Mercedes Classe A250e – Ensaio Teste

By on 8 Novembro, 2023

O bem sucedido Mercedes Classe A sofreu recentemente um facelift e este A250e, um híbrido plug-in, é um dos carros mais interessantes e eficientes da marca. É um automóvel muito bom para a vida urbana do dia a dia, pois tem mais do que capacidade para fazer em modo elétrico, bem acima da média da quilometragem diária que precisamos com os nossos automóveis, e tem sempre lá o motor de combustão para as exceções à regra. Se o puder carregar todos os dias, ou dependendo do que necessita em termos de quilómetros rodados, o A250e é uma excelente escolha.
Há muito que o Classe A é um automóvel muito importante para a gama Mercedes, especialmente depois da transição que deu no fim dos anos noventa, para um tipo de carro mais na linha dos melhores hatchback do segmento C, o VW Golf, Opel Astra, Renault Mégane, etc, chegando mesmo, em muitos países, a best-seller do segmento.
É verdade que se fala da possibilidade da Mercedes o descontinuar no futuro, mas para já continua o grande automóvel que é há muito. Recentemente, recebeu uma atualização intermédia, em termos estéticos e de tecnologia, com mais e melhor ‘parte’ híbrida.
Este Mercedes A250e é um híbrido plug-in, que combina um motor a gasolina de quatro cilindros com um motor elétrico que lhe possibilita agora mais cerca de 10 Km que a versão anterior, cerca de 70 Km em modo somente elétrico, sendo que se necessitar tem sempre o motor de combustão para operar. Aí depende do que fizer com o acelerador, se andar calmo gasta pouco mais do que 5l/100 Km, em estrada mais depressa acima dos 7l/100 Km o que continua a não ser exagerado.
Mas tem que ter cautela se o consumo o preocupar, pois os motores têm uma potência total de 218 cv dividida entre o motor a gasolina e elétrico. As mudanças estéticas não foram muito substanciais, mas notam-se, mas há mais equipamento e especialmente na tecnologia.

Exterior

8/10

O design do Classe A foi atualizado, está ainda mais elegante e moderno, com linhas bem definidas e elementos de design característicos da Mercedes-Benz. As mudanças foram subtis mas significativas, como a nova grelha frontal, novos para-choques e as novas jantes. É um é um automóvel bonito e atraente, pois combina um design moderno com um toque de sofisticação.
A nova frente progressiva, o capot aerodinâmico, o formato ‘nariz de tubarão’, a grelha do radiador tem um novo design com padrão de estrela Mercedes-Benz e os faróis planos, disponíveis como opção, na variante de LED. As jantes podem ir até 19 polegadas. O novo difusor traseiro e os farolins traseiros LED de série são também muito bonitos.

Interior

8/10

O habitáculo do Classe A foi bastante atualizado, foi usado material reciclado, isso passa despercebido ao condutor mas é bom saber. Existe uma vasta gama de inovações de conectividade e segurança, quer seja pelo sistema multimédia MBUX melhorado, pelos bancos mais confortáveis.
Destaca-se ainda o ecrã duplo independente de série, constituído por um ecrã de 7 polegadas e um ecrã de 10.25 polegadas ao centro com muito boa definição e intuitivo. O Android Auto e o Apple CarPlay sem fios são agora possíveis, foi integrado um sensor de impressões digitais e o assistente de voz ‘Olá Mercedes’ foi atualizado. O volante também foi aperfeiçoado, com revestimento em pele napa de série, é compacto e com um toque muito bom.

Equipamento

8/10

O equipamento foi significativamente melhorado, mesmo na sua especificação de série.
Neste novo Classe A, o hardware e o software foram alvo de um importante avanço tecnológico: a última geração do MBUX é intuitiva e tem capacidade de aprendizagem. O ecrã do condutor e o ecrã central criam uma experiência mais completa e podem ser personalizados conforme desejado. O ecrã central oferece todas as funções anteriores como navegação, multimédia, telefone, veículo etc. e pode ser operado direta e comodamente como um ecrã tátil.
O sistema de telemática foi revisto e o desempenho melhorado. Naturalmente é possível ligar smartphones ao sistema através da Apple Carplay ou da Android Auto com funcionalidade sem fios. Além disso, foi adicionada uma porta de carregamento USB-C adicional para uma maior versatilidade de soluções de conectividade e a potência de carregamento foi novamente aumentada.
Esta versão AMG Line, sem mais equipamento opcional traz bancos desportivos, suporte duplo para copos, forro de tejadilho em preto, estofos em Pele Artico/Dinamica Preto com pesponto vermelho, Design Exterior AMG, Volante multifunções desportivo em pele, Jantes AMG em liga leve com 5 raios duplos de 18″, Tapetes AMG, Sistema desportivo de travagem, Pack Advanced Plus, Apoio de braço traseiro, Apoio lombar de 4 vias, Assistente adaptativo de máximos, Pack Espelhos, Retrovisores exteriores rebatíveis eletricamente, Carregamento wireless para smartphone na zona dianteira, Painel de instrumentos digital de 10,25″, Keyless-Go, Faróis em LED High Performance, Iluminação ambiente, Pack parking, Câmara de marcha-atrás, Assistente Ativo de Estacionamento com Parktronic.

 

Consumos

7/10

A Mercedes Benz anuncia um consumo de combustível em ciclo combinado de 1.5 l/100 km e uma autonomia elétrica de 70 a 75 km (NEDC), mas no caso da ‘fase’ elétrica, depende muito do tipo de percursos que fizer, se for cidade ‘pura e dura’, cumpre facilmente esses valores, talvez até mais, mas se tiver uma boa dose de estrada por volta dos 90-100 Km/h já será mais difícil, mas a diferença não será muita. Seja como for, mesmo contando com 70 Km de modo elétrico, isso fica muito acima da média do que a maioria das pessoas fazem nos seus automóveis, sendo essa a grande mais valia das pessoas que rodam um máximo de 60-70 Km por dia e podem carregar o carro em ‘casa’.
Se não se preocupar muito com o consumo bateria dura no mínimo 50 km.
Com o motor de combustão, se for em velocidade média baixa, consegue ficar abaixo de 5l/100 Km, e se tiver um cuidado ‘normal’, não gasta mais de sete. Se ‘apertar’ com o carro, então sim, conte com consumos à volta de 9l/100 Km. Lembre-se que o carro é pesado, cerca de mais 200 Kg que a versão de combustão ‘normal’ do Classe A. Por outro lado, tenha em mente que o depósito só leva 35 litros.

Ao Volante

7/10

O carro arranca sempre em modo elétrico, e quando precisamos de dar a primeira ‘aceleradela’ mais forte, notamos bem a potência. O feeling da condução não difere muito dos irmãos da gama, a suspensão está afinada para o ‘rijo’, mas filtra bem as imperfeições da estrada, e nas zonas mais sinuosas, o carro parece um ‘comboio sobre carris’ sem penalizar muito o conforto.
Nota-se bem o peso do carro, mas também tem potência mais do que suficiente para o que for necessário.
A direção é um pouco pesada, a condução de um modo geral é agradável, o carro está bem preparado para uma condução mais calma, a resposta em modo elétrico é muito boa, como seria de esperar, pode jogar-se com os modos de regeneração e isso tem grande efeito na forma como o carro se porta, especialmente a travar, claro e se quisermos tirar tudo o que o carro dá, é colocar em modo Sport, que só usa o motor de combustão, com a ajuda do motor elétrico, e aí sim, a performance é outra. É quase o Dr Jekyll e Mr Hyde, passe o exagero e fique a ideia, sem nunca esquecer que o carro é bem pesado. Significa isto que se quiser o melhor de dois mundos, os bons consumos devido ao bom motor elétrico, não conte com uma super performance, mas a potência do carro é suficiente para não o deixar descontente.
O carro tem uma condução suave e eficiente, é agradável de guiar, e uma boa combinação de desempenho e eficiência. Sendo um carro híbrido é um carro ágil, e bem divertido de conduzir, e não é desconfortável.

Motor

8/10

O Motor é um 4 cilindros em linha e 1.333 cc, com 163 cv/120 kW e um motor elétrico de  109 cv/80 kW com um conjunto que ascende a 218 cv / 160 kW com um binário máximo de 450 Nm.
A Bateria iões de lítio tem capacidade 15,6 kWh com potência máxima de recarga em CC 22 kW
Potência máxima de recarga em AC 11 kW com tempo de carregamento de 0 a 80 % DC 25 min (22 kW). O A250e tem tração dianteira e caixa de 8 velocidades automática
O motor do A250e permite ao carro acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 6,7 segundos, é performante q.b., destacando-se a eficiência. O motor é suave e potente, e oferece uma experiência de condução agradável.

Balanço Final

8/10

Não é um automóvel barato, mas sendo um híbrido plug-in, por ser mais pesado é um pouco menos dinâmico do que o que se poderia esperar, mas quem adquire um híbrido procura também eficiência e nesse caso pode andar um mínimo de 50-60 Km somente em modo elétrico, para muita gente chega e sobra, sabendo que o motor a combustão está sempre lá. É o ‘trade off’ que se tem de fazer num carro destes. Seja como for o carro tem um bom nível de desempenho, é muito bom em estrada, faz facilmente viagens longas sem consumos excessivo, tem um interior muito refinado é moderadamente confortável, e se um condutor ainda não quer arriscar um automóvel totalmente elétrico, mas quer andar nesse modo o mais possível este A250e é interessante. Pode ser carregado muito rapidamente. É caro, como já referimos, mas destacamos acima de tudo a sua polivalência.

Concorrentes

Os rival mais óbvio do A250e é o Audi Audi A3 Sportback 40 TFSIe, híbrido plug-in, potência até 245 cv, autonomia elétrica até entre 59-63 Km, preço desde 47.746€, preço de campanha atual 43.900€
Na BMW, não há um concorrente direto ao A250e, o Série 2, 230e Active Tourer é um carro totalmente distinto, custa a partir de 49.200€, o Série 3 já se pode considerar mais concorrente do A250e, por exemplo o BMW 320e Berlina híbrido plug-in com 204 cv, autonomia elétrica até 62 Km, a partir de 53.800€, mas é um carro muito distinto.
Na Volvo também não há um concorrente direto, pois o XC60 Recharge é completamente diferente e o valor começa nos 70.670€.
Entre os não premium, como exemplo podemos dar o Peugeot 308 Hybrid GT Plug in Hybrid 180 cv EAT8 autonomia elétrica até 66 Km, a partir de 43.620€.
O Cupra León 1.4 e-hybrid 204 cv híbrido plug-in, autonomia elétrica até 59 Km custa a partir de 44.192€.
O Opel Astra GSe 1.6 turbo 180 cv híbrido plug in autonomia elétrica até 67 Km preço a partir de 39.490€.

Ficha Técnica

Motor 4 cil. linha 1.333 cc
Injeção de combustível Injeção direta. Turbo. Intercooler
Potência máxima 218 cv / 160 kW
Binário máximo 450 Nm
Motor de combustão Gasolina
Potência máxima 163 cv / 120 kW
Binário máximo 270 Nm
Paragem/arranque automático do motor (“Stop/Start”) Sim
Motor elétrico 1
Potência máxima 109 cv / 80 kW
Binário máximo 300 Nm
Bateria iões de lítio
Capacidade 15,6 kWh
Capacidade utilizável 11,5 kWh
Potência máxima de recarga em CC 22 kW
Potência máxima de recarga em AC 11 kW
Tempo de carregamento de 0 a 80 % DC 25 min (22 kW)
Transmissão Tração dianteira
Caixa de 8 velocidades Automática

Dimensões, peso, capacidades
Tipo de carroçaria Automóvel de passageiros
Número de portas 5
Comprimento 4428 mm
Largura 1796 mm
Altura 1452 mm
Distância entre eixos 2729 mm
Área frontal Não disponível
Peso 1.700 kg
Depósito de combustível Gasolina 35 litros
Volume da bagageira
Volume com uma fila de bancos disponível 1.125 litros
Volume mínimo com duas filas de bancos disponíveis 310 litros
Número de lugares sentados 5

Chassis
Estrutura da suspensão dianteira Tipo McPherson
Mola da suspensão dianteira Mola helicoidal
Estrutura da suspensão traseira Tipo de elemento de torção
Mola da suspensão traseira Mola helicoidal
Barra estabilizadora dianteira Sim
Barra estabilizadora traseira Não
Tipo de travões dianteiros Disco ventilado
Tipo de travões traseiros Disco
Direção
Tipo Cremalheira e pinhão
Tipo de assistência Elétrica
Assistência à velocidade Sim
Engrenagem de redução dependente da velocidade Não
Redução não linear Não
Direção às quatro rodas Não
Círculo de viragem entre muros 11 m
Pneus dianteiros 205/55 R17
Pneus traseiros 205/55 R17
Pneus dianteiros 6,5 x 17
Rodas traseiras 6,5 x 17

Mais/Menos


Mais

Estética
Consumo motor combustão
Autonomia em modo elétrico
Condução em modo elétrico, autonomia e consumo.
Interior

Menos

Preço
Conforto longe de ser perfeito

Preços


Preço da versão ensaiada (Euros): 56.800€

Preço da versão base (Euros): 44850€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

O design do Classe A foi atualizado, está ainda mais elegante e moderno, com linhas bem definidas e elementos de design característicos da Mercedes-Benz. As mudanças foram subtis mas significativas, como a nova grelha frontal, novos para-choques e as novas jantes. É um é um automóvel bonito e atraente, pois combina um design moderno com um toque de sofisticação.
A nova frente progressiva, o capot aerodinâmico, o formato ‘nariz de tubarão’, a grelha do radiador tem um novo design com padrão de estrela Mercedes-Benz e os faróis planos, disponíveis como opção, na variante de LED. As jantes podem ir até 19 polegadas. O novo difusor traseiro e os farolins traseiros LED de série são também muito bonitos.

Interior

O habitáculo do Classe A foi bastante atualizado, foi usado material reciclado, isso passa despercebido ao condutor mas é bom saber. Existe uma vasta gama de inovações de conectividade e segurança, quer seja pelo sistema multimédia MBUX melhorado, pelos bancos mais confortáveis.
Destaca-se ainda o ecrã duplo independente de série, constituído por um ecrã de 7 polegadas e um ecrã de 10.25 polegadas ao centro com muito boa definição e intuitivo. O Android Auto e o Apple CarPlay sem fios são agora possíveis, foi integrado um sensor de impressões digitais e o assistente de voz ‘Olá Mercedes’ foi atualizado. O volante também foi aperfeiçoado, com revestimento em pele napa de série, é compacto e com um toque muito bom.

Equipamento

O equipamento foi significativamente melhorado, mesmo na sua especificação de série.
Neste novo Classe A, o hardware e o software foram alvo de um importante avanço tecnológico: a última geração do MBUX é intuitiva e tem capacidade de aprendizagem. O ecrã do condutor e o ecrã central criam uma experiência mais completa e podem ser personalizados conforme desejado. O ecrã central oferece todas as funções anteriores como navegação, multimédia, telefone, veículo etc. e pode ser operado direta e comodamente como um ecrã tátil.
O sistema de telemática foi revisto e o desempenho melhorado. Naturalmente é possível ligar smartphones ao sistema através da Apple Carplay ou da Android Auto com funcionalidade sem fios. Além disso, foi adicionada uma porta de carregamento USB-C adicional para uma maior versatilidade de soluções de conectividade e a potência de carregamento foi novamente aumentada.
Esta versão AMG Line, sem mais equipamento opcional traz bancos desportivos, suporte duplo para copos, forro de tejadilho em preto, estofos em Pele Artico/Dinamica Preto com pesponto vermelho, Design Exterior AMG, Volante multifunções desportivo em pele, Jantes AMG em liga leve com 5 raios duplos de 18″, Tapetes AMG, Sistema desportivo de travagem, Pack Advanced Plus, Apoio de braço traseiro, Apoio lombar de 4 vias, Assistente adaptativo de máximos, Pack Espelhos, Retrovisores exteriores rebatíveis eletricamente, Carregamento wireless para smartphone na zona dianteira, Painel de instrumentos digital de 10,25″, Keyless-Go, Faróis em LED High Performance, Iluminação ambiente, Pack parking, Câmara de marcha-atrás, Assistente Ativo de Estacionamento com Parktronic.

 

Consumos

A Mercedes Benz anuncia um consumo de combustível em ciclo combinado de 1.5 l/100 km e uma autonomia elétrica de 70 a 75 km (NEDC), mas no caso da ‘fase’ elétrica, depende muito do tipo de percursos que fizer, se for cidade ‘pura e dura’, cumpre facilmente esses valores, talvez até mais, mas se tiver uma boa dose de estrada por volta dos 90-100 Km/h já será mais difícil, mas a diferença não será muita. Seja como for, mesmo contando com 70 Km de modo elétrico, isso fica muito acima da média do que a maioria das pessoas fazem nos seus automóveis, sendo essa a grande mais valia das pessoas que rodam um máximo de 60-70 Km por dia e podem carregar o carro em ‘casa’.
Se não se preocupar muito com o consumo bateria dura no mínimo 50 km.
Com o motor de combustão, se for em velocidade média baixa, consegue ficar abaixo de 5l/100 Km, e se tiver um cuidado ‘normal’, não gasta mais de sete. Se ‘apertar’ com o carro, então sim, conte com consumos à volta de 9l/100 Km. Lembre-se que o carro é pesado, cerca de mais 200 Kg que a versão de combustão ‘normal’ do Classe A. Por outro lado, tenha em mente que o depósito só leva 35 litros.

Ao volante

O carro arranca sempre em modo elétrico, e quando precisamos de dar a primeira ‘aceleradela’ mais forte, notamos bem a potência. O feeling da condução não difere muito dos irmãos da gama, a suspensão está afinada para o ‘rijo’, mas filtra bem as imperfeições da estrada, e nas zonas mais sinuosas, o carro parece um ‘comboio sobre carris’ sem penalizar muito o conforto.
Nota-se bem o peso do carro, mas também tem potência mais do que suficiente para o que for necessário.
A direção é um pouco pesada, a condução de um modo geral é agradável, o carro está bem preparado para uma condução mais calma, a resposta em modo elétrico é muito boa, como seria de esperar, pode jogar-se com os modos de regeneração e isso tem grande efeito na forma como o carro se porta, especialmente a travar, claro e se quisermos tirar tudo o que o carro dá, é colocar em modo Sport, que só usa o motor de combustão, com a ajuda do motor elétrico, e aí sim, a performance é outra. É quase o Dr Jekyll e Mr Hyde, passe o exagero e fique a ideia, sem nunca esquecer que o carro é bem pesado. Significa isto que se quiser o melhor de dois mundos, os bons consumos devido ao bom motor elétrico, não conte com uma super performance, mas a potência do carro é suficiente para não o deixar descontente.
O carro tem uma condução suave e eficiente, é agradável de guiar, e uma boa combinação de desempenho e eficiência. Sendo um carro híbrido é um carro ágil, e bem divertido de conduzir, e não é desconfortável.

Concorrentes

Os rival mais óbvio do A250e é o Audi Audi A3 Sportback 40 TFSIe, híbrido plug-in, potência até 245 cv, autonomia elétrica até entre 59-63 Km, preço desde 47.746€, preço de campanha atual 43.900€
Na BMW, não há um concorrente direto ao A250e, o Série 2, 230e Active Tourer é um carro totalmente distinto, custa a partir de 49.200€, o Série 3 já se pode considerar mais concorrente do A250e, por exemplo o BMW 320e Berlina híbrido plug-in com 204 cv, autonomia elétrica até 62 Km, a partir de 53.800€, mas é um carro muito distinto.
Na Volvo também não há um concorrente direto, pois o XC60 Recharge é completamente diferente e o valor começa nos 70.670€.
Entre os não premium, como exemplo podemos dar o Peugeot 308 Hybrid GT Plug in Hybrid 180 cv EAT8 autonomia elétrica até 66 Km, a partir de 43.620€.
O Cupra León 1.4 e-hybrid 204 cv híbrido plug-in, autonomia elétrica até 59 Km custa a partir de 44.192€.
O Opel Astra GSe 1.6 turbo 180 cv híbrido plug in autonomia elétrica até 67 Km preço a partir de 39.490€.

Motor

O Motor é um 4 cilindros em linha e 1.333 cc, com 163 cv/120 kW e um motor elétrico de  109 cv/80 kW com um conjunto que ascende a 218 cv / 160 kW com um binário máximo de 450 Nm.
A Bateria iões de lítio tem capacidade 15,6 kWh com potência máxima de recarga em CC 22 kW
Potência máxima de recarga em AC 11 kW com tempo de carregamento de 0 a 80 % DC 25 min (22 kW). O A250e tem tração dianteira e caixa de 8 velocidades automática
O motor do A250e permite ao carro acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 6,7 segundos, é performante q.b., destacando-se a eficiência. O motor é suave e potente, e oferece uma experiência de condução agradável.

Balanço final

Não é um automóvel barato, mas sendo um híbrido plug-in, por ser mais pesado é um pouco menos dinâmico do que o que se poderia esperar, mas quem adquire um híbrido procura também eficiência e nesse caso pode andar um mínimo de 50-60 Km somente em modo elétrico, para muita gente chega e sobra, sabendo que o motor a combustão está sempre lá. É o ‘trade off’ que se tem de fazer num carro destes. Seja como for o carro tem um bom nível de desempenho, é muito bom em estrada, faz facilmente viagens longas sem consumos excessivo, tem um interior muito refinado é moderadamente confortável, e se um condutor ainda não quer arriscar um automóvel totalmente elétrico, mas quer andar nesse modo o mais possível este A250e é interessante. Pode ser carregado muito rapidamente. É caro, como já referimos, mas destacamos acima de tudo a sua polivalência.

Mais

Estética
Consumo motor combustão
Autonomia em modo elétrico
Condução em modo elétrico, autonomia e consumo.
Interior

Menos

Preço
Conforto longe de ser perfeito

Ficha técnica

Motor 4 cil. linha 1.333 cc
Injeção de combustível Injeção direta. Turbo. Intercooler
Potência máxima 218 cv / 160 kW
Binário máximo 450 Nm
Motor de combustão Gasolina
Potência máxima 163 cv / 120 kW
Binário máximo 270 Nm
Paragem/arranque automático do motor (“Stop/Start”) Sim
Motor elétrico 1
Potência máxima 109 cv / 80 kW
Binário máximo 300 Nm
Bateria iões de lítio
Capacidade 15,6 kWh
Capacidade utilizável 11,5 kWh
Potência máxima de recarga em CC 22 kW
Potência máxima de recarga em AC 11 kW
Tempo de carregamento de 0 a 80 % DC 25 min (22 kW)
Transmissão Tração dianteira
Caixa de 8 velocidades Automática

Dimensões, peso, capacidades
Tipo de carroçaria Automóvel de passageiros
Número de portas 5
Comprimento 4428 mm
Largura 1796 mm
Altura 1452 mm
Distância entre eixos 2729 mm
Área frontal Não disponível
Peso 1.700 kg
Depósito de combustível Gasolina 35 litros
Volume da bagageira
Volume com uma fila de bancos disponível 1.125 litros
Volume mínimo com duas filas de bancos disponíveis 310 litros
Número de lugares sentados 5

Chassis
Estrutura da suspensão dianteira Tipo McPherson
Mola da suspensão dianteira Mola helicoidal
Estrutura da suspensão traseira Tipo de elemento de torção
Mola da suspensão traseira Mola helicoidal
Barra estabilizadora dianteira Sim
Barra estabilizadora traseira Não
Tipo de travões dianteiros Disco ventilado
Tipo de travões traseiros Disco
Direção
Tipo Cremalheira e pinhão
Tipo de assistência Elétrica
Assistência à velocidade Sim
Engrenagem de redução dependente da velocidade Não
Redução não linear Não
Direção às quatro rodas Não
Círculo de viragem entre muros 11 m
Pneus dianteiros 205/55 R17
Pneus traseiros 205/55 R17
Pneus dianteiros 6,5 x 17
Rodas traseiras 6,5 x 17

Preço da versão ensaiada (Euros): 56.800€
Preço da versão base (Euros): 44850€