Hyundai Santa Fe 1.6 HEV – Ensaio Teste

By on 30 Junho, 2021

Hyundai Santa Fe 1.6 HEV – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Alguém pediu 7 lugares?

O Hyundai Santa Fe, o topo de gama da marca sul-coreana, perdeu o título de SUV mais vendido para o Tucson, mas com sensivelmente seis milhões de unidades vendidas desde o lançamento da primeira geração continua a ser um modelo de extrema importância para a Hyundai. Na mais recente renovação, que trouxe várias novidades, o SUV ficou mais refinado, luxuoso, tecnológico e, graças a uma nova plataforma, recebe agora motorizações eletrificadas. Testámos a versão 1.6 HEV, a nova motorização híbrida a gasolina que debita 230 cv e 350 Nm de binário. Tem o que é preciso para substituir o “tão adorado” Diesel?


Mais:

conforto; espaço no habitáculo; equipamento; suavidade da motorização

Menos:

Consola central algo com demasiados botões, acesso complexo da terceira fila de bancos

Exterior

8/10

Exterior (8/10) Neste momento, a Hyundai tem 4 SUV e, todos eles, têm uma “cara distinta”. No caso do Santa Fe, o principal destaque é a grelha de grandes dimensões acompanhada pelos faróis em LED. Numa parte superior, junto às laterais, surgem as luzes diurnas, igualmente em LED, de formato esguio. Os arcos de roda são também maiores face ao antecessor, enquanto atrás os farolins surgem unidos por uma faixa luminosa que percorre toda a traseira. De um modo geral a Hyundai conseguiu tornar o Santa Fe numa proposta mais apelativa com este restyling.

Interior

8/10

Interior (8/10) Passando para o interior, começamos por falar no espaço. O Hyundai Santa Fe 1.6 HEV que tivemos para ensaio tem a possibilidade de transportar até 7 pessoas graças a três filas de bancos. Tanto na primeira como na segunda fila o espaço é abundante, como um verdadeiro carro de cariz familiar deve ser. Já a terceira fila, que conta com bancos escamoteáveis sob o piso da bagageira quando não estão a ser utilizados, o acesso é algo complexo. Para além disso, é necessário “roubar” algum espaço aos passageiros da segunda fila com o deslizar dos bancos para que os passageiros dos dois últimos lugares tenham algum espaço para pernas. Seja como for, é efetivamente possível viajar com sete pessoas.

O habitáculo mostra ainda um cuidado especial na construção e materiais utilizados por parte da Hyundai numa qualidade geral satisfatória, embora tenhamos encontrado alguns plásticos menos convincentes. Sentados no banco do condutor temos à nossa frente um painel de instrumentos digital, contudo, é na consola central que está o “painel de controlo” do Hyundai Santa Fe. De facto, a consola está recheada de botões com as mais variadas funções, nomeadamente, os controlos da caixa de velocidades, controlos da climatização, botões referentes ao sistema de infotainment, cujas informações são transmitidas no ecrã central, modos de condução e até refrigeração e aquecimento dos bancos dianteiros.  Nos primeiros quilómetros tivemos de tirar os olhos da estrada para perceber em que botão estávamos a carregar, mas após alguma habituação as dificuldades acabam por desaparecer. 

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) Sendo o topo de gama da Hyundai, não é de estranhar que o Santa Fe conte com um um recheio de equipamento muito positivo. A unidade em ensaio recorre ao nível Vanguard + Luxury, uma variante que garante de série bancos dianteiros com regulação elétrica, ventilados e aquecidos, jantes de 19 polegadas, faróis e farolins em LED, ecrã central de 10,25 polegadas, painel de instrumentos digital, carregador wireless para smartphone, head-up display, teto panorâmico com abertura elétrica, assistência de prevenção de colisões de estacionamento automático, câmara 360º, câmara de deteção de ângulo morto, estofos em pele, entre outros. O único opcional desta unidade é a pintura metalizada que acrescenta ao preço base 519€.

Consumos

7/10

Consumos (7/10) Relativamente a consumos, a Hyundai anuncia uma média de 6,7 l/100 km. Contudo, durante o nosso ensaio percebemos que esse valor é complicado de conseguir, com a média a andar nos 7,6 l/100 km. Em cidade, a possibilidade de percorrer alguns metros em modo 100% elétrico ajuda a manter os consumos “contidos”.

Ao Volante

7/10

Ao volante (7/10) Ao volante, o Hyundai Santa Fe 1.6 HEV apresentou um bom equilíbrio entre conforto e cariz dinâmico. De facto, apesar do natural adornar de carroçaria graças às dimensões e peso que possui, tem uma postura firme e segura, mas não tanto como os rivais Seat Tarraco ou Peugeot 5008. Em cidade, a possibilidade de arrancar em modo elétrico ajuda a ter uma “estadia” de para-arranca mais tranquila e suave. Já em autoestrada, esta variante 1.6 HEV tem “pulmão” suficiente para impulsionar os mais de 1800 kg do conjunto, permitindo fazer vários quilómetros sempre em conforto com o apoio das várias “mordomias” oferecidas pela Hyundai nesta variante, como é o caso dos já mencionados bancos ventilados.

Motor

8/10

Motor (8/10) Debaixo do capot o Hyundai Tucson 1.6 HEV está equipado com um motor quatro cilindros de 1.6 litros a gasolina, associado a um motor elétrico, que garantem uma potência combinada de 230 cv e 350 Nm de binário. A variante híbrida, acoplada a uma transmissão automática (conversor de binário) de 6 velocidades, consegue acelerar dos 0 aos 100 km/h em 8,9 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 187 km/h. A título de curiosidade, é 0,1 segundos mais rápido do que a variante Diesel na aceleração até aos 100 km/h, contudo, tem uma velocidade máxima inferior (205 km/h no Diesel).

Balanço Final

8/10

Balanço final (8/10) Em suma, o Hyundai Santa Fe 1.6 HEV é, sem dúvida, o modelo mais luxuoso da marca sul coreana. Para além de espaço suficiente para transportar sete pessoas, e abundante quando se trata de apenas 5, a motorização híbrida oferece uma suavidade bastante positiva, principalmente em cidade. Destaque ainda para um recheio de equipamento e de tecnologia muito satisfatórios e que ajudam a tornar o habitáculo um local agradável, tanto nos dias quentes do verão, como nos mais frios de inverno.

Concorrentes

Seat Tarraco FR 1.4 e-Hybrid – Motorização: quatro cilindros de 1.4 litros, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 245 cv; número de lugares: 5 (7 lugares apenas nas versões a combustão) consumo combinado: 1.8 l/100 km; preço base: 50 102€

Peugeot 5008 GT 2.0 BlueHDi – Motorização: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo, Diesel; potência: 180 cv; número de lugares: 7; consumo combinado: 5,9 l/100 km; preço base: 52 330€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, gasolina + sistema híbrido (1 motor elétrico)

Cilindrada (cm3): 1598

Diâmetro x Curso (mm): 75,6 x 89

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 230/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 350/n.d.

Tração: dianteira

Transmissão: Automática 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / paralelograma deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,9

Velocidade máxima (km/h): 187

Consumos misto (l/100 km): 6,7

Emissões CO2 (gr/km): 153

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4785/1900/1685

Distância entre eixos (mm): 2765

Largura de vias (fr/tr mm): 1651/1651

Peso (kg): 1855

Capacidade da bagageira (l): 571(duas filas de bancos) -1649 (segunda e terceira fila rebatidas)

Deposito de combustível (l): 67

Pneus (fr/tr): 235/55 R19

Preço da versão ensaiada: 60 725€ (55 725 com Campanha de Financiamento CETELEM)

Preço da versão base: 59 475€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Neste momento, a Hyundai tem 4 SUV e, todos eles, têm uma “cara distinta”. No caso do Santa Fe, o principal destaque é a grelha de grandes dimensões acompanhada pelos faróis em LED. Numa parte superior, junto às laterais, surgem as luzes diurnas, igualmente em LED, de formato esguio. Os arcos de roda são também maiores face ao antecessor, enquanto atrás os farolins surgem unidos por uma faixa luminosa que percorre toda a traseira. De um modo geral a Hyundai conseguiu tornar o Santa Fe numa proposta mais apelativa com este restyling.

Interior

Interior (8/10) Passando para o interior, começamos por falar no espaço. O Hyundai Santa Fe 1.6 HEV que tivemos para ensaio tem a possibilidade de transportar até 7 pessoas graças a três filas de bancos. Tanto na primeira como na segunda fila o espaço é abundante, como um verdadeiro carro de cariz familiar deve ser. Já a terceira fila, que conta com bancos escamoteáveis sob o piso da bagageira quando não estão a ser utilizados, o acesso é algo complexo. Para além disso, é necessário “roubar” algum espaço aos passageiros da segunda fila com o deslizar dos bancos para que os passageiros dos dois últimos lugares tenham algum espaço para pernas. Seja como for, é efetivamente possível viajar com sete pessoas.

O habitáculo mostra ainda um cuidado especial na construção e materiais utilizados por parte da Hyundai numa qualidade geral satisfatória, embora tenhamos encontrado alguns plásticos menos convincentes. Sentados no banco do condutor temos à nossa frente um painel de instrumentos digital, contudo, é na consola central que está o “painel de controlo” do Hyundai Santa Fe. De facto, a consola está recheada de botões com as mais variadas funções, nomeadamente, os controlos da caixa de velocidades, controlos da climatização, botões referentes ao sistema de infotainment, cujas informações são transmitidas no ecrã central, modos de condução e até refrigeração e aquecimento dos bancos dianteiros.  Nos primeiros quilómetros tivemos de tirar os olhos da estrada para perceber em que botão estávamos a carregar, mas após alguma habituação as dificuldades acabam por desaparecer. 

Equipamento

Equipamento (8/10) Sendo o topo de gama da Hyundai, não é de estranhar que o Santa Fe conte com um um recheio de equipamento muito positivo. A unidade em ensaio recorre ao nível Vanguard + Luxury, uma variante que garante de série bancos dianteiros com regulação elétrica, ventilados e aquecidos, jantes de 19 polegadas, faróis e farolins em LED, ecrã central de 10,25 polegadas, painel de instrumentos digital, carregador wireless para smartphone, head-up display, teto panorâmico com abertura elétrica, assistência de prevenção de colisões de estacionamento automático, câmara 360º, câmara de deteção de ângulo morto, estofos em pele, entre outros. O único opcional desta unidade é a pintura metalizada que acrescenta ao preço base 519€.

Consumos

Consumos (7/10) Relativamente a consumos, a Hyundai anuncia uma média de 6,7 l/100 km. Contudo, durante o nosso ensaio percebemos que esse valor é complicado de conseguir, com a média a andar nos 7,6 l/100 km. Em cidade, a possibilidade de percorrer alguns metros em modo 100% elétrico ajuda a manter os consumos “contidos”.

Ao volante

Ao volante (7/10) Ao volante, o Hyundai Santa Fe 1.6 HEV apresentou um bom equilíbrio entre conforto e cariz dinâmico. De facto, apesar do natural adornar de carroçaria graças às dimensões e peso que possui, tem uma postura firme e segura, mas não tanto como os rivais Seat Tarraco ou Peugeot 5008. Em cidade, a possibilidade de arrancar em modo elétrico ajuda a ter uma “estadia” de para-arranca mais tranquila e suave. Já em autoestrada, esta variante 1.6 HEV tem “pulmão” suficiente para impulsionar os mais de 1800 kg do conjunto, permitindo fazer vários quilómetros sempre em conforto com o apoio das várias “mordomias” oferecidas pela Hyundai nesta variante, como é o caso dos já mencionados bancos ventilados.

Concorrentes

Seat Tarraco FR 1.4 e-Hybrid – Motorização: quatro cilindros de 1.4 litros, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 245 cv; número de lugares: 5 (7 lugares apenas nas versões a combustão) consumo combinado: 1.8 l/100 km; preço base: 50 102€

Peugeot 5008 GT 2.0 BlueHDi – Motorização: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo, Diesel; potência: 180 cv; número de lugares: 7; consumo combinado: 5,9 l/100 km; preço base: 52 330€

Motor

Motor (8/10) Debaixo do capot o Hyundai Tucson 1.6 HEV está equipado com um motor quatro cilindros de 1.6 litros a gasolina, associado a um motor elétrico, que garantem uma potência combinada de 230 cv e 350 Nm de binário. A variante híbrida, acoplada a uma transmissão automática (conversor de binário) de 6 velocidades, consegue acelerar dos 0 aos 100 km/h em 8,9 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 187 km/h. A título de curiosidade, é 0,1 segundos mais rápido do que a variante Diesel na aceleração até aos 100 km/h, contudo, tem uma velocidade máxima inferior (205 km/h no Diesel).

Balanço final

Balanço final (8/10) Em suma, o Hyundai Santa Fe 1.6 HEV é, sem dúvida, o modelo mais luxuoso da marca sul coreana. Para além de espaço suficiente para transportar sete pessoas, e abundante quando se trata de apenas 5, a motorização híbrida oferece uma suavidade bastante positiva, principalmente em cidade. Destaque ainda para um recheio de equipamento e de tecnologia muito satisfatórios e que ajudam a tornar o habitáculo um local agradável, tanto nos dias quentes do verão, como nos mais frios de inverno.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, gasolina + sistema híbrido (1 motor elétrico)

Cilindrada (cm3): 1598

Diâmetro x Curso (mm): 75,6 x 89

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 230/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 350/n.d.

Tração: dianteira

Transmissão: Automática 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / paralelograma deformável

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,9

Velocidade máxima (km/h): 187

Consumos misto (l/100 km): 6,7

Emissões CO2 (gr/km): 153

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4785/1900/1685

Distância entre eixos (mm): 2765

Largura de vias (fr/tr mm): 1651/1651

Peso (kg): 1855

Capacidade da bagageira (l): 571(duas filas de bancos) -1649 (segunda e terceira fila rebatidas)

Deposito de combustível (l): 67

Pneus (fr/tr): 235/55 R19

Preço da versão ensaiada: 60 725€ (55 725 com Campanha de Financiamento CETELEM)

Preço da versão base: 59 475€

Preço da versão ensaiada (Euros): 60725€
Preço da versão base (Euros): 59475€