Jeep Compass 1.3 Turbo – Ensaio Teste

By on 11 Junho, 2021

Jeep Compass 1.3 Turbo – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Renovação com foco na tecnologia

A Jeep decidiu atualizar a gama do Compass para o tornar mais apelativo num segmento onde a competição é feroz. Nesta renovação, o SUV mantém o característico visual, embora com algumas mudanças, uma capacidade todo-o-terreno acima da média e, a isto, um reforço tecnológico bastante sentido no interior. Tivemos a oportunidade de o ensaiar com o motor 1.3 litros turbo a gasolina com 130 cv, solução essa que é acompanhada por uma caixa manual. Evoluiu o suficiente?


Mais:

Visual robusto; espaço no habitáculo, condução dinâmica

Menos:

Consumos; plásticos duros ao toque

Exterior

8/10

Exterior (8/10) A Jeep decidiu não mexer em demasia no design exterior e, diga-se, ainda bem. É necessário um olhar atento para perceber onde é que a marca norte-americana decidiu operar mudanças, mas destacamos a inclusão de faróis dianteiros redesenhados, as luzes diurnas reposicionadas e a reformulação da tradicional grelha. De um modo geral, está igual a si mesmo, ou seja, um design robusto e marcadamente Jeep.

Interior

8/10

Interior (8/10) Se por fora o Jeep Compass mudou pouco, o mesmo não se pode dizer do interior. Assim que nos sentamos no banco do condutor deparamo-nos com um painel instrumentos totalmente digital e personalizável com toda a informação necessária à condução disponível. Ao centro, o sistema de infotainment apresenta-se num ecrã, em posição elevada, que deu um “pulo” face ao pré-restyling. De facto, para além de menus bem “arrumados” tem também um grafismo mais moderno. Ainda assim, de referir que o seu funcionamento não é tão rápido como seria de esperar. Apesar da digitalização estar na ordem do dia, a Jeep decidiu manter os botões físicos em várias funcionalidades como é o caso dos comandos do ar condicionado que, curiosamente, também pode ser comandado no ecrã tátil, numa tentativa de agradar a “gregos e troianos”.

Relativamente à habitabilidade o Jeep Compass não desilude. Nos bancos de trás os passageiros viajam sem qualquer tipo de desconforto graças espaço abundante para pernas e cabeça. Destaque ainda para a inclusão de uma tomada de 12V e USB para os bancos traseiros. Um dos pontos menos positivos é a utilização de plásticos duros ao toque em praticamente todo o habitáculo e uma construção que aparentou não ser tão robusta como outrora.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) No que diz respeito a equipamento, a unidade em ensaio está munida do nível Limited. Esta é a variante “do meio” ao ser mais recheada do que o Sport e Longitude, mas não tanto como o 80th Anniversary ou o S. Perante isto, o Limited apresenta, de série, coisas como ar condicionado automático, aviso de colisão frontal, cruise control adaptativo, câmara traseira e sensores de estacionamento, faróis e farolins LED, sistema keyless, sensores de luz e chuva, saídas de escape cromadas, ecrã central de 10,1 polegadas com sistema Uconnect 5, painel de instrumentos digital de 10,25 polegadas, vidros traseiros escurecidos, entre outros.

Consumos

/10

Consumos (6/10) Um dos principais “calcanhares de Aquiles” deste motor 1.3 Turbo são os consumos. A Jeep anuncia uma média combinada de 6,6 l/100 km, mas durante o nosso ensaio percebemos que é preciso ter as condições perfeitas, e um pé direito muito contido, para conseguirmos valores minimamente aproximados. O nosso melhor registo foi de 8,0 l/100 km, um valor distante do apresentado pela marca. Caso grande parte da sua condução seja feita em cidade, pode esperar consumos superiores aos 9l/100 km.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Passando para a condução, o renovado Jeep Compass demonstrou ser um SUV capaz de garantir uma dinâmica interessante graças a uma suspensão ligeiramente mais firme, mas sem que isso prejudique em demasia o conforto. Por outro lado, é também uma proposta com um cariz mais aventureiro e que permite pequenos passeios fora de estrada mesmo nesta versão Limited. Para quem procura um pouco mais de adrenalina pode ser recorrer à variante Trailhawk, mais preparada para as adversidades do todo-o-terreno. 

Motor

7/10

Motor (7/10) Debaixo do capot, o Jeep Compass em ensaio está equipado com o motor quatro cilindros de 1.3 litros, turbo, a gasolina com 130 cv e 270 Nm de binário. Esta motorização, associada à precisa transmissão manual de seis velocidades, mostrou-se ajustada ao modelo, pena mesmo os consumos mais elevados tal como já referimos em cima. Ainda assim, parece ser necessária uma pequena recalibração do acelerador, visto que encontrámos uma ligeira demora entre o pisar do mesmo e a resposta do motor.

Balanço Final

7/10

Balanço Final (7/10) Em suma, o Jeep Compass conjuga um visual robusto e típico da marca-norte americana com um reforço tecnológico interessante. Ao volante, é um SUV divertido de conduzir, tanto em alcatrão como fora dele, o que o torna num dos modelos mais versáteis do segmento em que está inserido. Com este motor 1.3 Turbo a gasolina de 130 cv o Compass tem energia suficiente para cumprir as solicitações diárias, contudo, peca um pouco pelos consumos elevados. Por fim, o Jeep Compass 1.3 Turbo Limited tem um preço base de 33 500€.

Concorrentes

Renault Kadjar TCe 140 – Motor: quatro cilindros de 1.3 litros, gasolina, turbo; potência: 140 cv; consumo combinado: 6,2/6,6 l/100 km; transmissão: manual de seis velocidades; preço base: 31 900€

Seat Ateca 1.5 TSI – Motor: quatro cilindros de 1.5 litros, gasolina, turbo; potência: 150 cv; consumo combinado: 6,5 litros; transmissão: manual de seis velocidades; preço base: 34 871€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 1332

Diâmetro x Curso (mm): 70 x 86,5

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 130/4750

Binário máximo (Nm/rpm): 270/1550

Tração: dianteira

Transmissão: Manual de seis velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / independente tipo McPherson

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,3

Velocidade máxima (km/h): 192

Consumos misto (l/100 km): 6,6

Emissões CO2 (gr/km): 152

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4394/1819/1624

Distância entre eixos (mm): 2636

Largura de vias (fr/tr mm): n.d.

Peso (kg): 1505

Capacidade da bagageira (l): 438

Deposito de combustível (l): 55

Pneus (fr/tr): 225/55 R18

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) A Jeep decidiu não mexer em demasia no design exterior e, diga-se, ainda bem. É necessário um olhar atento para perceber onde é que a marca norte-americana decidiu operar mudanças, mas destacamos a inclusão de faróis dianteiros redesenhados, as luzes diurnas reposicionadas e a reformulação da tradicional grelha. De um modo geral, está igual a si mesmo, ou seja, um design robusto e marcadamente Jeep.

Interior

Interior (8/10) Se por fora o Jeep Compass mudou pouco, o mesmo não se pode dizer do interior. Assim que nos sentamos no banco do condutor deparamo-nos com um painel instrumentos totalmente digital e personalizável com toda a informação necessária à condução disponível. Ao centro, o sistema de infotainment apresenta-se num ecrã, em posição elevada, que deu um “pulo” face ao pré-restyling. De facto, para além de menus bem “arrumados” tem também um grafismo mais moderno. Ainda assim, de referir que o seu funcionamento não é tão rápido como seria de esperar. Apesar da digitalização estar na ordem do dia, a Jeep decidiu manter os botões físicos em várias funcionalidades como é o caso dos comandos do ar condicionado que, curiosamente, também pode ser comandado no ecrã tátil, numa tentativa de agradar a “gregos e troianos”.

Relativamente à habitabilidade o Jeep Compass não desilude. Nos bancos de trás os passageiros viajam sem qualquer tipo de desconforto graças espaço abundante para pernas e cabeça. Destaque ainda para a inclusão de uma tomada de 12V e USB para os bancos traseiros. Um dos pontos menos positivos é a utilização de plásticos duros ao toque em praticamente todo o habitáculo e uma construção que aparentou não ser tão robusta como outrora.

Equipamento

Equipamento (8/10) No que diz respeito a equipamento, a unidade em ensaio está munida do nível Limited. Esta é a variante “do meio” ao ser mais recheada do que o Sport e Longitude, mas não tanto como o 80th Anniversary ou o S. Perante isto, o Limited apresenta, de série, coisas como ar condicionado automático, aviso de colisão frontal, cruise control adaptativo, câmara traseira e sensores de estacionamento, faróis e farolins LED, sistema keyless, sensores de luz e chuva, saídas de escape cromadas, ecrã central de 10,1 polegadas com sistema Uconnect 5, painel de instrumentos digital de 10,25 polegadas, vidros traseiros escurecidos, entre outros.

Consumos

Consumos (6/10) Um dos principais “calcanhares de Aquiles” deste motor 1.3 Turbo são os consumos. A Jeep anuncia uma média combinada de 6,6 l/100 km, mas durante o nosso ensaio percebemos que é preciso ter as condições perfeitas, e um pé direito muito contido, para conseguirmos valores minimamente aproximados. O nosso melhor registo foi de 8,0 l/100 km, um valor distante do apresentado pela marca. Caso grande parte da sua condução seja feita em cidade, pode esperar consumos superiores aos 9l/100 km.

Ao volante

Ao volante (8/10) Passando para a condução, o renovado Jeep Compass demonstrou ser um SUV capaz de garantir uma dinâmica interessante graças a uma suspensão ligeiramente mais firme, mas sem que isso prejudique em demasia o conforto. Por outro lado, é também uma proposta com um cariz mais aventureiro e que permite pequenos passeios fora de estrada mesmo nesta versão Limited. Para quem procura um pouco mais de adrenalina pode ser recorrer à variante Trailhawk, mais preparada para as adversidades do todo-o-terreno. 

Concorrentes

Renault Kadjar TCe 140 – Motor: quatro cilindros de 1.3 litros, gasolina, turbo; potência: 140 cv; consumo combinado: 6,2/6,6 l/100 km; transmissão: manual de seis velocidades; preço base: 31 900€

Seat Ateca 1.5 TSI – Motor: quatro cilindros de 1.5 litros, gasolina, turbo; potência: 150 cv; consumo combinado: 6,5 litros; transmissão: manual de seis velocidades; preço base: 34 871€

Motor

Motor (7/10) Debaixo do capot, o Jeep Compass em ensaio está equipado com o motor quatro cilindros de 1.3 litros, turbo, a gasolina com 130 cv e 270 Nm de binário. Esta motorização, associada à precisa transmissão manual de seis velocidades, mostrou-se ajustada ao modelo, pena mesmo os consumos mais elevados tal como já referimos em cima. Ainda assim, parece ser necessária uma pequena recalibração do acelerador, visto que encontrámos uma ligeira demora entre o pisar do mesmo e a resposta do motor.

Balanço final

Balanço Final (7/10) Em suma, o Jeep Compass conjuga um visual robusto e típico da marca-norte americana com um reforço tecnológico interessante. Ao volante, é um SUV divertido de conduzir, tanto em alcatrão como fora dele, o que o torna num dos modelos mais versáteis do segmento em que está inserido. Com este motor 1.3 Turbo a gasolina de 130 cv o Compass tem energia suficiente para cumprir as solicitações diárias, contudo, peca um pouco pelos consumos elevados. Por fim, o Jeep Compass 1.3 Turbo Limited tem um preço base de 33 500€.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 1332

Diâmetro x Curso (mm): 70 x 86,5

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 130/4750

Binário máximo (Nm/rpm): 270/1550

Tração: dianteira

Transmissão: Manual de seis velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / independente tipo McPherson

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,3

Velocidade máxima (km/h): 192

Consumos misto (l/100 km): 6,6

Emissões CO2 (gr/km): 152

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4394/1819/1624

Distância entre eixos (mm): 2636

Largura de vias (fr/tr mm): n.d.

Peso (kg): 1505

Capacidade da bagageira (l): 438

Deposito de combustível (l): 55

Pneus (fr/tr): 225/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 34822€
Preço da versão base (Euros): 33500€