Ensaio: Mercedes GLC Coupé 250d 4Matic

By on 8 Abril, 2017

Desengane-se quem pensa que o novo GLC Coupé 250d 4 Matic é um SUV genuíno. A Mercedes continua a realizar derivações de alguns dos seus modelos mais emblemáticos. Repetindo a receita de sucesso que já usara no Classe GLE, a Mercedes aposta numa variante Coupé do GLC, este com um perfil mais desportivo que o seu irmão, com uma silhueta elegante e um visual de encher as medidas ao mais exigente.

Alias, estou certo que não será fácil descobrir quem se mostre indiferente à estética desta aposta da Mercedes e sobretudo ao prazer de o conduzir. Os traços do designer Stefan Handt criaram um GLC Coupé quase oito centímetros mais longo do que o GLC, para compensar a perda de altura (de quase quatro centímetros, ditada pelo ângulo inferior formado pelo pilar C e pela linha de cintura do carro) da secção traseira. Ou seja a forma da carroçaria, com uma traseira com uma ligeira protuberância que não chega a ser um terceiro volume, é o suficiente para lhe atribuir um mais desportivo.

No interior, muito semelhante ao do GLE, destacam-se as generosas aplicações em madeira escura, de toque muito agradável e à prova de dedada dos mais novos, bem como qualidade geral da montagem e da generalidade dos materiais. O conforto dos passageiros nos bancos de trás é algo que não é descurado e bem se pode dizer que a viagem é tranquila.

A mala apresenta uns 500 litros de capacidade o que permite arrumar com facilidade à bagagem da família sem grandes problemas. Os bancos traseiros podem ser rebatidos na proporção 40:20:40, originando uma grande bagageira de piso plano e com capacidade de 1400 litros. O portão traseiro tem abertura elétrica e, em opção, poderá ter o sistema mãos-livres, em que se abre passando o pé sob o para-choques.

O GLC Coupé apresenta uma boa insonorização, mérito dos vidros com melhor isolamento térmico e acústico. Para além disso descobrir a posição ideal de condução é fácil permitindo ainda que a possamos memorizar. Sentados de forma confortável rapidamente percebemos que este é um carro cheio de personalidade e para isso basta que se carregue no pedal do acelerador para sentir que estamos perante um carro cheio de vontade em mostrar que sabe andar depressa.

O GLC vem equipado de série com tração integral 4MATIC e a caixa automática 9G-Tronic, apresenta-se suave e rápida na troca de velocidade no modo automático. Quem não gostar deste conforto, pode sempre optar pelas patilhas de passagem manual em modo Sport+. Mas se gostarmos de poupar combustível nestes modelos mais desportivos, então nada como viajar em modo Eco com o qual podemos contar com o módulo do pedal de acelerador háptico da Mercedes.
Embora se trate de um SUV, a sua característica coupé limita-o nas saídas de estrada, já que a altura ao solo foi reduzida em 1,5 cm pela adoção da suspensão desportiva.

O menu do GLC Coupé oferece nada mais do que três tipos de suspensão: além da desportiva de série, podemos optar pela Dynamic Body Control, que aumenta o leque de parâmetros reguláveis ou pela Air Body Control que é completamente pneumática e auto-ajusta-se à condução e que oferece a possibilidade extra de baixar a altura do eixo traseiro em 4 cm para tornar mais fácil colocar bagagens mais pesadas na mala. Por sua vez, o Dynamic Select, de série, permite comutar cinco tipos de condução (Eco, Comfort, Sport, Sport+ e Individual) que alteram por exemplo a resposta da caixa, suspensão, direcção e acelerador. Ou seja, ao volante deste Coupé não temos espaço de manobra, para aquele adornar que compromete a segurança, na entrada e saída de algumas curvas.

A contribuir para o conforto e segurança que sentimos quando estamos ao volante deste Coupé estão igualmente as jantes de 20 polegadas de 14 raios, que permitem igualmente um arrojado visual. Alias os detalhes é o que fazem deste GLC Coupé 250d um verdadeiro produto diferenciado e exclusivo de nível premium, se não repare-se no detalhe da micro câmara de ajuda à marcha-atrás. Assim que engrenamos a marcha-atrás, o símbolo colocado na tampa da mala levanta e câmara de auxilio à manobra depressa nos transmite uma imagem da traseira. Ou seja o novo GLC Coupé é um SUV cheio de estilo e com muito charme, capaz de seduzir aqueles que à partida não são adeptos deste conceito.

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE AUTOMÓVEL?
Clique AQUI e aceda à mais completa informação que a marca tem sobre este modelo

[ninja_forms_modal_form id=9 image_link=’http://www.autosport.pt/wp-content/uploads/2016/10/botoes_1_auto.jpg’]
[ninja_forms_modal_form id=5 image_link=’http://www.autosport.pt/wp-content/uploads/2016/10/botoes_2_auto.jpg’]

Ficha técnica
Motor 4 cilindros em linha, Turbodiesel, Injeção direta Common Rail, Turbo, Intercooler, Cilindrada 2143 cm3; Potencia máxima 204 cv/3800 rpm; Binário 500 Nm/1600-1800 rpm; Transmissão Integral; Caixa: Automática 9 Velocidades; Suspensão Independente MacPherson à frente e Independente multibraços atrás; Travagem DV/DV; Peso 1845 Kg; Mala 500-1400L; Depósito 66 litros; Vel. Max 222 Km/h; Aceleração 0-100 km/h 7,6s; Consumo Médio 5,0l/100 Km, Consumo AutoSport 6,1l/100/km; Emissões de CO2 131 gr/km

Virgílio Machado

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Paulo Andrade Recent comment authors
recente antigo mais votado
Paulo Andrade
Visitante
Paulo Andrade

Sou proprietário de um GLC COUPE e atenção que a referida qualidade de construção/montagem deixa algo a desejar. Existem vários ruídos parasitas (painéis das portas, tampa da mala e eixo traseiro) quando se circula em pavimentos mais degradados. No caso de meu carro vinha com painéis com montagem deficiente, ópticas e farolins traseiros que deixavam entrar humidade pelo que teve que retomar ao concessionário….. Qualidade Mercedes… Pura ilusão.