Ensaio duplo: Fabia 1.2 TSI 110 cv e Rapid Spaceback 1.6 TDI 115 CV

By on 3 Maio, 2017

Monte Carlo é um nome que nos transporta no tempo e traz à memória um passado, presente e futuro embebidos de competição, sonhos e desejos. Vestir dois modelos do nosso quotidiano com esta herança é uma responsabilidade que a Skoda levou a cabo. Fomos por isso perceber o seu resultado.

Num exercício diferente do habitual no AutoSport, juntámos os dois Skoda que a marca checa revestiu com o equipamento Monte Carlo e fomos compreendê-los melhor e ver que pedigree é acrescentado às já conhecidas propostas – Fabia 1.2 TSI 110 cv e Rapid Spaceback 1.6 TDI 115 CV.

Génese Monte Carlo

Primeiro que tudo, importa perceber o que significa a nota distintiva Monte Carlo. Falamos de um cariz unicamente estético, já que as características dos modelos se mantêm inalteradas.

Ambos marcam desde logo pontos visuais, apresentando-se de fato vermelho, num exterior adoçado por detalhes que, sem serem exuberantes, fazem a diferença pela sua simplicidade e espelham a tónica de carros pragmáticos e sem artifícios.

No exterior sobressaem as jantes de liga leve Itália de 16”, em preto, que geram um prazeroso contraste estético com a tonalidade da carroçaria, atribuindo personalidade ao conjunto, a que se juntam os faróis de xénon, os faróis de nevoeiro escurecidos com cornering, as saias laterais a preto, o defletor dianteiro em igual tom e as discretas inserções Monte Carlo nos pilares B. Apontamentos que formam uma proposta, ao mesmo tempo, agradável, distintiva e visualmente equilibrada, que nos permite passear de prazer no olhar.

No âmago da questão

De imediato descobrimos-lhe nova característica. Coerência. O habitáculo espelha a ideia exterior. Transmitindo a sensação de espaço e leveza, encontramos um interior com bancos desportivos, ajustáveis à frente em altura, com listas preto e vermelho, nos tons da carroçaria, inserções decorativas alusivas à versão nas soleiras das portas, tablier percorrido por uma faixa axadrezada estilo ‘racing’, volante desportivo multifunções (apenas no Fabia e por mais 160€), pedais em alumínio, tapetes à frente e atrás específicos e pespontos a vermelho que se estendem como artérias pelo habitáculo fazendo circular o ADN próprio da versão.

A cereja no topo do bolo chega-nos quando olhamos o céu… e o vemos, através do tejadilho panorâmico. Se do exterior percecionamos uma faixa negra que se alonga a todo o comprimento dos modelos, no interior somos prendados com uma fonte de luminosidade, que faz transparecer uma ideia, arejada e refrescante, de bem estar, principalmente nos lugares traseiros, que, pelo seu posicionamento, retiram maior benefício deste verdadeiro regalo que pode ser rapidamente ofuscado por uma cobertura a que se tem acesso através da frente e da traseira – ao puxar-se, cada uma cobre meio tejadilho.

Em ambos os modelos o invólucro Monte Carlo assenta que nem uma luva. No caso do Fabia, o preço de 20.788€ inclui de série o que aqui descrevemos, enquanto para o Rapid Spaceback tem de ser adquirido o Pack Monte Carlo que adiciona 1198€ ao seu custo de 23.475€.

Para todos os gostos

Ao volante temos duas propostas que, embora movidas por argumentos diferentes sob o capot, têm características que as aproximam. O Fabia mais centrado na diversão e prazer de condução, o Rapid Spaceback no espaço e habitabilidade. Seguindo a escala de medidas, comecemos pelo primeiro. Com 3992 mm de comprimento, 1732 mm de largura e 1467 mm de altura, o Fabia é um modelo bastante equilibrado e harmonioso, algo que se reflete na condução. Ágil em curva, podemos facilmente inseri-lo quando e como queremos, sem que ele se negue, mesmo a velocidades mais elevadas, estando seguros de que o comportamento do chassis e suspensão não nos deixaram à deriva. O motor 1.2 TSI apresenta-se uma boa opção para o quotidiano, permitindo-nos ter momentos de prazer ao volante através dos seus 110 cv, mas também fazer uma boa gestão da potência através da caixa manual de seis relações que nos permite explorar vários regimes sem comprometer as prestações.

Os consumos, dentro da legalidade e realizando as passagens de caixa às 2000 rpm, conforme indica o mostrador, são de 5,6 l/100 km, subindo para a casa dos 6,5l/7l se quisermos ter com frequência outro tipo de sensações ao volante. Apresentando naturalmente um espaço mais generoso, ao ser 312 mm mais comprido, apesar de 26 mm menos largo e 8 mm mais baixo, o Rapid Spaceback de imediato surpreende… pelo volante despido de quaisquer funções, além da que lhe é genética e a de buzinar, sentindo-se a falta de pequenas funcionalidades como as de mudar de estação de rádio ou atender o telemóvel, algo que para um modelo que ronda os cerca de 25.000€ já seria exigível. A caixa também surpreende ao ser manual de cinco relações, cada vez mais rara nos dias de hoje, mas não desagrada.

Em condução o motor apresenta-se robusto, com uma boa entrega de binário, sendo a resposta mais pronta que a do Fabia. Curiosamente, apesar do aumento de medidas e dos mais 158 kg de peso do conjunto, conseguem-se consumos iguais, de 5,6l/100 km. O carácter simplista e o prazer de condução mantêm-se, mas a habitabilidade interior aumenta, assim como a bagageira, numa proposta de 415l face aos 330l do Fabia. Esta é naturalmente a opção mais direcionada para famílias, conseguindo-se ter um modelo, em simultâneo, espaçoso e compacto, com proporções que não incomodam nada numa utilização de propensão citadina. No fundo, modelos diferentes para fins também eles distintos, unidos por uma insígnia que desperta a atenção, pelo menos, do coração, Monte Carlo.

André Duarte

Skoda Fabia 1.2 TSI 110 cv

Mais: Imagem; Diversão; Prazer de Condução
Menos: Binário do motor em baixas

Ficha técnica

Motor 4 cil. Em linha, injeção direta, turbo, intercooler, 1197 cc
Potência 110 cv/4600-5600 rpm
Binário 175 Nm/1400-4000 rpm
Transmissão dianteira, caixa manual de 6 vel.
Suspensão tipo McPherson à frente e braços combinados atrás
Travagem DV/D
Peso 1129 kg (c/ condutor 75 kg)
Mala 330l
Depósito 45l
Vel. Máx. 196 km/h
Aceleração 0 aos 100 km/h 9,4s
Consumo médio 4,8 l/100 km
Consumo médio AutoSport 5,6 l/100 km
Emissões CO2 110 g/km

Skoda Rapid Spaceback 1.6 TDI 115 CV

23.475€ (+1198€ Pack Monte Carlo)
Preço base

Mais: Imagem; Espaço
Menos: Falta de funcionalidades no volante

 Ficha técnica

Motor 4 cil. Em linha, injeção direta, turbo, intercooler, 1598 cc
Potência 115 cv/3500 rpm
Binário 250 Nm/1500-3000 rpm
Transmissão dianteira, caixa manual de 5 vel.
Suspensão tipo McPherson à frente e braços combinados atrás
Travagem DV/D
Peso 1287 kg (c/ condutor 75 kg)
Mala 415l
Depósito 55l
Vel. Máx. 198 km/h
Aceleração 0 aos 100 km/h 9,9s
Consumo médio 4,2 l/100 km
Consumo médio AutoSport 5,6 l/100 km
Emissões CO2 109 g/km