ENSAIO: HYUNDAI SANTA FÉ PREMIUM AUTO 4X2

By on 29 Novembro, 2016

É certo que os monovolumes passaram de moda nos últimos anos, dando lugar a modernos e espaçosos SUV que ganham cada vez mais adeptos entre os portugueses

O renovado Hyundai Santa Fe vem mostrar que a marca sul-coreana quer entrar definitivamente na luta pelo mercado onde estão alguns SUV modernos e bastante confortáveis. A versão que ensaiámos, a Premium Auto 4×2, revelou que estamos perante uma opção mais vocacionada para o asfalto que para a terra, apesar de ainda manter algumas características que lhe possibilitam incursões fora de estrada em trilhos que não exijam grande dificuldade.

Mas a aposta da Hyundai neste Santa Fé é claramente no conforto e numa opção familiar, que digam os mais novos lá de casa que não pararam de elogiar o espaço e o conforto. Até porque estamos perante um SUV grande e com um nível de equipamento que não deixa ninguém indiferente. No interior destaca-se a oferta dos sete lugares reais. Com dois bancos instalados na mala e que são do agrado dos mais novos, já que apesar do espaço generoso para as pernas, deixam dois adultos em algum sofrimento numa viagem que seja mais longa. A bagageira deste Santa Fé é verdadeiramente generosa, com os bancos da mala montados oferece qualquer coisa como 516 litros.

Se os dois bancos não tiverem montados então passamos a contar com 585 litros que podem aumentar para os 1680 litros se rebatermos os bancos do meio. O ambiente interior deste renovado SUV não passa despercebido, até porque a combinação subtilmente trabalhada de peças em pele de alta qualidade, tecidos e materiais com um toque suave é muito bem conseguida, alcançando assim uma sofisticação imediatamente percetível, independentemente do pacote de interior que se escolha. A melhoria dos materiais e acabamentos é assim bem visível. Mas o aspeto sedutor deste renovado Santa Fé começa logo que olhamos para ele. O seu design foi alvo de alguns retoques e à frente, destaca-se o novo desenho da grelha hexagonal, dos faróis de nevoeiro e das luzes de dia em LED. Atrás, as ópticas e a traseira redesenhadas; novas jantes, de 17’’ a 19’’, dependendo do pacote que optarmos.

Nesta renovação, a Hyundai deixou cair a variante com tracção integral, que entre nós é penalizada pela fiscalidade e classe 2 nas portagens, só disponibilizando tracção dianteira, bem mais acessível no preço e classe 1 nas portagens com Via Verde. Ao nível do equipamento desta versão, destaque para um novo sistema de navegação, travão de mão eletrónico, sensores de estacionamento traseiros e dianteiros, climatizador de três vias, vidros traseiros escurecidos, iluminação em curva e luzes de dia em LED, estofos em pele, ecrã TFT no painel de instrumentos, faróis de xénon com acendimento automático de máximos, aviso de saída de faixa de rodagem e de ângulo morto, arranque inteligente, câmara de 360º e travagem autónoma de emergência. Mas também o sistema de monitorização da pressão dos pneus que disponibiliza informação ao condutor durante a viagem, directamente no painel de instrumentos, através dos sensores, sempre que seja detectada a perda de pressão nos pneus. Juntam-se a estes o estacionamento automático, cruise control inteligente com aviso de colisão dianteira e alerta de saída em marcha atrás de estacionamento perpendicular. Movido pelo bloco 2.2 CRDi, que foi objeto de melhorias, cumpre a norma Euro 6, com 200cv de potência e com a velocidade máxima a subir para 203 km/h. O binário máximo de 440 Nm mantém-se, mas agora está disponível mais cedo, a partir das 1750rpm.

Com uma caixa automática de seis velocidades, na versão ensaiada, o Santa Fé mostrou agilidade e uma direção confortável equipada com “Flex Steer”, apesar de pouco sensível, proporcionando três modos de utilização.Três são também os níveis de equipamento do Santa Fé: Creative, Executive e Premium, todos a beneficiarem da nova garantia da marca coreana: cinco anos sem limite de quilómetros, com assistência em viagem, check-ups anuais e manutenção programada. Ou seja estamos perante um SUV de qualidade para aqueles que gostam deste tipo de veículos.

Preço 60.437,97€

Ficha técnica

Motor: 4 cil. Turbodiesel 2.199 c.c.; Potência: 200 cv/3800 rpm; Binário: 400 Nm/1750-2750 rpm, Transmissão: Integral permanente, CX. Automatica 6 vel, Suspensão: Independente, tipo McPherson com molas helicoidais, amortecedores a gás e barra estabilizadora à frente e Independente, tipo Multi-Link, com amortecedoresa gás e barra estabilizadora atrás; Travagem: Discos ventilados à frente e Discos sólidos atrás
Peso: 1891 KG; Mala:516L com sete bancos montados e 1680L com bancos rebatidos; Depósito: 64L; Velocidade Máxima: 203 KM/H, Aceleração 0-100 Km/h 9,8s; Consumo Médio 6,6 L /100 km 8,5L (Autosport); Emissões 174 G/KM – CO2

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE AUTOMÓVEL?
Clique AQUI e aceda à mais completa informação que a marca tem sobre este modelo