Ensaio: Kia Rio 1.4 CRDi EX 90 cv

By on 27 Abril, 2017

A quarta geração do Rio representa um salto estético num modelo que tem muito mais para oferecer quando com ele temos o privilégio de contactar.

WGM59997

O novo Kia Rio apresenta-se como uma interessante proposta no segmento B. O primeiro contacto é naturalmente visual e desde logo marca pontos, com uma carroçaria com linhas modernas em que se destaca a grelha a toda a largura na dianteira, complementada pelos grupos óticos Led em forma de U. Na traseira as luzes Led são em forma de flecha e o vidro encontra-se agora em posição praticamente vertical, enquanto na lateral se destaca a redução do ‘overhang’ (distância das rodas ao extremo da carroçaria). Com 4065 mm de comprimento, 1725 mm de largura e 1450 mm de altura, cedo se percebe que estamos na presença de uma correlação de medidas que nos permite abordar o quotidiano com uma proposta que garante, ao mesmo tempo, espaço e proporções comedidas. Em suma, temos pela frente um Rio de estética refrescada que não descura a sua identidade.

WGMX5392

Prova dos ‘9’

Em condução encontramos um carro honesto, talhado para uma utilização diária, com consumos que geram necessariamente agrado e que talvez sejam o ponto de maior destaque de um modelo que tem como coração um bloco de 1.4 litros a diesel – médias reais de 4,6 l/100 km não se conseguem encontrar facilmente no mercado nos veículos movidos apenas por combustíveis fósseis.

O Rio é extremamente intuitivo e perceptível nas suas possibilidades e limitações. Ao volante rapidamente interiorizamos o seu carácter ágil, com sensações bastante reais que nos transmitem confiança para explorar os seus limites. Em curva há um adornar da carroçaria, como se de um leve e ligeiro movimento de balé se tratasse, que se apreende com facilidade e nos permite aferir as várias fazes do seu comportamento e reações.

KIA RIO

Geneticamente este é um modelo direcionado para uma condução tranquila, sem euforias, já que os 90 cv não são muito encorpados na entrega de potência, o que nos obriga a fazer uma leitura antecipada dos acontecimentos, caso queiramos fazer ultrapassagens ou recuperações, para garantir que ‘temos motor’ quando dele necessitarmos.

A Kia colocou em curso mexidas na suspensão, que equipa agora conjuntos mola-amortecedor e braços transversais mais rígidos e amortecedores traseiros montados na vertical. No geral, o amortecimento é eficaz, sendo que em pisos com degradações mais preponderantes se sente uma reação ligeiramente bamboleante no corpo.

9

Em termos de sistemas de assistência à condução de série, o novo Rio apresenta-se devidamente fornecido, incorporando duas novas tecnologias: controlo de travagem em curva e estabilidade em linha recta que se juntam aos sistemas de gestão de velocidade e de controlo eletrónico de estabilidade.

Por mais 500€ pode-se ter acesso ao Pack Safety que inclui alerta de saída de faixa de rodagem e travagem de emergência autónoma (AEB) com reconhecimento de peões, sendo o único automóvel do segmento B a disponibilizar este último, segundo avança a marca.

7

Olhar por dentro

O interior é revestido de um habitáculo pragmático, em que de imediato nos cruzamos com o novo HMI flutuante, com ecrã de alta resolução de 7 polegadas. Contudo, a qualidade de alguns materiais e plásticos não é a mais auspiciosa e pormenores como o ruído do bater de portas a abrir ou fechar poderiam, talvez, ter sido aligeirados.

A alteração estrutural de medidas e de alguns materiais influiu diretamente no espaço interior para as pernas, ombros e cabeça que é agora maior, tanto à frente como atrás. A bagageira aumentou em 37l, para os atuais 325l. O modelo incorpora o pacote Kia Connected Services que disponibiliza informação atualizada de tráfego, localização de radares e pontos de interesse e que está disponível gratuitamente para os clientes europeus durante o mesmo número de anos que o modelo tem de garantia, 7. Em termos de conectividade tem os sistemas Android Auto e Apple CarPlay. No final, e à luz da campanha atual, tudo está ao alcance de 19.931€.

André Duarte

Mais: Consumos; Condução; Agilidade
Menos: Qualidade de alguns materiais no habitáculo

Ficha técnica

Motor 4 cilindros em linha, injeção direta common-rail, turbo, 1396 cm3
Potência 90 cv/4000 rpm
Binário 240 Nm/1500-2500 rpm
Transmissão dianteira, caixa manual de 6 vel.
Suspensão tipo McPherson com molas helicoidais à frente e eixo de torção com molas helicoidais atrás
Travagem DV/Tambor
Peso 1235 kg
Mala 325l
Depósito 45l
Vel. Máx. 175 km/h
Aceleração 0 aos 100 km/h 12s
Consumo médio 3,8 l/100 km
Consumo médio AutoSport 4,6 l/100 km
Emissões CO2 98 g/km