Lexus NX 300h Executive+ Ensaio Teste

By on 28 Junho, 2018

Lexus NX 300h Executive +

Texto: Filipe Pinto Mesquita

E porque não?

 No reino dos SUV premium, a Lexus não tem vida fácil, mas o renovado NX 300h entra em campo com elevada e legítima dose de confiança. Se está com aquele olhar desconfiado por ser a gasolina, fique a saber que a associação de uma motorização elétrica, que faz dele híbrido, pode tornar uma proposta interessante e não só por causa dos consumos…

Numa altura em que os motores diesel estão a ser “bombardeados” e algumas marcas lutam batendo, desesperadamente, o pé para manter a sua sobrevivência, a Lexus não convive com esse problema. Há muito que o construtor abraçou a tecnologia híbrida (motor a gasolina e elétrico) e sabe tirar partido dessa “ciência”. O aperfeiçoado NX 300 h é bom exemplo e promete recuperar terreno para os SUVs alemães que ainda dominam a categoria, na vertente, premium.  

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Qualidade / Habitabilidade / Consumos

 

Menos:

Direção pesada / Ruído com caixa E-CVT em esforço

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Apesar da Lexus ter no mercado norte-americano e também na Europa uma boa parte dos seus seguidores, a marca não abdica das suas raízes orientais. O design do Lexus NX é prova disso, com traços de cosmética que nos transportam para o universo nipónico e um design que, apesar de inegavelmente moderno, não é consensual em termos de beleza. Face à anterior versão, este NX viu reformulado alguns apontamentos estéticos, como a grelha-assinatura fusiforme, cujo impacto visual decididamente aumentou, até porque passou a representar maior identidade da marca (alguns pormenores colam-no ao coupé desportivo LC), com o efeito “boomerang” das linhas frontais a tornar-se mais evidente, como noutros modelos da Lexus. Para isso, o desenho dos indicadores de mudança de direção sequenciais foi fundamental, tal como os faróis LED que, com uma nova disposição, tornaram o visual mais agressivo e desportivo.

E enquanto, visto de trás, as saídas de escape têm nova configuração e os novos grupos óticos traseiros denotam uma forma alongada com uma aplicação escurecida que destaca as lentes em forma de L, na perspetiva lateral o SUV apresenta um formato descendente de trás para a frente muito pronunciado que, as más línguas, referiram ter algumas semelhanças com uma “amêndoa da Páscoa”. Os plásticos dos guarda-lamas dianteiros e traseiros eram dispensáveis, ainda para mais nesta versão de tração dianteira, retirando ao modelo alguma classe, que é compensada pelas discretas barras cromadas no tejadilho.

Interior

A atualização do NX também teve repercussões no habitáculo, onde as quotas de habitabilidade continuam a impressionar, sobretudo, nos lugares traseiros onde três pessoas viajam quase confortavelmente, mas onde para duas há espaço de sobra sob qualquer ângulo. A inclinação dos bancos traseiros é uma mais valia para o conforto e os 555 litros da bagageira (com portão elétrico) dão para levar muita “tralha” no fim-de-semana ou nas férias. Contudo, não restam dúvidas que as maiores mordomias foram pensadas para o condutor e passageiro, à volta dos quais gira o mundo Lexus neste NX. As mudanças operadas tornaram mais visível o écran de infoentretenimento central que passou de 7 para 10,3’’ e integra, de série, o sistema Lexus Premium Navegation. Se muitos concorrentes optaram já pelo controlo tátil do painel multimédia, a Lexus voltou a insistir no “touch pad” (igual ao dos usados nos computadores portáteis), de maiores dimensões, que não sendo a solução ideal, tem funcionalidade melhorada, com o controlo do rato a ser agora mais fácil. O painel de controlo da climatização, agora instalado no centro da consola superior e integrando quatro comutadores, é também agora mais fácil de lidar e intuitivo. Já as patilhas que operam o sistema seletor de velocidades não têm utilização prática funcional, não tanto pelas suas reduzidas dimensões, mas porque estão associadas à caixa de velocidades de variação contínua E-CVT, que é tudo menos desportiva.

 

Equipamento

O catálogo do Lexus NX 300h não deixe margens para dúvidas. Entre todos os mecanismos que integram a versão Executive + é possível usufruir de mais de 60 itens de equipamento de série, muitos dos quais relacionados com a segurança, que é bom saber que lá estão, mas preferível não ter que os sentir em plena ação.

Para melhor visão, estão integradas luzes de circulação diurna LED, luzes traseiras combinadas LED faróis médios Bi-LED, faróis de nevoeiro dianteiros LED com função de assistência em curva e sistema de máximos automático. Mas os espelhos retrovisores com aquecimento, regulação/recolha elétrica e indicadores de mudança de direção, os sensores de chuva e de luz, o vidro escurecido isolador de calor e raios ultravioleta, o indicador de mudança de direção sequencial, os sensores de estacionamento à frente e atrás, o sistema Smart Entry & Start (entrada e ignição sem chave), os vidros traseiros escurecidos e kit reparação de pneus também podem ser úteis em qualquer altura.

Ao nível do conforto e comodidade interior, a versão Executive + do NX 300h também deixa pouco a desejar. A “culpa” é da alavanca de velocidades em pele, do apoio de braços central dianteiro/traseiro com compartimento para arrumação, do controlo de climatização eletrónico de duas zonas, do filtro de habitáculo com modo de remoção de pólen ativo, do travão de mão com acionamento elétrico, da tomada de 12V, do volante de 3 raios em pele com patilhas seletoras de velocidade, do espelho retrovisor eletrocromático (anti-encandeamento automático), do volante ajustável em altura e profundidade manualmente, da porta da bagageira de acionamento elétrico, das inserções em prateado, dos bancos em pele com 8 posições de ajuste elétrico (condutor/passageiro), dos bancos traseiros com rebatimento manual (60/40) e dos bancos dianteiros aquecidos, que ajudam a melhorar o ambiente a bordo. Há também um pequeno espelho na consola central que, por ser amovível, pode ser muito útil.

No “capítulo” da comunicação, o Lexus NX 300h Executive+ apresenta-se bem conectado com o mundo, oferecendo comandos áudio, telemóvel e voz no volante, entrada AUX (compatível com VTR) e 2 portas USB, ligação Bluetooth® para telemóvel e áudio, relógio analógico, monitor de assistência ao estacionamento com guias integradas, ‘Lexus Navegação Premium” com serviços conectados e sistema de áudio de 10 altifalantes com sintonizador DAB.

Evidentemente, que em matéria de segurança a Lexus não deixou nada ao acaso, dotando o seu SUV com controlo de assistência ao arranque em subida, luzes de travagem ativas (de emergência), sistema de aviso da pressão dos pneus, sistemas de travagem, estabilidade, direção e controlo de tração. O “Lexus Safety System +”, que integra sistema de segurança de pré-colisão, cruise control adaptativo (sem restrição de velocidade), sistema de alerta à mudança de faixa de rodagem, assistência à manutenção na faixa de rodagem e sistema de reconhecimento dos sinais de trânsito, é outro dos sistemas que zela pela segurança a bordo e que também marca presença. Da mesma forma, de resto, que a panóplia de airbags – frontais, laterais, cortina, joelhos (condutor) – disponíveis, a que acrescem os bancos dianteiros com sistema de proteção coluna cervical, os pré-tensores dos cintos de segurança nos bancos dianteiros e traseiros e o sistema de fixação ISOFIX (banco traseiro esquerdo e direito).

Finalmente, no que concerne à proteção, o alarme anti-roubo, o sistema duplo de fecho de portas e o fecho de portas automático tornam o Lexus mais seguro face aos “amigos do alheio”.

Consumos

O sistema de funcionamento do NX 300h privilegia o modo elétrico (EV) sempre que não se pede demasiada energia à fonte de propulsão. Mas com o seu peso e se a pressa for alguma, a maior parte do tempo será passada a gastar gasolina e não eletricidade. Feitas as contas, apesar de tudo, o SUV Premium da Lexus oferece consumos moderados: longe dos 5.2 l/100 km de média oficiais, mas dentro dos 7.8 l/100 km reais. Nada mau, para um carro que a maior parte do tempo tem um motor 2.5 litros a gasolina em ação.

Ao volante

Sempre que nos sentamos ao volante de um SUV Premium as expetativas sobem. Neste caso, não saem goradas porque o NX 300h é um bom companheiro de viagem, em qualquer tipo de estrada, à exceção de caminhos particularmente sinuosos, onde, como é natural, o Lexus não se sente no seu habitat primário. O conforto é sempre nota dominante, mesmo se o construtor japonês optou por não equipar o modelo com suspensão adaptativa, como acontece com a maior parte dos concorrentes, o que não prejudica verdadeiramente o prazer ao volante em diferentes situações uma vez que o acerto da suspensão se apresenta como excelente compromisso para ritmos rápidos ou lentos, bom piso ou alcatrão irregular. O pisar é sempre “nobre”, o que acompanhado pela posição elevada de condução, como mandam as regras dos SUV, eleva a sintonia com a estrada.

Com motorização híbrida (motor térmico de 155 cv e motor híbrido de 105 kW), com potência de 197 cv há margem suficiente para praticar uma condução fluída e alcançar boas prestações dinâmicas, mais em matéria de rapidez (9.2s dos 0-100 km/h) do que em velocidade máxima (180 km/h). Em todo o caso, a caixa E-CVT continua a ser um “pau de dois bicos” pois se é uma excelente opção para ritmos moderados de passeio, onde o motor não esteja em esforço, não inibe um ruído excessivo pelo esforço do motor, que nem a desmultiplicação virtual proporcionada pelas patilhas no volante conseguem disfarçar.

Um seletor com três modos de condução – Eco, Normal e Sport – permitem ajustar o tipo de condução à estrada ou estado de espírito do condutor, sendo que ao carregar no modo EV (Veículo Elétrico), o NX 300h explora todo o seu potencial de híbrido, que recarrega a bateria por regeneração em desaceleração ou na travagem, apesar do sistema ser muito sensível ao peso no acelerador, como é hábito nos veículos híbridos.

Nota negativa merece a direção, pouco assistida, e o primeiro ataque ao pedal de travão

Concorrentes

Alfa Romeo Stelvio 2.2 Turbodiesel 210 cv Super AT8AWD Q4 (com 210 cv a partir de 57.800€)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Audi Q3 Quattro 2.0 TDI 184 Design (com 184 Cv, a partir de 51.810 €)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

BMW X3 xDrive 20i Auto (com 184 cv, a partir de 57.960 €)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Jaguar E-Pace 2.0D 180 AWD Auto R-Dynamic (com 180 cv, a partir de 65.203 €)

(Veja o ensaio AQUI)

 

Range Rover Evoque 240 AWD Auto Pure (com 240 cv, a partir 53.719 €)

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mercedes-Benz GLC 250d 4MATIC (com 204 cv, a partir de 58.100€)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volvo XC60 D4 190 Geartronic 8v AWD Momentum (com 190 cv, a partir de 53.193 €)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Balanço final

Se tivermos em conta que praticamente 50% das vendas do Lexus na Europa são da responsabilidade do NX, percebe-se o sucesso deste 300h. Na versão Executive +, o conforto, espaço e requinte são trunfos importantes, o que aliado à regeneração de equipamento e retoques bem conseguidos no design exterior tornam este SUV uma proposta interessante. Além disse, pode pagar só Classe 1 (com Via Verde), e oferece consumos ao nível de um diesel, a um preço mais contido.

Ficha técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha, injeção eletrónica

Cilindrada (cm3): 2494

Diâmetro x curso (mm): 90 x 98

Taxa de Compressão: n.d.

Potência combinada (cv): 197

Potência motor combustão (cv): 155/5700

Potência motor elétrico (kW): 105/

Binário máximo motor combustão (Nm/rpm): 210/4200-4400

Binário máximo motor elétrico (Nm): 270

Transmissão, direção, suspensão e travões

Transmissão e direção: Dianteira, com caixa automática E-CVT; direção de pinhão e cremalheira, assistida

Suspensão (fr/tr): Sistema McPherson, molas em espiral/Duplo braço triangular

Travões (fr/tr): Discos ventilados/discos

Prestações e Consumos

Aceleração: 0-100 km/h (s): 9,2

Velocidade máxima (km/h): 180

Consumos urbano/extra-urb./misto (l/100 km): 5.3/5.2/5.2

Emissões de CO2 (g/km): 121

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4630/1845/1645

Distância entre eixos (mm): 2660

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1560/1560

Peso (kg): 1915

Capacidade da bagageira (l): 555 (1600 com os bancos traseiros rebatidos)

Depósito de combustível (l): 56

Pneus (fr/tr): 225/60 R18

 

Preço da versão base (Euros): 59310€

Deixe um comentário

Please Login to comment