Mercedes-Benz GLB 200d – Ensaio Teste

By on 8 Agosto, 2020

Mercedes-Benz GLB 200d

Texto: João Isaac

Parece só mais um SUV, mas é mais do que isso

A oferta SUV na gama da Mercedes-Benz é extensa. Do A ao S, passando pelos C e E, todas estas letras podem igualmente ser acompanhadas pelas G e L que designam o formato SUV nos automóveis da marca de Estugarda. Eis que agora chegam também ao B, com este novo, adivinharam, GLB. E tal como o nome deixa também antever, o GLB encaixa perfeitamente entre os GLA e GLC, partilhando a plataforma com o primeiro, mas apostando num design mais robusto e aventureiro, bem como na possibilidade de ter sete lugares, uma característica que o distingue quer do GLA, quer do GLC, mas que não faz parte da configuração deste “AB24EJ” que hoje vos trazemos.

Veja o vídeo do nosso ensaio ao Mercedes-Benz GLB 200d:

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Qualidade geral, habitabilidade, motor

Menos:

Visibilidade junto ao pilar A, preço de alguns opcionais

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (7/10) Visualmente, o GLB partilha muitas das soluções com os seus parentes mais próximos. Podíamos, inclusivamente, tapar o grande símbolo dianteiro e imediatamente identificá-lo como um produto Mercedes-Benz. Por um lado é ótimo, mas por outro poderá, aos olhos de alguns, ser considerado apenas mais um SUV, bonito e assumidamente Mercedes-Benz, mas só isso mesmo, mais um entre tantos. Mas não. Os designers da marca conseguiram, com bastante sucesso na nossa opinião, dar uma identidade muito própria ao GLB, transmitindo, ao mesmo tempo, a elegância e classe de um SUV com a estrela de três pontas na frente, mas também a robustez necessária de um SUV urbano e familiar. A grelha, o enorme símbolo na dianteira, as jantes de 19 polegadas da linha AMG e o contraste conseguido pelos vários elementos negros e cromados completam a receita no que ao design exterior diz respeito. Atrás, o excesso de cromado pode não ser para todos os gostos e as saídas de escape são apenas decorativas.

Interior

Interior (9/10) As boas notícias começam ainda no exterior, ao abrirem-se as portas, altas e largas. Assim, nota muito positiva para a acessibilidade, com destaque para o banco traseiro, facilitando, por exemplo, a colocação das cadeiras dos mais pequenos. O espaço abunda, quer para pernas, quer para a cabeça, e nem o túnel central incomoda muito o passageiro central. Apenas o desenho do banco não é tão convidativo a grandes viagens. Na frente, condutor e passageiro vão extremamente bem sentados, em bancos com a quantidade certa de apoio, sem serem demasiado intrusivos. A posição de condução ideal é fácil de encontrar, mas o desenho algo largo do pilar A em combinação com a colocação do retrovisor exterior requer alguma atenção adicional do condutor. A mala possui também acesso facilitado pela abertura elétrica do portão traseiro e o plano de carga baixo e ininterrupto, devido ao fundo amovível, facilita a colocação de volumes pesados. O volume livre de 565 litros pode ser expandido até 1800 litros com o rebatimento dos bancos da segunda fila que podem igualmente deslizar sobre carris, permitindo jogar com o espaço livre para passageiros e carga, consoante a necessidade.

Equipamento

Equipamento (8/10) Mesmo considerando o custo adicional deste GLB com linha AMG, a lista de equipamento disponível é muito apelativa. Exteriormente, destacam-se as já mencionadas jantes de 19 polegadas e a excelente iluminação LED. No interior, o grande painel de instrumentos digital duplo é um opcional quase “obrigatório”, bem como o é o banco traseiro com regulação longitudinal. A compatibilidade com Android Auto e Apple Car Play, o assistente ativo de faixa de rodagem, o active brake assist e o cruise control são propostos de série. No que diz respeito a equipamento focado na condução, o grande destaque é a presença, nesta unidade, da suspensão adaptativa, um elemento pelo qual a Mercedes-Benz pede cerca de 1000 euros.

Consumos

Consumos (8/10) Nos cerca de 40 quilómetros mistos que percorremos de propósito para aferir a sede deste “dois litros” de 150 cavalos do GLB tentámos incluir um pouco de tudo. Um breve percurso em autoestrada, outro ligeiramente maior em ambiente urbano e ainda uns quantos quilómetros de estrada nacional, bem como uma inevitável passagem por um troço de serra ou não estivéssemos na presença de um SUV familiar, apontado a uma utilização diária na cidade, bem como a passeios de fim-de-semana até à praia. Os resultados foram mais do que satisfatórios, com um consumo médio de 6,5 litros “aos 100” e para os quais contribui também o bom desempenho da caixa automática de 8 velocidades.

Ao volante

Ao volante (8/10) O GLB é um SUV de condução muito fácil e é assim mesmo que tem de ser. Uma proposta familiar, espaçosa, requintada e bem equipada, mas que ao volante se destaque pela facilidade com que se deixa levar. Não só o conjunto motor e caixa em muito contribuem para essas boas sensações, como também a presença da suspensão adaptativa, esta última, destacando-se pela ótima sensação de flutuabilidade que confere ao GLB. Selecionando-se o modo Sport, o novo SUV da marca alemã ganha agilidade mas o seu peso elevado continua a mostrar-se nos momentos mais dinâmicos e exigentes onde, no entanto, as patilhas no volante para controlo da caixa de velocidades são bem-vindas. O seu foco é claramente o conforto de rolamento e mesmo com as grandes jantes AMG, o GLB passa com distinção neste capítulo, sendo também importante referir o bom nível de insonorização a bordo.

Concorrentes

SEAT Tarraco Xcellence 2.0 TDI 150cv Start/Stop, 1968 cc, turbo, gasóleo, 150 cv, 340 Nm; 0-100 km/h em 9,8 seg,; 202 km/h; 5,9 l/100 km, 156 gr/km de CO2; 46 577 euros Peugeot 5008 GT 2.0 Blue HDI 180cv, 1997 cc, turbo, gasóleo, 180 cv, 400 Nm; 0-100 km/h em 10,3 seg,; 215 km/h; 6,3 l/100 km, 164 gr/km de CO2; 49 300 euros  

Motor

Motor (8/10) O já conhecido motor Diesel de 1950 cc da Mercedes-Benz equipa este GLB na sua versão de 150 cavalos e 320 Nm. A gama inclui igualmente o 180d de 116 cavalos e o mais potente 220d com 190 cavalos, mas este intermédio 200 é, muito provavelmente a escolha indicada na oferta Diesel, com o melhor compromisso entre economia e performance, sendo capaz de o acelerar de 0 a 100 km/h em 9 segundos, só parando de o fazer ligeiramente acima dos 200 km/h, valores mais do que indicados para um veículo deste género, apontado a uma utilização prática e descontraída. Para quem assim o exigir, pode igualmente dispor da tração integral 4Matic, aumentando-lhe, assim, a sua capacidade fora de estrada. Para além dos consumos comedidos, o motor de dois litros destaca-se ainda pela suavidade e baixo ruído de funcionamento, só incomodando se o levarmos aos altos regimes, zona do conta-rotações que o típico condutor de um SUV familiar como este normalmente não explora.

Balanço final

Balanço Final (8/10) O GLB é, sem dúvida, um bom produto. É mais um SUV no meio de tantos outros, é verdade, mas vem para a luta, não só com a habitual qualidade de construção Mercedes-Benz, mas também com um look bem mais jovem e aventureiro, disponibilizando-se, igualmente, para ser um bom companheiro para as famílias mais numerosas graças à possibilidade de transportar sete passageiros. Nesta versão de cinco lugares, gostámos do equilíbrio do motor, potente e refinado, bem como da boa habitabilidade, sendo uma proposta também pensada para o conforto de quem viaja no banco traseiro. A suspensão adaptativa é uma enorme mais-valia, não tanto pela superior capacidade dinâmica que pouco tem a ver com o GLB, mas principalmente pelo excelente comportamento deste novo SUV enquanto rolador. O preço final da unidade ensaiada fica bem perto dos 60 mil euros, mas é preciso relembrar que a lista de opcionais supera igualmente os 8 mil euros.

Ficha técnica

Motor Tipo: 4 cilindros em linha, injeção common-rail, turbo, gasóleo Cilindrada (cm3): 1950 Diâmetro x Curso (mm): 82 x 92,3 Taxa de Compressão: n.d. Potência máxima (CV/rpm): 150/3400-4400 Binário máximo (Nm/rpm): 320/1400 às 3200 Transmissão: automática de 8 velocidades Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/independente, multibraços Travões (fr/tr): discos ventilados/discos Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 9,0 Velocidade máxima (km/h): 204 Consumos misto (l/100 km): 5,6 Emissões CO2 (gr/km): 147 Dimensões e pesos Comprimento/Largura/Altura (mm): 4634/1834/1659 Distância entre eixos (mm): 2829 Largura de vias (fr/tr mm): 1605/1606 Peso (kg): 1680 Capacidade da bagageira (l): 565 Deposito de combustível (l): 58 Pneus (fr/tr): 235/50 R19 Preço da versão base (Euros): 49.250 Preço da versão ensaiada (Euros): 59.434

Preço da versão ensaiada (Euros): 59434€
Preço da versão base (Euros): 49250€