ENSAIO: VOLKSWAGEN GOLF 1.0 TSI BLUEMOTION GPS EDITION

By on 13 Outubro, 2016

Já não há desculpas para escolher o motor Diesel “porque a gasolina gasta muito”. A VW já introduziu o motor 1.0 TSI BlueMotion, que consegue índices de consumo ao mesmo nível, a um preço muito mais acessível.

A Volkswagen continua à procura da melhor forma para reduzir o consumo de energia na estrada, e para isso está a fazer pesquisa em várias áreas. Uma delas é com a boa e velha gasolina. A ideia de usar um motor turbo de baixa cilindrada para conseguir níveis elevados de potência sem consumir muito combustível tem vindo a ganhar força nos últimos anos, e a VW é das primeiras marcas a conseguir os números interessantes para convencer o automobilista comum a apostar neste esquema.

Neste caso, o Golf recebeu o novo motor 1.0 TSI, com turbocompressor e injeção direta, que debita 115 cv, antes conseguido apenas com um pouco convidativo 1.6 atmosférico. A VW usa aquilo a que chama BlueMotion Technology, uma série de pormenores na conceção do motor, como redução de fricção ou câmara de combustão com desenho para tornar a queima mais eficiente. Para o condutor normal, nada disto interessa, o que interessa é como é que se comporta no mundo real. Neste caso, estamos a falar de um motor 1.0. Num VW Golf. Mas tem turbo com um fantástico valor de binário (200 Nm) disponível a baixa rotação, tornando desnecessário ir uma mudança abaixo para fazer ultrapassagens ou subidas. Na prática, os consumos médios andam ao nível dos cinco litros e pouco, um valor antes só conseguido por motores Diesel com a mesma potência. O que não funciona tão bem, para aqueles que gostam de ter um comportamento mais linear, é que a eletrónica do motor promove uma condução mais ecológica, e o motor não responde tão depressa à pressão no pedal do acelerador.

A caixa de velocidades também tem relações demasiado compridas entre da quarta à sexta relações. De resto, o Golf BlueMotion tem o mesmo chassis que a versão normal, privilegiando uma utilização confortável. No lançamento, está disponível com a série limitada GPS Edition, um nível de equipamento disponível noutros motores, e que já tem uma lista de itens de origem mais do que aceitável, pois inclui o sistema de navegação de série, controlado por um sistema de informação e entretenimento na consola central e que inclui conetividade MirrorLink. Ar condicionado, faróis de nevoeiro, sensores de estacionamento e faróis automáticos também estão incluídos. O VW Golf custa mais de 24 mil euros, o que pode ser um pouco puxado para um motor de 115 cv, mas a quantidade de equipamento compensa.

FICHA TÉCNICA

Preço – 24 530 €

Motor 3 cil., 12 v., inj. direta e turbo, 999 cm3 Potência 115 cv/5000-5500 rpm Binário 200 Nm/2000-3500 rpm Transmissão Dianteira, cx. manual 6 vel. Suspensão McPherson à frente e eixo de torção atrás Travagem DV/D Peso 1211 kg Mala 380 litros Depósito 50 litros Velocidade máxima 204 km/h Aceleração 0 a 100 km/h 9,7 segundos Consumo médio 4,3 l/100 km Consumo médio AutoSport 5,4 l/100 km Emissões CO2 99 g/km

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE AUTOMÓVEL?
Clique AQUI e aceda à mais completa informação que a marca tem sobre este modelo