimentar outros ‘sabores’ na ementa além dos costumeiros HDi (ou como se chamam agora, BlueHDi). E por isso ficámos contentes por rever o motor 1.6 THP.

cl_15_086_007_jpg_jpg

Normalmente, experimentamos este propulsor nas versões desportivas da Peugeot e da Citroën, mas agora tivemos a oportunidade de ver como lida com um automóvel mais civilizado. No DS 4, o 1.6 THP viu a potência subir para os 210 cv, oferecendo novos limites para explorar. Mas não é necessário andar sempre em rotações elevadas para perceber como é rápido, com uma boa resposta mesmo em redor das 2000 rpm, e subindo rapidamente a valores até perto das 4000 rpm para facilitar manobras de ultrapassagem. Tem até um comportamento mais natural que o 2.0 BlueHDi, à moda antiga. Outra vantagem é que está acoplado à caixa manual de seis velocidades, em vez da automática. É como reviver as sensações do passado, mas com a tecnologia do futuro.

15aa103_jpg_jpg

O mais difícil, mesmo, é controlar os consumos. Apesar da aceleração se processar depressa com trocas de mudanças a baixa rotação, o motor 1.6 THP não consegue evitar consumos a atirar para os oito litros de média. De resto, o DS 4 continua a ser o carro que era. Em particular, destaca-se a afinação do chassis para oferecer aos ocupantes um bom nível de conforto em qualquer tipo de piso, e ao condutor um automóvel fácil de controlar. Uma das deficiências do DS 4 que ainda não foi suficientemente eliminada é o espaço para os bancos traseiros, que são demasiado sacrificados para dar mais espaço na bagageira. Este motor só está disponível com o equipamento de topo, o Sport Chic, com uma quantidade elevada de equipamento (incluindo uma nova evolução do sistema de entretenimento e informação, mais fácil de utilizar que a geração anterior), mas que acaba por ultrapassar a barreira psicológica do 35 mil euros.

cl_15_086_012_jpg_jpg

Preço base: 35 643€

Motor: 4 cil., 16 v., inj. direta e turbo, 1598 cm3
Binário: 285 N.m./1750 rpm
Transmissão: Dianteira, cx. manual de 6 vel.
Suspensão: Independente McPherson à frente e eixo de torção atrás
Travagem: DV/D
Peso: 1388 kg
Mala: 359-385 l
Depósito: 60 l
Vel. Máx.: 234 km/h

Deixe um comentário

Please Login to comment