Land Rover Discovery Sport P300e – Ensaio Teste

By on 28 Outubro, 2021

Land Rover Discovery Sport P300e – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Será esta a melhor versão do Discovery Sport?

Apesar de ainda não ter nenhum 100% elétrico na gama, a Land Rover está a apostar forte na eletrificação dos seus modelos através de versões híbridas plug-in. Um deles é o Land Rover Discovery Sport que tem na versão P300e a junção de um motor a combustão a um elétrico que garantem uma potência máxima de 309 cv. No entanto, um dos seus pontos de maior destaque é a autonomia elétrica que chega aos 62 km com apenas um carregamento. O P300e tem o que é preciso para ser a melhor escolha da gama Discovery Sport?


Mais:

Capacidade fora de estrada, autonomia elétrica, volumetria da bagageira

Menos:

resposta do motor quando acaba a bateria, preço

Exterior

8/10

Exterior (8/10) Tal como acontece, por exemplo, no Evoque, a versão híbrida plug-in P300e apresenta um exterior em tudo semelhante às versões a combustão pura e, diga-se, ainda bem. Isto porque, a atualização que sofreu há sensivelmente dois anos acrescentou para-choques redesenhados e uma nova assinatura luminosa a um design robusto com uma dianteira em linha com a restante gama. A única diferença é mesmo a inclusão de uma entrada de carregamento do lado esquerdo e, claro, a designação da versão.

Interior

7/10

Interior (7/10) Tal como no exterior, também o interior está em linha com o que já conhecemos do modelo. Ou seja, somos brindados com praticamente todas as superfícies do habitáculo revestidas que ajudam a criar um ambiente sóbrio, mas bem conseguido. A consola central apresenta-se com um ecrã central com dimensões inferiores às que o mundo automóvel nos tem habituado, enquanto em baixo surge um painel digital onde são controladas várias funções do veículo, como por exemplo, a climatização. O sistema de infotainment conta com menus específicos desta versão híbrida plug-in.

Relativamente a espaço, o Land Rover Discovery Sport P300e só está disponível na configuração de cinco lugares, o que acaba por ser uma coisa positiva. Ao invés de ter dois bancos que raramente são utilizados, o Discovery Sport P300e garante um total de 780 litros de bagageira que chega e sobra para todas as bagagens de uma família. Já os bancos da segunda fila contam com ajuste longitudinal e permitem transportar adultos com mais de 1,80 cm com conforto.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) A unidade em ensaio conta com o nível de equipamento R-Dynamic S, o intermédio da gama. Nesta versão, o Discovery Sport P300e garante de série coisas como faróis automáticos, pack exterior black, sistema de infotainment Pivi Pro, conectividade através de Apple CarPlay e Android Auto, reconhecimento de sinais de trânsito, limitador de velocidade adaptativo, travagem de emergência, sensor de passagem a vau, assistência à manutenção da faixa, câmara surround 3D, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, modos de condução, entre outros. Porém, a lista de opcionais disponibilizados pela Land Rover é longa e nesta unidade destaca-se a inclusão de jantes de 20 polegadas (2385€), vidros escurecidos (453€), faróis em LED premium (1160€), driver assist pack (1757€), technology pack (2065€), acesso sem chave (543€) e tampa da bagageira elétrica (550€).

Consumos

7/10

Consumos (7/10) Relativamente a consumos, o Land Rover Discovery Sport P300e tem um valor anunciado de 2,0 l/100 km. Durante o nosso ensaio conseguimos realizar, nos primeiros 100 km e com a bateria completa antes de iniciar marcha, 2,9 l/100 km, um valor não muito distante do anunciado. Isto só é possível graças à autonomia elétrica que, no nosso caso, chegou para percorrer 59 km. Ainda assim, se andar vários quilómetros sem a ajuda da bateria, será difícil baixar dos 9 l/100 km.

Ao Volante

7/10

Ao volante (7/10) Uma das grandes vantagens do Land Rover Discovery Sport P300e é a suavidade durante a condução, principalmente quando seguimos em modo 100% elétrico. A suspensão adota uma afinação que favorece o conforto o que ajuda a filtrar as irregularidades da estrada da melhor forma. No capítulo dinâmico, as 2,1 toneladas de peso são sentidas em trajetos mais sinuosos, porém, é possível manter a potência no chão ao sair da curva.

É quase impossível falar de um Land Rover sem mencionar a sua capacidade fora de estrada. Como é tradição na marca britânica, este SUV permite passeios fora do alcatrão sempre ajudados por modos de condução que se ajustam aos vários tipos de terreno. De referir que esta versão P300e perde em alguns pontos para as versões a combustão pura, como é o caso da diminuição da altura ao solo de 212 mm para 172 mm. Também o ângulo ventral passou dos 20,6º para 19,5º. Apesar de ter capacidade para andar em caminhos difíceis, não é um “puro e duro” como por exemplo o Wrangler ou o Defender. 

Motor

7/10

Motor (7/10) A versão P300e neste Discovery Sport adota o motor mais pequeno da família de Ingenium, ou seja, o três cilindros de 1.5 litros turbo, acompanhado por um motor elétrico. Esta configuração é igual à utilizada no Evoque e, por isso, debita 309 cv e 540 Nm de binário. A potência chega às quatro rodas através da transmissão automática de oito velocidades, configuração esta que permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,6 segundos e atingir uma velocidade máxima de 209 km/h. Esta solução tem uma boa resposta ao acelerador quando existe energia na bateria, porém, quando a mesma acaba, as mais de duas toneladas do Discovery Sport são impulsionadas somente pelo três cilindros com 200 cv e a resposta é substancialmente mais contida. De referir ainda que o ruído deste bloco é sentido no habitáculo.

Balanço Final

7/10

Balanço Final (7/10) Em suma, o nome Discovery Sport tem alguma tradição na marca britânica, e esta versão P300e é necessária para cumprir as metas de emissões impostas. Se tem capacidade para carregar o Discovery Sport P300e regularmente, na garagem de sua casa ou no trabalho, então esta solução poderá ser a mais indicada, visto que conseguimos, com relativa facilidade, realizar mais de 55 km em modo 100% elétrico. Por outro lado, se pretende um Discovery Sport para fazer viagens mais longas, então talvez a melhor opção ainda seja uma versão Diesel onde os consumos são mais contidos.

Concorrentes

DS 7 E-Tense 4×4 – Motor: quatro cilindros, 1.6 litros, turbo + 2 motores elétricos; Potência: 300 cv e 520 Nm; Autonomia elétrica: 58 km; Consumos: 1,5 l/100 km; Preço base: 57 150€

Audi Q5 50 TFSIe quattro – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 300 cv e 450 Nm; Autonomia elétrica: 62 km; Consumos: 1,5 l/100 km; Preço base: n.d.

BMW X3 xDrive30e – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 292 cv e 420 Nm; Autonomia elétrica: 51 km; Consumos: 1,9 l/100 km; Preço base: 65 300€

Mercedes-Benz GLC 300 e 4MATIC – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 320 cv e 700 Nm; Autonomia elétrica: 49 km; Consumos: 2,0 l/100 km; Preço base: 69 200€

Volvo XC60 T6 – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 350 cv e 659 Nm; autonomia elétrica: 78 km; Consumos: 1,1 l/100 km; Preço base: 65 373€

 

 

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 3 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in (1 motor elétrico)

Cilindrada (cm3): 1498

Diâmetro x Curso (mm): 83 x 92,3

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Bateria (kWh): 15

Potência máxima (CV/rpm): 309/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 540/2000-2500

Tração: Integral

Transmissão: Automática de 8 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson /

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 6,6

Velocidade máxima (km/h): 209

Consumos misto (l/100 km): 1,6-2.0

Autonomia elétrica: 62 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 36-44 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4597/1894/1727

Distância entre eixos (mm): 2741

Largura de vias (fr/tr mm): 1636/1642

Peso (kg): 2168

Capacidade da bagageira (l): 780

Deposito de combustível (l): 57

Pneus (fr/tr): 235/50 R20

Preço da versão ensaiada: 70 395€

Preço da versão base: 59 405€

 

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Tal como acontece, por exemplo, no Evoque, a versão híbrida plug-in P300e apresenta um exterior em tudo semelhante às versões a combustão pura e, diga-se, ainda bem. Isto porque, a atualização que sofreu há sensivelmente dois anos acrescentou para-choques redesenhados e uma nova assinatura luminosa a um design robusto com uma dianteira em linha com a restante gama. A única diferença é mesmo a inclusão de uma entrada de carregamento do lado esquerdo e, claro, a designação da versão.

Interior

Interior (7/10) Tal como no exterior, também o interior está em linha com o que já conhecemos do modelo. Ou seja, somos brindados com praticamente todas as superfícies do habitáculo revestidas que ajudam a criar um ambiente sóbrio, mas bem conseguido. A consola central apresenta-se com um ecrã central com dimensões inferiores às que o mundo automóvel nos tem habituado, enquanto em baixo surge um painel digital onde são controladas várias funções do veículo, como por exemplo, a climatização. O sistema de infotainment conta com menus específicos desta versão híbrida plug-in.

Relativamente a espaço, o Land Rover Discovery Sport P300e só está disponível na configuração de cinco lugares, o que acaba por ser uma coisa positiva. Ao invés de ter dois bancos que raramente são utilizados, o Discovery Sport P300e garante um total de 780 litros de bagageira que chega e sobra para todas as bagagens de uma família. Já os bancos da segunda fila contam com ajuste longitudinal e permitem transportar adultos com mais de 1,80 cm com conforto.

Equipamento

Equipamento (8/10) A unidade em ensaio conta com o nível de equipamento R-Dynamic S, o intermédio da gama. Nesta versão, o Discovery Sport P300e garante de série coisas como faróis automáticos, pack exterior black, sistema de infotainment Pivi Pro, conectividade através de Apple CarPlay e Android Auto, reconhecimento de sinais de trânsito, limitador de velocidade adaptativo, travagem de emergência, sensor de passagem a vau, assistência à manutenção da faixa, câmara surround 3D, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, modos de condução, entre outros. Porém, a lista de opcionais disponibilizados pela Land Rover é longa e nesta unidade destaca-se a inclusão de jantes de 20 polegadas (2385€), vidros escurecidos (453€), faróis em LED premium (1160€), driver assist pack (1757€), technology pack (2065€), acesso sem chave (543€) e tampa da bagageira elétrica (550€).

Consumos

Consumos (7/10) Relativamente a consumos, o Land Rover Discovery Sport P300e tem um valor anunciado de 2,0 l/100 km. Durante o nosso ensaio conseguimos realizar, nos primeiros 100 km e com a bateria completa antes de iniciar marcha, 2,9 l/100 km, um valor não muito distante do anunciado. Isto só é possível graças à autonomia elétrica que, no nosso caso, chegou para percorrer 59 km. Ainda assim, se andar vários quilómetros sem a ajuda da bateria, será difícil baixar dos 9 l/100 km.

Ao volante

Ao volante (7/10) Uma das grandes vantagens do Land Rover Discovery Sport P300e é a suavidade durante a condução, principalmente quando seguimos em modo 100% elétrico. A suspensão adota uma afinação que favorece o conforto o que ajuda a filtrar as irregularidades da estrada da melhor forma. No capítulo dinâmico, as 2,1 toneladas de peso são sentidas em trajetos mais sinuosos, porém, é possível manter a potência no chão ao sair da curva.

É quase impossível falar de um Land Rover sem mencionar a sua capacidade fora de estrada. Como é tradição na marca britânica, este SUV permite passeios fora do alcatrão sempre ajudados por modos de condução que se ajustam aos vários tipos de terreno. De referir que esta versão P300e perde em alguns pontos para as versões a combustão pura, como é o caso da diminuição da altura ao solo de 212 mm para 172 mm. Também o ângulo ventral passou dos 20,6º para 19,5º. Apesar de ter capacidade para andar em caminhos difíceis, não é um “puro e duro” como por exemplo o Wrangler ou o Defender. 

Concorrentes

DS 7 E-Tense 4×4 – Motor: quatro cilindros, 1.6 litros, turbo + 2 motores elétricos; Potência: 300 cv e 520 Nm; Autonomia elétrica: 58 km; Consumos: 1,5 l/100 km; Preço base: 57 150€

Audi Q5 50 TFSIe quattro – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 300 cv e 450 Nm; Autonomia elétrica: 62 km; Consumos: 1,5 l/100 km; Preço base: n.d.

BMW X3 xDrive30e – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 292 cv e 420 Nm; Autonomia elétrica: 51 km; Consumos: 1,9 l/100 km; Preço base: 65 300€

Mercedes-Benz GLC 300 e 4MATIC – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 320 cv e 700 Nm; Autonomia elétrica: 49 km; Consumos: 2,0 l/100 km; Preço base: 69 200€

Volvo XC60 T6 – Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo + 1 motor elétrico; Potência: 350 cv e 659 Nm; autonomia elétrica: 78 km; Consumos: 1,1 l/100 km; Preço base: 65 373€

 

 

Motor

Motor (7/10) A versão P300e neste Discovery Sport adota o motor mais pequeno da família de Ingenium, ou seja, o três cilindros de 1.5 litros turbo, acompanhado por um motor elétrico. Esta configuração é igual à utilizada no Evoque e, por isso, debita 309 cv e 540 Nm de binário. A potência chega às quatro rodas através da transmissão automática de oito velocidades, configuração esta que permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,6 segundos e atingir uma velocidade máxima de 209 km/h. Esta solução tem uma boa resposta ao acelerador quando existe energia na bateria, porém, quando a mesma acaba, as mais de duas toneladas do Discovery Sport são impulsionadas somente pelo três cilindros com 200 cv e a resposta é substancialmente mais contida. De referir ainda que o ruído deste bloco é sentido no habitáculo.

Balanço final

Balanço Final (7/10) Em suma, o nome Discovery Sport tem alguma tradição na marca britânica, e esta versão P300e é necessária para cumprir as metas de emissões impostas. Se tem capacidade para carregar o Discovery Sport P300e regularmente, na garagem de sua casa ou no trabalho, então esta solução poderá ser a mais indicada, visto que conseguimos, com relativa facilidade, realizar mais de 55 km em modo 100% elétrico. Por outro lado, se pretende um Discovery Sport para fazer viagens mais longas, então talvez a melhor opção ainda seja uma versão Diesel onde os consumos são mais contidos.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 3 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasolina + sistema híbrido plug-in (1 motor elétrico)

Cilindrada (cm3): 1498

Diâmetro x Curso (mm): 83 x 92,3

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Bateria (kWh): 15

Potência máxima (CV/rpm): 309/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 540/2000-2500

Tração: Integral

Transmissão: Automática de 8 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson /

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 6,6

Velocidade máxima (km/h): 209

Consumos misto (l/100 km): 1,6-2.0

Autonomia elétrica: 62 km (WLTP)

Emissões CO2 (gr/km): 36-44 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4597/1894/1727

Distância entre eixos (mm): 2741

Largura de vias (fr/tr mm): 1636/1642

Peso (kg): 2168

Capacidade da bagageira (l): 780

Deposito de combustível (l): 57

Pneus (fr/tr): 235/50 R20

Preço da versão ensaiada: 70 395€

Preço da versão base: 59 405€

 

Preço da versão ensaiada (Euros): 70395€
Preço da versão base (Euros): 59405€