Mini One – Ensaio Teste

By on 28 Dezembro, 2021

Mini One – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

A versatilidade de cinco portas

Fomos conhecer o Mini “não Cooper” a gasolina, o denominado One com 102 cv. Neste ensaio testámos também a carroçaria de cinco portas que oferece uma versatilidade muito superior ao modelo de três portas. Será esta a melhor versão para o dia-a-dia do utilitário?


Mais:

habitabilidade, condução, caixa manual

Menos:

preço de opcionais

Exterior

7/10

Exterior (7/10) No exterior, a carroçaria de cinco portas do Mini One retira um pouco da mística de design do modelo britânico. Ainda assim, este aumentar de dimensões oferece uma maior versatilidade no habitáculo, mas quanto a isso já lá vamos. Voltando ao exterior, a versão em ensaio mostra que os One contam com uma estética não tão agressiva como os Cooper. A unidade em questão conta ainda com jantes de 16 polegadas.

Interior

8/10

Interior (8/10) Se dá prioridade à habitabilidade, então esta carroçaria de cinco portas é a versão a escolher. De facto, o aumentar de dimensões ajuda a tornar o habitáculo do Mini One um pouco mais versátil e capaz de transportar quatro adultos. A inclusão de mais duas portas também melhora, e de que maneira, o acesso à segunda fila de bancos, uma das maiores críticas à versão de três portas. Como seria de esperar, o Mini One não tem o mesmo cuidado de materiais das versões mais equipadas e dispendiosas, mas a marca britânica tem uma vasta lista de opcionais que possibilita ter praticamente as mesmas comodidades dos Cooper.

Nesta atualização foi também feita uma melhoria ao nível tecnológico. Para além do painel de instrumentos digital que se situa em frente ao condutor, ao centro surge um novo ecrã tátil de 8,8 polegadas com o mais recente sistema de infotainment da marca. Este mostrou ser fácil e rápido de utilizar e, para melhorar ainda mais a experiência, existe um comando rotativo de controlo do mesmo na consola central. Também positivo é a manutenção dos comandos físicos da climatização.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) Tal como já foi referido, o Mini One não tem o mesmo recheio de equipamento dos Cooper, porém, a lista de opcionais é vasta. A unidade em questão conta com alguns como é o caso da Eco-Pele carbon black (81€), kit de reparação de pneus (41€), barras de tejadilho (203€), exterior piano black (244€), vidros com proteção solar (244€), Mini Driving Assistant (585€), Bluetooth avançado com carregamento wireless (285€), versão classic (2114€), jantes de 16 polegadas (732€) e superfície interior silver chequered (81€).

Consumos

7/10

Consumos (7/10) O motor três cilindros de 1.5 litros, turbo, a gasolina, tem um consumo anunciado de 5,5 l/100 km. Durante o nosso ensaio percebemos que esse valor é possível de alcançar, mas apenas realizando uma condução bastante defensiva. Numa utilização “normal”, os consumos sobem ligeiramente para a casa dos 6,4 l/100 km.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Mesmo nesta versão, o Mini One apresenta uma direção precisa e uma afinação de suspensão firme, o que permite ter uma condução divertida e ágil, tal como as versões de três portas. A experiência é ainda mais envolvente graças à caixa manual de seis velocidades que se mostrou rápida e precisa. Por outro lado, em cidade não é tão confortável como as variantes de caixa automática. Em autoestrada o três cilindros tem potência suficiente para manter os limites de velocidade permitidos, com destaque para a boa insonorização do habitáculo.

Motor

7/10

Motor (7/10) O Mini One em ensaio está equipado com o motor três cilindros de 1.5 litros, turbo, a gasolina. Sendo a versão One mais potente, este oferece 102 cv e 190 Nm de binário, disponíveis desde baixa rotação. Longe de ser um desportivo, este acelera dos 0 aos 100 km/h em 10,6 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 192 km/h. Apesar de chegar “para as encomendas” no dia-a-dia, os 102 cv não permitem explorar todo o potencial do bom chassis do Mini.

Balanço Final

7/10

Balanço Final (7/10) O Mini One é uma boa proposta no segmento de utilitários e uma maneira mais acessível de disfrutar do bom chassis do modelo britânico. Para além disso, a versão de cinco portas melhora bastante a versatilidade do habitáculo tornando-o num veículo mais capaz no dia-a-dia. O ponto menos negativo é a necessidade de recorrer à longa lista de opcionais para ter acesso a certos equipamentos que deveriam ser de série.

Concorrentes

Audi A1 Sportback 30 TFSI – Motor: três cilindros, 1.0 litros, gasolina, turbo; potência: 110 cv e 200 Nm de binário; bagageira: 335 litros; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 10,5 segundos; consumo anunciado: 5,3 l/100 km; preço base: 25 458€

Renault Clio TCe 90 – Motor: três cilindros, 0,9 litros, gasolina, turbo; potência: 90 cv e 160 Nm de binário; bagageira: 340 litros; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 12,2 segundos; consumo anunciado: 5,2 l/100 km; preço base: 20 750€

Volkswagen Polo 1.0 TSI – Motor: três cilindros, 1.0 litros, gasolina, turbo; potência: 95 cv e 175 Nm de binário; bagageira: 350 litros; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 10,8 segundos; consumo anunciado: 5,2 l/100 km; preço base: 21 179€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 3 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 1499

Diâmetro x Curso (mm): 82 x 94,6

Taxa de Compressão: 11 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 102/3900-6500

Binário máximo (Nm/rpm): 190/1380-3600

Tração: dianteira

Transmissão: manual de 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,6

Velocidade máxima (km/h): 192

Consumos misto (l/100 km): 5,5

Emissões CO2 (gr/km): 124

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4023/1727/1425

Distância entre eixos (mm): 2567

Largura de vias (fr/tr mm): 1501/1501

Peso (kg): 1285

Capacidade da bagageira (l): 278

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 195/55 R16

Preço da versão ensaiada (Euros): 31 064€
Preço da versão base (Euros): 23 800€

 

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (7/10) No exterior, a carroçaria de cinco portas do Mini One retira um pouco da mística de design do modelo britânico. Ainda assim, este aumentar de dimensões oferece uma maior versatilidade no habitáculo, mas quanto a isso já lá vamos. Voltando ao exterior, a versão em ensaio mostra que os One contam com uma estética não tão agressiva como os Cooper. A unidade em questão conta ainda com jantes de 16 polegadas.

Interior

Interior (8/10) Se dá prioridade à habitabilidade, então esta carroçaria de cinco portas é a versão a escolher. De facto, o aumentar de dimensões ajuda a tornar o habitáculo do Mini One um pouco mais versátil e capaz de transportar quatro adultos. A inclusão de mais duas portas também melhora, e de que maneira, o acesso à segunda fila de bancos, uma das maiores críticas à versão de três portas. Como seria de esperar, o Mini One não tem o mesmo cuidado de materiais das versões mais equipadas e dispendiosas, mas a marca britânica tem uma vasta lista de opcionais que possibilita ter praticamente as mesmas comodidades dos Cooper.

Nesta atualização foi também feita uma melhoria ao nível tecnológico. Para além do painel de instrumentos digital que se situa em frente ao condutor, ao centro surge um novo ecrã tátil de 8,8 polegadas com o mais recente sistema de infotainment da marca. Este mostrou ser fácil e rápido de utilizar e, para melhorar ainda mais a experiência, existe um comando rotativo de controlo do mesmo na consola central. Também positivo é a manutenção dos comandos físicos da climatização.

Equipamento

Equipamento (7/10) Tal como já foi referido, o Mini One não tem o mesmo recheio de equipamento dos Cooper, porém, a lista de opcionais é vasta. A unidade em questão conta com alguns como é o caso da Eco-Pele carbon black (81€), kit de reparação de pneus (41€), barras de tejadilho (203€), exterior piano black (244€), vidros com proteção solar (244€), Mini Driving Assistant (585€), Bluetooth avançado com carregamento wireless (285€), versão classic (2114€), jantes de 16 polegadas (732€) e superfície interior silver chequered (81€).

Consumos

Consumos (7/10) O motor três cilindros de 1.5 litros, turbo, a gasolina, tem um consumo anunciado de 5,5 l/100 km. Durante o nosso ensaio percebemos que esse valor é possível de alcançar, mas apenas realizando uma condução bastante defensiva. Numa utilização “normal”, os consumos sobem ligeiramente para a casa dos 6,4 l/100 km.

Ao volante

Ao volante (8/10) Mesmo nesta versão, o Mini One apresenta uma direção precisa e uma afinação de suspensão firme, o que permite ter uma condução divertida e ágil, tal como as versões de três portas. A experiência é ainda mais envolvente graças à caixa manual de seis velocidades que se mostrou rápida e precisa. Por outro lado, em cidade não é tão confortável como as variantes de caixa automática. Em autoestrada o três cilindros tem potência suficiente para manter os limites de velocidade permitidos, com destaque para a boa insonorização do habitáculo.

Concorrentes

Audi A1 Sportback 30 TFSI – Motor: três cilindros, 1.0 litros, gasolina, turbo; potência: 110 cv e 200 Nm de binário; bagageira: 335 litros; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 10,5 segundos; consumo anunciado: 5,3 l/100 km; preço base: 25 458€

Renault Clio TCe 90 – Motor: três cilindros, 0,9 litros, gasolina, turbo; potência: 90 cv e 160 Nm de binário; bagageira: 340 litros; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 12,2 segundos; consumo anunciado: 5,2 l/100 km; preço base: 20 750€

Volkswagen Polo 1.0 TSI – Motor: três cilindros, 1.0 litros, gasolina, turbo; potência: 95 cv e 175 Nm de binário; bagageira: 350 litros; aceleração dos 0 aos 100 km/h: 10,8 segundos; consumo anunciado: 5,2 l/100 km; preço base: 21 179€

Motor

Motor (7/10) O Mini One em ensaio está equipado com o motor três cilindros de 1.5 litros, turbo, a gasolina. Sendo a versão One mais potente, este oferece 102 cv e 190 Nm de binário, disponíveis desde baixa rotação. Longe de ser um desportivo, este acelera dos 0 aos 100 km/h em 10,6 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 192 km/h. Apesar de chegar “para as encomendas” no dia-a-dia, os 102 cv não permitem explorar todo o potencial do bom chassis do Mini.

Balanço final

Balanço Final (7/10) O Mini One é uma boa proposta no segmento de utilitários e uma maneira mais acessível de disfrutar do bom chassis do modelo britânico. Para além disso, a versão de cinco portas melhora bastante a versatilidade do habitáculo tornando-o num veículo mais capaz no dia-a-dia. O ponto menos negativo é a necessidade de recorrer à longa lista de opcionais para ter acesso a certos equipamentos que deveriam ser de série.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 3 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 1499

Diâmetro x Curso (mm): 82 x 94,6

Taxa de Compressão: 11 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 102/3900-6500

Binário máximo (Nm/rpm): 190/1380-3600

Tração: dianteira

Transmissão: manual de 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,6

Velocidade máxima (km/h): 192

Consumos misto (l/100 km): 5,5

Emissões CO2 (gr/km): 124

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4023/1727/1425

Distância entre eixos (mm): 2567

Largura de vias (fr/tr mm): 1501/1501

Peso (kg): 1285

Capacidade da bagageira (l): 278

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 195/55 R16

Preço da versão ensaiada (Euros): 31 064€
Preço da versão base (Euros): 23 800€