Mercedes-AMG GLE 53 4MATIC+ – Ensaio Teste

By on 20 Dezembro, 2021

Mercedes-AMG GLE 53 4MATIC+ – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O melhor compromisso

A Mercedes tem no AMG GLE 53 4MATIC+ a versão desportiva de entrada. Com um preço base quase 100 mil euros inferior comparativamente com o “todo poderoso” GLE 63 4MATIC+, este “53” faz uma espécie de ponte entre as versões base e o topo de gama, não só em preço, mas também em potência. Será esta a versão AMG do GLE mais equilibrada?


Mais:

Performance, espaço a bordo

Menos:

preço de alguns opcionais

Exterior

8/10

Exterior (8/10) Começando pelo exterior, o Mercedes-AMG GLE 53 diferencia-se das versões base através de um design mais agressivo, algo conseguido com o redesenhar dos para-choques, mas também pelas quatro ponteiras de escape que surgem na traseira. As suas dimensões fazem com que dê nas vistas por onde passa, mesmo com esta cor cinza-escuro que é tão característica dos modelos da marca alemã. Pode não ser tão dinâmico e apelativo como a versão Coupé, mas esta carroçaria “base” garante outras mais valias que vai poder ler no capítulo seguinte.

Interior

9/10

Interior (9/10) Se há coisa que não nos podemos queixar no AMG GLE 53 é de falta de espaço. De facto, a habitabilidade é, sem dúvida, uma das grandes mais valias deste SUV desportivo que oferece a possibilidade de transportar quatro adultos sem qualquer tipo de dificuldade. Destaque ainda para uma bagageira com 630 litros de volumetria, dimensão mais do que suficiente para transportar toda a bagagem de uma família.

Relativamente a tecnologia, o Mercedes-AMG GLE 53 ainda adota uma configuração que conjuga o ecrã do painel de instrumentos e o ecrã central numa peça só, ao contrário do que acontece com os mais recentes modelos da marca, como por exemplo, no Classe C, onde o ecrã central passa a estar numa posição vertical e separado do painel de instrumentos. Apesar disso, continua a ser uma tecnologia bastante atual e fácil de utilizar, muito graças ao comando tátil localizado na consola central. Sendo AMG possui menus específicos dedicados à performance.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) Apesar de ter um bom recheio de série, o GLE 53 tem uma vasta lista de opcionais. No caso da unidade deste ensaio, a Mercedes acrescentou coisas como pack integração de smartphone (406€), acabamento interior AMG em fibra de carbono (1789€), Pack AMG Dynamic Plus (4960€), jantes de 22 polegadas (3577€), Pack Premium Plus (4309€) e realidade aumentada MBUX para sistema de navegação (406€).

Consumos

6/10

Consumos (6/10) Tendo em conta que estamos perante um SUV com mais de duas toneladas de peso e um motor V6 a gasolina, não é surpresa que os consumos não sejam o ponto mais forte do Mercedes-AMG GLE 53. Ainda assim, durante o nosso ensaio conseguimos fazer um consumo médio igual ao anunciado pela marca alemã, 10,6 l/100 km. Em ritmos mais acelerados os consumos sobem com relativa facilidade para valores superiores a 15 l/100 km.

Ao Volante

8/10

Ao Volante (8/10) Mesmo sendo um desportivo puro, o Mercedes-AMG GLE 53 mostrou que também consegue ser um carro de utilização diária. No modo “Comfort”, a suspensão fica um pouco mais suave e a resposta ao acelerador não é tão brusca, tornando as viagens, por exemplo, em cidade, tranquilas e confortáveis. Ainda assim, as dimensões do GLE 53 estão longe de ser as ideais para as ruas mais estreitas da cidade.

Quando saímos da selva urbana podemos explorar uma outra vertente do SUV desportivo. De facto, em autoestrada o GLE 53 provou ser um verdadeiro estradista. Com uma insonorização muito boa, um motor quase inaudível a 120 km/h, e um depósito de combustível com mais de 90 litros, podemos fazer vários quilómetros sem qualquer tipo de problema ou desconforto.

Ao selecionarmos o modo de condução mais desportivo, temos então um verdadeiro SUV desportivo que, apesar de não ser o mais potente da gama, chega (e sobra) para as encomendas. Os 435 cv (mais 22 cv de forma instantânea graças ao sistema mild hybrid), impulsionam as 2,3 toneladas quase sem esforço, sempre com toda a tração disponível muito por culpa da tração integral 4MATIC e das enormes jantes de 22 polegadas.

Motor

8/10

Motor (8/10) Debaixo do capot do Mercedes-AMG GLE 53 encontramos o motor V6, turbo, a gasolina, acompanhado por um sistema mild hybrid de 48V. Esta motorização debita 435 cv e 520 Nm de binário, com um pequeno “boost” momentâneo de 22 cv fornecido pelo pequeno motor elétrico do sistema mild hybrid. Com estas características, o SUV desportivo acelera dos 0 aos 100 km/h em 5,3 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada a 250 km/h. Esta motorização mostrou ter uma resposta ao acelerador rápida a partir das 2000 rpm, sempre com capacidade para impulsionar o SUV. A transmissão automática de 9 velocidades é uma mais valia em autoestrada, mantendo sempre a rotação bastante baixa e, consequentemente, reduzindo o ruído do motor ao mínimo possível.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) Em suma, o Mercedes-AMG GLE 53 é um verdadeiro SUV desportivo e, na nossa opinião, a opção AMG mais equilibrada. Com potência mais do que suficiente, espaço para toda a família e consumos mais contidos do que o 63, esta é a versão a escolher para quem procura um GLE desportivo. Como é comum na marca alemã, o preço base sobe com relativa facilidade graças a uma longa lista de opcionais disponíveis.

Concorrentes

Audi SQ7 – Motor: V8, gasolina; Potência: 507 cv e 770 Nm de binário; 0 aos 100 km/h: 4,1 segundos; Consumo Combinado: 11,9 – 12,4 l/100 km; Preço base: 146 425€

BMW X5 M50i – Motor: V8, gasolina; potência: 530 cv e 750 Nm de binário; 0 aos 100 km/h: 4,3 segundos; Consumo Combinado: 12,2 l/100 km; preço base: 141 300€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 6 cilindros em linha, turbo, gasolina + sistema mild hybrid

Cilindrada (cm3): 2999

Diâmetro x Curso (mm): 83 x 92,4

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 435/5500-6100

Binário máximo (Nm/rpm): 520/1800-5800

Tração: integral

Transmissão: automática de 9 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): suspensão a ar / suspensão a ar

Travões (fr/tr): discos ventilados e perfurados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 5,3

Velocidade máxima (km/h): 250

Consumos misto (l/100 km): 10,6

Emissões CO2 (gr/km): 242

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4937/2018/1782

Distância entre eixos (mm): 2995

Largura de vias (fr/tr mm): 1681/1726

Peso (kg): 2305

Capacidade da bagageira (l): 630

Deposito de combustível (l): 85+9

Pneus (fr/tr): 285/40 ZR22 / 325/35 ZR22

Preço da versão ensaiada (Euros): 137 193€
Preço da versão base (Euros): 118 450€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Começando pelo exterior, o Mercedes-AMG GLE 53 diferencia-se das versões base através de um design mais agressivo, algo conseguido com o redesenhar dos para-choques, mas também pelas quatro ponteiras de escape que surgem na traseira. As suas dimensões fazem com que dê nas vistas por onde passa, mesmo com esta cor cinza-escuro que é tão característica dos modelos da marca alemã. Pode não ser tão dinâmico e apelativo como a versão Coupé, mas esta carroçaria “base” garante outras mais valias que vai poder ler no capítulo seguinte.

Interior

Interior (9/10) Se há coisa que não nos podemos queixar no AMG GLE 53 é de falta de espaço. De facto, a habitabilidade é, sem dúvida, uma das grandes mais valias deste SUV desportivo que oferece a possibilidade de transportar quatro adultos sem qualquer tipo de dificuldade. Destaque ainda para uma bagageira com 630 litros de volumetria, dimensão mais do que suficiente para transportar toda a bagagem de uma família.

Relativamente a tecnologia, o Mercedes-AMG GLE 53 ainda adota uma configuração que conjuga o ecrã do painel de instrumentos e o ecrã central numa peça só, ao contrário do que acontece com os mais recentes modelos da marca, como por exemplo, no Classe C, onde o ecrã central passa a estar numa posição vertical e separado do painel de instrumentos. Apesar disso, continua a ser uma tecnologia bastante atual e fácil de utilizar, muito graças ao comando tátil localizado na consola central. Sendo AMG possui menus específicos dedicados à performance.

Equipamento

Equipamento (8/10) Apesar de ter um bom recheio de série, o GLE 53 tem uma vasta lista de opcionais. No caso da unidade deste ensaio, a Mercedes acrescentou coisas como pack integração de smartphone (406€), acabamento interior AMG em fibra de carbono (1789€), Pack AMG Dynamic Plus (4960€), jantes de 22 polegadas (3577€), Pack Premium Plus (4309€) e realidade aumentada MBUX para sistema de navegação (406€).

Consumos

Consumos (6/10) Tendo em conta que estamos perante um SUV com mais de duas toneladas de peso e um motor V6 a gasolina, não é surpresa que os consumos não sejam o ponto mais forte do Mercedes-AMG GLE 53. Ainda assim, durante o nosso ensaio conseguimos fazer um consumo médio igual ao anunciado pela marca alemã, 10,6 l/100 km. Em ritmos mais acelerados os consumos sobem com relativa facilidade para valores superiores a 15 l/100 km.

Ao volante

Ao Volante (8/10) Mesmo sendo um desportivo puro, o Mercedes-AMG GLE 53 mostrou que também consegue ser um carro de utilização diária. No modo “Comfort”, a suspensão fica um pouco mais suave e a resposta ao acelerador não é tão brusca, tornando as viagens, por exemplo, em cidade, tranquilas e confortáveis. Ainda assim, as dimensões do GLE 53 estão longe de ser as ideais para as ruas mais estreitas da cidade.

Quando saímos da selva urbana podemos explorar uma outra vertente do SUV desportivo. De facto, em autoestrada o GLE 53 provou ser um verdadeiro estradista. Com uma insonorização muito boa, um motor quase inaudível a 120 km/h, e um depósito de combustível com mais de 90 litros, podemos fazer vários quilómetros sem qualquer tipo de problema ou desconforto.

Ao selecionarmos o modo de condução mais desportivo, temos então um verdadeiro SUV desportivo que, apesar de não ser o mais potente da gama, chega (e sobra) para as encomendas. Os 435 cv (mais 22 cv de forma instantânea graças ao sistema mild hybrid), impulsionam as 2,3 toneladas quase sem esforço, sempre com toda a tração disponível muito por culpa da tração integral 4MATIC e das enormes jantes de 22 polegadas.

Concorrentes

Audi SQ7 – Motor: V8, gasolina; Potência: 507 cv e 770 Nm de binário; 0 aos 100 km/h: 4,1 segundos; Consumo Combinado: 11,9 – 12,4 l/100 km; Preço base: 146 425€

BMW X5 M50i – Motor: V8, gasolina; potência: 530 cv e 750 Nm de binário; 0 aos 100 km/h: 4,3 segundos; Consumo Combinado: 12,2 l/100 km; preço base: 141 300€

Motor

Motor (8/10) Debaixo do capot do Mercedes-AMG GLE 53 encontramos o motor V6, turbo, a gasolina, acompanhado por um sistema mild hybrid de 48V. Esta motorização debita 435 cv e 520 Nm de binário, com um pequeno “boost” momentâneo de 22 cv fornecido pelo pequeno motor elétrico do sistema mild hybrid. Com estas características, o SUV desportivo acelera dos 0 aos 100 km/h em 5,3 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada a 250 km/h. Esta motorização mostrou ter uma resposta ao acelerador rápida a partir das 2000 rpm, sempre com capacidade para impulsionar o SUV. A transmissão automática de 9 velocidades é uma mais valia em autoestrada, mantendo sempre a rotação bastante baixa e, consequentemente, reduzindo o ruído do motor ao mínimo possível.

Balanço final

Balanço Final (8/10) Em suma, o Mercedes-AMG GLE 53 é um verdadeiro SUV desportivo e, na nossa opinião, a opção AMG mais equilibrada. Com potência mais do que suficiente, espaço para toda a família e consumos mais contidos do que o 63, esta é a versão a escolher para quem procura um GLE desportivo. Como é comum na marca alemã, o preço base sobe com relativa facilidade graças a uma longa lista de opcionais disponíveis.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 6 cilindros em linha, turbo, gasolina + sistema mild hybrid

Cilindrada (cm3): 2999

Diâmetro x Curso (mm): 83 x 92,4

Taxa de Compressão: 10,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 435/5500-6100

Binário máximo (Nm/rpm): 520/1800-5800

Tração: integral

Transmissão: automática de 9 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): suspensão a ar / suspensão a ar

Travões (fr/tr): discos ventilados e perfurados / discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 5,3

Velocidade máxima (km/h): 250

Consumos misto (l/100 km): 10,6

Emissões CO2 (gr/km): 242

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4937/2018/1782

Distância entre eixos (mm): 2995

Largura de vias (fr/tr mm): 1681/1726

Peso (kg): 2305

Capacidade da bagageira (l): 630

Deposito de combustível (l): 85+9

Pneus (fr/tr): 285/40 ZR22 / 325/35 ZR22

Preço da versão ensaiada (Euros): 137 193€
Preço da versão base (Euros): 118 450€

Preço da versão ensaiada (Euros): 137193€
Preço da versão base (Euros): 118450€