Fiat Tipo 1.3 Multijet – Ensaio Teste

By on 2 Junho, 2020

Fiat Tipo 1.3 Multijet

Texto: José Manuel Costa ([email protected])

Qual a razão do sucesso como TVDE?

Para lá do argumento preço, evidente, o Fiat Tipo terá algo mais que lhe permite ser dos carros mais procurados pelas empresas que fazem serviço TVDE, mesmo que a carrinha seja a mais procurada. Será que o facto do carro ter nascido como “low cost” para vender ás pazadas, mas com forte fiabilidade é uma razão? Será apenas o preço de utilitário para um carro do segmento C? Ou será porque os italianos ainda sabem como fazer carros deste segmento e “viram uma luz” quando desviaram o Tipo de uma vida amargurada por terras turcas? A resposta já a seguir.

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Preço, versatilidade, equipamento      

Menos:

Performances, alguns materiais

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação 6/10

Convirá lembrar que o projeto do Tipo nasceu como Aegea, modelo que a Fiat contava lançar como resposta aos “low cost” do mercado, disfarçando a coisa como veículo para os países emergentes. O resto é uma história conhecida: alguém entendeu por bem comercializar o carro na Europa, apesar de só ter quatro portas, acabou por ser bem-sucedido e “obrigou” a casa italiana a arrepiar caminho, pegar num nome conhecido dentro da Fiat e dos seus clientes e oferecer-lhe uma gama completa. E a receita do passado é a mesma nos dias de hoje: simplicidade, espaço habitável e fiabilidade. A maior diferença? Um estilo bem mais agradável. Não é uma obra de tirar o fôlego, mas é um desenho equilibrado e ao mesmo tempo musculado que é agradável á vista não sendo monótono, como só os italianos são capazes de fazer. Tem muito mais qualidade que o original, a acessibilidade é excelente e tudo no exterior do Tipo faz sentido ou rima, com decoração de bom gosto e um aspeto geral moderno.

Interior

Pontuação 8/10

Também como sucedia com o Tipo original, o moderno destaca-se de forma clara pela enorme habitabilidade oferecida. Não terá sido por acaso que este modelo recebeu o nome do Carro do Ano 1989, porém esta é a única coisa “retro” que o Tipo tem! Hoje, quando nos sentamos ao volante, tudo tem um ar moderno e funcional. A posição de condução é boa, a acessibilidade também e não há forma de não ficar impressionado com o espaço interior. Atrás há muito espaço para arrumar as pernas e em altura terá de ser jogador da NBA para se sentir acanhado. É verdade que a parte central do banco traseiro não é muito confortável por culpa da forma da base do banco e do encosto de braços ser duro. Num curto trajeto não incomoda, numa viagem não é assim. Os materiais do habitáculo são aquilo que se pode esperar de um carro que custa menos de 20 mil euros, ou seja, a montagem é bem razoável, mas os plásticos de toque suave limitam-se ao topo do tablier. Felizmente que os restantes plásticos são duros, mas texturados e a verdade é que a boa montagem acaba por nos fazer esquecer que a maior parte das zonas não é revestida por material suave ao toque.

Os comandos soam todos sólidos e são desenhados com bom gosto e para um carro deste preço, o nível está bem acima da média. Acreditamos que na próxima renovação hajam alterações no interior. Na bagageira, o Tipo volta a golear com uma capacidade de 440 litros que envergonha um VW Golf (menos 60 litros!), por exemplo, deixando alguns carros do segmento acima a olhar para dentro da “caverna” que é a bagageira do Fiat Tipo. Ainda por cima o piso da mala tem duas posições, pelo que a versatilidade está assegurada.

Equipamento

Pontuação 7/10

Com quatro níveis de equipamento, o Tipo oferece ampla possibilidade de escolha. O modelo ensaiado foi o Lounge com um nível de equipamento muito interessante onde pontificam o ar condicionado, as jantes de liga leve de 16 polegadas, quatro vidros elétricos, cruise control, faróis de nevoeiro, luzes diurnas LED e ainda 4 anos de garantia. Equipado com o sistema Uconnect, o Tipo usa um monitor de 7 polegadas. Ainda bem que este modelo usa um monitor maior, pois o sistema de info entretenimento da Fiat não se dá muito bem com ecrãs pequenos, devido aos botões também pequenos que por vezes demoram a responder à nossa ação. Ainda assim, oferece Bluetooth, compatibilidade Android Auto e Apple Car Play, sendo que o sistema de navegação faz parte de um pacote pago à parte.

Consumos

Pontuação 8/10

Consegui uma média de 4,7 l/100, nada mau para um carro homologado com uma cifra de 3,7 l/100 km e 99 gr/km de CO2. Claro que numa utilização mais intensa, o motor reclama mais combustível, mas a média não variou muito nunca ultrapassando os 6,5 litros de gasóleo.

Ao volante

Pontuação 7/10

Se alguém pensava que poderia encontrar no Tipo um carro arraçado de desportivo, pode retirar o cavalinho da chuva. Pensado com soluções convencionais, o Tipo acaba por ser eficaz em curva, exibindo bom controlo dos movimentos da carroçaria e um eixo dianteiro com grande aderência. Porém, não tem a agilidade de outros modelos do segmento, apesar de uma direção rápida e direta, mas algo leve que exibe, como é habitual, pouca sensibilidade. Desfrutar das qualidades do Tipo exige uma condução mais calma e aí verá que este Fiat é bem mais interessante do que à partida parece. Confortável, suave e bem insonorizado (apenas quando puxamos pelo motor se nota uma maior intrusão do mesmo no habitáculo), o Tipo acaba por deixar uma boa impressão.

Concorrentes

Kia Ceed 1598 c.c.; 136 CV; 280 Nm; 0-100 km/h em 10,9 seg,; 192 km/h; 4,8 l/100 km, 132 gr/km de CO2; 31.825€

(Veja o ensaio AQUI Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

 

Hyundai i30 1598 c.c.; 116 CV; 280 Nm; 0-100 km/h em 11,0 seg,; 192 km/h; 4,8 l/100 km, 128 gr/km de CO2; 27.281€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

 

Skoda Scala 1598 c.c.; 116 CV; 250 Nm; 0-100 km/h em 10,1 seg,; 202 km/h; 4,9 l/100 km, 126 gr/km de CO2; 29.443€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

Pontuação 5/10

O motor Multijet da Fiat continua igual, ou seja, cheio de genica tendo agora corrigido o problema de falta de binário abaixo das 1500 rpm. O bloco é redondo, desenvencilha-se bem de todas as tarefas pedidas pelo condutor e ainda por cima consegue consumos baixos. Com 95 CV é um nadinha justo caso deseje algo mais que uma viagem segura e com velocidades de cruzeiro apenas suficientes. Mas, na realidade, é preciso mais que isso?

Balanço final

Pontuação 6/10

Então, querem saber qual é a razão para o sucesso entre os TVDE, especialmente o caro leitor que está indeciso entre um Tipo novo e um carro usado para o seu trabalho? Claramente… o Tipo! É um carro barato, muito bem equipado, muito espaçoso e com uma bagageira ampla, ou seja, aquilo que se precisa para o transporte de pessoas. Depois, é um carro fiável e apesar de não ter os materiais refinados de outros modelos, suporta bem o teste da utilização intensa. Depois, é giro como só um italiano pode ser e, claro!, o preço é muito em conta. Por isso é que o Tipo continua a ser um sucesso entre os TVDE e nestes tempos de aperto pode ser uma boa solução para ter carro novo. Experimente!

Ficha técnica

Motor

Tipo: Turbodiesel, 4 cil. em linha, injeção direta

Cilindrada (cm3): 1248

Diâmetro x Curso (mm): 72 x 84

Taxa de compressão 11,0

Potência máxima (cv/rpm): 95 /3750

Binário máximo (Nm/rpm): 200 /1500

Transmissão e direção dianteira, caixa manual de 6 vel.; pinhão e cremalheira com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) independente duplo triângulo /eixo de torção

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) 11,7

Velocidade máxima (km/h) 180

Consumos Extra urb./Urbano/Misto (l/100 km) 3,5/5,2/4,1

Emissões de CO2 (gr/km) 108

Dimensões e pesos

Comp./Larg./Alt. (mm) 4368/1792/1495

Dist. entre eixos (mm) 2638

Largura de vias fr/tr (mm) 1542/1543

Travões (fr/tr) discos vent fr/discos tr

Peso (khg) – 1365

Capacidade da bagageira (l) 440 lts

Capacidade do depósito (l) 50

Pneus (fr/tr) – 195/65 R15

Preço da versão ensaiada (Euros): 22500€
Preço da versão base (Euros): 22500€